Our social:

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Música, memória e resistência em "Aquarius", filme estrelado por Sonia Braga


O novo filme estrelado por Sônia Braga, “Aquarius”, narra a história de Clara, proprietária de um apartamento, num prédio antigo, em frente a praia de Boa Viagem, numa das áreas mais valorizadas da cidade de Recife (PE), que é pressionada por uma construtora para que venda seu imóvel. Em pauta não apenas o processo pernicioso da especulação imobiliária, mas os valores e preconceitos que permeiam a sociedade brasileira.

O longa é dividido em três partes, enfatizando os desafios vividos pela personagem. Amante das artes, especialmente a música, Clara é uma jornalista aposentada que aprecia sua coleção de discos de vinil e não é facilmente seduzida pelas inovações tecnológicas da atualidade. Apaixonada pela MPB, por Villa-Lobos e pelos Beatles, a personagem constroi uma narrativa pessoal pontuada pelas canções. A música como resgate da memória. Uma memória registrada não apenas na musicalidade de uma época e no apartamento que guarda lembranças familiares, mas como uma memória corporificada em suas cicatrizes. Música como narrativa. Assim como no documentário de Eduardo Coutinho, “As canções”, a musicalidade é o dispositivo que recupera uma época e evoca sentimentos. No filme de Kleber Mendonça Filho, que dirigiu e escreveu o roteiro, a música é apresentada como símbolo de resistência.

Sonia Braga está ótima no papel, dando nuances delicados a uma personagem forte. Viúva ainda jovem, Clara criou os filhos sozinha, e na maturidade deseja viver de modo simples, no lugar que sempre morou. Entretanto, seus desejos vão de encontro ao interesse do capital imobiliário. Pressionada, Clara resiste bravamente e vai até as últimas consequências para poder manter-se no mesmo local, defendendo seu lar das ameaças dos donos de uma grande construtora, que pretende derrubar o imóvel para construir um condomínio de luxo.

O drama da personagem, que passou pela dolorosa experiência da mastectomia, é uma realidade para muitas mulheres vítimas de câncer. Solitária, Clara busca o amor, mas encontra a rejeição no preconceito masculino. Seu modo de encarar a vida, no entanto, não é pessimista, ainda que tenha de entrar em confronto com os próprios filhos, na defesa de um ideal. Manter suas convicções é um ato de liberdade e não pode ser encarado como loucura. O roteiro também trabalha o modo como a personagem lida com sua sexualidade, a orientação sexual dos filhos e o envelhecimento.

O filme foi alvo de controvérsias devido ao protesto durante estreia em Cannes contra o processo de impeachment da presidente Dilma Roussef e a classificação indicativa do Ministério da Justiça para 18 anos, devido as cenas de sexo explícito e drogas. No dia 01 de Setembro, após reunião entre a representante da Distribuidora Vitrine Filmes e o secretário nacional de Justiça e Cidadania, Gustavo Marrone, o pedido de reconsideração foi deferido e a classificação indicativa foi diminuida para 16 anos. A justificativa ao pedido foi que as cenas de sexo são de curta duração e não fazem parte do tema central do filme, assim como o uso de drogas.


Elisabete Estumano Freire.




ELENCO
Sonia Braga
Maeve Jinkings
Irandhir Santos
Humberto Carrão
Carla Ribas
Julia Bernat
Barbara Colen
Zoraide Coleto
Fernando Teixeira
Paula de Renor
Pedro Queiroz
Daniel Porpino
Germano Melo
Buda Lira
Allan Souza Lima
Arly Arnaud
Lula Terra
Clarissa Pinheiro
Valdeci Junior
Rubens Santos
Mariquinha Santos
Léo Wainer
Fabio Leal
Bruno Goya 

FICHA TÉCNICA 
Roteiro e Direção: Kleber Mendonça Filho
Produção: Emilie Lesclaux (CinemaScópio)
Produção: Saïd Ben Said e Michel Merkt (SBS, França)
Coprodução: Walter Salles (VideoFilmes) e Globo Filmes
Produtor associado: Carlos Diegues
Produção Executiva: Dora Amorim
Direção de Fotografia: Pedro Sotero e Fabrício Tadeu
Montagem: Eduardo Serrano
Direção de Arte: Juliano Dornelles e Thales Junqueira
Figurino: Rita Azevedo
Caracterização: Tayce Vale
Som direto: Nicolas Hallet
Desenho de Som: Ricardo Cutz
Distribuição no Brasil: Vitrine Filmes
Duração: 142min

Popular Posts

Google+ Followers