Our social:

quarta-feira, 15 de junho de 2016

A DISCUSSÃO DA EUTANÁSIA EM "COMO EU ERA ANTES DE VOCÊ"



A versão cinematográfica de “Como eu era antes de você”, best-seller de Jojo Moyes, chega aos cinemas em 16 de Junho. A autora, que também é a responsável pelo roteiro, apresenta a história de Will Traner (Sam Clafin), um jovem banqueiro, que após sofrer um atropelamento fica tetraplégico. O gênio difícil de Traner, que afasta todos ao redor, faz com que a família aceite contratar como cuidadora a inexperiente e excêntrica Louisa Clark (Emilia Clarke).

A simplicidade e generosidade da moça quebra a arrogância e amargura de Traner. Entretanto, ela descobre que o rapaz pretende viajar para a Suíça para se submeter ao procedimento de eutanásia. Louisa fará de tudo para que ele mude de ideia e não desista de viver. 

Dirigido por Thea Sharrock ("Henrique V"), o longa mostra os conflitos que envolvem os protagonistas e seus familiares. Apesar de abordar um tema complexo, o desenvolvimento da narrativa é suave, com romance e momentos hilários. O ator Matthew Lewis (que interpretou Neville Longbottom, na franquia Harry Potter) faz o personagem Patrick, namorado de Louisa, sempre focado em sua carreira esportiva, que espera que a moça seja a sua "bela, recatada e do lar". Entretanto, o convívio da jovem com Will Traner desencadeia uma mudança na vida dos personagens, que encaram os desafios da vida a partir de novas perspectivas, ainda que muitas situações não possam ser revertidas. 

O filme também é estrelado pela indicada ao Oscar Janet McTeer (“Albert Nobbs”, “Livre Para Amar”), Charles Dance (“O Jogo da Imitação”), Brendan Coyle (“Downton Abbey”), Stephen Peacocke (“Hercules”), Matthew Lewis (filmes “Harry Potter”), Jenna Coleman (“Dr. Who”), Samantha Spiro (“Do Inferno”), Vanessa Kirby (“Questão de Tempo”). Na produção, Karen Rosenfelt (filmes “Saga Crepúsculo”, “Max”) e Alison Owen (“Walt nos Bastidores de Mary Poppins”, “As Sufragistas”).  Sue Baden-Powell (“Elysium”, inédito “Orgulho e Preconceito e Zumbis”) é produtora executiva. 

A morte voluntária de pacientes terminais ou de casos diagnosticados como irreversíveis é um tema polêmico, já que envolve tanto o abreviamento do sofrimento do paciente quanto o  temor do uso indiscriminado da prática, a partir de decisões precipitadas.

Atualmente, além da Suíça, França, Alemanha, Áustria, Luxemburgo também permitem a eutanásia. Na Holanda e na Bélgica, a prática também é permitida em crianças, desde que os pais dêem seu consentimento e o menor entenda o resultado morte do procedimento, avaliado por uma equipe de psicólogos e médicos. Nos Estados Unidos, o suicídio assistido é permitido nos estados de Oregon,  Washington, Vermont, Montana e Texas. Na América do Sul, desde 1934, o Uruguai tolera o homicídio piedoso, apesar da prática não ser legalizada, assim como a Colômbia, desde 1997. No Brasil, a eutanásia é ilegal, porém é permitida a ortotanásia, em que o paciente pode se recusar a receber tratamentos dolorosos que tenham por objetivo tentar prolongar sua vida.

Elisabete Estumano Freire.



Imprensa (2)Trailer/Divulgação

Imprensa (3) Teaser Trailer

Popular Posts

Google+ Followers