Our social:

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Fábio Assunção é o convidado da apresentadora Natália Lage no programa Revista do Cinema Brasileiro



Fábio Assunção fala com Natália Lage sobre início da carreira neste sábado (19)

Ator lembra dos primeiros papéis na telona e conta como foi trabalhar com o filho no set

Revista do Cinema Brasileiro recebe o ator Fábio Assunção para uma entrevista exclusiva com a atriz e apresentadora Natália Lage neste sábado (19), às 23h, na TV Brasil.

O programa também aborda o filme "O Perfume da Memória" lançado por Oswaldo Montenegro em comemoração aos 60 anos de idade e 40 de carreira. Outra atração dessa semana é uma reportagem sobre a comédia "Ninguém Entra, Ninguém Sai" com grande elenco.

No estúdio, o ator Fábio Assunção comenta com Natália Lage sua relação com a música e relembra seu primeiro papel no cinema no elenco do média "Biu - A Vida Não Tem Retake" (1995), de Paulo Halm. O artista também fala sobre a comédia "Entre Idas e Vindas", de José Eduardo Belmonte. Durante a filmagem, ele teve a oportunidade de trabalhar com seu filho, João Assunção.

Na entrevista para a TV Brasil, ele recorda que estudou música e publicidade, mas se encontrou mesmo na dramaturgia. "Em 1990 fiz a minha primeira novela, 'Meu Bem, Meu Mal', acabei me mudando para o Rio. Aí comecei minha história profissional.Até então, era uma fase de formação", lembra.

Atualmente, Fábio está no ar com o personagem Ricardo, protagonista da série "A Fórmula" ao lado da atriz Drica Moraes. Ator, produtor e diretor, ele fala sobre o início na sétima arte. "Eu queria fazer cinema, mas ninguém me chamava. Eu já fazia teatro e tinha feito a novel. Falavam muito que quando eu fizesse meu primeiro filme, o pessoal do cinema ia me conhecer", revela.

Fábio Assunção diferencia a construção dos personagens e o tempo de atuação em cada espaço, na tevê, no teatro e no cinema. "Adoro essa agilidade da televisão. Você entra, ensaia uma vez, ensaia para a câmera e grava. Troca de roupa. Esse ritmo. No teatro, gosto do ato contínuo. Você dá a primeira fala e não tem corte. Já o cinema é muito fragmentado. Acho que entre os três é onde a equipe tem mais relevância no resultado", analisa. "Queria exercitar mais e entender melhor o cinema", completa.


Oswaldo Montenegro

Ainda nesta edição, o Revista do Cinema Brasileiro traz uma reportagem com o cantor, compositor e cineasta . O artista comemorou 60 anos de idade e 40 de carreira com o lançamento, exclusivo para seu canal no Youtube, do filme "O Perfume da Memória".

A trama convida o público a acompanhar encontros e desencontros na vida amorosa de duas mulheres. A trilha sonora faz a ligação lúdica entre as cenas em um enredo em que o desejo e a razão estão sempre em conflito.

"O desejo de fazer cinema é muito antigo em mim. Sempre tangenciei isso. Trabalhei a vida inteira dirigindo teatro e para dança. Ambas o visual influenciava. Também sempre soube que sou um músico e sou prioritariamente um músico", afirma Oswaldo Montenegro. "Eu faço música sem teatro, sem dança, sem cinema e não faço filmes, nem peças, nem balé sem música", explica.


Programa visita set de comédia que reúne vários humoristas

Essa edição do programa da TV Brasil visita o set do filme "Ninguém Entra, Ninguém Sai", inspirado numa crônica de Luís Fernando Veríssimo. A comédia de Hsu Chien conta a história de um motel no Rio de Janeiro posto em quarentena depois da suspeita de um perigoso vírus no ambiente.

Repleta de humoristas de diferentes estilos e gerações, a trama reúne grandes nomes da comédia. Participam do filme Anselmo Vasconcelos,  Antônio Pedro, André Mattos, Emiliano D’Ávila, João Côrtes, Paulinho Serra, Sérgio Mallandro, Danielle Winits, Guta Stesser, Leticia Lima, Mariana Santos e Monique Alfradique, entre outros.

No quadro "Memória", a apresentadora Natália Lage comenta o filme "O Beijo no Asfalto" (1980), de Bruno Barreto. O drama é baseado na peça de teatro homônima de Nelson Rodrigues. O elenco é formado por personalidades da dramaturgia brasileira como Tarcísio Meira, Ney Latorraca, Daniel Filho, Lídia Brondi e Christiane Torloni.

A jovem diretora Karina Orquidia fala sobre o longa filme "Elegia", de Mariana Costa, uma obra produzida por alunos da Universidade Federal de Juiz de Fora, que vem se consolidando como polo de produção audiovisual.

O professor e cineasta Luís Rocha Melo aborda o filme "O Homem e Seu Pecado", uma história repleta de simbologias que narra a trajetória de um homem que tenta convencer sua irmã a viajar com ele para a comemoração de 70 anos de seu pai.

Serviço
Revista do Cinema Brasileiro – sábado (19), às 23h, na TV Brasil

Fonte: Fernando Chaves/ TV BRASIL.

Popular Posts

Google+ Followers