Our social:

segunda-feira, 21 de maio de 2018

CONFIRA A SEMANA DE FILMES DA TV BRASIL (21 a 27 de Maio)

Entre os destaques, o filme "Augustas" do cineasta Francisco César Filho.



"Circus"
Segunda-feira, 21 de maio, às 23h45

Depois de dar à luz um bebê de pele negra, uma artista circense americana se torna vítima de racismo e é obrigada a viver dentro dos limites do circo. Porém, encontra refúgio, amor e felicidade na União Soviética. Seu bebê é prontamente acolhido pelo povo soviético.
O ponto alto do filme é a cena da canção de ninar, interpretada por representantes das várias etnias que compunham o país, conotando a URSS como nação multirracial e sem racismo.

94 min. Ano: 1936. País: União Soviética. Gênero: musical, drama. Idioma: russo. Direção: Grigori Aleksandrov e Isidor Simkov. Roteiro: Grigori Aleksandrov. Elenco: Lyubov Orlova, Vladimir Volodin, Sergei Stolyarov, Pavel Massalsky, James Patterson.

-----
Augustas”
Terça-feira, 22 de maio, às 23h45 (reprise no sábado, às 3h)

Na mítica Rua Augusta em São Paulo, o jornalista Alex (Mário Bortolotto) busca respostas para suas angústias. O protagonista mergulha no universo da prostituição e em rituais neoxamânicos. É nesse contexto que se desenrola a trama do filme “Augustas”. No elenco, a história traz nomes como Juliano Cazarré e Milhem Cortaz, sob a direção do cineasta Francisco César Filho.

O longa é baseado no livro “A Estratégia de Lilith”, de Alex Antunes & Sish. A película brasileira tem como referências as produções do Cinema Marginal, lançadas entre o final da década de 1960 e o início dos anos 1970. As filmagens foram realizadas em um período de quatro semanas, utilizando a própria rua Augusta como locação, em cenas diurnas e noturnas.
"Augustas” marca a estreia no longa-metragem do cineasta e diretor de televisão Francisco César Filho. Ele é o responsável por diversos documentários premiados no Brasil e no exterior. Em 2012, Francisco lançou seus dois primeiros filmes: “Augustas” e o documentário “Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now!”, em parceria com Ninho Moraes.

79 min. Ano: 2012. Gênero: drama. Direção: Francisco César Filho, com Mário Bortolotto, Caroline Abras, Georgina Castro, Guta Ruiz, Maíra Chasseraux, Selma Egrei, Henrique Schafer, Juliano Cazarré, Milhem Cortaz, Fernando Bezerra, Paula Pretta, Dionísio Neto, Ziza Brisola, Gustavo Brandão, Fioravante Almeida e Phedra de Córdoba. Classificação Indicativa: 16 anos.


-----
Jeca contra o Capeta”
Quarta-feira, 23 de maio, às 23h45 (reprise no sábado, às 23h30)
Numa pequena cidade do interior, a notícia da aprovação do divórcio alegra a viúva Dionísia, cuja ideia fixa é conquistar o caipira Poluído (Mazzaropi). Este, porém, é bem-casado e feliz. De repente, um dos empregados de Dionísia aparece morto, e o crime é atribuído a Poluído.
O caipira se vê obrigado a enfrentar uma rica fazendeira, obcecada por ter seu amor.
Uma paródia tupiniquim de “O Exorcista” (1974), “Jeca contra o capeta” foi recorde de público do cinema nacional da época.
95 min. Ano: 1975. Gênero: Comédia. País: Brasil. Direção: Amácio Mazzaropi e Pio Zamuner. Roteiro: Amácio Mazzaropi, Gentil Rodrigues, Pio Zamuner. Classificação Indicativa: Livre.



-----
Maratona Etnodoc
Quinta-feira, 24 de maio, às 23h45

Benzedeiras de Minas
Três reconhecidas benzedeiras católicas do Estado de Minas Gerais dão uma visão de sua história e práticas. Elas revelam uma tradição de medicina popular cuja existência e eficácia tende a desaparecer com a urbanização e perda de valores culturais e religiosos tradicionais.
14min. Ano: 2008. Direção: Andrea Tonacci.

Trama Mineira
O documentário apresenta questões de época e gênero nos fragmentos da narrativa de Joana Pinta, “tecelona” de Roça Grande, comunidade rural nos arredores de Berilo, Vale do Jequitinhonha.
Durante os rituais diários, ela tira da memória as lembranças da infância, do casamento, da criação dos filhos e da vida na roça. Trama Mineira retrata uma vida moldada pelo trabalho, pelos ensinamentos da mãe e pelos desafios da criação dos filhos.
13 min. Ano: 2008. Direção: Adriana de Andrade e Waldir de Pina.

Trans-bordando
Filme retrata a vida e a obra da família de bordadeiras Diniz Dumont, integrantes do grupo “Matizes Dumont”, hoje uma referência na região de Pirapora, norte de Minas Gerais, à beira do rio São Francisco.
13 min. Ano: 2008. Direção: Kiko Goifman.

Passos de Oeiras
Documentário apresenta crenças e rituais emblemáticos da religiosidade do Piauí e de Oeiras, em particular. Percorrem-se as ruas, as casas e os lugares de memória da velha Oeiras, para capturar crenças, rituais, religiosidade e espiritualidade mutantes, mas marcadas por permanências.
Os fiéis revivem os passos de cristo rumo ao calvário, além de manter crenças e rituais de fé. Muitos fiéis participam do ritual para cumprir promessas e percorrem as ruas com os pés descalços.
14 min. Ano: 2008. Direção: Áurea da Paz Pinheiro e Douglas Machado.

-----
A Banda das Velhas Virgens”
Sábado, 26 de maio, às 16h (reprise à 1h)


Em “A Banda das Velhas Virgens”, o humorista Amácio Mazzaropi vive o caipira “Gostoso”, maestro de uma banda formada por senhoras idosas e beatas.
Expulso de suas terras, Gostoso vai morar em um ferro-velho nos arredores da cidade, onde encontra um saco de joias e acaba acusado de roubo. Agora, tem que fazer de tudo para provar sua inocência.
100 min. Ano: 1979. Gênero: Comédia. Direção: Pio Zamuner (codiretor: Berilo Faccio) Produção: Amácio Mazzaropi. Roteiro: Rajá de Aragão e Amácio Mazzaropi. Elenco: Mazzaropi, Geny Prado, André Luiz Toledo, Gilda Valença, José Velloni. Gênero: Comédia. Classificação Indicativa: livre.

Fonte: Ricardo Ribeiro/ TV BRASIL