Previous
Next

domingo, 13 de setembro de 2020

TV Brasil estreia animação francesa 'Michel Strogoff' baseada na obra de Júlio Verne

TV Brasil estreia animação francesa 'Michel Strogoff' baseada na obra de Júlio Verne

 

Emissora pública apresenta filme que remete ao clássico do autor francês na Sessão Família

 

Inspirada no romance homônimo do escritor Júlio Verne, a animação francesa "Michel Strogoff" (2004) estreia na programação da TV Brasil neste domingo (13), às 14h, na faixa Sessão Família. O filme revela a épica odisseia do capitão Michel Strogoff em uma missão secreta pelo interior da Rússia.

 

Ameaçada por uma invasão tártara no século XIX, a Rússia continental é separada de seu território no extremo oriente. Isolado e cercado na Sibéria, o irmão do Czar lidera a última resistência com suas tropas.

 

O Czar confia ao capitão Michel Strogoff a missão de entregar uma mensagem vital a seu irmão, na Sibéria. Com valentia, ele deve cruzar todo o império para levar essa carta enquanto é perseguido por um traidor cooptado pelos tártaros.

 

Disfarçado de comerciante, o corajoso oficial faz uma longa e perigosa jornada por todo o país ao percorrer os confins da Rússia. As façanhas do homem encarregado de salvar a nação tem um dos ápices no encontro do mensageiro com a jovem Nádia, uma mulher obstinada que pode mudar suas prioridades.

 

A animação francesa retrata os bailes imperiais com valsas de Strauss, as melodias populares cantadas pelos barqueiros do rio Volga, as canções melancólicas dos cocheiros que cruzavam as áridas estepes da Ásia Central, as danças folclóricas e as composições românticas da Balalaika.

 

Escrita em 1876, a obra original de Júlio Verne tem uma narrativa inquietante fiel a eventos históricos. Com milhares de edições e reconhecimentos, o clássico "Michel Strogoff" redigido pelo autor francês traz grandes aventuras que foram adaptadas dezenas de vezes para produções do cinema e da televisão.

 

Ficha técnica

Título original: Les Aventures Extraordinaires de Michel Strogoff. País: França. Ano: 2004. Gênero: animação. Direção: Hubert Chonzu e Alexandre Huchez. Produtores: Dargaud Marina e Rouge Citron. História original: Júlio Verne. Classificação indicativa: Livre. Duração: 87 min.

 

Serviço

Sessão Família - "Michel Strogoff" – domingo, dia 13/9, às 14h, na TV Brasil

 

 


 

Documentário "Olhando para as Estrelas" estreia neste domingo (13/9) na TV Brasil

Produção nacional lança perspectiva sobre rotina de uma escola de balé para cegos em São Paulo

 

TV Brasil lança o documentário "Olhando para as Estrelas" (2017) na faixa Cine Nacional deste domingo (13), às 16h. Reconhecido com diversos prêmios, o longa-metragem dirigido por Alexandre Peralta destaca o trabalho da única escola de balé para cegos do mundo ao acompanhar o cotidiano, os desafios e as conquistas de uma aluna e uma professora.

 

A produção traça um panorama sobre esse trabalho ao retratar duas dançarinas que se envolvem de corpo e alma no projeto da companhia de balé Associação Fernanda Bianchini, localizada em São Paulo. O filme mostra Geyza, professora e primeira bailarina do grupo, que estava se preparando para casar, e Thalia, uma de suas alunas adolescentes, que lida com todas as mudanças de sua idade. 

 

A deficiência visual não é empecilho para as jovens que compartilham com outras meninas da companhia a paixão pela dança e o sonho de uma carreira artística como bailarinas. Cientes das dificuldades nessa árdua trajetória, elas desenvolvem a autoestima e o conhecimento mútuo com muita dedicação e harmonia.

 

Ambas demonstram determinação em ultrapassar obstáculos com sorriso e apoio familiar que não as vitimiza. Vaidosas, as personagens do longa desejam conquistar o melhor para si mesmas. A produção mostra esse amadurecimento gradual das bailarinas em busca de suas vocações.

 

Com leves movimentos de câmera, que podem se associar aos passos da dança, trilha sonora suave e uma montagem que se destaca pela sensibilidade, o documentário tem narração em off que propicia ao telespectador uma aproximação com a causa.

 

O filme "Olhando para as Estrelas" foi laureado com o prêmio de melhor documentário da HBO/NALIP (Associação de Produtores Latinos) e o prêmio da diversidade no Bentonville Film Festival. O longa-metragem ainda participou de eventos internacionais temáticos e de grandes festivais como o de Los Angeles e a Mostra Internacional de Cinema.

 

Ficha técnica

Ano: 2017. Gênero: docudrama. Direção, roteiro e edição: Alexandre Peralta. Produção: Corina Maritescu, Sabrina Chammas e Alejandro Ernesto. Classificação indicativa: Livre. Duração: 90 min.

 

Serviço

Cine Nacional - "Olhando para as Estrelas" – domingo, dia 13/9, às 16h, na TV Brasil


Fonte: Fernando Chaves/ TV BRASIL

sexta-feira, 11 de setembro de 2020

OLHAR DE CINEMA ANUNCIA OS SELECIONADOS DE SUA MOSTRA COMPETITIVA

OLHAR DE CINEMA ANUNCIA OS SELECIONADOS DE SUA MOSTRA COMPETITIVA

 


Em uma edição completamente online, todo o Brasil terá a chance, de 7 a 15 de outubro, conferir o 9º Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba. Criado em 2012, o festival vem se destacando no cenários dos eventos nacionais por uma curadoria apurada e arriscada, sempre em busca de novos olhares e narrativas e atenta a temas pessoais e sociais relevantes. 

A Mostra Competitiva tradicionalmente apresenta uma seleção composta por filmes recém-lançados e ainda inéditos no Brasil, um conjunto de apostas e descobertas que busca o equilíbrio entre inventividade, abordagem de temas contemporâneos e potencial de comunicação com o público. Nesta edição serão nove longas-metragens, formando um recorte original da cinematografia mundial.

O cinema brasileiro vem representado pelo ainda inédito Entre nós talvez estejam multidões, dirigido por Pedro Maia de Brito e Aiano Bemfica, filmado na ocupação Eliana Silva. Da seleção da Mostra Panorama do último Festival de Berlim, faz parte da seleção Luz dos trópicos, de Paula Gaitán.

Conversando com outras cinematografias, ainda do festival de Berlim, desta vez da mostra Encounters, chega o português A metamorfose dos pássaros, de Catarina Vasconcelos. Outros títulos da Berlinale são o belga Victoria, de Sofie Benoot, também exibido no IndieLisboa, e Na cabine de exibição do diretor israelense Ra'anan Alexandrowicz, já selecionado para vários outros festivais voltados ao cinema documental.

Do Festival de Roterdã, o Olhar traz o indiano Nasir, de Arun Karthick, e o espanhol Longa noite, de Eloy Enciso, também selecionado para os festivais de Toronto e Locarno. Deste festival, também será possível conferir o francês Um filme dramático, de Eric Baudelaire.  Los lobos, do mexicano Samuel Kishi, vindo diretamente do Festival de Havana, completa a seleção.

A seleção de curtas-metragens segue a mesma diversidade de narrativas e locais, com representantes brasileiros, espanhóis, franceses e peruanos, entre outros. Do Brasil, são dois títulos: Chão de rua, de Tomás von der Osten, exibido no último festival de Locarno, e, em pré-estreia mundial, Noite de seresta, de Sávio Fernandes e Muniz Filho.

Mostra Foco

Nesta 9ª edição, o nome destacado na Mostra Foco é o do diretor Daniel Nolasco. Nascido em Catalão, Goiás, o realizador escreveu e dirigiu mais de nove curtas-metragens e dois documentários, todos os filmes participaram e foram premiados em diversos festivais. Seu primeiro longa de ficção, Vento seco recentemente exibido na Berlinale e no Festival de Guadalajara é um dos filmes que poderão ser vistos.

Sobre o Olhar de Cinema

O Olhar de Cinema é um festival que busca destacar e celebrar o cinema independente produzido no mundo. São propostas estéticas inventivas, envolventes e com comprometimento temático, que abrange desde a abordagem de inquietações contemporâneas acerca do micro universo cotidiano de relacionamentos, até interpretações e posicionamentos sobre política e economia mundial.

A seleção apresenta ao público filmes que se arriscam em novas formas de linguagem cinematográfica, que estão abertos ao experimentalismo e que, ainda assim, possuem um grande potencial de comunicação com o público.

Nesta edição, serão sete mostras: Mostra Competitiva, Mostra Foco, Novos Olhares, Outros Olhares, Olhares Brasil, Exibições Especiais Mirada Paranaense.

O 9º Olhar de Cinema - Festival Internacional de Cinema conta com apoio da Copel, Ademilar e Lojacorr. Apoio Cultural: Ag 433. Projeto realizado com o apoio do programa de apoio e incentivo à cultura - Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba. Projeto aprovado no programa estadual de fomento e incentivo à cultura | PROFICE da Secretaria de Estado da Cultura | Governo do Estado do Paraná.

 

Confira a lista de filmes selecionados:

MOSTRA COMPETITIVA

LONGAS-METRAGENS

Nasir (Índia, Países Baixos, Singapura, 2019, 79 min.), de Arun Karthick; 

Na Cabine de Exibição (The Viewing Booth, Israel, Estados Unidos, 2019, 71 min.), de Ra'anan Alexandrowicz

A Metamorfose dos Pássaros (Portugal, 2020, 101 min.), de Catarina Vasconcelos

Los Lobos (México, 2019, 95 min.), de Samuel Kishi

Longa Noite (Espanha, 2019, 90 min.), de Eloy Enciso

Victoria (Bélgica, 2020, 72 min.) de Sofie Benoot, Liesbeth De Ceulaer e Isabelle Tollenaere

Entre Nós Talvez Estejam Multidões ( Brasil, 2020, 99 min.) de Pedro Maia de Brito, Aiano Bemfica

Luz nos Trópicos (Brasil, 2020, 260 min.) de Paula Gaitan

Um Filme Dramático (Un film dramatique, 2019, França, 114 min.) , de Eric Baudelaire. 

 

CURTAS-METRAGENS

Chão de Rua (Brasil, 2019, 20 min.) de Tomás von der Osten

O Mártir (El Màrtir, 2020, Espanha, 18 min.) de Fernando Pomares 

Panteras (Panteres, 2020, Espanha, 22 min.) de Erika Sanchez

Noite Perpétua (Portugal, 2020, França, 17 min.) de Pedro Peralta

Noite de Seresta (Brasil, 2019, 19 min.) de Sávio Fernandes, Muniz Filho

O Silêncio do Rio (El Silencio del rio, 2020, Peru, 14 min.) de Francesca Canepa

Telas de Shanzhai (Shānzhài Screens, 2020, França, 23 min.) de Paul Heintz

Algo-Rhythm (Austria, Senegal, Reino Unido, 2019, 14 min.) de Manu Luksch

 

MOSTRA FOCO

Vento Seco (Brasil, 2020, 110 min.)

Mr. Leather (Brasil, 2019, 85 min.)

Paulistas (Brasil, 2017, 80 min.)

 

SERVIÇO
9º Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba
De 7 a 15 de outubro
R$ 5 por filme

Dinâmica das sessões
Os filmes serão exibidos no próprio site do Olhar de Cinema. Cada título estará disponível na data divulgada na programação. A venda de ingressos para todas as sessões começa no dia 23 de setembro e o número de ingressos para cada filme é limitado.


Assessoria de Imprensa 

Genco Assessoria e Comunicação

Karina Almeida | Cecilia Barroso | 

'O Último Rei da Sérvia' é a estreia da semana no Cinema Virtual

'O Último Rei da Sérvia' é a estreia da semana no Cinema Virtual

 

Dois novos filmes chegam na próxima quinta-feira, 17 de setembro, ao Cinema Virtual, plataforma que tem a proposta de conectar distribuidores e exibidores para levar virtualmente e com exclusividade filmes inéditos ao público de cinema. O projeto segue o modelo dos cinemas físicos, com estreias todas as quintas.

 Baseado em uma história real, o filme biográfico de guerra "O Último Rei da Sérvia" foi o escolhido sérvio para representar o país na categoria de Melhor Filme Internacional no Oscar de 2020. Já "Tudo Pela Minha Filha", é um emocionante drama sul-africano sobre um pai que vai até o seu limite para ficar com sua amada filha.

 
 

O Último Rei da Sérvia (King Petar The First) [Biografia, Guerra, Drama] - Baseado na história real do desiludido veterano de guerra Petar, o Primeiro. Petar é ex-rei da Sérvia e quer paz e prosperidade para seu país. Mas ele vive tempos turbulentos durante a Primeira Guerra Mundial, e enfrenta duas batalhas heroicas, criando estratégias militares brilhantes. Mesmo assim, o governo decide pela retirada do exército sérvio, e ele é obrigado a retornar com seus homens pelas montanhas, em uma jornada fisicamente e mentalmente exaustiva em busca da salvação.


Tudo pela Minha Filha
 (Losing Lerato) [Drama] - Thami é um jovem e bem-sucedido, pai negro, que entra em desespero quando a vida, a lei e a mulher que ele um dia amou acabam o obrigando a se separar de sua própria filha, Lerato. Tentando a todo custo manter um relacionamento com a filha, ele decide raptá-la. Mas Thami acaba sendo perseguido pela polícia e colocando em risco a vida de vários reféns e seu futuro com Lerato.





Fonte: Cinema Virtual
Da Psicanálise às Teorias das Redes: Doc 'Pulsão'  aborda o Poder das Mídias Digitais no processo político eleitoral

Da Psicanálise às Teorias das Redes: Doc 'Pulsão' aborda o Poder das Mídias Digitais no processo político eleitoral

 

Filme ficará disponível gratuitamente em Canal do Youtube

O documentário "Pulsão", dirigido por Di Florentino com pesquisa e roteiro de Sabrina Demozzi, lançado virtualmente no dia 04 de setembro, e atualmente em cartaz em plataforma streaming, realiza uma análise do intenso uso das tecnologias da informação e comunicação nas transformações do atual cenário político brasileiro. Com uma narrativa dinâmica, o filme retoma fatos políticos e usa conceitos da metapsicologia freudiana e da Teoria das Redes para demonstrar como a utilização de fake news dividiram politicamente o país, com graves reflexos na democracia brasileira.

O roteiro enfoca o
 desenvolvimento do ativismo político digital no Brasil, principalmente a partir de 2013 com "as jornadas de junho" até o período do processo político eleitoral de 2018. Também enfatiza o surgimento de novos atores sociais no cenário político nacional e a preocupação com o crescimento dos movimentos de extrema direita no país e no mundo.

De acordo com Di Fiorentino, "Pulsão" surgiu após o registro e transmissão ao vivo nas redes sociais do evento de resistência "Circo da Democracia", realizado em Curitiba, em 2016. "
Como o material é muito importante historicamente, a gente queria transformá-lo em um longa documental. Portanto, em conversas com os envolvidos na concepção da obra e uma vontade de tratar de temas que estavam aflorando na época, como é o caso dos efeitos da desinformação nas redes sociais e do uso dos algoritmos para disseminar o ódio, surgiu o Pulsão".*

Para além dos eventos de resistência a favor da Democracia, o documentário faz uma análise sobre as narrativas de produtos culturais, que apresentaram um discurso panfletário de combate à corrupção, misturando realidade e ficção para demonizar a esquerda, principalmente o Partido dos Trabalhadores (PT), e construir heróis e mitos da extrema direita. Também aponta que, entre 2013 e 2018, vários acontecimentos políticos no Brasil acabaram por provocar o afloramento dos impulsos de destruição e desejos de dominação que foram amplamente propagados nas mídias e nas redes sociais. Argumentam que a apropriação da psiquê pela tecnologia vem transformando as relações sociais e o modo de fazer política no país.

As Teorias das Redes na Internet

O roteiro do filme trabalha com elementos das teorias das Sociedades em Rede e das Redes Sociais na Internet, muito difundida no Brasil por obras de autores como o espanhol Manuel Castells e a brasileira Raquel Recuero. A
borda as fakes news e a dinâmica da construção de identidades fakes no ciberespaço, assim como o uso intensivo de aplicativos e plataformas privadas como o facebook, o twitter e o whatsapp, que transformaram o modo de consumo das narrativas de cunho político.

Castells, autor de "A sociedade em Rede","A Galáxia da Internet" e "Ruptura, a crise da Democracia Liberal", discorre em seus trabalhos sobre a cultura da internet e as transformações na sociedade da era digital. Destaca que, atualmente, vivemos uma crise da legitimidade política, um colapso gradual do modelo político de representação e governança decorrente de uma desconfiança nas instituições, constituindo uma ruptura entre governantes e governados. 
O sociólogo espanhol, que esteve em julho de 2019 no Brasil para participar do Seminário "Comunicação, Política e Democracia" realizado pela Fundação Getúlio Vargas, alertou para o papel decisivo e transformador da tecnologias da comunicação e informação na construção das relações de poder. 

Já Raquel Recuero, autora de "Redes Sociais na Internet" e "A conversação em Rede", 
 pesquisa a dinâmica das Redes e como se processa a difusão da informação dentro das comunidades virtuais. De acordo com a jornalista e pesquisadora, as informações circulam nas redes sociais com base na percepção de valor gerada pelos atores sociais, ou seja, pelo seu capital social. Quando esses atores fazem circular mais informação na rede, maior é sua reputação perante os demais membros do grupo. Deste modo, as redes sociais se apresentam como fontes produtoras de informação, filtros ou espaços de reverberação de informações, gerando mobilizações que podem ser de interesse jornalístico. Há difusão, mas também discussão e ampliação das informações. Entretanto, as redes também podem refletir interesses individuais e de grupos sociais resultando, em muitos casos, na produção e circulação das "cascatas de fake news políticas", com narrativas que ecoam preconceitos e visões de mundo dos atores sociais.

O filme traz essa visão, de como essas notícias falsas ecoaram de forma negativa no imaginário dos eleitores, criando sentimentos de repulsa e destruição aos que não compartilhavam da mesma opinião. O surgimento de movimentos extremistas que incentivavam a intolerância e o uso da violência contra os adversários políticos fragilizaram os alicerces da democracia brasileira.

O conceito de Pulsão na Psicanálise

Quando Freud apresentou o conceito de Pulsão, em seu artigo 'A pulsão e seus destinos', na década de 1910, 
jamais poderia imaginar que, um século depois, o mundo viveria a era da internet e das redes sociais e que este conceito traduziria tão bem as interações sociais da contemporaneidade, a partir dos estímulos provocados pela influência das mídias digitais e das redes sociais da internet na política. 

Pulsão (do alemão, Trieb) seria uma força constante, com origem corporal, percebida como um estímulo para o psíquico, presente através da representação e do afeto. Quando a representação se despreende do afeto teríamos o recalque, que seria uma reação de defesa psíquica contra conteúdos que causam desprazer. O pai da psicanálise considerava a pulsão como uma entidade mítica equivalente ao conceito de força motriz, da física. O primeiro dualismo pulsional situava as pulsões como as do ego, movidas pela autopreservação do eu, e as sexuais,  que operavam para a obtenção de prazer. O sentimento de ódio, o desejo de destruição e a indiferença ao outro seria resultante da relação do ego com os objetos do mundo externo. 


Os cineastas trabalharam com o conceito freudiano de pulsão, trazendo a perspectiva dos desejos de destruição e de dominação por parte de uma elite econômica descontente em perder privilégios, com ânsias para retomar o poder político, em detrimento de uma política dos governos de esquerda voltada para os avanços sociais. O
 golpe contra a então Presidente Dilma Roussef e a avalanche de fake news nas redes sociais e na mídia tradicional foi decisiva para desestabilizar o país até o processo político eleitoral de 2018. O documentário mostra essa relação de consumo de potenciais eleitores com esse tipo de ativismo digital, sem compromisso com a ética, que ganhou força no país. 

O documentário "Pulsão", uma realização da Produtora Trópico, ficará disponível por tempo indeterminado no site ou no Youtube do filme. 


Elisabete Estumano Freire

* Trecho de entrevista com os diretores do filme disponibilizada pela produtora Trópico e Espaço Z. Fonte: Vanessa Assis.  

** Também foram consultados os seguintes textos: "Cascatas de Fake News Políticas: um estudo de caso no Twitter" - Raquel Recuero e Anatoliy Gruzd; "Redes Sociais na Internet, Difusão de Informação e Jornalismo: elementos para a discussão" - Raquel Recuero;  "Pulsões e seus destinos" (1915) - Laboratório de ensino. Flávia Lana Garcia de Oliveira; "O conceito de Pulsão na Psicanálise Freudiana: considerações a partir da filosofia de Martin Heidegger" - Jilvania de Jesus Barbosa, Caroline Vasconcelos Ribeiro. 


PULSÃO | Redes Sociais:

Site: pulsao.tv.br

Facebook: facebook.com/docpulsao

Instagram: @docpulsao

YouTube: bit.ly/docpulsao

Twitter: @docpulsao

sábado, 5 de setembro de 2020

Canal Like transmite ao vivo neste sábado show de Nando Reis

Canal Like transmite ao vivo neste sábado show de Nando Reis

 


A noite deste sábado, 5 de setembro, será embalada por hits de Nando Reis no Canal Like (530 da Claro). A partir das 21h, o músico sobe ao palco do drive-in do Allianz Parque, em São Paulo, acompanhado pelo filho, Sebastião Reis, para um show especial com voz e violão. Com transmissão ao vivo do Like, o show também será destaque simultaneamente no canal 500 da Claro.

“O Segundo Sol”, “Relicário”, “Luz dos Olhos” e “All Star” estão entre os clássicos da carreira do paulistano que vão animar a noite. Pode aumentar o som e se preparar para soltar a voz, porque o repertório será para lá de especial!

Serviço:

Live Nando Reis voz e violão, acompanhado por Sebastião Reis

No Canal Like (530 da Claro) e no canal 500 da Claro

Sábado, 5 de setembro, às 21h

 

Sobre o Canal Like

Em 2018 o CANAL LIKE – 530 da Claro – nasceu sob o lema ‘a gente recomenda, você curte’, com a proposta de promover conteúdos da TV e do cinema e falar com o público apaixonado por cultura pop nas suas mais variadas formas: filmes, músicas, séries, documentários, esportes, gastronomia, animação e estilo de vida.

A ideia do LIKE é ser uma fonte de consulta para tudo o que acontece no mercado audiovisual e do entretenimento. A curadoria reúne filmes em cartaz ou disponíveis na programação da TV e nos serviços on demand, séries recém-lançadas, premiações mais aguardadas e comentadas do mundo até os festivais alternativos e conteúdo infantil. Os programas, com aproximadamente oito minutos de duração, são apresentados pelos atores Hugo Bonemer e Maytê Piragibe. O ritmo da grade é dinâmico e as dicas imperdíveis são transmitidas numa linguagem leve e divertida.

CANAL LIKE é a programação da programação, mas também produz seu próprio conteúdo. A repórter Anne Braune circula pelos eventos para mostrar tudo o que acontece no universo do entretenimento, como pré-estreias, lançamentos e visitas a sets de filmagens.

Além dos programas fixos, o canal ainda conta com colaboradores como Felipe Bond e o seu “Bond's Filmes e Rosebud Apresentam”, com o melhor das produções independentes do audiovisual nacional. Já Vitor Búrigo comanda o “CINEVITOR”, que mostra tudo o que acontece nos cinemas, com entrevistas exclusivas, coberturas de festivais e muito mais. Em formato de noticiário, o “TelaViva Pocket News” - parceria do Canal Like, a Bond's Filmes e o portal de notícias TelaViva – faz um resumo bem humorado dos principais destaques do audiovisual dentro e fora das telas.

LIKE disponibiliza ainda parte de seu conteúdo no YouTube e mostra também os bastidores das pautas no Instagram e no Facebook do canal.


LIKE NAS REDES:

Facebook: https://www.facebook.com/canallikeoficial

Instagram: https://www.instagram.com/canallikeoficial/

YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCgOM-Uhw7kWlYVfMTsUd_yQ

HASHTAGS: #Canal530ClaroTV#DêUmLike


FONTE: FABIOLA BARBOSA - PALAVRA ASSESSORIA EM COMUNICAÇÃO



Latest Posts

Cloud Labels

especiais (79)