Our social:

Latest Post

sábado, 10 de novembro de 2018

‘MORMAÇO’, DE MARINA MELIANDE, ESTÁ NA MOSTRA NOVOS RUMOS DO FESTIVAL DO RIO



Primeiro longa-metragem solo de Marina Meliande, “MORMAÇO”, está na seleção oficial da Mostra Competitiva Novos Rumos do Festival do Rio, que acontece de 1º a 11 de novembro. Roteirizado pela própria Marina, em parceria com Felipe Bragança, o longa traz Ana (Marina Provenzzano) como protagonista. A jovem advogada carioca se divide entre seu trabalho na Vila Autódromo, comunidade prestes a ser despejada por conta dos Jogos Olímpicos do Rio, um novo amor, além de uma doença misteriosa. O longa teve estreia mundial na competição oficial do Festival Internacional de Cinema de Roterdã, no início do ano. No último domingo, foi exibido pela primeira vez no Brasil na mostra competitiva do Festival de Gramado.

A dupla de roteiristas já trabalhou em outros projetos e assina a direção de longas como “A fuga da Mulher Gorila”, que estreou no Festival de Locarno 2009, e “A Alegria”, que esteve na Quinzena dos Realizadores, no Festival de Cannes 2010. Além de Marina Provenzzano, o elenco conta com o estreante Pedro Gracindo, neto de Paulo Gracindo e filho de Gracindo Jr., Diego de Abreu, Analu Prestes, Igor Angelkorte e Sandra Souza.
“MORMAÇO” é uma produção da Duas Mariolas e Enquadramento Produções e foi desenvolvido com o suporte da Résidence da Cinefondation, promovida pelo Festival de Cannes, e do Hubert Bals Fund, promovido pelo Festival de Roterdã. Além disso, o projeto foi o vencedor do Brasil CineMundi, da Mostra CineBH, e foi realizado com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual, na linha dedicada a longas-metragens com propostas de linguagem inovadora e relevância artística. Com previsão de estreia para o primeiro semestre de 2019, o longa será distribuído pela Vitrine Filmes.
Sinopse:

Rio de Janeiro, 2016. O verão mais quente da história. A cidade está se preparando para os Jogos Olímpicos. Ana, uma defensora pública de 32 anos, trabalha na defesa de uma comunidade ameaçada de remoção pelas obras do Parque Olímpico. Enquanto isso, misteriosas manchas roxas, similares a fungos, aparecem em seu corpo. Coisas estranhas começam a acontecer na cidade e no corpo de Ana. A temperatura sobe, criando uma atmosfera úmida e sufocante. O mormaço acumula, abrindo caminho para uma forte chuva.

FICHA TÉCNICA
Direção - Marina Meliande
Roteiro - Felipe Bragança e Marina Meliande
Produção - Leonardo Mecchi
Empresas Produtoras - Duas Mariola Filmes e Enquadramento Produções
Direção de Fotografia - Glauco Firpo
Som - Valéria Ferro
Direção de Arte - Dina Salem Levy
Figurino - Gabriela Campos
Maquiagem - Mari Figueiredo
Desenho de Som e Música Original – Edson Secco
Elenco - Marina Provenzzano, Pedro Gracindo, Diego de Abreu, Analu Prestes, Igor Angelkorte,
Sandra Souza, Jéssica Barbosa
SESSÕES DE MORMAÇO NO FESTIVAL:
06/11 (Terça) – 20h15 – Estação Net Gávea 1 e 2
07/11 (Quarta) – 18h30 – Estação Net Rio 3
08/11 (Quinta) – 19h00 – Cine Arte UFF 3

SOBRE A DIRETORA
Marina Meliande nasceu em 1980 no Rio de Janeiro, Brasil. Cineasta e montadora formada pela Universidade Federal Fluminense, dirigiu, em parceria com Felipe Bragança, alguns filmes exibidos em festivais internacionais: dois curtas, Por Dentro de uma Gota D’água e O Nome dele (o clóvis), além da Trilogia Coração no Fogo, composta pelos longas A Fuga da Mulher Gorila, lançado no Festival de Locarno 2009; A Alegria – lançado na Quinzena dos Realizadores, Festival de Cannes 2010; Desassossego, filme das maravilhas - filme coletivo, lançado no Festival de Roterdã em 2011. Nos anos de 2007 a 2009, Marina foi artista residente do Centro de Arte Contemporânea Le Fresnoy (França), onde realizou duas videoinstalações: Lettres au Vieux Monde e L’Image qui reste. Como montadora, trabalhou em mais de 40 filmes, entre eles, Girimunho e Histórias que só existem quando lembradas. Atualmente, lança seu primeiro longa-metragem solo Mormaço, com o apoio da Résidence da Cinefondation, promovida pelo Festival de Cannes, e do Hubert Bals Fund, do Festival de Roterdã.

SOBRE AS PRODUTORAS
DUAS MARIOLA
DUAS MARIOLA é uma produtora cooperativa carioca formada em 2006 por seis realizadores de cinema. Sediada no Rio de Janeiro, é formada por cineastas premiados em festivais nacionais e internacionais e pretende se tornar um pequeno pólo de reunião e realização cinematográfica, estando aberta a colaborar com outros realizadores e produtores em busca de alternativas criativas ao modelo de produção do audiovisual no Brasil, assim como de propostas cuja ousadia parta de um mesmo ponto em comum e irrevogável: o entusiasmo pelos filmes e pelo cinema.
Nos últimos anos se dedicou à produção de Mostras Cinematográficas e à produção de filmes. Realizou ou corealizou alguns longas metragens com grande repercussão internacional, entre eles: No Meu Lugar, coprodução com a VideoFilmes, com direção de Eduardo Valente, com estreia na Seleção Oficial do Festival de Cannes 2009; A fuga da Mulher Gorila, direção de Felipe Bragança e Marina Meliande, com estreia no Festival de Locarno 2009; A Alegria, direção de Felipe Bragança e Marina Meliande, com estreia na Quinzena dos Realizadores, no Festival de Cannes 2010; Desassossego, filme de direção coletiva, com estreia no Festival de Rotterdam em 2011. Todos os longas citados tiveram ampla participação em importantes Festivais Brasileiros e tiveram distribuição em salas comerciais.  Além dos longa- metragens, a Duas Mariola também produziu cerca de dez curtas-metragens com presença em festivais como CANNES, VENEZA e OBERHAUSEN, entre outros.
A DUAS MARIOLA pretende ainda contribuir cotidianamente para a maior visibilidade do audiovisual brasileiro, assim como na diversificação do universo cinéfilo do país e, para isso, se dedica também à realização de mostras, festivais e ciclos de debates sobre cinema e audiovisual.
ENQUADRAMENTO PRODUÇÕES
Enquadramento Produções é uma produtora brasileira de filmes independentes, com sede em São Paulo, focada no desenvolvimento e produção de projetos culturais e cinematográficos, principalmente primeiro e segundo longas-metragens de cineastas promissores. Entre suas produções estão trabalhos selecionados para importantes festivais nacionais e internacionais, como Cannes, Roterdã, Viennale, FidMarseille, BAFICI, Tiradentes e Gramado.
Entre as produções atuais estão o recém-lançado Los Silencios, de Beatriz Seigner (Festival de Cannes - Quinzena do Diretor, uma coprodução Brasil-França-Colômbia) e Mormaço, de Marina Meliande (Festival de Roterdã e Toulouse); A Morte Habita à Noite, de Eduardo Morotó (em pós-produção, Cinéma en Développement); e A Febre, de Maya Da-Rin (atualmente em produção, coprodução Brasil-França-Alemanha que participou do TFL's Script & Pitch e FrameWork, e contou com apoios do Aide aux Cinémas du Monde, World Cinema Fund, Hubert Bals Fund e TFL’s Coproduction Award).
Seu sócio majoritário, Leonardo Mecchi, trabalhou nos últimos 10 anos como produtor de longas-metragens como Obra, de Gregório Graziosi (Roma, Toronto e Prêmio da Crítica no Festival do Rio); Super Nada, de Rubens Rewald (Melhor Filme no Festival do Rio e Melhor Ator no Festival de Gramado); e Quebradeiras, de Evaldo Mocarzel (Melhor Documentário do Festival de Toulouse e Melhor Diretor, Diretor de Fotografia e Som no Festival de Brasília). Atua também como curador, júri e produtor de mostras e festivais. É também produtor associado do documentário O Processo, de Maria Augusta Ramos (Festival de Berlim 2018).

SOBRE A VITRINE FILMES
Em oito anos, a Vitrine Filmes distribuiu mais de 120 filmes. Entre seus maiores sucessos estão "Aquarius" e "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro e o americano "Frances Ha", dirigido por Noah Baumbach, indicado ao Globo de Ouro em 2014.
Em 2017, a Vitrine lançou "O Filme da Minha Vida", terceiro longa como diretor de Selton Mello, e "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal, o documentário mais visto no ano.
Alguns dos mais importantes lançamentos deste ano da Vitrine foram "Paraíso Perdido", de Monique Gardenberg, "O Processo", de Maria Augusta Ramos, que está entre os 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional e "Benzinho", dirigido por Gustavo Pizzi e protagonizado por Karine Teles, exibido no Festival de Sundance.
VITRINE FILMES NO FESTIVAL DO RIO 2018
Títulos da distribuidora a serem exibidos no Festival: A Nossa Espera, Vermelho Sol, Excelentíssimos, Los Silencios, Diamantino, Sueño Florianópolis, Mormaço e Tinta Bruta.

Fonte: Vitrine Filmes

O Orfanato Santa Rita de Cássia promove feijoada beneficente dia 10/11 com shows e DJs


O Orfanato Santa Rita de Cássia realiza dia 10 de novembro feijoada Beneficente feijoada com shows e DJs. O valor por pessoa é de 25 reais e pode ser adquirido com antecedência pelo telefone: (21) 3392-4292ou e-mail: orfanatosrc@ig.com.br. O objetivo da arrecadação é o pagamento das férias e décimo terceiro dos funcionários e para manter a instituição. Orfanato Santa Rita de Cássia vive unicamente de doações de colaboradores e da realização de eventos tais como: Almoço e bingo beneficente, festa junina, e da realização do bazar que acontece uma vez por semana (todas as quintas-feiras)
O Orfanato Santa Rita de Cássia é uma instituição sem fins lucrativos fundada em 20/01/1932 pelo comendador Francisco Ferreira Mattos e hoje é administrado pelas Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora do Bom Conselho. (Congregação religiosa franciscana, fundada pelo Frei Caetano de Messina em 24/04/1853 na cidade de Bom Conselho, PE). Cada mês a instituição lança uma campanha diferente para manutenção e criação de serviços para as crianças.
público-alvo atendido por nossa instituição é de crianças e adolescentes na faixa etária de 04 a 12 anos. Atualmente com um total de 98 crianças e adolescentes do sexo feminino, entre internas e externas. O território de abrangência no Rio de Janeiro inclui comunidades locais e adjacências da: Praça Seca, Mato Alto, Chacrinha, Chácara, São José Operário, Bato Murche, Tanque, Taquara, Cidade de Deus, Gardênia Azul, Marechal Hermes, Anil, Gardênia Azul, Cidade de Deus.
São duas as formas de atendimento oferecidas pelo Orfanato Santa Rita de Cássia:
  • O Serviço de Proteção Social Especial de Alta Complexidade – Acolhimento institucional (Crianças Internas)- No momento acolhemos 08 meninas
  • Serviço de Proteção Social Básica - Serviço de convivência e fortalecimento de vínculos (casa dia - crianças externas). No momento acolhemos 90 meninas
Entre as atividades e serviços oferecidos: Gastronomia InfantilAlimentando-se da Terra: Horta plantação de hortaliças, criação de galinhas, Ballet, Informática, Projeto de leitura, Educação física, Apoio Escolar, Serviço Social, Psicologia e Encontros Psicossociais.
A instituição vive unicamente de doações e ajuda de colaboradores; as doações podem ser feitas através pelo PagSeguro (através do site do Orfanato) ou conta bancária Bradesco. As doações recebidas são para despesas com funcionários, de luz elétrica, água, gás, compra de alguns alimentos e medicamentos urgentes. A doação pode ser com cartão de crédito ou boleto bancário através do site seguro do PagSeguro.
Através das contas: Bradesco Agência 7097-1-Conta 149961-0/ Bradesco Agência 7097-Conta 0148484-2/ Itau Agência 8340-Conta 06651-6. Associação Nordeste Brasileira de Educação e Cultura CNPJ :10.970.689/0012-93.
Tem como diretora a Irmã Rejane da Silva França. Telefones: (21) 3392-4292/2425-2207/3174-2328 / Site: www.orfanatosantaritadecassia.com.br
Facebook: Orfanato Santa Rita de Cássia
Instagram : santaritadecassiaorfanato
   
ANBEC- Associação Nordeste Brasileira de Educação e Cultura
Bradesco agencia 2728 c/c 019961-3

Fonte: Sandra Villela / Assessoria de Imprensa.

DIA 12 NOVEMBRO, NO UCI DAY, TEM 'TITANIC' E 'GREASE – NOS TEMPOS DA BRILHANTINA' A PREÇOS POPULARES

Os dois clássicos terão sessões especiais com ingressos a R$10,00 (e meia-entrada R$5,00). Os cinemas UCI também oferecem descontos em todos os outros filmes em cartaz

No UCI Day, data em que a rede de cinemas comemora seu aniversário, o público vai ganhar um presente: um dia todo especial com ingressos a R$ 10 (e meia-entrada R$ 5) e a exibição de dois filmes clássicos: “Titanic”,  de James Cameron, em 3D, IMAX 3D, XPLUS 3D e 4DX, e a versão remasterizada de “Grease – Nos Tempos da Brilhantina”, que completa 40 anos. Durante todo o dia 12 de novembro, os ingressos para as outras sessões em cartaz no circuito também estarão mais baratas. As exibições em 2D, 3D, IMAX, XPLUS e XPLUS Laser (no Rio e Recife)  e nas salas DE LUX custarão R$ 10 (e R$ 5 meia-entrada). E, no Rio de Janeiro e São Paulo, as entradas para a sala 4DX com efeitos especiais estará R$ 20 (e R$ 10 meia-entrada). Os ingressos já estão à venda e a programação completa está disponível no site oficial da rede UCI (www.ucicinemas.com.br).

A versão remasterizada de “Grease – Nos Tempos da Brilhantina” (1978) é por si só um evento. O musical dirigido por Randal Kleiser, com John Travolta e Olivia Newton-John, que marcou o final dos anos 70 está completando 40 anos e, muito antes de “High School Musical”, foi mania entre os adolescentes no mundo todo. Na Califórnia de 1959, a tímida Sandy e o popular Danny vivem um romance de verão na praia. Quando volta das férias, Sandy descobre que ele estuda em sua nova escola. Danny lidera a gangue dos T-Birds, usa jaquetas de couro e muito gel no cabelo, e Sandy logo fica amiga das Pink Ladies, lideradas pela firme e sarcástica Rizzo. Quando os dois se reencontram, Sandy percebe que Danny não é o mesmo por quem se apaixonou.
“Titanic”, de James Cameron, foi o primeiro filme exibido pela rede UCI no Brasil, em Curitiba. A superprodução arrecadou mais de 1 bilhão de dólares, teve 14 indicações ao Oscar e ganhou 11, incluindo Melhor Filme e Melhor Direção. Assistir à superprodução estrelada porLeonardo DiCaprio e Kate Winslet em 3D, nas salas IMAX e XPLUS ou na 4DX, com efeitos como vento, chuva e movimentação das cadeiras, é uma experiência incomparável.
Atualmente, a UCI está presente em 13 cidades do país (Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Fortaleza, Curitiba, São Luís, Campo Grande, Manaus, Ribeirão Preto, Salvador, Juiz de Fora, Canoas e Belém).

Ingressos para as exibições nos cinemas da rede UCI podem ser adquiridos na internet, em aplicativos de celular e nas máquinas de autoatendimento disponíveis no hall dos complexos. Clientes UNIQUE, o programa de relacionamento UCI Cinemas, pagam meia-entrada nas sessões especiais de “Titanic” e “Grease – Nos Tempos da Brilhantina”.

SOBRE A UCI
A UCI Cinemas (United Cinemas International Ltda.) está celebrando 21 anos no Brasil e atua em 13 cidades do país: Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Fortaleza, Curitiba, São Luís, Campo Grande, Manaus, Ribeirão Preto, Salvador, Juiz de Fora, Belém e Canoas.   

São 201 salas de cinema que aliam qualidade, conforto e tecnologia, proporcionando ao público as melhores e mais completas experiências cinematográficas. Entre elas as especiais IMAX, XPLUS, DE LUX e 4DX, além de poltronas SUPERSEATS e SuperD.  A rede é responsável pelo maior complexo de cinemas brasileiro, que também registra o maior público no Brasil desde a sua inauguração, em 1999: o New York City Center, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, com 18 salas, incluindo IMAX, XPLUS, duas DE LUX, e uma 4DX.

Desde 2005, a UCI faz parte da National Amusements Inc, (NAI). Tradicional rede americana de cinema, a NAI está há 74 anos no mercado, com uma operação de mais de 938 salas através das marcas UCI Cinemas, Showcase Cinema de Lux, Showcase Cinemas e Multiplex Cinemas, em complexos nos Estados Unidos, Reino Unido e América Latina.

Hoje, a NAI é controladora da Viacom e da CBS. A Viacom é uma empresa líder mundial em conteúdo de entretenimento, com marcas conhecidas e respeitadas, que incluem MTV Networks (MTV: Music Television, VH1, CMT: Country Music Television, Nickelodeon, Nick at Nite, Spike TV, TV Land) e produção de filmes (Paramount Pictures, DreamWorks e Famous Music), canais de TV a cabo (The CBS Television Network, CBS Television Stations, CSTV Networks, the CW, Showtime), rádio (CBS Radio, CBS Outdoor), produção de conteúdo (CBS Television Distribution, CBS Paramount Network Television, the CBS Interactive Audience Network) e editorial (Simon & Schuster).


Fonte: Tatiana Garritano/ 

Palavra Assessoria em Comunicação

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

10ª Semana de Cinema começa, no dia 21/11, com circuito ampliado

Um dos principais festivais de cinema contemporâneo do país, o evento ocorrerá em seis municípios do Rio e 12 espaços de exibição

Voltada para a exibição e discussão da produção brasileira contemporânea de curta, média e longa metragem, a Semana de Cinema completa 10 anos de trajetória com circuito ampliado e novidades na curadoria. Um dos principais festivais de cinema do país será realizado, de 21 a 28 de novembro, em seis municípios: Rio de Janeiro (em novo espaço, o Estação Net Botafogo, além dos Sescs Tijuca e Madureira, da Faculdade de Letras da UFRJ, no Cineclube “Cinema é poder”, do Complexo da Maré, no Cineclube NA Favela e do Morro da Providência, no Favela Cineclube); Niterói (no Cine Arte UFF), Nova IguaçuSão Gonçalo e São João de Meriti (nas unidades do Sesc) e Duque de Caxias, no Cineclube Mate com Angu. O festival reúne este ano 56 produções de 10 estados brasileiros, que serão exibidas na mostra oficial e em sessões especiais. A abertura será dia 21, com os filmes ‘Plano controle’, de Juliana Antunes, e ‘Sol Alegria’, de Mariah e Tavinho Teixeira, no Estação NET Botafogo 1, às 21h, e em Niteroi, no CineArteUFF, dia 23, às 18h30. O evento é produzido pela Jurubeba Produções e tem patrocínio da Secretaria de Cultura de Niterói / FAN e apoio do SESC-RJ.

Cena de "Lembro mais dos corvos"
Diferentemente dos anos anteriores, a Semana não contará nesta edição com uma mostra competitiva. A seleção oficial foi ampliada e reúne 32 filmes (lista completa abaixo), selecionados pela equipe do festival e por curadores convidados, que tiveram encontros periódicos, ao longo de três meses, para ver, rever, discutir e propor a programação atual. “A programação da Semana, mais uma vez, aposta em filmes que se destacam no processo de seleção, por aquilo que têm de particular, pelos riscos que correm, pelas investigações de linguagem, pela experimentação. O conjunto final é muito diverso, mas tem em comum a pulsão do cinema, da criação sem amarras, em sintonia com o seu tempo”, explica Daniel Queiroz, um dos curadores, e exemplifica: “Temos filmes relacionados a questões políticas da história recente do Brasil (inclusive um documentário filmado durante a greve dos caminhoneiros); obras que trazem questões raciais e de gênero, que tratam da luta por moradia, de ocupação das cidades, dentre outros. Os temas são diversos, mas nos interessa muito, para além dos temas em si, a forma com que os filmes lidam com eles, a construção realizada, o uso inteligente da linguagem cinematográfica, propiciando obras que se destacam no cenário brasileiro contemporâneo”.

Cena de "Sol Alegria"
Uma das propostas da Semana é diminuir cada vez mais o ar de disputa entre as obras e privilegiar as experiências coletivas propiciadas por cada sessão. Ao mesmo tempo, o festival manterá um júri de estudantes e júris parceiros com a proposta de que acompanhem a programação e indiquem destaques, dando continuidade a contribuição com a carreira de filmes que podem se beneficiar com as avaliações recebidas. A mostra também adotará este ano, pela primeira vez, um júri popular, que votará em seus filmes preferidos nas sessões realizadas no Estação Net Botafogo e no Cine Arte UFF.

A 10ª Semana apresentará ainda outras três mostras: a Retrospectiva André Novais Oliveira, com cinco filmes do premiado diretor de Contagem (MG)cabíria, incluindo seu novo trabalho, Temporada (melhor filme no último Festival de Brasília); a mostra ‘Como mito desmontado, amanhã recomeço’, na qual a curadora e pesquisadora Patrícia Mourão apresenta, pela terceira vez no festival, uma sessão que busca trabalhar com o deslocamento de obras das salas de galerias e museus para a tela do cinema; e a Circuito Sesc – Semana de Cinema, com a exibição de 10 filmes cariocas.

Cena de "The Blue Night"
O encerramento da 10º Semana será realizado no dia 28 de novembro, no Estação Net Botafogo, às 21h, com a exibição do curta El Meraya, de Melissa Dullius e Gustavo Jahn; e do longa Sedução da carne, de Julio Bressane. Parque Oeste, de Fabiano Assis, e NoirBlue, de Ana Pi, encerra a programação de Niterói no mesmo dia as 18h30.

Materclasses, debates e oficinas

Além de ampliar o circuito, a 10ª Semana aumentou o número de eventos paralelos. Serão realizadas seis masterclasses: os convidados são o homenageado dessa edição, o diretor mineiro André Novais Oliveira; o curador Daniel Queiroz; os Irmãos Carvalho - Os irmãos gêmeos Marcos e Eduardo Carvalho, cineastas do morro do Salgueiro; a programadora e doutora em cinema Patrícia Mourão; os realizadores, pesquisadores e críticos Leonardo Amaral e Roberto Cotta e a diretora mineira Juliana Antunes. Haverá também oficinas promovidas pelo Prêmio Cabíria de Roteiro, além dos debates ‘Quanto vale um curta-metragem?’, que tomará como ponto de partida a discussão sobre a produção no formato para comentar as novas regras de pontuação da Ancine e ‘As mulheres e as funções técnicas’,  que discuturá o que há de feminino no fazer cinema, especificamente no desempenho de funções técnicas.


Veja a lista completa dos filmes selecionados abaixo. A programação está no site http://www.semana.art.br/2018/.

SESSÃO DE ABERTURA
Plano controle, dir. Juliana Antunes, 16’, 2018, MG
Sol Alegria, dir. Mariah Teixeira e Tavinho Teixeira , 90’, 2018, PB

SESSÃO DE ENCERRAMENTO
El Meraya, dir. Melissa Dullius e Gustavo Jahn, 19’, 2018, SC/Brasil, Alemanha, Egito
Sedução da carne, dir. Julio Bressane, 70’, 2018, RJ

SELEÇÃO OFICIAL
Alma bandida, dir. Marco Antonio Pereira, 14’, 2017, MG
Antes do lembrar, dir. Luciana Mazeto e Vinícius Lopes, 21’, 2018, RS
Apenas um gesto ainda nos separa do caos, dir. Yuri Firmeza, 9’, 2017, CE
Baixo Centro, dir. Ewerton Belico e Samuel Marotta, 80’, 2018, MG
Bem no meio do céu, dir. Isabella Raposo e Thiago Brito, 13’, 2018, RJ
Bloqueio, dir. Victória Álvares e Quentin Delaroche, 75’, 2018, PE
Calma, dir. Rafael Simões, 30’, 2018, RJ
Calypso, dir. Rodrigo Lima e Lucas Parente, 62’, 2018, RJ
O chalé é uma ilha batida de vento e chuva, dir. Letícia Simões, 94’, 2018, RJ
A chinesa de Riad, dir. Leonardo Amaral e Roberto Cotta, 15’, 2018, MG
Conte isso àqueles que dizem que fomos derrotados, dir. Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cristiano Araújo, Pedro Maia de Brito, 23’, 2018, MG
Espera, dir. Cao Guimarães, 76, 2018, MG
Eu, minha mae e Wallace, dir. Irmãos Carvalho, 22’, 2018, RJ
Fôlego, dir. Renato Sircilli, 85’, 2018, SP
Gede Vizyon, dir. Jefferson Kielwagen, Marcos Serafim e Steevens Simeon, 15’, 2018, SC/Haiti
Guardiões da memoria, dir. Alberto Alvares, 55’, 2018, RJ
Inaudito, dir. Gregorio Gananian, 88’, 2017, SP
(In)Consciência, dir. Jéferson, 18’, 2018, RJ
Lembro mais dos corvos, dir. Gustavo Vinagre, 80’, 2018, SP
Memórias do Subsolo ou o homem que cavou até encontrar uma redoma, Felipe Camilo, 11’, 2017, CE
NoirBlue, dir. Ana Pi, 27’, MG/França
Nome de batismo-Alice, dir. Tila Chitunda, 25’, 2017, PE
Num país estrangeiro, dir. Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes, 25’, 2018, RJ/Portugal
Obeso mórbido, dir. Diego Bauer e Ricardo Manjaro, 14’, 2018, AM
Parque Oeste, dir. Fabiana Assis, 70’, 2018, GO
O pequeno mal, dir. Lucas Camargo de Barros e Nicolas Thomé Zetune, 70’, 2018, SP
A poeira que não quer sair do Esqueleto, dir. Daniel Santiso e Max William Morais, 21’, 2018, RJ
Reforma, dir. Fabio Leal, 16’, 2018, PE
Os sonâmbulos, dir. Tiago Mata Machado, 110’, 2018, MG
Superpina: gostoso é quando a gente faz!, dir. Jean Santos, 98’, 2018, PE
Tea for two, dir. Julia Katharine, 25’, 2018, SP
Temporada, dir. André Novais Oliveira, 113’, 2018, MG

RESTROSPECTIVA ANDRÉ NOVAIS OLIVEIRA
Domingo, dir. André Novais Oliveira, 11’, 2013, MG
Ela volta na quinta, dir. André Novais Oliveira, 108’, 2014, MG
Fantasmas, dir. André Novais Oliveira, 11’, 2010, MG
Pouco mais de um mês, dir. André Novais Oliveira, 22’, 2013, MG
Quintal, dir. André Novais Oliveira, 20’, 2015, MG

COMO MITO DESMONTADO, AMANHÃ RECOMEÇO, POR PATRICIA MOURÃO
Do figurativismo ao abstracionismo, dir. Clara Ianni, 6’, 2017, SP
Forma livre,  dir. Clara Ianni, 7’, 2013, SP
Grão, dir. Letícia Ramos, 8’, 2016,  SP
Não é difícil para um investigador da natureza simular os fenômenos, dir. Letícia Ramos, 8’, 2018, SP
Progresso, dir. Janaina Wagner, 4’, 2014, SP
Terremoto santo, Bárbara Wagner & Benjamin de Burca, 19’, 2017, PE/SP
Terreno, dir. Janaina Wagner, 9’, 2014, SP 
The Blue Night, dir. Letícia Ramos, 5’, 2017, SP
Ventura, dir. Janaina Wagner, 13’, 2018,  SP 
Vostok, dir. Letícia Ramos, 8’, 2014, SP

CIRCUITO SESC – SEMANA DE CINEMA
A fundo, dir. Raphael Medeiros, 8’, 2015, RJ
Acúmulo, dir. Gilson Junior e Melise Fremiot, 15’, 2017, RJ
BR3, dir. Bruno Ribeiro, 23’, 2018, RJ
Cinema delas, dir. Carol Vilamaro, 42’, 2017, RJ
Com o terceiro olho na terra da profanação, dir. Catu Rizo, 66’, 2016, RJ
Dias e dias, dir. Getulio Ribeiro e , 18’, 2016, RJ
Meu nome é Daniel, dir. Daniel Gonçalves, 83’, 2018, RJ
Negros dizeres, dir. Hugo Lima, 42’, 2015, RJ
Óbice, dir. Rafael Pinheiro Aguiar, 9’, 2014, RJ
Perpétuo, dir. Lorran Dias, 25’, 2018, RJ

Fonte: Rachel Almeida/ Racca Comunicação

domingo, 4 de novembro de 2018

Programação gratuita do RioMarket 2018 contará com workshops, seminários e debates

Grande encontro do mercado audiovisual será de 5 a 10 de novembro na Casa Firjan

sábado, 3 de novembro de 2018

Festival do Rio 2018 agita circuito carioca de cinema


O evento acontece de 01 a 11 de novembro, com uma programação de filmes distribuída em 20 locais da região metropolitana.



A 20ª edição do Festival do Rio finalmente chegou trazendo na bagagem preciosidades do cinema nacional e internacional. Este ano, devido a crise econômica, o evento que tradicionalmente ocorre em outubro precisou ser adiado, por dificuldades de patrocínio, mas está de volta numa versão mais enxuta. São ao todo 200 filmes de 60 países, 50 a menos que no ano passado, e 150 a menos que em 2014. Além de produções inéditas, a organização do festival apresenta clássicos do cinema nacional e internacional, recorte de realidade virtual, sessões ao ar livre (MAC Niterói) e espetáculos musicais com a Orquestra Sinfônica da Petrobrás, e em parceria com a Biscoito Fino e Sofar Sounds.


Na sessão de abertura, que teve início na última quinta-feira (1), foi exibido o filme "As viúvas", de Steven McQueen. A sessão de gala de encerramento do festival, que acontece no próximo dia 11, no Cine Odeon, vai apresentar o longa "O Grande Circo Místico", de Cacá Diegues, representante do Brasil ao Oscar 2019.

A Première Brasil conta com 81 filmes, entre longas e curtas, de ficção e documentário, de Norte a Sul do país, feitos com recursos nacionais ou coproduções. Após as pré-estreias, acontece a Première Brasil Debates, em que elenco e equipe técnica dos filmes irão, ao vivo, responder às curiosidades do público sobre as produções. O bate-papo é mediado por críticos de cinema e outros especialistas. 

O Cine Odeon NET Claro vai abrigar mesas-redondas com os filmes da competição principal, concorrentes ao Troféu RedentorNo Estação NET Rio 3, os debates giram em torno dos títulos que fazem parte da mostra Novos Rumos, voltada para produções inovadoras, e da mostra Retratos, com produções sobre  grandes personalidades do país. 


Também serão exibidos os seguintes clássicos do cinema nacional em versão restaurada: "Rio 40 graus" (1955) e "Rio Zona Norte" (1957), de Nelson Pereira dos Santos;"Pixote, a lei do mais fraco"(1981), de Hector Babenco; e "Central do Brasil"(1998), de Walter Salles.

Além da Première Brasil, o público pode conferir os filmes premiados nos principais festivais internacionais, nas mostras: Panorama do Cinema Mundial, Première Latina, Expectativa 2018, Midnight, Midnight DocsItinerários únicos, Film Doc, Clássicos e Cults (Tesouros). 


Cena de "Infiltrado na Klan", de Spike Lee.
Entre as grandes produções internacionais, destaque para os filmes: "Infiltrado na Klan" (Spike Lee), "A casa que Jack construiu" (Lars Von Trier), "A pé, ele não vai longe" (Gus Van Sant), "A quietude" (Pablo Trapero), "Imagem e palavra" (Jean-Luc Godard, "Peterloo" (Mike Leigh), "No portal da eternidade"(Julian Schnabel), "Cafarnaum" (Nadine Labaki), "Vidas Duplas"(Olivier Assayas) e  "3 Faces" (Jafar Panahi).


O circuito do Festival do Rio acontece nos seguintes locais: Cine Odeon Net Claro, Estação Net Rio, Estação Net Gávea, Estação Net Botafogo, Estação NET Ipanema, Kinoplex São Luiz, Roxy, Cine Arte UFF Niterói, Instituto Moreira Salles, Cinemateca do MAM, Centro Cultural Justiça Federal, Reserva Cultural Niterói, Ponto Cine e Casa Firjan.

Na área de negócios, o RIO MARKET deste ano acontece na CASA FIRJAN, em Botafogo. Profissionais e empresas do setor poderão realizar trocas de conhecimento e parcerias produtivas, discutindo juntos o futuro do mercado e novos projetos, em rodadas de negócios, seminários, workshops e masterclasses. As inscrições estão sendo feitas pelo site http://www.riomarket.com.br/

Premiações:


Além do prêmio principal, o Troféu Redentor, a Première Brasil  também oferece o Prêmio Petrobrás de Cinema, através de contrato de patrocínio para distribuição comercial ao melhor filme de ficção em competição e o escolhido na mostra Novos Rumos. 

Temos ainda o Prêmio Geração, destinado às produções voltadas para o público infanto-juvenil (Mostra Geração); e o Prêmio Félix, dedicado a filmografias sobre diversidade de gênero, nas categorias melhor filme de ficção e documentário.  

Os premiados são escolhidos por júri oficial, formado por especialistas brasileiros e estrangeiros convidados. Entretanto, o público também pode participar elegendo seus filmes favoritos, longas de ficção, documentário e curta-metragem, através do Prêmio do Público. 



Ingressos:

O Festival do Rio disponibiliza até 80% dos ingressos para venda antecipada pelo site www.ingresso.com e 20% disponíveis somente no dia da sessão. Promoções de meia-entrada para estudantes, idosos e outros funcionam de acordo com a legislação vigente. 

Passaportes e pacotes podem ser adquiridos pelo site, sem taxa de conveniência, e retirados nos seguintes postos:  Cine Odeon NET Claro e Estação Net Rio. Mais informações pelo site: 
http://www.festivaldorio.com.br/br/servicos/passaporte 

Central de Informações: 3523-8515 (10h às 19h)

http://www.festivaldorio.com.br/br/servicos/circuito


Programação Completa:

Confira a programação completa do Festival do Rio 2018 no link: 
http://www.festivaldorio.com.br/br/programacao

Faça o download da Revista Oficial do Festival do Rio 2018 no link:
https://s3.amazonaws.com/festivaldorio/2018/site/revistadeprogramacaofestival2018.pdf


Informações obtidas no site: http://www.festivaldorio.com.br/

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Raphael Rossatto lança canal web e dubla protagonistas do cinema e do mundo dos games


O ator e dublador Raphael Rossatto acaba de lançar seu canal na web com o nome de “Eu Dublei”. Rossatto, que completou oito anos no mercado profissional de dublagem, aproveitou a comemoração para o lançamento. Ele, que tem uma ampla experiência como dublador, já deu voz a personagens como Kristoff, de “Frozen”, Gus, de “A Culpa é das Estrelas”, Will Traynor, de “Como eu era antes de você”, além do Owen, de “Jurassic World” e o Senhor das Estrelas, de “Vingadores, Guerra Infinita” e “Guardiões da Galáxia”.

Além disso, o ator vem com duas novidades para os fãs de games e do cinema. A primeira é que ele é a voz, na versão brasileira, do personagem principal do mais novo game da série Assassin’s Creed que leva o nome de “Assassin’s Creed: Odyssey” e será lançado no dia 5 de outubro para Xbox One, PlayStation 4 e PC. Raphael dubla o personagem espartano Alexios.

- Dublar Assassins Creed foi quase um sonho realizado. Eu sou muito fã da franquia e quando cheguei no estúdio, e vi que o teste era para o novo game, fiquei eufórico. Foram os dois meses mais longos da minha vida até receber a notícia que havia sido escolhido, depois disso foram mais dois até começarem as gravações. O processo foi bem árduo e cansativo, oito horas de gravação, quase que diariamente durante um mês, e mais algumas horas após isso para dublar as Dlcs (histórias extras do game). Tive que ter muito cuidado com a voz nesse período, porque tínhamos prazo para entregar tudo pronto e qualquer problema afetaria a entrega do produto finalizado. O game é incrível, é o maior Assassins já feito, tanto em questão de história quanto de mapa, o meu personagem, Alexios, é muito carismático, apesar de bruto e impiedoso quando está em batalha. O jogo promete muitas surpresas e tenho certeza que não vai decepcionar os fãs da série. Joguem antes de tirar suas conclusões - comenta Rossato.

Após o processo longo para dar voz a Alexios, Raphael fez questão de fazer uma sessão de fotos com o fotógrafo ErnnaCost, bem no clima de Assasin’s Creed. Além do game, ele também é o dublador do personagem Percy, um dos protagonistas da animação “Pé Pequeno”, que acaba de ser lançada nos cinemas.

- Dublar o “Pé Pequeno” foi, literalmente, muito divertido! O filme é leve, gostoso e passa uma mensagem social muito bacana. Têm canções lindas. Adorei gravar a canção "Muito Stress", adaptação da música "Under Pressure" do Queen. É uma história para toda a família! Assistam – completa o dublador.

O primeiro vídeo do “Eu Dublei” pode ser visto no link do Canal. “No canal vou falar sobre minha experiência como dublador,  ator de musicais, além de receber convidados das áreas em que  atuo”, finaliza Rossatto.


SERVIÇO:

Canal "Eu dublei" 


Fonte: Samyra Karyme
Assessora de imprensa