Previous
Next

terça-feira, 3 de agosto de 2021

Belas Artes À La Carte apresenta festival 'O Novíssimo Cinema da Paraíba' em agosto

Belas Artes À La Carte apresenta festival 'O Novíssimo Cinema da Paraíba' em agosto

 


segunda-feira, 2 de agosto de 2021

'ANA, sem título', novo filme de Lucia Murat, em cartaz nos cinemas

'ANA, sem título', novo filme de Lucia Murat, em cartaz nos cinemas

 



O documentário-ficção, 'Ana. Sem título', dirigido por Lúcia Murat, que teve sua première no Festival Internacional de Cinema de Moscou, está em cartaz desde o dia 29 de julho nos cinemas. O longa, que foi selecionado para a 44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, apresenta a trajetória de uma artista plástica brasileira, símbolo de resistência e liberdade dos massacrados pelo regimes militares e ditatoriais da América Latina. 

A história de Ana surgiu a partir das investigações de Stella, atriz que decidiu fazer um trabalho de pesquisa sobre as cartas trocadas entre artistas e ativistas latino-americanos e com atuação política entre os anos 70 e 80. Com a ajuda de Lúcia Murat, Stella tenta descobrir quem era Ana e o que aconteceu com a artista. Juntas, elas entrevistam pessoas que conviveram com a brasileira e descobrem registros inéditos. Stella viaja para Cuba, México, Argentina e Chile, onde se depara com outras histórias de desaparecidos políticos e tem um encontro com as mães da Praça de Maio, na Argentina.   

Livremente inspirado na peça "Há mais futuro que passado", o filme é um road-movie construído de modo delicado, trabalhando com a noção de qual o limiar entre o real e o imaginário. O filme nos traz a seguinte reflexão: Será que nós conseguimos distinguir quando o imaginário se torna tão factível quanto o real, espelho refletido de uma memória ainda obscurecida pelo não dito, pelas dolorosas experiências vividas por aqueles que foram silenciados pela violência?

Com argumento de Lúcia Murat e roteiro em parceria com Tatiana Salem Levy, o documentário apresenta a figura de uma personagem central, pensada como símbolo de uma realidade histórica. O referencial é a memória dolorosa de um povo, de um continente marcado pela violência das ditaduras militares na América Latina. Deste modo, a diretora faz uma viagem no espaço-tempo em que o hoje e o ontem se entrecruzam, para relembrar um passado tenebroso, tentando alertar e evitar que ele se repita no futuro. 

O longa é inspirador e, ao mesmo tempo, uma reflexão sobre o exercício do poder conscientizador que se pode obter a partir do fazer cinematográfico.


Elisabete Estumano Freire. 



FICHA TÉCNICA 

Direção e argumento: Lucia Murat 

Roteiro: Lucia Murat e Tatiana Salem Levy 

Produção: Lucia Murat e Felicitas Raffo 

Direção de fotografia: Léo Bittencourt 

Montagem: Mair Tavares e Marih Oliveira 

Som direto: Andressa Clain Neves 

Edição de som: Simone Petrillo e Ney Fernandes 

Trilha sonora: Livio Tragtenberg 

Mixagem: Emmanuel Croset 

Livremente inspirado na peça “Há mais futuro que passado” 






Fonte: Primeiro Plano - Anna Luisa Muller/ Marcela Salgueiro


sexta-feira, 30 de julho de 2021

FESTIVAL DO RIO REALIZA PREMIÈRE BRASIL 2020 EM VERSÃO PRESENCIAL E ONLINE

FESTIVAL DO RIO REALIZA PREMIÈRE BRASIL 2020 EM VERSÃO PRESENCIAL E ONLINE

 



Longas e curtas inéditos serão exibidos de 5 a 15 de agosto no Estação Net Botafogo e na InnSaei.TV


O Festival do Rio estará presente em todo o segundo semestre de 2021. Haja coração de cinéfilo. Julho foi o mês da primeira edição especial on-line do Festival do Rio em parceria com o Telecine. Em agosto, dos dias 5 a 15, acontece a Première Brasil 2020. Sim, 2020. Com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, o Festival do Rio apresentará uma seleção de 45 filmes entre os inscritos no ano passado. Em setembro próximo, o Festival realiza ações especiais em algumas Lonas e Arenas Culturais da cidade. E, em novembro, acontece a edição completa em versão híbrida, com o formato que o público ama.

- Realizar um evento híbrido, presencial e virtual, com a seleção que fizemos dos filmes inscritos no ano passado é uma forma de valorizar os profissionais envolvidos e dar uma plataforma de divulgação para os títulos. Será uma semana inteira dedicada exclusivamente à Première Brasil – comenta Ilda Santiago, Diretora-Executiva e de Programação do Festival. – As medidas para combate à pandemia da Covid-19 nos impediram de realizar o festival em 2020, e também suspenderam parcialmente a produção e o lançamento dos filmes brasileiros. Agora é o momento de reocuparmos os espaços da cidade e as telas dos cinemas e o Festival do Rio, mais uma vez, vai abraçar esta retomada.

A Première Brasil 2020 acontece de 5 a 15 de agosto no Estação Net Botafogo, no Rio de Janeiro e na plataforma Innsaei.tv, com a versão virtual dos filmes. A seleção traz 20 longas - 12 de ficção e 8 documentários - e 25 curtas. Cada longa terá uma sessão presencial e ficará disponível na plataforma a partir do dia seguinte; e os curtas estarão reunidos em programas, também com sessões únicas e a oferta online já no mesmo dia. O acesso é gratuito, no cinema – com lugares limitados - e na plataforma.

- Com a reabertura dos cinemas, que estão operando com os protocolos sanitários necessários para a segurança e bem-estar, acreditamos que é uma oportunidade de oferecer esses filmes em tela grande e em uma plataforma importante para o mercado e para o público como é a Première Brasil – diz Vilma Lustosa, Diretora de Marketing do Festival do Rio. – E comemoramos a volta do apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro e do Prefeito Eduardo Paes. 

Em setembro, o Festival do Rio vai além das salas de cinema, oferecendo filmes especialmente escolhidos para ações em algumas Lonas e Arenas Culturais da Prefeitura do Rio de Janeiro. A estratégia do Festival do Rio é estar presente na vida do público de cinema e da cidade ao longo de todo o ano. No primeiro semestre de 2021, o Festival do 

Rio ganhou mostras especiais, em abril, no Canal Brasil (filmes de ficção brasileiros) e em maio/ junho, no Canal Curta / Curta OM (documentários brasileiros). Em julho, foi a vez da programação especial de filmes inéditos internacionais em parceria com o Telecine, uma ação online em formato inovador. 


Como assistir

Todas as exibições on-line e presenciais serão gratuitas. As sessões presenciais ocorrem de 5 a 11 de agosto somente no Estação Net Botafogo. Devido aos protocolos sanitários vigentes, o número de ingressos disponíveis será limitado e entregues na bilheteria, sempre no mesmo dia da sessão.

De 06 a 15 as sessões online acontecem na InnSaei.tv. As sessões online dos longa-metragens entram em cartaz no dia seguinte à sessão presencial e ficam disponíveis por, no máximo, 48 horas, dentro do limite de exibições de cada filme. As sessões online dos curtas estreiam no mesmo dia da sessão presencial no Estação Net Botafogo, e também ficarão disponíveis por 48 horas.

Confira a programação completa em breve no site do Festival do Rio.


Première Brasil – Os 45 filmes selecionados

Longas de ficção:

A Morte Habita à Noite, de Eduardo Moroto - 94 minutos

Um Animal Amarelo, de Felipe Bragança - 115 minutos

Casa de Antiguidades, de João Paulo Miranda Maria - 93 minutos

Curral, de Marcelo Brennand - 86 minutos

Desterro, de Maria Clara Escobar - 123 minutos

Doutor Gama, de Jefferson De - 80 minutos

King Kong En Asunción, de Camilo Cavalcante - 90 minutos

Longe do Paraíso, de Orlando Senna - 106 minutos

Meu nome é Bagdá, de Caru Alves de Souza - 99 minutos

O Silêncio da Chuva, de Daniel Filho - 96 minutos

Pajeú, de Pedro Diógenes - 74 minutos

Valentina, de Cássio Pereira dos Santos - 95 minutos


Longas Documentários:

#eagoraoque, de Jean-Claude Bernardet e Rubens Rewald - 71 minutos

Chico Rei Entre Nós, de Joyce Prado - 94 minutos

Depois da Primavera, de Isabel Joffily e Pedro Rossi - 86 minutos

Limiar, de Coraci Ruiz - 75 minutos

Luz Acesa, de Guilherme Coelho - 69 minutos

Para onde voam as feiticeiras, de Eliane Caffé, Carla Caffé e Beto Amaral - 90 minutos

Quadro negro, de Bruno F. Duarte e Silvana Bahia - 62 minutos

Vil má, de Gustavo Vinagre - 90 minutos


Curtas-metragem:

4 Bilhões de Infinitos, de Marco Antônio Pereira - 14 minutos

A Morte Branca do Feiticeiro Negro, de Rodrigo Ribeiro - 10 minutos

Amanhã, de Aline Flores e Alexandre Cristófaro - 18 minutos

Atordoado, Eu Permaneço Atento, de Henrique Amud e Lucas H. Rossi dos Santos - 15 minutos

Blackout, de Rossandra Leone - 19 minutos

Célio's Circle, de Diego Lisboa - 10 minutos

Ela que mora no andar de cima, de Amarildo Martins - 14 minutos

Enraizadas, de Gabriele Roza e Juliana Nascimento - 14 minutos

Fotos Privadas, de Marcelo Grabowsky - 12 minutos

Gilson, de Vitória Di Bonesso - 5 minutos

Lacrimosa, de Matheus Heinz - 11 minutos

Mãtãnãg, A Encantada, de Shawara Maxakali e Charles Bicalho - 14 minutos

O Barco e O Rio, de Bernado Ale Abinader - 17 minutos

O Ciclope, de Gulherme Cenzi e Pedro Achilles - 9 minutos

O Prazer de Matar Insetos, de Leonardo Martinelli - 10 minutos

Portugal Pequeno, de Victor Quintanilha - 19 minutos

Rafameia, de Mariah Teixeira e Nanda Félix - 24 minutos

Rasga Mortalha, de Thiago Martins de Melo - 14 minutos

República, de Grace Passô - 15 minutos

Rosário, de Igor Travassos e Juliana Soares - 18 minutos

Terra Dormente, de Antônio Farias - 21 minutos

Um Filme de Quarentena, de Miguel Chaves e Jessica Linhares - 11 minutos

Vitória, de Ricardo Alves Jr - 14 minutos

Você Tem Olhos Tristes, de Diogo Leite - 19 minutos

Yaõkwa – Imagem e memória, de Vincent Carelli e Rita Carelli - 21  minutos



Sobre o Festival do Rio

O Festival do Rio é o maior da América Latina. Desde sua criação, foram exibidos 7 mil longas, incluindo filmes recém-premiados em festivais e mostras internacionais como Cannes, Berlim, Toronto, Veneza e outros. Formador de público mas também de mão de obra, o Festival do Rio capacitou mais de 7 mil profissionais. Anualmente o Festival reúne os filmes exibidos nos mais importantes festivais mundiais, além de mostras temáticas e sessões populares. Distribuídos em diferentes mostras, incluindo a competitiva Première Brasil, os filmes nacionais compõem também parte importante do festival, que é a maior vitrine da cinematografia brasileira.


Sobre a InnSaei.TV

Lançada em agosto de 2020, a plataforma de streaming e programação ao vivo InnSaei.TV foi desenvolvida por Bia Ambrogi e Fernanda Senatori, com tecnologia de ponta para uma segunda onda de inovação na indústria. Pensada para mudar o rumo do setor, a InnSaei.TV é 100% nacional e está disponível para todas as telas e com aplicativo para iOS e Android, para celular, tablet e SmarTV. Conhecida como a Casa dos Festivais, a InnSaei.TV hospeda a maior parte dos festivais brasileiros em suas versões online, entrando agora também no mercado Sulamericano. A plataforma também oferece conteúdo diverso, canais temáticos, ao vivo, speeches, festivais de cinema, séries e shows fazem parte da programação da plataforma. A InnSaei.TV tem cadastro gratuito, com conteúdos abertos, outros fechados por assinatura ou em formato pay-per-view. www.innsaei.tv




Siga as redes sociais do Festival do Rio

Instagram

Twitter


FONTE: Liliam Hargraeves/ Tatiana Garritano /Cláudia Belém


AGENDA (Festivais, mostras, concursos)

EVENTOS (Teatro, música, audiovisual)

ARTES E ARTISTAS (EVENTOS, LANÇAMENTOS, CURSOS)

LITERATURA (Eventos, Lançamentos, Dicas de leitura)

CINECLUBES (PROGRAMAÇÃO, EVENTOS)

Arquivo do blog

Cloud Labels

especiais (96)