Our social:

sábado, 12 de novembro de 2016

Filme "Alô Memória -80 anos da Rádio MEC e NACIONAL" estreia hoje na TV BRASIL


Neste sábado (12), o destaque é a estreia, às 21h30, do filme "Alô Memória - 80 anos das Rádios MEC e Nacional", docucrama que mescla linguagem documental com dramaturgia para traçar um panorama sobre a história dessas emissoras que marcaram época no rádio brasileiro. O documentário inclui entrevistas e imagens de arquivo com personalidades ilustres e programas de auditório.

Ainda no sábado (12), às 23h30, está programado o documentário de Moçambique "Timbila e marimba chope". Já às 4h, o longa peruano "Surras e Risadas" entra na grade.

Por fim, no domingo (13), mais duas estreias: às 19h30, o filme nacional "Um lugar ao sol" enquanto à meia-noite o documentário equatoriano "Sete muros'.


Sábado, 12 de novembro

Alô Memória - 80 anos das Rádios MEC e Nacional
21h30, na TV Brasil

Ano: 2016. Gênero: documentário. Direção: Carlos Sanches, com Cleo Pequeno, Gabriel Flores e João Antonio Santucci. Assistência de Direção e Preparação de Elenco: Paulo Fernandes. Roteiro: Rogério Sacchi de Frontin, Paulo Fernandes. Supervisão de Roteiro: Simone Melamed. Produção Executiva: Enio Puello. Edição e Finalização: Isabelle Valente, Rodrigo Moraes. Coordenação de produção: Daniel Gontijo. Produção e Realização: Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

O documentário "Alô, Memória - 80 anos das Rádios MEC e Nacional" mescla a linguagem documental com elementos da dramaturgia para apresentar um panorama sobre as emissoras que são referência na comunicação pública. A produção homenageia as oito décadas das emissoras Rádio Nacional e Rádio MEC comemoradas em 2016.

Ouvir somente seria pouco. É preciso ver e ganhar novos olhares para celebrar os oitenta anos de história das Rádios MEC e Nacional. Isabel Cristina, Albertinho e Jorge Luís são três jovens com nomes de personagens do maior sucesso da radionovela do país, "Direito de Nascer". Eles se deixam mergulhar numa fantasia radiofônica com imagem, textura e som.

A produção percorre a trajetória da Rádio Nacional e seu brilho: astros e estrelas da radiodramaturgia, do jornalismo, do esporte. Recorda os programas de auditório e de humor que marcaram época no imponente edifício "A Noite", na Praça Mauá. Destaca um passado que influenciou outras rádios e grandes emissoras de televisão do Brasil, que, até hoje, têm na Era de Ouro da Nacional a maior referência.

O longa também mostra como a Rádio MEC nasceu do sonho de um homem: Edgard Roquette-Pinto. Ele queria levar cultura e educação aos cidadãos em todo território nacional. A MEC foi a concretização de seu projeto: poesia, crônica, literatura, folclore, música clássica e instrumental, educação formal ao alcance de todos que se dispunham a ouvi-la.

Com humor e poesia, os jovens personagens costuram essa história com depoimentos de artistas, jornalistas e especialistas. "Alô, Memória - 80 anos das Rádios MEC e Nacional" chega para mostrar que essas oito décadas estão muito presentes e merecem ser revisitadas a todo momento.
O documentário ainda inclui imagens de arquivo de ícones da cena cultural do país como os cantores Cauby Peixoto e Roberto Carlos, a atriz Fernanda Montenegro e o pesquisador Ricardo Cravo Albin.

A produção conta com a participação de dois radioatores, Daisy Lúcidi e Gerdal dos Santos, que há décadas estão no casting da Rádio Nacional e continuam atuantes na emissora pública até os dias de hoje.

Também concedem entrevista para o filme personalidades como o jornalista João Máximo, o compositor Edino Krieger, o radialista Marco Aurélio Carvalho, a radialista Marlene Blois, a jornalista Magali Prado e o jornalista João Batista de Abreu.

"Alô, Memória - 80 anos das Rádios MEC e Nacional" ainda recupera áudios e vídeos de atrações das emissoras que estão no imaginário popular como o "Repórter Esso" e programas de auditório que lotavam os estúdios e corredores das estações com uma multidão que se aglomerava nas ruas para ver os ídolos.

Inédito. 56 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 21h30



Sábado, 12 de novembro (madrugada de sábado para domingo)

Timbila e marimba chope
23h30, na TV Brasil

País de origem: Moçambique. Ano: 2008. Gênero: documentário. Direção: Aldino Languana.

Embalado pela melodia da timbila, o documentário “Timbila e marimba chope” acompanha o processo de fabricação desse instrumento musical até que esteja pronto para ganhar vida, com seu timbre único e especial.

Instrumento polifônico de percussão utilizado pela etnia Chope, da província de Gaza, sul de Moçambique, a Timbila (plural de Mbila) foi proclamada obra-prima do patrimônio oral e imaterial da humanidade, pela UNESCO.

Além de mostrar a fabricação do Mbila, o filme revela os raríssimos artesãos que preservam o conhecimento ancestral da construção do instrumento, do canto e da dança tradicionais daquela sociedade.

A câmera ainda se deixa embalar pelo Msaho, a música chope e dança das timbila, numa miscelânea de sons, com toques de tambores, batuques e apitos.

Reprise. 52 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 23h30


Sábado, 12 de novembro (madrugada de sábado para domingo)

Surras e risadas
04h00, na TV Brasil

Título original: Palos Y Risas. País de origem: Peru. Ano: 2016. Gênero: documentário. Direção: Nelson García Miranda.

Um policial guarda um nariz vermelho em seu uniforme; um palhaço esconde uma pistola entre suas roupas. Um envolvido com a legalidade e a ordem; o outro, com a surpresa e a risada. Esses dois polos opostos se unem num sonho: o circo policial. Quando confrontado com a mais dura realidade, decide pendurar as botas e se preocupar apenas com o riso das crianças.

O documentário peruano “Surras e Risadas” é dirigido por Nelson García Miranda.

Reprise. 54 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 04h00


Domingo, 13 de novembro

Um lugar ao sol
19h30, na TV Brasil

Ano: 2008. Gênero: documentário. Direção: Gabriel Mascaro.

O documentário aborda o universo dos moradores de coberturas de prédio das cidades do Recife, Rio de Janeiro e São Paulo. O diretor obteve acesso aos moradores das coberturas através de um curioso livro que mapeia a elite e pessoas influentes da sociedade brasileira.

Na obra são catalogados 125 donos de cobertura. Destes 125, apenas nove cederam entrevistas. Através dos depoimentos dos moradores de cobertura, o filme traz um rico debate sobre desejo, visibilidade, insegurança, status e poder, e constrói um discurso sensorial sobre o paradigma arquitetônico e social brasileiro.

Inédito. 70 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 19h30


Domingo, 13 de novembro (madrugada de domingo para segunda-feira)

Sete muros
00h00, na TV Brasil

Título original: 7 muros. País de origem: Equador. Ano: 2016. Gênero: documentário. Direção: Daniel Yépez Brito.

Dirigido por Daniel Yépez Brito, o documentário equatoriano “Sete muros” explora o significado dos muros: os da vizinhança, os da casa, os da própria mente.

Após 20 anos morando na mesma casa na cidade de Quito, o realizador decide se mudar, mas percebe que nunca conheceu nenhum de seus vizinhos. Portanto, antes de ir embora, resolve investigar a vida de cada um deles e, assim, descobre a importância de romper seu próprio muro para poder entrar na vida do “outro”.

Inédito. 54 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 00h00

Fonte: Fernando Chaves
Coordenador de Comunicação
Gerência de Comunicação
Empresa Brasil de Comunicação | TV Brasil | Rádios Nacional e MEC

Popular Posts

Google+ Followers