Our social:

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

MARIGHELA E ORSON WELLES NO CANAL CURTA!







Na programação de de 25 a 29 de Janeiro no “A Vida É Curta!” será exibido uma sequência de filmes sobre cineastas. O canal exibe “A Linguagem de Orson Welles”, curta de Rogério Sganzerla sobre o cineasta Orson Welles; “Piove, Il Film de Pio”, projeto de Thiago Mendonça sobre Pio Zamuner, que dirigiu os 12 últimos filmes de Mazzaropi e depois caiu no esquecimento; e “Nelson Filma: O Trajeto do Cinema Independente no Brasil”, do diretor Luiz Carlos Lacerda, que apresenta a história do Cinema Novo a partir da obra de Nelson Pereira dos Santos.

No começo da semana, a Segunda Música, dia 25, traz a série “Ícones do Jazz”, que apresenta dois shows deErroll Garner, nos anos de 1963 e 1964. No episódio, ganha a cena também o trio formado por Eddie Calhoun, no baixo, e Kelly Martin, na bateria. Conhecido como um dos pioneiros do jazz e marcado por suas séries de improviso, Garner faz performances de canções como “Fly Me To The Moon”, “I Get A Kick Out Of You”, “Erroll´s Theme”, “Mambo Erroll” e sua composição mais conhecida, “Misty”.

Ron English, Kenny Scharf, Laurie Lipton, Frank Kozik, Tara Mc Pherson e Jonathan Levine são alguns dos nomes que ganham destaque em “Popping Up”, documentário que vai ao ar dia 26, na Terça das Artes. Rodado em cidades como Nova York, Los Angeles, São Francisco e Miami, o filme traz entrevistas e mostra a arte desses profissionais, que atuam como grafiteiros, designers de toy art e galeristas. O longa apresenta os mais diversos meios de expressão desses artistas, que estampam suas obras em gravuras, esculturas e até em roupas, caracterizando o movimento alternativo ao circuito tradicional de museus e galerias. A trilha sonora foi criada com exclusividade pelo produtor e DJ paulistano Renato Cohen.

Dirigido por Pierre Beuchot, o documentário “Claude Lévi Strauss” é a atração da Quinta do Pensamento, dia 28. O filme traz uma entrevista de 1972 feita por Jean-José Marchand com Lévi-Strauss, poucos meses antes de entrar para a Academia Francesa. No encontro, o antropólogo, professor e filósofo francês fala sobre sua trajetória e expõe seus pensamentos.

A Sexta da Sociedade, 29, traz “Marighella”. Com direção de Isa Grispum Ferraz, sua sobrinha, o longa traça o perfil histórico e afetivo do autor de “Manuel do Guerrilheiro Urbano” e principal inimigo da ditadura brasileira. Entre outros fatos marcantes da vida do líder comunista, o documentário aborda as prisões e torturas sofridas por Carlos Marighella; também pintado como mulato, baiano, poeta, amante de samba, praia e futebol.

SEGUNDA DA MÚSICA
“Ícones do Jazz – Errol Ganer” (série)
Dois concertos de Erroll Garner filmados lindamente, em 1963 e em 1964, apresentando o trio formado também por Eddie Calhoun, no baixo, e Kelly Martin, na bateria. Garner foi um dos pioneiros do jazz e este episódio mostra suas brilhantes improvisações em um set com suas músicas mais clássicas. Entre as performances do trio, estão presentes as favoritas “Fly Me To The Moon” e “I Get A Kick Out Of You”, e também originais como “Erroll´s Theme”, “Mambo Erroll” e sua composição mais conhecida, “Misty”.

Diretor: David Peck
Duração: 50 min. Ano: 2006
Exibição: 25 de janeiro, segunda-feira, às 21h
Horários alternativos: Dia 26 de janeiro, terça-feira, às 1h e às 15h/ Dia 27 de janeiro, quarta-feira, às 9h/ Dia 16 de janeiro, sábado, 5h
Classificação: Livre

TERÇA DAS ARTES
“Popping Up” (documentário)
Gravado em fevereiro e março de 2014 em Nova York, Los Angeles, São Francisco e Miami, “Popping Up” mostra entrevistas e obras de arte de artistas como Ron English, Kenny Scharf, Tara McPherson, Winston Smith, Skinner e Frank Kozik entre muitos outros, além de galeristas como Jonathan LeVine e Matt Kennedy (La Luz de Jesus). Uns chamam de lowbrow, outros de pop, a verdade é que a arte atual está definitivamente enterrando os preceitos da arte moderna, ao mesmo tempo que chega cada vez mais perto do homem comum. A arte nunca foi tão aberta e democrática como agora. Através das mais diversas formas como pintura, gravura e arte de rua, além de esculturas e objetos diversos, únicos ou múltiplos, os artistas de hoje falam diretamente com o público, evocando identificação automática através de uma estética menos hermética e criando um circuito paralelo menos elitista que o da arte institucionalizada. “Popping Up” mostra as características dos movimentos artísticos mais populares da atualidade provando que a arte hoje se integra no dia a dia e pode ser vista em diversos espaços, e mesmo fora dos museus e galerias. A trilha de “Popping Up” foi criada com exclusividade pelo produtor e DJ paulistano Renato Cohen. A edição e a câmera ficaram a cargo do videomaker americano Max Basch. A direção é de Beth Ferreira.
Diretor: Beth Ferreira
Duração: 53 min. Ano: 2014
Estreia: 26 de janeiro, terça-feira, às 23h
Horários alternativos: Dia 27 de janeiro, quarta-feira, às 3h e às 17h/ Dia 28 de janeiro, quinta-feira, às 11h/ Dia 30 de janeiro, sábado, às 11h
Classificação: Livre

QUARTA DE CINEMA
O “A Vida é Curta” desta semana exibe curtas sobre diretores de cinema
Nessa quarta o “A Vida é Curta!” tem como tema grandes cineastas e exibe “A Linguagem de Orson Welles”,“Piove, Il Film de Pio” e “Nelson Filma: O Trajeto do Cinema Independente no Brasil”. Em “A Linguagem de Orson Welles”, Rogério Sganzerla mostra a vinda do diretor hollywoodiano para o Brasil, quando ele veio filmar seu documentário “É tudo verdade”. O projeto de Orson Welles não chegou a ser concluído, porém seu filme e sua crítica política, presente no curta de Sganzerla, continua atemporal. Já “Piove, Il Film de Pio” é um curta sobre Pio Zamuner, diretor dos últimos filmes do Mazaropi. Filmado em um bar, o filme oscila entre a direção de Thiago B. Mendonça e o próprio Piove. “Nelson Filma: o Trajeto do Cinema Independente no Brasil” narra a vida de um dos maiores diretores do cinema nacional Nelson Pereira. Conhecido pelas suas adaptações cinematográficas de “Vidas Secas” e “Memórias de Cárcere”, o curta mostra a história de Nelson desde o Cinema Novo até os dias atuais.
Exibição: 27 de janeiro, quarta-feira, às 20h
Horários alternativos: Dia 28 de janeiro, quinta-feira, às 0h e às 14h / Dia 29 de janeiro, sexta-feira, às 8h
Classificação: Livre

“São Paulo Sociedade Anônima” (ficção)
Filmado em 1965, "São Paulo, Sociedade Anônima" é um dos grandes clássicos do cinema brasileiro. Com direção e roteiro de Luís Sérgio Person, o filme narra a dificuldade de Carlos (Walmor Chagas) em conciliar as pressões profissionais, às ambições de sua mulher Luciana (Eva Wilma) e à inconstância de sua amante Ana (Darlene Glória).
Diretor: Luis Sérgio Person
Duração: 111 min. Ano: 1965

Estreia: 27 de janeiro, quarta-feira, às 22h10m
Horários alternativos: Dia 28 de janeiro, quinta-feira, às 2h10 e às 16h10m / Dia 29 de janeiro, sexta-feira, às 10h10m / Dia 30 de janeiro, sábado, às 22h10m
Classificação: 14 anos

QUINTA DO PENSAMENTO
Claude Lévi-Strauss
Em 1972, pouco antes de ingressar na Academia Francesa, Lévi-Strauss dá entrevista excepcional sobre sua trajetória e seus pensamentos a Jean-José Marchand. A partir desses arquivos, em 2004, Pierre Beuchot monta o documentário, a melhor introdução à obra de Lévi-Strauss. 
Duração: 59 min. Ano: 2004
Exibição: 28 de janeiro, quinta-feira, às 23h
Horários alternativos: Dia 29 de janeiro, sexta-feira, às 3h e às 17h/ Dia 30 de janeiro, sábado, às 12h e às 21h
Classificação: Livre

SEXTA DA SOCIEDADE
“Marighella” (documentário)
Líder comunista, vítima de prisões e tortura, parlamentar, autor do mundialmente traduzido "Manual do Guerrilheiro Urbano", Carlos Marighella atuou nos principais acontecimentos políticos do Brasil entre os anos 1930 e 1969, e foi considerado o inimigo número 1 da ditadura militar brasileira. Mas quem foi esse homem, mulato baiano, poeta, sedutor, amante de samba, praia e futebol, cujo nome foi por décadas impublicável? O filme, dirigido por sua sobrinha, é uma construção histórica e afetiva desse homem que dedicou sua vida a pensar o Brasil e a transformá-lo através de sua ação.
Duração: 100 min. Ano: 2011
Exibição: 29 de janeiro, sexta-feira, às 21h30m
Horários alternativos: Dia 30 de janeiro, sábado, às 2h/ Dia 31 de janeiro, domingo, às 22h05m/ Dia 1º de fevereiro, segunda-feira, às 15h/ Dia 2 de fevereiro, terça-feira, às 9h
Classificação: Livre

Sobre o Curta!
Dedicado às artes, cultura e humanidades, o Curta! é um canal independente que acolhe a experimentação e se orgulha de ser um parceiro dos realizadores, artistas, criadores e produtores independentes. Com o compromisso de transmitir 12 horas por dia de programação nacional independente, os principais segmentos temáticos da programação são música, dança, teatro, artes visuais, meta-cinema, filosofia, literatura, história-política e sociedade.
O Curta! pode ser visto nos canais 56 da NET, 83 na GVT, 75 na Oi TV, 103 na Vivo TV e 69 na Claro TV. Siga as redes do canal nos endereços: www.facebook.com/CanalCurta, twitter.com/CanalCurta ewww.youtube.com/user/canalcurta. 


Fonte: Agência Febre.

Imprensa (2)Trailer/Divulgação

Imprensa (3) Teaser Trailer

Popular Posts

Google+ Followers