sábado, 26 de outubro de 2019

Cineclube Sala Escura - Sessão Latina Cinemateca :'Dias de odio', de Leopoldo Torre Nilsson :: Dia 30/10, às 18h30

Dia 30 de Outubro de 2019
Quarta-feira, às 18h30min

Cinemateca do MAM
Av. Infante Dom Henrique, 85
Parque do Flamengo – Rio de Janeiro

ENTRADA GRATUITA

O Cineclube Sala Escura exibe um filme, baseado em um célebre conto de Jorge Luis Borges, que celebrizou o cineasta Torre Nilsson em seu começo de carreira.

Días de odio
Argentina, 1954
65min, P&B, leg. em Português
Direção e Roteiro: Leopoldo Torre Nilsson
Argumento: Jorge Luis Borges
Produção: Armando Bó
Fotografia: Enrique Walfisch
Som: Germán Szulem
Montagem: Rosalino Caterbetti
Música: José Rodríguez Fauré
Elenco: Elisa Galvé, Nicolás Fregues, Raúl del Valle, Duilio Marzio, Virginia Romay

Quando o ódio se converte em princípio. Emma Zunz é uma jovem solitária que, em certo dia, recebe uma carta que lhe noticia que seu pai se suicidou em uma prisão no Brasil. A partir de então, arquiteta uma vingança contra o empresário Plesner, ex-colega de trabalho de seu pai, a quem Emma atribui a responsabilidade pelo desfalque que motivou o encarceramento de seu pai e a ruína de sua família. Adaptação do célebre conto Emma Zunz, de Jorge Luis Borges, do livro El Aleph, publicado pela primeira vez em 1949 e que se converteu em uma das mais famosas histórias de vingança da literatura argentina.

Leopoldo Torre Nilsson foi um dos mais importantes cineastas latino-americanos, um artista fundamental na passagem do cinema clássico para o cinema moderno nas cinematografias latino-americanas. Nascido em Buenos Aires, em 1924, foi criado no meio cinematográfico, pois seu pai é o cineasta Leopoldo Torres Ríos. Estreia na direção com El crimen de Oribe (1950), mas é a partir de La casa del ángel (1957), que inicia a parceria com a sua esposa, a escritora e dramaturga Beatriz Guido, no roteiro. Ganha notoriedade internacional ao ganhar o prêmio da crítica em Cannes por La mano en la trampa (1961). Devido ao seu trânsito no meio literário argentino, adapta para as telas obras de vários escritores, como Borges, Arlt, Puig e Bioy Casares. Falece em Buenos Aires, em 1978. 

Cineclube Sala Escura é uma atividade de extensão da Plataforma de Reflexão sobre o Audiovisual Latino-Americano (PRALA), vinculada ao Laboratório de Investigação Audiovisual (LIA) da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Realização:

     


FONTE: CINECLUBE SALA ESCURA

SHARE THIS

0 comentários:

Popular Posts

Cloud Labels

especiais (77)