quinta-feira, 6 de outubro de 2022

TV BRASIL: Programação 07 a 09/10

 

O filme "A cidade das crianças" é um dos destaques da programação de filmes da TV BRASIL desta semana. 


Sexta (7) – 14h00 – Sessão Família: "A Cidade das Crianças" (2008) – aventura

- Sexta (7) – 22h30 / 03h45 – Cine Nacional: "Jean Charles" (2009) – drama

- Sábado (8) – 16h00 – Cine Retrô: "O Lamparina" (1964) – comédia

- Sábado (8) – 21h30 – Cine Retrô: "O Dono da Bola" (1961) – comédia

- Domingo (9) – 14h00 – Sessão Família: "Boonie Bears: O Grande Segredo" (2016) – animação

- Domingo (9) – 16h00 – Cine Nacional: "Roberto Carlos a 300 km por hora" (1971) – aventura musical

- Domingo (9) – 23h00 – Cine DOC: "Traço livre: o quadrinho independente no Brasil" (2018) – documentário

- Domingo (9) – 3h30 – Cine Retrô: "O Vendedor de Linguiça" (1962) – comédia



Sexta-feira, 7 de outubro

Sessão Família – A Cidade das Crianças

14h00, na TV Brasil

 

Título original: Les enfants de Timpelbach. País: França. Ano: 2008. Gênero: aventura, comédia, infantil. Direção: Nicolas Bary. Elenco: Raphaël Katz, Adèle Exarchopoulos, Léo Legrand, Gérard Depardieu, Carole Bouquet.

 

Na vila de Timpelbach, as crianças passam os dias a aprontar travessuras, afrontar os adultos e resistir a qualquer forma de autoridade. Até que os pais decidem deixar a aldeia, a princípio por um dia, e deixam os jovens imaginarem que todos partiram numa viagem.

 

Quando as crianças se dão conta de que não existe um só adulto na vila, eles tomam conta de tudo, fazendo suas próprias leis. Uma aldeia sem adultos soa bem a todos. Mas agora dois grupos de crianças terão que disputar o controle do lugar.

 

Reprise. 95 min.

Classificação Indicativa: Livre

 

---

 

Sexta-feira, 7 de outubro

Cine Nacional – Jean Charles

22h30, na TV Brasil

03h45, na TV Brasil (madrugada de sexta-feira, dia 7/10, para sábado, dia 8/10)

 

País: Brasil e Reino Unido. Ano: 2009. Gênero: drama. Direção: Henrique Goldman. Elenco: Selton Mello, Vanessa Giácomo, Luís Miranda, Patrícia Armani, Maurício Varlotta, Sidney Magal e Daniel de Oliveira.

 

A trama revela os últimos meses da vida do eletricista Jean Charles (Selton Mello). A produção mostra a rotina do jovem mineiro a partir da chegada de sua prima Vivian (Vanessa Giácomo), que vai morar com ele e os primos Alex (Luís Miranda) e Patrícia (Patricia Miranda), em um sobrado no sul da capital.

 

Como muitos imigrantes brasileiros, Jean faz o que pode para ter trabalho, ganhar dinheiro e se sustentar. Alheio aos atentados terroristas que ocorriam na região, o rapaz estava na hora errada e no lugar errado. Ele foi confundido com um terrorista pelos policiais que o executaram no metrô londrino.

 

A trágica morte de Jean Charles repercutiu internacionalmente. Além de comoção no Brasil, o polêmico caso alcançou notoriedade global ao ser associado equivocadamente à crescente onda de terrorismo em diversos países no mundo.

 

O filme mergulha na perspectiva humana do protagonista ao acompanhar a realidade dos imigrantes. O crime que vitimou Jean Charles abalou bastante a família do eletricista. Os primos precisaram reconstruir as vidas após a dolorosa perda em meio à luta por justiça.

 

A polícia londrina tentou encobrir o erro. As autoridades britânicas levantaram suspeitas sobre o rapaz, mas logo a verdade veio à tona: Jean Charles era inocente. O jovem residia há três anos em Londres e não tinha nenhum envolvimento com terrorismo.

 

Protagonizado por Selton Mello, o drama biográfico ainda traz no elenco artistas como Vanessa Giácomo, Luís Miranda, Sidney Magal e Daniel de Oliveira. Coprodução nacional com a Inglaterra, o longa-metragem é inspirado no caso de Jean Charles de Menezes, brasileiro que foi confundido com um terrorista e assassinado pela polícia britânica no metrô de Londres, em julho de 2005.

 

Reprise. 93 min.

Classificação Indicativa: 14 anos

 

---

 

Sábado, 8 de outubro

Cine Retrô – O Lamparina

16h00, na TV Brasil

 

País: Brasil. Ano: 1964. Gênero: comédia. Direção: Glauco Mirko Laurelli. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Manoel Vieira, Astrogildo Filho, Zilda Cardoso, Ana Maria Guimarães, Emiliano Queiroz, Carlos Garcia, Francisco de Souza, Rosemary Wong, Carla Diniz, Rafael Gallardo Tina, Agostinho Toledo, João Batista de Souza, David Cardoso, Francisco di Franco.

 

Em "O Lamparina", Amácio Mazzaropi interpreta Bernardino Jabá, um pacato homem do campo que para não se defrontar com o bando de cangaceiros de Zé Candiero acaba se disfarçando e é confundido com um deles.

 

Incrementando a farsa em que se encontrou, ele faz com que sua família inteira se passe por integrantes do seu bando e todos acabam indo parar no acampamento dos verdadeiros cangaceiros onde o "destemido" Lamparina vai ter que mostrar que é um cabra valente de verdade.

 

Depois de ficar preso um ano na cadeia, ele assusta os habitantes da cidade de Sororóca que pensavam que estava morto e que agora é uma "assombração". Com figurinos marcantes e direção de Glauco Mirko Laurelli, o longa tem no elenco, além de Mazzaropi, Geny Prado e Emiliano Queiroz.

 

Reprise. 91 min.

Classificação Indicativa: 10 anos

 

---

 

Sábado, 8 de outubro

Cine Retrô – O Dono da Bola

21h30, na TV Brasil

 

País: BrasilAno: 1961. Gênero: comédia. Direção: J.B. Tanko. Elenco: Ronald Golias, Grande Otelo, Norma Blum, Vera Regina, Carlos Imperial, Costinha, Perry Salles, Armando Nascimento, César Viola, Luiz de Carvalho, Valença Filho, Hélio Colona.

 

Ao entrar em um mercadinho que anuncia a degustação grátis de alimentos, o carregador de placas Carlos da Silva Bronco (Ronald Golias) conhece a demonstradora Eva (Norma Blum), que lhe revela ser participante de gincanas no programa 'O Dono da Bola', do canal 70.

 

Malandro carioca, Bronco gosta de viver na "moleza". Assistindo à televisão, Bronco e sua amiga, a doméstica Clarinha (Vera Regina), ficam sabendo que ele foi indicado para substituir Eva, eliminada na última fase do concurso.

 

Bronco resolve participar da disputa não pelo prêmio de 500 mil cruzeiros, mas para ajudar Bebeco, o avô de Eva. Apaixonado por Eva, Bronco precisa lidar com um revés amoroso. A moça está atraída pelo amigo dele, Fernando (Perry Salles), produtor de TV. Bronco pela ao colega que contrate Eva. Ela presencia Fernando com diversas namoradas, mesmo assim fica encantada com o seu charme.

 

Mesmo assim, o rapaz quer vencer o programa para receber o valor em dinheiro e doá-lo à família que passa por dificuldades financeiras. Eva e o avô estão perdendo a casa onde moram para a Imobiliária Fortuna. Os dois serão despejados do local em que a empresa pretende construir um edifício.

 

Para conquistar o prêmio, Bronco terá que derrotar um oponente à altura. Ele precisa superar o Ronaldo (Carlos Imperial) em quatro tarefas. O adversário tem costas quentes: além de sobrinho do dono da Imobiliária Fortuna, Ronaldo conta com a ajuda de Arquibaldo (Costinha). A dupla de trapaceiros está disposta a tudo para ganhar.

 

Na nova etapa da gincana, eles têm várias tarefas a serem executadas. Bronco e Ronaldo devem subir de jipe as escadas do Departamento Nacional de Produção Mineral do Rio de Janeiro, e levar um esportista famoso ao auditório do programa. Os desafios foram cumpridos com êxito pelos concorrentes.

 

A próxima atividade que os competidores devem realizar também é complicada. Na última fase da prova, Bronco e Ronaldo têm que conseguir levar um artista famoso ao programa. A personalidade acaba sendo o ator Grande Otelo, interpretado por ele próprio.

 

Enquanto isso, não resistindo à insistência de Fernando, Eva aceita ficar noiva dele, evitando sempre as investidas dos malandros Arquibaldo e Ronaldo. Com o tempo, Eva percebe que Fernando não consegue ficar longe das outras garotas e, por isso, resolve romper o noivado.

 

A competição entre Bronco e Ronaldo continua no concurso de tevê. A última tarefa da gincana é localizar Voluntário, o cachorro da Banda dos Fuzileiros Navais que está desaparecido. Bronco precisará superar as trapaças dos adversários para ganhar a disputa e conquistar o amor de Eva.Com a ajuda de Fernando, ele vence e conquista o prêmio. No final, Eva se declara a Bronco, na presença de Fernando e do avô.

 

Reprise. 90 min.

Classificação Indicativa: 10 anos

 

---

 

Domingo, 9 de outubro

Sessão Família – Boonie Bears: O Grande Segredo

14h00, na TV Brasil

 

Título original: Boonie Bears: The Big Top Secret. País: China. Ano: 2016. Gênero: animação. Direção: Leon Ding.

 

O urso Briar fica frustrado com seus amigos e está infeliz com a vida que leva. Para mudar o rumo, decide se juntar a um circo itinerante quase falido que é comandado pelo gorila Hugo. Bem recebido pelo grupo, ele se sente em casa e traz uma nova energia ao show da trupe.

 

Com seu jeito alegre, Briar logo conquista novas amizades e traz fama no local. O reconhecimento, porém, pode prejudicar os planos do urso já que cria a possibilidade de Briar ser encontrado. Ele não deseja ser descoberto para não estragar sua nova vida que considera perfeita.

 

A magia do picadeiro faz com Briar que não tenha saudades de casa, mas essa sensação pode durar apenas algum tempo... Enquanto isso, Bramble, o irmão de Briar, e seus amigos da floresta estão preocupados a sua procura. Todos estão desesperados para encontrá-lo e finalmente levá-lo para casa.

 

A animação "Boonie Bears: O Grande Segredo" é o terceiro longa-metragem da franquia que faz sucesso entre o público infantil. Lançada em 2016, esta parte da sequência da produção para a garotada traz uma série de personagens encantadores que envolvem as crianças de muitos países.

 

Reprise. 98 min.

Classificação Indicativa: Livre

 

---

 

Domingo, 9 de outubro

Cine Nacional – Roberto Carlos a 300 km por hora

16h00, na TV Brasil

 

País: Brasil. Ano: 1971. Gênero: aventura, musical. Direção: Roberto Farias. Roteiro: Bráulio Pedroso e Roberto Farias. Elenco: Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Raul Cortez, Mário Benvenuti, Libânia Almeida, Cristina Martinez, Antônio Carlos Avallone, José Renato Catapani, Joberte dos Santos, Olga Mary Hanada,

Cacilda Rita de Jesus, Beatriz Assumpção, Irina Ostasevic, Zélia Borges, Rita Olívia Veloso, Wanda Reiff, Reginaldo Faria, Flávio Migliaccio, Otelo Zeloni, Walter Forster.

 

Lalo (Roberto Carlos) e Pedro (Erasmo Carlos) são mecânicos que trabalham na oficina de Rodolfo (Raul Cortez), piloto de fama internacional no automobilismo. Lalo é fã de corridas e Pedro domina várias técnicas de pilotagem. Os dois utilizam carros de clientes para dirigir sem o conhecimento do patrão.

 

Pressionado pela namorada Luciana (Libânia Almeida) e pela imprensa, Rodolfo decide participar da Copa Brasil, prova a ser realizada no Autódromo de Interlagos. O experiente piloto não corre desde um acidente que o deixou abalado. Para competir, o veterano financia a construção de um moderno protótipo.

 

Já a dupla Lalo e Pedro segue a rotina de trabalho na concessionária sempre em busca de uma chance para guiar um veículo potente. Luciana costuma visitar a oficina para ver o amado e em uma dessas idas ao local, Lalo e ela se conhecem.

 

Depois das primeiras voltas, sob o olhar da jovem, Rodolfo reclama do carro e marca nova data para treinar. A sorte parece a favor dos mecânicos. Com o automóvel de um cliente e o auxílio do amigo Pedro, Lalo consegue ser veloz e bate o recorde da pista.

 

Em outro dia, Rodolfo tenta novamente dirigir. O piloto dá mais voltas na pista com o seu modelo exclusivo, mas sente um mau pressentimento e reconhece que ainda não superou o trauma. Irritado, ele briga com a namorada e viaja para afogar as mágoas na Europa.

 

Com a desistência do chefe, Pedro planeja colocar Lalo para correr no lugar do patrão na prova que será disputada no circuito paulista. Ele consegue evitar que a inscrição seja cancelada pela secretária Neusa (Cristina Martinez). Ainda convence os funcionários da oficina a não divulgarem a decisão à imprensa.

 

Ao se preparar para a corrida, Lalo experimenta o protótipo de Rodolfo, fabricado especialmente para a Copa Brasil. O tímido mecânico se apaixona pela jovem Luciana que acompanhava os treinos. A situação envolvendo a namorada do chefe deixa o protagonista em conflito emocional.

 

Com a ajuda do motorista Luigi (Flavio Migliaccio), que conduz um caminhão, Lalo e Pedro levam o carro novamente a Interlagos para treinar. O mecânico corre às escondidas durante a madrugada na pista de Interlagos para estar pronto para a competição.

 

No dia da prova, Lalo finge ser Rodolfo e alinha o carro no grid de largada. A suposta presença o astro causa grande alvoroço entre o público e os profissionais da imprensa. A farsa é descoberta apenas no decorrer da corrida. Pedro informa a identidade do piloto à organização do GP.

 

Os dirigentes da Copa Brasil cogitam desclassifica-lo, mas reavaliam a medida ao observar o desempenho surpreendente do estreante. Com uma pilotagem arrojada, o mecânico tem uma performance incrível, ultrapassa os concorrentes e lidera a disputa para garantir a vitória. Luciana vai à festa de comemoração e celebra com o ganhador.

 

Estrelada por Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Raul Cortez, a produção traz para o elenco uma série de personalidades da dramaturgia brasileira para realizar participações especiais na trama. A película conta com a brilhante atuação dos atores Reginaldo Faria, Flávio Migliaccio, Otelo Zeloni e Walter Forster.

 

O filme "Roberto Carlos a 300 km por hora" (1971) está entre as 65 maiores bilheterias do cinema brasileiro de todos os tempos com um público superior a 2,7 milhões de pessoas nas salas do circuito nacional na época de seu lançamento.

 

Com direção de Roberto Farias e roteiro de Bráulio Pedroso, o longa-metragem é o menos musical da trilogia de clássicos da sétima arte intitulados pelo 'rei ' e também é o único deles em que o artista não interpreta a si próprio. O artista vive um mecânico que trabalha em uma concessionária de carros.

 

Roberto Carlos gostaria de privilegiar a perspectiva como intérprete de um personagem em detrimento da performance como cantor e compositor. Ainda assim, a trilha sonora reúne clássicos da obra do ídolo como as músicas "De tanto amor" e "Todos estão surdos", ambas parcerias com o Tremendão.

 

As cenas de corrida foram realizadas durante a Copa Brasil no circuito de Interlagos. Roberto Carlos fez questão de acelerar os modelos Dodge Charger R/T e o Chrysler Avallone em Interlagos. A produção valoriza os trechos em que o artista dirige carros.

 

Essas movimentadas sequências com roco de motores e fumaça saindo dos pneus tiveram a assessoria técnica do piloto brasileiro Antônio Carlos Avallone. Com muita experiência em corridas e carreira internacional em modalidades do automobilismo, ele trouxe contribuições técnicas para a filmagem.

 

O esportista inclusive interpretou o papel de Pietro Antonioni, piloto italiano impaciente que era o maior rival, nas pistas, do protagonista Lalo, vivido por Roberto Carlos. Os personagens disputaram a liderança na prova com muita garra e força no braço para controlar os veículos na briga pela vitória.

 

Inédito. 100 min.

Classificação Indicativa: Livre

 

---

 

Domingo, 9 de outubro

Cine DOC – Traço livre: o quadrinho independente no Brasil

23h00, na TV Brasil

 

País: Brasil. Ano: 2018. Gênero: documentário. Direção: Jun Sakuma. Roteiro: Jun Sakuma e Felipe Folgosi. Apresentação: Felipe Folgosi.

 

Apresentado pelo ator e roteirista Felipe Folgosi, que escreve o roteiro do filme junto com o diretor Jun Sakuma, o documentário "Traço livre: o quadrinho independente no Brasil" mostra um panorama sobre o universo da arte sequencial das histórias em quadrinhos independentes no país.

 

O longa-metragem registra cada etapa da produção de uma HQ. Conhecida como a nona arte, as histórias em quadrinhos representam uma área em expansão.

 

O doc acompanha cada passo dos profissionais do segmento, desde a concepção da ideia inicial, passando pelo roteiro, artes, editoração até o lançamento. Por meio de entrevistas com personalidades do ramo, a película ainda revela bastidores, segredos e anseios de quem produz quadrinhos atualmente no Brasil.

 

O documentário nacional em cartaz na TV Brasil destaca os profissionais que desenvolvem suas obras de maneira independente. Com muito esforço e persistência, quadrinistas, roteiristas, editores, professores e jornalistas mostram como o uso do traço pode abrir portas. Eles explicam os desafios e as realizações na concretização de obras que repercutem junto a um público fiel e diverso.

 

Reprise. 82 min.

Classificação Indicativa: 12 anos

 

---

 

Domingo, 9 de outubro

Cine Retrô – O Vendedor de Linguiça

03h30, na TV Brasil (madrugada de domingo, dia 9/10, para segunda-feira, dia 10/10)

 

País: Brasil. Ano: 1962. Gênero: comédia musical. Direção: Glauco Mirko Laurelli. Argumento e produção: Amácio Mazzaropi. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Roberto Duval, Maximira Figueiredo, Amilton Fernandes, Carlos Garcia, David Neto, Maria Helena Rossignolli, Anita Sorrento.

 

O humorista Amácio Mazzaropi interpreta o personagem Gustavo, um vendedor de linguiça que, para conquistar sua freguesia, tem de ralar muito. Em meio a problemas com a família, vizinhos, e cachorros que adoram roubar suas linguiças, o comediante vive um banquete de situações engraçadas que vão fazer o público chorar de tanto rir.

 

O vendedor ambulante de linguiças sai todos os dias com seu filho Dudu (Carlos Garcia) a bordo de um pequeno caminhão e percorre os bairros da periferia de São Paulo oferecendo seu produto.

 

Flora (Maximira Figueiredo), filha de Gustavo, trabalha como empregada doméstica para patrões ricos e quando eles viajam, resolve passear pela cidade usando as roupas daquela família.

 

Durante esse passeio, a moça conhece o milionário Pierre (Amilton Fernandes) e ambos começam um namoro. Flora pega outras roupas dos seus empregadores e dá ao pai e ao irmão Dudu, para fazer com que eles se passem por uma família rica.

 

A mentira é descoberta e todos vão parar na polícia enquanto Pierre sabe da verdade sobre a namorada através dos jornais. Mesmo assim, ele quer continuar o namoro, mas a família dele tenta impedi-lo.

 

Entre as canções que fazem parte dos números musicais do filme estão "O Linguiceiro" e "Mocinho Lindo", interpretadas por Mazzaropi; "Olhar de saudade", cantada por Pery Ribeiro; "Não ponha a mão", entoada Elza Soares; e "Poema do adeus", na voz de Miltinho.

 

Reprise. 95 min.

Classificação Indicativa: 12 anos


Fonte: Fernando Chaves/ Divulgação EBC

 


SHARE THIS

0 comentários:

AGENDA (Festivais, mostras, concursos)

EVENTOS (Teatro, música, audiovisual)

ARTES E ARTISTAS (EVENTOS, LANÇAMENTOS, CURSOS)

LITERATURA (Eventos, Lançamentos, Dicas de leitura)

CINECLUBES (PROGRAMAÇÃO, EVENTOS)

Arquivo do blog

Cloud Labels

especiais (105)