Our social:

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Mostra do Filme Livre de 25 a 30 de maio, na UFF, com 12 filmes e entrada franca


A Mostra do Filme Livre (MFL) se transformou, nos últimos anos, na maior mostra audiovisual do Brasil, exibindo a cada edição mais de 200 filmes brasileiros em várias capitais. Os filmes desta edição compõem um caleidoscópio do país que nos tornamos, que somos, com tudo de positivo e negativo que este painel carrega, visto que o Brasil é cheio de contradições, muitas delas seculares. Pelo Brasil adentro são feitos filmes que buscam trazer à tona questões que muitas vezes incomodam, sejam elas estética ou políticas. 
O cinema livre trata dessa vertente do cinema nacional, de modo que a MFL nasceu e segue viva para exibir e pensar o que de mais original, exótico, poético e subversivo os brasileiros têm sido audiovisualmente.


Dia 25, sexta – Curta + Longa

IMPROVISO AMBULANTE
Brasil, 2017, 18’, livre
De Leandro Aragão

O documentário investiga o fenômeno da improvisação, procurando superar os preconceitos em torno de sua aparente precariedade. Explora-se a ideia de que o ato de improvisar possa ser, antes de mais nada, um mecanismo inerente à natureza humana no sentido de buscar soluções e recursos novos, criando novos saberes, científicos ou não.

FERNANDO
Brasil, 2017, 71’, livre
De Julia Ariani, Paula Vilela e Igor Angelkorte
Com Fernando Bohrer e Rubens Barbot

Misturando realidade e ficção, o professor e artista Fernando, um brasileiro de 74 anos, é provocado a interpretar sua própria vida e rotina. E, mesmo passando por um momento em que sua saúde está gravemente abalada, toca o seu cotidiano e seus projetos artísticos, sem interrupção.

Dia 26, sábado – Curta + Longa

HISTORIOGRAFIA
Brasil, 2017, 4’, 12 anos
De Amanda Pó

Levanta uma indagação: Por quem foi escrita a História, na qual homens são sempre protagonistas?

O DESMONTE DO MONTE
Brasil, 2017, 85’, 10 anos
De Sinai Sganzerla

O documentário aborda a história do Morro do Castelo, seu desmonte e arrastamento. O Morro do Castelo, ou  a 'Colina Sagrada' , foi o local de fundação da Cidade do Rio de Janeiro e, apesar de sua importância histórica, foi destruído em reformas urbanísticas com o intuito de 'higienizar' a cidade.



Dia 27, domingo – Curta + Longa – 16 anos

UNTITLED REGGAE SONG
Brasil, 2017, 2’, Livre
De Chico Serra
Com Mario Travassos, Chico Serra, Leo Alves

Quando não tenho nada pra fazer, tenho que cantar, e quando não tem música, eu chamo Mario Travassos. Deus o abençoe, pois ele compôs esta canção, e então agora eu posso cantá-la.

ABAIXO A GRAVIDADE
Brasil, 2017, 104’, 16 anos
De Edgard Navarro
Com Everaldo Pontes, Rita Carelli, Bertrand Duarte, Ramon Vane e Fabio Vidal

Bené dedicou muitos anos de sua vida em busca de sua evolução espiritual, numa pequena cidade do interior. Com isso, tem feito grande progresso e está totalmente integrado na comunidade, mas será posto à prova quando conhecer Letícia e for trazido para o submundo da cidade grande.



Dia 28, segunda – Curta + Longa

CONTINENTE PERDIDO
Brasil, 2017, 12’, livre
De Luiz Gustavo Duarte e Leo Duarte
Com Felippe Alvaro

O que vou te contar muito poucas pessoas o sabem. No Pacífico, também existia um continente: A mãe Terra, desaparecida no oceano. A ilha mãe: Mu!

NAVIOS DE TERRA
Brasil/Taiwan, 2017, 70’, livre
De Simone Cortezão

Há anos a montanha é deslocada entre dois países, Brasil e China. Rômulo, ex- minerador e agora marinheiro, segue levando parte da montanha e indo ao encontro de outra. Na imensidão do mar, ele conhece outros viajantes e, em momentos febris, encontra as memórias e o espírito da terra. Num cotidiano atravessado por outras línguas que ele não fala, mesmo sem entender, as conversas em desencontro acontecem. Assim, Rômulo vai enfrentar dias lentos na imensidão do oceano até o outro continente.



Dia 29, terça – Curta + Longa

CRISE DE REPRESENTAÇÃO
Brasil, 2016, 3’, livre
De Pablo Pabllo

DIÁRIOS DE CLASSE
Brasil, 2017, 72’, livre
De Maria Carolina da Silva e Igor Souza

Frequentando salas de aula de alfabetização para adultos em escolas na periferia e no presídio feminino em Salvador, os diretores do documentário encontram as histórias de três mulheres que buscam sobreviver em um sistema que insiste em apagar suas vidas.



Dia 30, quarta – Curta + Longa

TANTÃO E OS FITA (LÁ VEM A DIREÇÃO)
Brasil, 2017, 4’, livre
De Gabraz Sanna
O fim de semana de Tantão, músico e artista plástico icônico do underground carioca desde a década de 80, é registrado nesse documentário, focando em suas lembranças pessoais e no impacto providencial da fundação Black Future em sua vida.    

EU SOU O RIO
Brasil, 2017, 78’, 12 anos
De Anne Santos e Gabraz Sanna

____________________________




Gerência de Comunicação

Renata Cunha/Maria Léa/ Fernando Schuenck