Our social:

Latest Post

terça-feira, 19 de junho de 2018

Exposição da artista Martha Niklaus estreia 28 de Junho no Paço Imperial



exposição Histórias de peixes, iscas e anzóis reúne, pela primeira vez, uma seleção de obras da artista carioca Martha Niklaus realizadas entre 1993 e 2018. Com curadoria de Paula Terra-Neale, serão mostradas esculturas, vídeos, fotografias, objetos e instalações de diferentes projetos - LivroCapturasRosáceas,Histórias ilustradas de peixes, iscas e anzóis, Bandeira de FarraposChoque de CoresHorizonte Negro e Azul. Histórias de peixes, iscas e anzóis fica em cartaz no Paço Imperial de 28 de junho a 26 de agosto (terça a domingo).

“As obras falam sobre as relações com o outro e com o coletivo. Subvertendo a ordem das coisas e criando novos sistemas, elas trazem uma reflexão do nosso estar e fazer no mundo, nos diferentes papéis que desempenhamos como ‘peixes, iscas e anzóis”, comenta Martha Niklaus. Nas quatro salas do último andar do Paço Imperial, o público poderá entrar em contato com trabalhos marcantes da artista como o livro Histórias ilustradas de peixes, iscas e anzóis” (2009), que foi criado a partir da obra “Rosáceas” (2002-2009) e contém 1023 tipos humanos apresentados em grupos cromáticos, além de uma seleção classificada por ‘tipos, profissões e atitudes’; as esculturas “Casca” (1997), feita com malha de croché moldada e retirada de um corpo, “Crescente” (1997), uma tarrafa de pesca composta por 2.500 bonecos de chumbo aplicados na malha de fio de nylon, e “Memória do fogo” (1998), resultado da queima de uma fogueira que teve suas toras de madeira envolvidas em tela de arame; as vídeoinstalações “Choque de Cores” (2015), intervenção urbana realizada na praia de Ipanema, e “Horizonte Negro” (2015), obra manifesto que teve a participação de 26 embarcações de velejadores da Marina da Glória, na Baía de Guanabara; e vídeos relacionados a diversos trabalhos. Além do inédito projeto “Azul”, desenvolvido nos últimos quatro anos durante viagens imersivas pelos rios Tapajós e Arapiuns, no Pará. (lista detalhada das obras em anexo)

A curadora Paula Terra-Neale destaca que “O trabalho de Martha Niklaus opera nas zonas limítrofes dos encontros que se dão entre o individual e o coletivo; entre o real absoluto da experiência e as imagens que engendramos para fixá-las; entre a memória como arquivo e rastro de nossa humanidade e a possibilidade de um futuro utópico construído pela arte. Combinando aspectos da arte conceitual, minimalista e experimental, incorporando a performance e vídeo-arte; trabalhando com materiais diretamente extraídos da natureza, do nosso cotidiano ou ainda com sucatas, esta obra não quer se restringir a uma escola, movimento ou tendência artística. Dentre algumas assemelha-se às produções iniciadas nos anos 60/70, como o Neoconcretismo aqui no Brasil e a arte Povera na Itália”. A exposição Histórias de peixes, iscas e anzóis é um projeto curatorial da Terra-Arte.

Durante o período da exposição, será realizada uma visita guiada, aberta ao público em geral, com tradução simultânea para a linguagem de LIBRAS. A artista Martha Niklaus oferecerá também, para alunos e professores da rede pública de ensino, a oficina gratuita “Um Mundo de Classificações”.

O projeto da exposição está sendo viabilizado pelo patrocínio de pessoas físicas, através da Lei Rouanet/MinC, e pelo financiamento coletivo lançado no site da artista: 




Martha Niklaus vive e trabalha no Rio de Janeiro. É formada em Licenciatura em Artes, pela PUC-RJ, frequentou, desde criança, a Oficina de Arte Maria Teresa Vieira e o atelier do escultor José Cesar Branquinho. Nos anos 80, ingressou no Atelier de Escultura do Ingá e na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Desde 1982, realizou diversas obras e participou de várias mostras coletivas internacionais. Seus últimos trabalhos apresentados no Rio de Janeiro foram: “Horizonte Negro”, coreografia náutica na Baía de Guanabara (2015); “Cabo de Guerra”, performance no evento “Maremoto”, na favela da Maré (2014); “Livro”, vídeoinstalação no Museu da República (2013); e “Choque de Cores”, intervenção urbana na Praia de Ipanema (2011). De 2014 a 2017, Martha fez viagens de imersão nos rios Arapiuns e Tapajós, no Pará, desenvolvendo os projetos “Azul” e “Online-Offline” (com crianças de comunidades ribeirinhas). Ganhou vários prêmios, sendo o mais recente o Redes de Artes Visuais da Funarte - 12ª edição, em 2015.

Mais informações: https://www.marthaniklaus.com


HISTÓRIAS DE PEIXES, ISCAS E ANZÓIS
Exposição de Martha Niklaus
Paço Imperial  
Praça XV de Novembro, 48 – Centro - Tel. 2215-2622 - Entrada franca
Abertura: 28 de junho (quinta), às 18h30.
De 29 de junho a 26 de agosto de 2018.
Terça a domingo, do meio-dia às 19h.

Fonte: Claudia Machado de Oliveira

NOVO CINEMA INDIANO GANHA MOSTRA NA CAIXA CULTRAL RIO DE JANEIRO


Programação reúne produções de diversas regiões da Índia, faladas em diferentes línguas, e debates com estudiosos da cultura indiana

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro recebe, de 19 de junho a 1º de julho de 2018 (terça-feira a domingo), a mostra Novo Cinema Indiano, que apresenta um panorama da produção recente de diversas regiões da Índia. A curadora Carina Bini reuniu uma seleção de 11 longas e médias-metragens, com destaque para filmes inéditos e premiados no National Film Awards, principal prêmio do cinema indiano. O projeto tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal. 

A Índia é o país que mais produz filmes no mundo e com uma indústria gigante, que movimenta bilhões de dólares no mercado, domina a Ásia e se espalha com velocidade intensa.Na mostra Novo Cinema Indiano,o público terá acesso a produções de realizadores que buscam narrativas menos convencionais dentro da cinematografia indiana. Filmes ao mesmo tempo reflexivos e de apelo popular, que transitam entre os festivais internacionais, estabelecendo um verdadeiro contraponto ao estereótipo associado à indústria deBollywood

Além de dez produções faladas em seis diferentes línguas oficiais da índia, a mostra apresenta, em uma sessão especial, a produção brasileiraKilasumak – O despertar de um Guerreiro(2017), falada em português, dirigida pelo Mestre Vedanta Jonas Masetti.

Cena de "Pimpal"
Entre os destaques da programação estão Pimpal(2017), último trabalho do consagrado cineasta Gajendra Ahire, que já dirigiu 44 filmes; Testemunha(2017), de Dileesh Pothan, considerado um dos melhores filmes de Mollywood(feito na língua Malayalam, falada exclusivamente no estado de Kerala, sul da Índia) e que ganhou os prêmios de Melhor Roteiro Original, Melhor Longa Metragem em Malayalam e Melhor Ator Coadjuvante (Fahadh Faasil) no National Film Awards; e Masaan (2015), deNeeraj Ghaywan, um drama sobre as disparidades sociais da Índia de hoje que marca a estreia do diretor em longas-metragens. Este últimoconquistou os prêmios FIPRESCI e Avenir Prometteur na mostra Un Certain Regard, no Festival de Cannes.

“A mostra apresentaum ‘olhar’ para a Índia que vem de dentro de seu âmago, resgatando vertentes do cinema mundial, uma vez que esse é o cinema que domina muitos países da Ásia e Oriente Médio, e comunica para bilhões de indivíduos desse planeta”, comenta Carina Bini. “Será um panorama atual do cinema indiano numa temática onde os desafios do momento se fazem presentes dentro de uma sociedade que precisa conviver com valores tradicionais e com o mundo moderno e globalizado da era digital, que transforma relações e põe em cheque valores de uma cultura ancestral”, conclui.   
      
Atividades extras:
Na abertura, na terça-feira (19), às 18h, será realizada uma apresentação de dança clássica da Índia. Já no dia 21 de junho (quinta-feira), às 17h, haverá uma aula de yoga no foyer da CAIXA Cultural (tragam seus tapetinhos), com  música indiana, com instrumentos melódicos e percussivos, inspirados nas ragas indianas, composições milenares do país.

Cena de "Kilasumak"
A mostra ainda apresentará duas sessões seguidas de debates. No dia 23 (sábado), às 17h, o mestre de VedantaJonas Masetti apresenta seu filme Kilasumak – O despertar de um Guerreiro, que aborda a busca por um Guru a partir da filosofia indiana, o Vedanta, que permeia a tradicional cultura da Índia. Após a sessão, Masetti fala sobre Cineterapia, uma experiência criadaNo dia 28 (quinta-feira), às 19h, após a exibição de Os últimos ritos do Honorável Sr. Rai,o professor de yoga Leandro Castello Branco e o professor de yoga e simbolismo HinduPatrick van Lammerenconversam com o público sobre a Índia e rituais sagrados. 

Curadora da mostra:
Desde 1997, a brasileira Carina Bini passa temporadas na Índia estudando o cinema e a cultura do país. Viveu lá durante cinco anos, durante os quais ainda filmou e trabalhou em sets de filmagens. É diretora proprietária da Atman Filmes, produtora de cinema sediada em Brasília, e diretora do Festival Internacional Cinema e Transcendência. Único no pais com as temáticas do cinema e consciência, o festival está atualmente em sua quinta edição.

Nas unidades da CAIXA Cultural de Fortaleza e do Rio de Janeiro, produziu a mostra Devi Mulher em Cenae na Caixa Cultural Brasília realiza, até julho de 2018, o projeto Cine Curta Brasil, com a temática “Visionária, o olhar da mulher negra”. Além de projetos de séries de TVs em andamento, se prepara para dirigir seu primeiro longa-metragem La Mamma, uma coprodução Brasil/ Itália, filmado em Pirinópolis-GO e Assisi-Umbria.

Outras informações sobre a mostra podem ser acessadas no endereço www.facebook.com/mostracinemaindiano

Programação:

19 de junho (terça-feira)
18h – Abertura- apresentação de Dança Bharatanatyam, estilo clássico do sul da Índia, com a dançarina Aline Civinelli.
19h - Pimbal (2017), de Gajendra Ahire, Índia, 92 min, HD, Livre

20 de junho (quarta-feira)
cena de "Navio de Teseu"
15h30 - Navio de Teseu(2013), de Anand Gandh, Índia, 144 min, HD, Livre
18h30 - Cinemawalla(2015), de Kaushik Ganguly, Índia, 105 min, HD, Livre

21 de junho (quinta-feira)
17h - Dia Mundial do Yoga-  Música Indiana e aulão de Yoga (entrada franca)
18h30 – Sopro dos Deuses(2012) – Jan Schmidt-Garre, 105 min, HD, Livre

22 de junho (sexta-feira)
17h - Ilha de Munroe(2015), de Manu, Índia, 83 min, HD, Livre
18h45 - O Ovo do Corvo(2014), de M. Manikandan, Índia, 109 min, HD, Livre

23 de junho (sábado)
15h - Pimbal(2017), de Gajendra Ahire, Índia, 92 min, HD, Livre
17h - Kilasumak – O despertar de um Guerreiro(2017), de Jonas Masetti,
Brasil, 53 min, HD, Livre
18h – DebateCineterapia, Uma Experiência Criada, como mestre de VedantaJonas Masetti. Entrada franca (as senhas serão distribuídas na bilheteria do cinema a partir de 1h antes do debate)

24 de junho (domingo)
16h - Água(2013), de Girish Malik, Índia, 136 min, HD, 12 anos
19h - Masaan(2015), de Neeraj Ghaywan, Índia, 109 min, HD, Livre

26 de junho (terça-feira)
16h30 - O Ovo do Corvo(2014), de M. Manikandan, Índia, 109 min, HD, Livre
18h35 – Testemunha(2017), de Dileesh Pothan, Índia, 135 min, HD, Livre

27 de junho (quarta)
não haverá sessão 

28 de junho (quinta-feira)
Cena de "Ilha de Munroe"
15h - Ilha de Munroe(2015), de Manu, Índia, 83 min, HD, Livre
18h - Os Últimos Ritos do Honorável Sr. Rai(2007), de Jayasinhji Jhala, Índia,
47 min, HD, LIVRE
19h – DebateÍndia e Rituais Sagrados, com os professores de yoga Leandro Castello Branco ePatrick van Lammeren. Entrada franca (as senhas serão distribuídas na bilheteria do cinema a partir de 1h antes do debate)

29 de junho (sexta-feira)
16h - Água (2013), de Girish Malik, Índia, 136 min, HD, 12 anos 
19h – Masaan(2015), de Neeraj Ghaywan, Índia, 109 min, HD, Livre

30 de junho (sábado)
15h30 - Navio de Teseu (2013), de Anand Gandh, Índia, 144 min, HD, Livre
18h35 - Cinemawalla (2015), de Kaushik Ganguly, Índia, 105 min, HD, Livre 

01 de julho (domingo)
16h - Masaan(2015), de Neeraj Ghaywan, Índia, 109 min, HD, Livre
18h15 -Testemunha(2017), de Dileesh Pothan, Índia, 135 min, HD, Livre

Serviço:
MostraNovo Cinema Indiano
Local:CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 2
Endereço:Av. Almirante Barroso, 25 - Centro (Metrô e VLT: Estação Carioca)
Telefone:(21) 3980-3815
Data:de 19 de junho a 1º de julho de 2018 (terça-feira a domingo)
Horários:Consultar programação
Ingressos: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia.
Lotação: 80 lugares (mais 3 para cadeirantes) 
Bilheteria:terça-feira a domingo, das 13h às 20h
Classificação Indicativa:Consultar programação
Realização: Atman Filmes e Criações
Patrocínio:CAIXA e Governo Federal
Acesso para pessoas com deficiência

Fonte: Claudia Oliveira/ Assessoria Imprensa Caixa Cultural

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Curta metragem ´TRAVESSIA´, da diretora Safira Moreira, será exibido nos cinemas antes das sessões do filme 'BARONESA'



A ausência de fotografias da bisavó e da avó materna da diretora Safira Moreira foi o que a inspirou para fazer o curta “TRAVESSIA”, que abrirá as sessões do filme “BARONESA”, de Juliana Antunes. Com estreia no dia 14 de junho, o curta aborda a presença da ausência.

-  Travessia é o curta que realizei a partir da memória estilhaçada, fruto do apagamento histórico da população negra no Brasil. Por eu ser agora uma mulher negra com uma câmera na mão e muitos sonhos no peito, que o curta se fez. Foi no gesto de garimpar fotografias de mulheres negras nas feiras de antiguidade do Rio de Janeiro que encontrei a fotografia que abre o filme, todas as fotos que encontrei nesse espaço provinham de álbuns de famílias brancas, logo, elas refletiam esse apagamento – declara a diretora.

Segundo Safira, a oportunidade de exibir o curta em circuito comercial é um “ato revolucionário”. “É fazer tremer as estruturas, e dizer que o sonho de um cinema genuinamente brasileiro - que incorpore todas nossas possibilidades de existência - é possível.  É agradecer a existência das mulheres negras que vieram antes de mim, e que me possibilitaram ser, e o mais importante: sonhar. Travessia parte da dor e da ausência, mas encontra caminhos de cura", diz.

LISTA DE FESTIVAIS E PRÊMIOS :: TRAVESSIA

SEMANA FESTIVAL DE CINEMA:
JÚRI OFICIAL: Grande Prêmio do Júri
JÚRI DE ESTUDANTES AUDIOVISUAL: melhor curta-metragem
JÚRI DA CRÍTICA PELO COLETIVA ELVIRAS: prêmio especial do júri

JANELA INTERNACIONAL DE CINEMA DO RECIFE:
JÚRI OFICIAL: melhor montagem
JÚRI JANELA CRÍTICA: melhor curta-metragem
MENÇÃO HONROSA PELO JÚRI ABD-PE

PANORAMA INTERNACIONAL COISA DE CINEMA:
JÚRI JOVEM: melhor curta-metragem

FESTIVAL DE CINEMA LUSO-BRASILEIRO DE SANTA MARIA DA FEIRA:
JÚRI OFICIAL: Prêmio revelação 2018

FRONTEIRA FESTIVAL:
JÚRI OFICIAL: menção honrosa

 
______________________________________________________


Sobre a SESSÃO VITRINE PETROBRAS

Cada filme da SESSÃO VITRINE PETROBRAS terá pelo menos uma sessão diária com horário fixo, nos mesmos cinemas de mais de 20 cidades. Os filmes ficarão em cartaz por no mínimo duas semanas em cada cidade. A intenção é que uma programação mensal e um horário fixo tornem-se um referencial e criem um público cativo.

Em 2018, a SESSÃO VITRINE PETROBRAS estará nas seguintes cidades: Rio Branco (Cine Teatro Recreio), Maceió (Cine Arte Pajuçara), Fortaleza (Cinema do Dragão), Brasília (Cine Brasília e Espaço Itaú de Cinema Brasília), Vitória (Sesc Gloria), Goiânia (Cine Cultura Goiânia e Lumiere Bouganville 5), São Luís (Cine Lume), João Pessoa (Cine Bangue), Recife (Cine São Luíz, FUNDAJ Cinema do Museu), Teresina (Cine Teresina), Curitiba (Cineplex Batel e Cinemateca de Curitiba), Niterói (Cine Arte UFF), Rio de Janeiro (Espaço Itaú de Cinema Botafogo e Estação Net Rio), Manaus (Casarão de Ideias), Aracaju (Cine Vitória), São Paulo (Espaço Itaú de Cinema Augusta, Cinesystem Morumbi Town e CineArte), Palmas (Cine Cultura Palmas), Porto Alegre (Cine Bancários), Salvador (Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha), Belo Horizonte (Cine Belas Artes, Cine 104), Santos (Cinespaço Miramar), Belém (Cine Líbero Luxardo) entre outras.

Serviço:

Os ingressos são vendidos a preço reduzido, através da bilheteria ou “Cartão Fidelidade SESSÃO VITRINE PETROBRAS”, que poderá ser adquirido no site do projeto. Valor máximo do ingresso: R$ 12 (inteira) / R$ 6 (meia) – variando de acordo com a cidade.


Fonte:Sinny Assessoria e Comunicação

‘BARONESA’, DIRIGIDO POR JULIANA ANTUNES, ESTREIA NESTA QUINTA, DIA 14 DE JUNHO



Após se mudar para Belo Horizonte, MG, em 2008, a diretora Juliana Antunes logo percebeu que a capital mineira tinha vários bairros com nome de mulher e a maioria deles levava para a periferia. Este foi o ponto de partida para a construção da história do filmeque chega aos cinemas pelo projeto Sessão Vitrine Petrobras.

O longa mostra o dia a dia de duas vizinhas e amigas que moram na periferia de BH. De um lado, Andreia começa a construir sua casa para se mudar. Do outro, Leid e os filhos estão à espera do marido, que está preso. Em comum, a necessidade de se desviar dos perigos da guerra do tráfico e a estratégia para evitar as tragédias trazidas como consequência.
- Quando me mudei para Belo Horizonte, recebi a seguinte recomendação: eu poderia pegar quase todos os ônibus azuis, mas não deveria pegar a linha vermelha. Comecei a pesquisar mais sobre os bairros, a história deles e, por fim, entrar nos ônibus a fim de conhecer um por um. Os anos foram se passando e o interesse de tornar tal experiência em filme se consolidou na matéria de documentário na universidade. Voltei aos bairros procurando por mulheres que estivessem interessadas em participar de um filme usando um método de abordagem clássico: saí, junto com mais duas amigas (Marcela Santos e Giselle Ferreira) pregando cartazes nas ruas com os dizeres: procuram-se mulheres interessadas em fazer um filme - relata Juliana.
A abordagem inicial, no entanto, não funcionou, e a diretora precisou adotar uma nova tática: colar um cartaz estrategicamente ao lado de um salão de beleza. “Dois anos se passaram até encontramos um salão no bairro Juliana que era interessante e as donas estavam superabertas à ideia do filme. O ‘salão da Pâmela’ se tornou o meu ponto de partida para o roteiro que se baseava no cotidiano do salão e nos bairros vizinhos, Juliana e Jaqueline”, conta a diretora.
Andreia, uma das protagonistas do filme, no início se mostrou reticente com a ideia de participar do longa. Juliana, então, decidiu filmar o dia a dia de Pâmela e sua família e, para isso, mudou-se para casa da dona do salão junto com uma equipe de quatro mulheres. “Neste mês, Andreia resolveu nos dar uma cena na qual fazia as unhas da Pâmela. Depois disso, mostrei os brutos para ela, que topou fazer o filme com a seguinte condição: a de que eu me mudasse para a favela, pois ela não poderia me dar todo o seu tempo e nem saber com antecedência quando poderia gravar. Aluguei um barracão de 30m² para eu morar sozinha e lá fiquei por seis meses, com visitas semanais da equipe”.
Segundo Juliana Antunes, que também assina o roteiro do filme híbrido, a história era escrita diariamente, muito em função dos acontecimentos imprevisíveis da vida na periferia. “No exato dia da minha mudança, por exemplo, uma guerra entre traficantes locais se anunciou (a guerra segue até hoje) e mudou completamente os rumos do projeto”, revela.
Mas, ainda assim, a diretora conta que as maiores dificuldades não estavam nas locações em si, e sim, na necessidade de “autorização masculina”. “Maridos, irmãos, namorados tinham que concordar com filme para que as mulheres pudessem gravar. Perdemos a oportunidade de gravar várias outras mulheres pela misoginia. Infelizmente, o material bruto é repleto de ‘takes únicos’ de mulheres brilhantes que tiveram o processo interrompido por eles”. A guerra entre facções rivais também foi uma adversidade, prologando a conclusão do projeto por seis anos, com seis meses de filmagens espaçadas.
Por fim, Juliana acredita que “BARONESA” endossa o coro de movimentos que dão vozes às mulheres e lutam contra as desigualdades de cunho racial, social, regional e salarial. “O filme surgiu da união de várias mulheres em todas as suas etapas, desde amigas, como Marcela Santos e Giselle Ferreira, que fizeram a pesquisa, assistência de direção e som até as sócias Marcella Jacques e Laura Godoy, que são duas mulheres incríveis e talentosas. E o filme só foi possível por isso: pela nossa união, por acreditar em um projeto para lá de ousado e que sim, se pode fazer um filme, um livro, uma cidade, um país e uma lógica de mundo diferente. Basta colocar as nossas energias nisso e nos fortalecer”.

 
SINOPSE
Andreia quer se mudar. Leid espera pelo marido preso. Vizinhas em um bairro na periferia de Belo Horizonte, elas tentam se desviar dos perigos de uma guerra do tráfico e evitar as tragédias trazidas junto com a chuva.

LISTA DE FESTIVAIS E PRÊMIOS
20a. MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES - MG (Jan. 2017) - Melhor Filme Mostra Aurora e Prêmio Helena Ignez Destaque Feminino (Direção de Fotografia - Fernanda de Sena)
IV FRONTEIRA - Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental - GO (Mar. 2017)
6.º OLHAR DE CINEMA - Filme de Encerramento - PR (Jun. 2017)
40.º FESTIVAL GUARNICÊ DE CINEMA – MA (Jun. 2017)
MOSTRA INTERNACIONAL DE CINEMA DE SÃO LUIS – MA (Jul. 2017) – Prêmios de Melhor Atriz (Andreia Pereira de Sousa) e Melhor Montagem
III PIRENÓPOLIS DOC - GO (Ago. 2017) - Melhor Filme pelos Júris da Crítica e Jovem
VIII CACHOEIRADOC - BA (Set. 2017)
50.º FESTIVAL DE BRASÍLIA DO CINEMA BRASILEIRO - DF (Set. 2017)
24.º FESTIVAL DE CINEMA DE VITÓRIA – ES (Set. 2017) - Prêmios de Melhor Contribuição Artística, Melhor Roteiro e Melhor Filme (Júri Técnico).
XIII PANORAMA INTERNACIONAL COISA DE CINEMA - BA (Nov. 2017) - Prêmio IndieLisboa
X Janela Internacional de Cinema do Recife - PE (Nov.2017) - Menção Especial na Mostra Competitiva de Longas
9.ª SEMANA - Festival de Cinema (Nov. 2017) - Melhor Montagem
4.ª MOSTRA DE CINEMA DE GOSTOSO - RN (Nov. 20178)
FORUM.DOC.BH 2017 – 21.º Festival do Filme Etnográfico e Documentário – MG (Dez. 2017)
12.º  FEMINA - Festival Internacional de Cinema Feminino (Dez. 2017) - Melhor Destaque Feminino na Competição Internacional; Melhor Longa-Metragem pelo Juri Elviras e Prêmio Especial do Júri da Competição Nacional.
28.º   FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DE MARSEILE - FID MARSEILLE - 3 prêmios de público: melhor Filme pelo Júri Popular, o Prix Marseille Espérance e o Prix Renaud Victor - em júri composto pelos detentos do Centro Penitenciário de Baumettes. (França, Jun. 2017)
24.º  FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DE VALDÍVIA . FIC VALDÍVIA - Melhor Longa-Metragem pelo Júri da Crítica. (Chile, Out. 2017)
23º FESTIVAL DE CINEMA DE HAMBURGO (Alemanha, Out. 2017)
22.º   FESTIVAL INTERNACIONAL DE OURENSE - Melhor Ópera Prima e Melhor Filme pelos Cineclubistas(Espanha, Out. 2017)

VIENALLE - Vienna International Film Festival - (Áustria, Nov. 2017)
REENCONTRES INTERNATIONALES DU DOCUMENTAIRE DE MONTRÉAL - (Canadá, Nov. 2017)
32.º  FESTIVAL INTERNACIONAL DE  MAR DEL PLATA - Melhor Longa-Metragem pelo Júri da Crítica na Competição Latinoamericana. (Argentina, Nov. 2017)
7a MUESTRA DE CINE DE LANZAROTE (Ilhas Canárias – Nov. 2017)
39.º FESTIVAL INTERNACIONAL DEL NUEVO CINE LATINOAMERICANO - Melhor Documentário (Cuba, Dez. 2017)
8.º FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINE UNAM – FICUNAM (México, Fev. 2018)
AMBULANTE DOCUMENTARY FILM FESTIVAL (México, Mar. 2018)
GRABA MENDONZA – Festival Audiovisual Latinoamericano – (Argentina, Mar. 2018)
PUNTO DE VISTA INTERNATIONAL DOCUMENTARY FILM FESTIVAL - (Pamplona, ESP – Mar. 2018)
IBAFF – Festival Internacional de Cine de Murcia (Espanha, Mar. 2018)
8.º FEMCINE – Festival de Cine de Mujeres (Chile, Mar.2018)
ART OF THE REAL , Film Society - Lincoln Center (NYC, Abr. 2018)
19.º JEONJU INTERNATIONAL FILM FESTIVAL (Korea, Mai. 2018)
14.º INDIE LISBOA (Portugal, Mai. 2018)
FICHA TÉCNICA
Direção e Roteiro – Juliana Antunes
Produção – Juliana Antunes, Marcella Jacques, Laura Godoy
Coprodução – Thiago Macêdo Correia, André Novais Oliveira, Gabriel Martins, Maurilio Martins
Produção Executiva – Juliana Antunes, Fernanda Brescia, Camila Bahia Braga
Direção de Fotografia – Fernanda de Sena
Som Direto – Marcela Santos
Edição de Som e Mixagem – Pedro Durães
Montagem – Affonso Uchôa, Rita M. Pestana
Arte do Cartaz – Ana C. Bahia
Empresas Produtoras – VENTURA, Filmes de Plástico
Produtora Associada – Katásia Filmes, Pepeka Pictures
SOBRE A DIRETORA
Nascida em 1989, formada em Cinema na UNA, de Belo Horizonte, é sócia-fundadora da empresa produtora VENTURA, junto de Marcella Jacques e Laura Godoy. Juliana estreou na direção com o longa-metragem, Baronesa, vencedor da Mostra Aurora no Festival de Tiradentes 2017, que teve sua estreia internacional na Competição de Longas do 28º FIDMarseille, na França, onde recebeu três prêmios, incluindo o de Melhor Filme, pelo Júri Popular. Atualmente finaliza os curtas-metragens Industrial e Plano Controle e desenvolve o projeto de seu segundo longa, Bate e Volta Copacabana.



SOBRE AS PRODUTORAS
VENTURA é uma produtora audiovisual sediada em Belo Horizonte, formada por Juliana Antunes, Laura Godoy e Marcella Jacques. A empresa tem como foco projetos de realizadoras e busca em seus trabalhos trazer notoriedade para o protagonismo feminino em diversas esferas. “Baronesa", de Juliana Antunes, é o primeiro longa assinado pela produtora.
FILMES DE PLÁSTICO é uma produtora sediada em Belo Horizonte, criada em 2009 e voltada para a produção de filmes independentes, com especial atenção para estudos de personagens complexos e usualmente marginalizados na sociedade, buscando nas obras uma visão humana e possível da periferia. Teve seus filmes selecionados e premiados em diversos festivais importantes, como Cannes (três seleções para a Quinzena dos Realizadores), Rotterdam, FID Marseille, BAFICI, Durban, Melbourne, IndieLisboa e Clermont-Ferrand.


Fonte: 

Sinny Assessoria e Comunicação

quarta-feira, 13 de junho de 2018

COMEÇAM AS FILMAGENS DE TURMA DA MÔNICA – LAÇOS

Monica Iozzi e Paulo Vilhena estão confirmados no elenco do primeiro live-action com os personagens clássicos criados por Mauricio de Sousa

Nesta semana começam no sul de Minas Gerais as filmagens de “Turma da Mônica - Laços”, dirigido por Daniel Rezende (“Bingo, o Rei das Manhãs”) e produzido pela Biônica Filmes, Quintal Digital e Latina Estúdios. A adaptação dos premiados quadrinhos homônimos da Graphic MSP, também terá cenas rodadas no interior de São Paulo e conta as aventuras de Mônica, Cebolinha, Cascão e Magali para encontrar o cão Floquinho.

"Como seria essa turminha se ela existisse de verdade? Essa foi a pergunta que deu início ao processo de adaptação do filme ‘Turma da Mônica – Laços’. Filmes são acima de tudo personagens. Queremos gostar, torcer e ser impactados por eles. A responsabilidade de transformar em carne e osso os maiores, melhores e mais famosos personagens da cultura pop brasileira é enorme”, conta o diretor Daniel Rezende.

“‘Turma da Mônica – Laços’ é um filme para toda a família, que pode aquecer o coração de gerações e gerações que cresceram com essa turminha. Estamos empenhados em trazer toda a emoção e aventura para a tela do cinema, desta vez com os personagens no mundo real”, explica a produtora Bianca Villar.

No elenco principal, além dos atores-mirins escolhidos para representar a turminha – Giulia Benite como Mônica, Kevin Vechiatto como Cebolinha, Laura Rauseo como Magali, Gabriel Moreira como Cascão – também estão confirmados: Monica Iozzi como a Dona Lourdinha, Paulo Vilhena como seu Cebola e Ravel Cabral como Homem do saco.

"Turma da Mônica - Laços" é baseado na obra homônima lançada em 2013 pelos irmãos Vitor e Lu Cafaggi, que se tornou a graphic novel brasileira mais vendida do país. O primeiro live-action da Turma da Mônica é uma produção da Biônica Filmes, Quintal Digital e Latina Estúdios, em coprodução com Mauricio de Sousa Produções, Paris Filmes e Paramount Pictures.  A Paris Filmes está à frente da distribuição. As filmagens seguem até o final de julho.
“Começamos a semana com emoção e coração aos pulos, principalmente o meu. Ao mesmo tempo que me emociono, sinto confiança nesta grande equipe que se formou para esta produção que é assinada pelo Daniel Rezende”, fala o desenhista e criador da Turma da Mônica, Mauricio de Sousa.

“Depois de passarmos pelo processo de seleção das crianças que darão vida à Mônica, Magali, Cebolinha e Cascão, anunciamos agora com muita alegria o início das filmagens de Laços. Estamos entusiasmados e esperamos que o público acompanhe conosco todas as novidades até o lançamento de nossa primeira estreia em live-action nos cinemas”, comenta Mônica Sousa, diretora executiva da Mauricio de Sousa Produções.

Ficha técnica
Produção: Biônica Filmes, Quintal Digital e Latina Estúdios
Coprodução: Maurício de Sousa Produções, Paris Filmes e Paramount Pictures.
Direção: Daniel Rezende
Produção: Bianca Villar, Fernando Fraiha, Karen Castanho, Cassio Pardini, Cao Quintas e Charles Miranda.
Produção Executiva: Bianca Villar
Roteiro: Thiago Dottori,  adaptação da graphic novel "Turma da Mônica - Laços", de Vitor e Lu Cafaggi
Fotografia: Azul Serra
Direção de Arte: Cassio Amarante (concepção) e Mariana Falvo (execução)
Elenco: Giulia Benite (Mônica), Kevin Vechiatto (Cebolinha), Laura Rauseo (Magali), Gabriel Moreira (Cascão), Monica Iozzi (Dona Lourdinha), Paulo Vilhena (seu Cebola) e Ravel Cabral  (Homem do saco).
Distribuição: Paris Filmes

Fonte: Aline Martins/ Primeiro Plano Assessoria de Imprensa
Fotos: SerendipityInc.

quarta-feira, 6 de junho de 2018

'Oito mulheres e um segredo' estreia nos cinemas


Estrelado por Sandra Bullock, Kate Blanchet, Anne Haddaway,  Helena Bonham Carter, Sarah Paulson, Mindy Kaling, Rihanna e Awkwafina, Oito mulheres e um segredo é a versão feminina da trilogia de Danny Ocean, Onze homens e um segredo (2001), Doze homens e um segredo (2004) e Treze homens e um segredo (2007), que foram dirigidos por Steven Soderbergh e Gary Ross. 

Na nova versão, com roteiro de Gary Ross em parceria com Olivia Milch, a história é sobre Debbie (Sandra Bullock), irmã de Denny Ocean (George Clooney). Durante os cinco anos e oito meses em que ela esteve na prisão, Debbie planejou cada detalhe do maior roubo de sua vida. Com a ajuda de sua parceira Lou Miller (Kate Blanchet), ela irá recrutar um time de especialistas para furtar um colar de diamantes durante o "Baile de Gala do Met", o Museu Metropolitano de Nova Yorque.

O time é formado pela joalheira Amita (Kaling), a golpista Constance (Awkwfina), a receptadora Tammy (Paulson), a hacker Nine Ball (Rihanna) e a estilista de moda Rose (Bonham Carter). Para que o plano dê certo, Debbie e Lou precisam convencer a famosa Daphne Kluger (Hathaway) a utilizar a jóia durante o evento. O longa também conta com a presença dos atores James Corden, como o investigador da seguradora da jóia, e Richard Armitage, no papel de um desafeto e ex-parceiro de Debbie Ocean. 

"Oito mulheres e um segredo" tem direção de Gary Ross e produção de Steve Soderbergh e Susan Ekins; produção executiva de Michael Tadross, Diana Alvarez, Jesse Ehrman e Bruce Berman, com coprodução de Olivia Milch. A equipe também incluiu o diretor de fotografia Eigil Bryld (“Na Mira do Chefe”), o desenhista de produção Alex DiGerlando (“Indomável Sonhadora”), a editora indicada ao Oscar Juliette Welfling (“O Escafandro e a Borboleta”), o editor vencedor do Oscar William Goldenberg (“Argo”), a figurinista Sarah Edwards (“A Vida Secreta de Walter Mitty”) e o compositor Daniel Pemberton (“Steve Jobs”). O filme é baseado nos personagens criados por George Clayton Johnson e Jack Golden Russell.

O filme é uma produção da Rahway Road, distribuido pela Warner Bros. Pictures em associação com a Village Roadshow Pictures. O filme tem lançamento mundial dia 07 de Junho. 

Elisabete Estumano Freire


terça-feira, 5 de junho de 2018

Programação CINE ARTE UFF - 07 a 13 de junho


O Cine Arte UFF exibe o Festival Varilux de Cinema Francês e o Ópera na Tela

A maratona de filmes franceses já tem data para começar. De 7 a 20 de junho, cerca de 60 cidades brasileiras recebem o Festival Varilux de Cinema Francês 2018. Mas no Cine Arte UFF o festival vai até o dia 27 de Junho.
O evento, que no ano passado conquistou o ranking de maior festival francês do mundo, levou 180 mil pessoas aos cinemas apontando um crescimento de 15% em relação ao ano anterior. E o Cine Arte UFF teve o segundo maior público de todo o Brasil!
Em 2018 serão vinte longas-metragens da nova safra da cinematografia francesa e o clássico Z, de Costa Gavras. No dia 07, quinta, o Cine Arte UFF terá sessão especial do filme Primavera em Casablanca, seguida de debate com o diretor Nabil Ayouch e a atriz Maryam Touzani.


Dia 07
quinta
14h
O RETORNO DO HERÓI
16h20
PRIMAVERA EM CASABLANCA | Exibição seguida de debate
21h
CUSTÓDIA
Dia 08
sexta
14h
50 SÃO OS NOVOS 30
16h20
A EXCÊNTRICA FAMÍLIA DE GASPARD
18h20
NOS VEMOS NO PARAÍSO
21h
A NOITE DEVOROU O MUNDO
Dia 09
sábado
14h
GAUGUIN - VIAGEM AO TAITI
16h20
CUSTÓDIA
18h20
A APARIÇÃO
21h
O ORGULHO
Dia 10
domingo
10h30
MACBETH | Ópera na Tela
14h
TROCA DE RAINHAS
16h20
A RAPOSA MÁ Dublado
18h20
Z | Exibição única
21h
O ÚLTIMO SUSPIRO
Dia 11
segunda
14h
O AMANTE DUPLO
16h20
CARNÍVORAS
18h20
PRIMAVERA EM CASABLANCA
21h
MARVIN
Dia 12
terça
14h
DE CARONA PARA O AMOR
16h20
GAUGUIN - VIAGEM AO TAITI
18h20
PROMESSA AO AMANHECER
21h
50 SÃO OS NOVOS 30
Dia 13
quarta
14h
A EXCÊNTRICA FAMÍLIA DE GASPARD
16h20
O PODER DE DIANE
18h20
A BUSCA DO CHEF DUCASSE
21h
TROCA DE RAINHAS

FESTIVAL VARILUX DE CINEMA FRANCÊS 2018

50 SÃO OS NOVOS 30
Dia 08, 14h | Dia 12, 21h | Dia 21, 16h
Marie-Francine, França, 2017, 95’, 12 anos
De Valérie Lemercier
Com Sabine Lemercier, Patrick Timsi, Hélène Vincent

Velha demais para o marido, demitida do emprego, Marie-Francine deve voltar a morar na casa dos pais… aos 50 anos! Apesar de infantilizada por eles, é numa pequena lojinha de cigarros eletrônicos da qual vai tomar conta, que ela vai conhecer Miguel que, sem ousar confessar, está na mesma situação que ela.

O AMANTE DUPLO
Dia 11, 14h | Dia 16, 16h40 | Dia 22, 14h | Dia 24, 18h40
L’amant double, França/Bélgica, 2017, 107’
De François Ozon
Com Marine Vacth, Jérémie Renier, Jacqueline Bisset

Chloé é uma mulher reprimida sexualmente que, constantemente, sente dores na altura do estômago. Acreditando que seu problema seja psicológico, ela busca a ajuda de Paul, um psicólogo. Só que, com o andar as sessões de terapia, eles acabam se apaixonando. Alguns meses depois, eles vão morar juntos, mas ela descobre que seu amante lhe escondeu um outro lado de sua identidade.


A APARIÇÃO
Dia 09, 18h20 | Dia 20, 14h | Dia 25, 16h
L’apparition, França, 2018, 137’
De Xavier Giannoli
Com Vincent Lindon, Galatea Bellugi, Patrick d’Assumção

Jacques, grande repórter de um jornal francês, recebe um misterioso telefonema do Vaticano. Em um pequeno vilarejo no sudeste da França, uma jovem de 18 anos afirma ter visto a aparição da Virgem Maria. Os rumores logo se espalham, e o fenômeno toma tal dimensão que milhares de peregrinos vão se reunir no local das supostas aparições. Jacques, que não tem nada a ver com esse mundo, aceita fazer parte de uma comissão de investigação encarregada de esclarecer esses eventos.


A BUSCA DO CHEF DUCASSE
Dia 13, 18h20 | Dia 19, 14h | Dia 26, 16h
La quête d’Alain Ducasse, França, 2017, 119’
De Gilles de Maistre

Atualmente, Alain Ducasse é o chef e mentor de culinária mais famoso do mundo. Com 23 restaurantes, 18 estrelas Michelin, ele não para de criar locais novos, construir escolas, ultrapassar as fronteiras da profissão rumo aos novos horizontes, a uma gastronomia mais humanista, engajada e responsável. Alain atravessa o mundo de forma incansável, pois acredita que a culinária é um universo infinito. Ele aceitou ser acompanhado em suas atividades, durante quase dois anos, nos abrindo, assim, as portas de mundo em constante evolução.


CARNÍVORAS
Dia 11, 16h20 | Dia 15, 19h | Dia 26, 21h
Carnivores, França, 2018, 98’
De Jérèmie Renier e Yannick Renier
Com Leïla Bekhti, Zita Hanrot, Bastien Bouillon

Mona sempre sonhou em ser atriz. Ao sair do Conservatório, ambiciona um futuro brilhante pela frente, mas é Sam, sua irmã mais nova, que logo se torna uma atriz famosa. Sem recursos, Mona é obrigada a morar com Sam, que, fragilizada por uma filmagem difícil, propõe que Mona se torne sua assistente. Aos poucos, Sam vai negligenciando seus papéis de atriz, de esposa e de mãe e acaba se perdendo. Mona acredita que deve se apossar dos papéis que Sam abandona.



CUSTÓDIA
Dia 07, 21h | Dia 09, 16h20 | Dia 18, 19h | Dia 27, 21h
Jusqu’à la garde, França, 2017, 93’
De Xavier Legrand
Com Denis Ménochet, Léa Drucker, Mathilde Auneveux

O casal Besson se divorcia. Para proteger o filho de um pai que ela acusa de violências, Miriam exige a guarda exclusiva. A juíza encarregada do caso decide pela guarda compartilhada, pois considera o pai desrespeitado. Refém entre seus pais, Julien vai fazer de tudo para impedir que o pior aconteça. Leão de Prata de Melhor Direção e Melhor Primeiro Filme no Festival de Veneza 2017 e Prêmio da Crítica na Mosta de São Paulo 2017.



DE CARONA PARA O AMOR
Dia 12, 14h | Dia 14, 16h40 | Dia 27, 18h40
Tout le monde debout, França, 2018, 107’
De Frank Dubosc
Com Franck Dubosc, Alexandra Lamy, Elsa Zylberstein

Jocelyn, homem de negócios em pleno sucesso, é um paquerador e um mentiroso inveterado. Apesar de cansado de ser ele mesmo, ele acaba seduzindo uma jovem e linda mulher se fazendo passar por um deficiente. Até o dia em que ela apresenta a ele a irmã, que é deficiente.


A EXCÊNTRICA FAMÍLIA DE GASPARD
Dia 08, 16h20 | Dia 13, 14h | Dia 20, 16h40
Gaspard va au marriage, França, 2017, 103’
De Antony Cordier
Com Félix Moati, Laetitia Dosch, Christa Théret

Depois de ficar afastado durante anos, Gaspard, com 25 anos, se reencontra com a família após o anúncio do casamento do pai. Acompanhado de Laura, uma moça extravagante, que aceita fingir ser sua namorada durante o casamento, ele se sente pronto para pisar, novamente, no zoológico familiar e rever os animais que o viram crescer… Mas entre um pai mulherengo, um irmão sensato demais e uma bela irmã, ele não tem consciência de que está prestes a viver os últimos dias de sua infância.


GAUGUIN - VIAGEM AO TAITI
Dia 09, 14h | Dia 12, 16h20 | Dia 23, 21h
Gauguin Voyage du Tahiti, França, 2017, 101’
De Edouard Deluc
Com Vincent Cassel, Tuheï Adams, Malik Zidi

No ano de 1891, Gauguin se exila no Taiti. Ele quer reencontrar sua pintura livre, selvagem, longe dos códigos morais, políticos e estéticos da Europa civilizada. Ele se infiltra na selva, encarando a solidão, a pobreza, a doença. Lá, Gauguin conhece Tehura, que se tornará sua esposa e tema das suas telas mais importantes.


MARVIN
Dia 11, 21h | Dia 15, 14h | Dia 21, 14h | Dia 23, 18h40
Marvin ou la belle éducation, França, 2016, 113’
De Anne Fontaine
Com Finnegan Oldfield, Grégory Gadebois, Vincent Macaigne

Marvin Bijou está em fuga: primero de seu vilarejo em Vosges, depois da família, da tirania do pai, da renúncia da mãe e por último da intolerância, rejeição, humilhações às quais era exposto por tudo que faziam dele um rapaz “diferente”. Fora de lá, ele descobre o teatro e aliados que, finalmente, vão permitir que sua história seja contada por ele mesmo. Vencedor do Queer Lion no Festival Internacional de Cinema de Veneza de 2017.


A NOITE DEVOROU O MUNDO
Dia 08, 21h | Dia 19, 19h | Dia 24, 21h
La nuit a dévoré le monde, França, 2018, 94’
De Dominique Rocher
Com Anders Danielsen Lie, Golshifteh Farahani, Denis Lavant

Ao se levantar de manhã num apartamento onde, de véspera, houve uma grande festa, Sam deve ser render à evidência: ele está sozinho e morto-vivos invadiram as ruas de Paris. Aterrorizado, ele vai ter que se proteger e se organizar para continuar a viver. Mas será que Sam é mesmo o único sobrevivente? Adaptação do livro homônimo de Martin Page.


NOS VEMOS NO PARAÍSO
Dia 08, 18h20 | Dia 18, 14h | Dia 22, 18h40 | Dia 24, 16h
Au revoir là-haut, França, 2017, 117’
De Albert Dupontel
Com Nahuel Perez Biscayart, Albert Dupontel, Laurent Lafitte

Em novembro de 1918, alguns dias antes do Armistício de Compiègne, Édouard Péricourt salva a vida de Albert Maillard. Ambos não têm nada em comum, a não ser a guerra, e são obrigados a se unir para sobreviver. Anos depois, Albert e Édouard planejam uma farsa para desmascarar o Tenente Preadelle, que tenta fazer fortuna com corpos das vítimas da guerra. Vencedor de Melhor Direção, Melhor Fotografia, Melhor Adaptação, Melhor Design de Produção e Melhor Figurino no Prêmio César de 2018.


O ORGULHO
Dia 09, 21h | Dia 15, 16h40 | Dia 25, 14h
Le brio, França, 2017, 95’
De Yvan Attal
Com Camélia Jordana, Daniel Auteuil, Yasin Houicha

Neïla Salah sonha em ser advogada e desde o seu primeiro dia na Universidade Parisiense de Assas ela entra em confronto com Pierre Mazard, um professor conhecido por seus ataques de explosão com os alunos. Quando Neïla se inscreve em um concurso de eloquência, Pierre concorda em ser seu mentor, porém, eles precisam deixar seus preconceitos de lado para vencer. Prêmio César 2018 de Melhor Atriz Revelação.


O PODER DE DIANE
Dia 13, 16h20 | Dia 19, 16h40 | Dia 26, 14h
Diane a les épaules, França, 2017, 87’
De Fabien Gorgeart
Com Clotilde Hesme, Fabrizio Rongione, Thomas Suire

Sem hesitação, Diane aceitou carregar o filho de Thomas e Jacques, seus melhores amigos. É nessas circunstâncias, não muito ideias, que ela se apaixona por Fabrizio.



PRIMAVERA EM CASABLANCA
Dia 07, 16h20 | Dia 11, 18h20 | Dia 14, 14h | Dia 23, 16h
Razzia, França, 2017, 119’
De Nabil Ayouch
Com Maryam Touzani, Arieh Worthalter, Abdelilah Rachid

Em Casablanca, entre o passado e o presente, cinco destinos estão inconscientemente interligados. Diferentes rostos, diferentes trajetórias, diferentes lutas, mas a mesma busca pela liberdade. E o som de uma revolta que cresce.



PROMESSA AO AMANHECER
Dia 12, 18h20 | Dia 16, 14h | Dia 22, 16h
La promesse de l’aube, França, 2017, 131’
De Eric Barbier
Com Pierre Niney, Charlotte Gainsbourg, Didier Bourdon

Desde sua infância na Polônia até a adolescência em Nice, para seus anos de estudante em Paris e seu treinamento como piloto durante a II Guerra Mundial, Romain Gary atribui a vontade de viver intensamente à sua mãe, Nina. É a força desse amor que o consagra como um dos mais famosos romancistas franceses e o único escritor a vencer o Prêmio Goncourt pela literatura francesa duas vezes, porém, essa devoção também se torna um fardo em sua vida.


A RAPOSA MÁ
Dia 10, 16h20, dub. | Dia 17, 19h, leg. | Dia 23, 14h, dub. | Dia 25, 18h40, leg.
Le grand méchant Renard et autres contes, França, 2016, 80’
De Benjamin Renner e Patrick Imbert
Com Céline Ronte, Boris Rehlinger, Guillaume Bouchède

Aqueles que pensam que o campo é um lugar calmo e tranquilo se enganam, lá há animais particularmente agitados, uma raposa que pensa ser uma galinha, um coelho que se faz de cegonha e um pato que quer substituir o Papai Noel. Se quiserem tirar férias, mudem de caminho! Prêmio César 2018 de Melhor Filme de Animação.


O RETORNO DO HERÓI
Dia 07, 14h | Dia 16, 19h | Dia 24, 14h | Dia 25, 21h
Le retour du héros, França, 2018, 90’
De Laurent Tirard
Com Jean Dujardin, Mélanie Laurent, Noémie Merlant

Elisabeth é alinhada, séria e honesta. O capitão Neuville é covarde, desleal e sem escrúpulos. Ela o detesta. Ele a despreza. Mas fazendo dele um herói de opereta, ela se torna, sem querer, responsável por uma farsa que logo a arrebatará…


TROCA DE RAINHAS
Dia 10, 14h | Dia 13, 21h | Dia 18, 16h40 | Dia 26, 18h40
L’échange des princesses, França, 2017, 100’
De Marc Dugain
Com Lambert Wilson, Olivier Gourmet, Anamaria Vartolomei

Ano de 1721. Uma ideia audaciosa germina na mente de Felipe de Orléans, regente da França… Luís XV de 11 anos, logo se tornará rei, e, uma troca de princesas permitiria consolidar a paz com a Espanha, após anos de guerra, que deixaram os reinos enfraquecidos. Então, Felipe casa a filha, Mlle de Montpensier, de 12 anos, com o herdeiro do trono da Espanha, e Luís XV se casa com a Infanta da Espanha, Anna Maria Victoria, de 4 anos. Mas a entrada precipitada dessas jovens princesas na corte francesa, sacrificadas no altar dos jogos dos poderes, vai acabar com sua tranquilidade.


O ÚLTIMO SUSPIRO
Dia 10, 21h | Dia 20, 19h | Dia 22, 21h
Dans la brume, França/Canadá, 2018, 89’
De Daniel Roby
Com Romain Duris, Olga Kurylenko, Fantine Harduin

No dia em que uma névoa estranha e mortal submerge Paris, os sobreviventes encontram refúgio nos andares superiores dos edifícios e nos telhados da capital. Sem informação, sem eletricidade, sem água ou comida, uma pequena família tenta sobreviver a esse desastre… Mas as horas passam e uma coisa é clara: a ajuda não virá e será necessário tentar a sorte na névoa.



Z
Dia 10, 18h20
Argélia/França, 1969, 125’
De Costa-Gavras
Com Yves Montand, Jean-Louis Trintignant, Irène Papas

Tendo como trama básica o assassinato de um político liberal cometido como se fosse um acidente, é retratado o caso Lambrakis, fato acontecido na Grécia no início da década de 60, no qual a investigação sobre a morte do político foi escandalosamente encoberta por uma rede de corrupção e ilegalidade na polícia e no exército. Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Edição no Oscar de 1970, Melhor Filme em Língua Estrangeira no Globo de Ouro de 1970 e Prêmio do Júri e de Melhor Ator no Festival de Cannes de 1969.



---------------------------------------------------------------------------------------------

ÓPERA NA TELA
Dia 10, domingo, 10h30
MACBETH
Grande Teatro do Liceu de Barcelona, 2016, 2h32, 12 anos
Ópera em quatro atos de Giuseppi Verdi | Libreto de Francisco Maria Piave
Cantada em italiano
Maestro Giampaolo Bisanti
Diretor Christof Loy
Com Ludovic Tézir, Vitalij Kowaljow, Martina Serafin , Saimir Pirgu, Albert Casals, Anna Puche

Bruxas prometem o poder a Macbeth. Sua esposa, devorada pela ambição, o incentiva a assassinar o velho soberano. Macbeth torna-se rei e é o início de uma corrida ao precipício feita de pesadelos e assassinatos. Os que entenderam isso fogem e se organizam para reconquistar o poder.


Ingressos
Inteira – R$ 14,00 | Meia – R$ 7,00 (exceto segundas-feiras)
Segunda-feira – Promoção “Meia-entrada para todos” – R$ 4,00

Rua Miguel de Frias 9 Icaraí Niterói RJ (21) 3674-7511 | 3674-7512 www.centrodeartes.uff.br


Fonte: Renata Cunha/ Gerência de Comunicação - Centro de Artes UFF