Our social:

quarta-feira, 7 de junho de 2017

1ª Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo no CCBB Rio

 

Homenagem a um dos mais aclamados cineastas do país.   Exibição de 13 longas-metragens e realização de um debate com a presença de Wessam Soliman, viúva de Mohamed Khan e roteirista de  A menina da fábrica, Meninas do Centro e No apartamento de Heliópolis
 
A 1ª Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo é toda dedicada ao mestre do Neorrealismo egípcio, o premiado cineasta Mohamed Khan (1942-2016). Será apresentada uma retrospectiva inédita, com 13 longas-metragens dirigidos por Khan, desde Encontro para jantar (1981), um de seus primeiros filmes, até Antes do Verão (2015), seu último trabalho. A 1ª Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo – Especial Mohamed Khan é patrocinada pelo Banco do Brasil e já esteve no CCBB São Paulo, de 29 de março a 10 de abril de 2017.
 
Sempre presente em nosso imaginário, o Egito ainda é uma nação distante do público brasileiro. Mohamed Khan preenche essas lacunas de informações e nos remete aos cineastas do realismo poético francês e do neorrealismo italiano que revelaram o cotidiano e a realidade social, fugindo de estereótipos. É uma oportunidade de ampliar o conhecimento e ao mesmo tempo prestigiar títulos reconhecidos e premiados nas últimas três décadas, mas que não foram exibidos no circuito comercial brasileiro”, comenta Fábio Cunha, Gerente Geral do CCBB Rio de Janeiro.
 
Cena de "A menina da fábrica"
Defensor das causas femininas, conhecido pela direção de filmes polêmicos que retratam o cotidiano dos cidadãos egípcios, revelando idiossincrasias da sociedade contemporânea como o preconceito, o adultério e o esgotamento dos grandes centros urbanos, Khan expôs ao mundo uma sociedade egípcia pouco conhecida. Para apresentar ao público carioca a obra de Khan, sua viúva, Wessam Soliman, roteirista de A menina da fábrica, Meninas do Centro e No apartamento de Heliópolis, participará de um debate com a Profª Drª Beatriz Bissio, jornalista e correspondente internacional, e o produtor da mostra Amro Saad, no dia da abertura, às 18h, com tradução simultânea de libras. Logo após o debate, às 19h45, será  exibido A menina da fábrica (2013), vencedor de dois prêmios no 10º Festival Internacional de Cinema de Dubai. No dia seguinte, quinta-feira, às 19h, Wessam Soliman apresenta a sessão especial gratuita do filme No apartamento de Heliópolis.
 
Cena de "Klifety"
Entre os destaques da retrospectiva estão também A esposa de um homem importante (1987), Prêmio de Prata no Festival de Damasco, exibido na competição do 15º festival Internacional de Moscou e em outros festivais como  Montreal, Valência, Tétouan, Digne, Istambul e Nantes; e Sonhos de Hind e Camilia (1989), Prêmio de Bronze no Festival de Cinema de Valência, Melhor Direção do Festival da Sociedade de Cinema Egípcio, exibido nos festivais de cinema de Tashkent, Carthage, Bahrein, Nantes e Tetouan.
 
O egípcio Amro Saad, produtor da mostra, acrescenta que “a 1ª Mostra de Cinema Egípcio é o pontapé inicial de uma série de mostras que serão produzidas no Brasil e tem o intuito de apresentar o que há de melhor nas produções cinematográficas egípcias. O cinema egípcio se destaca não só no Oriente Médio, mas também na Europa e na Ásia. Diversos filmes foram premiados nos principais festivais de cinema do mundo, como o Festival Internacional de Cinema de Dubai (Emirados Árabes Unidos), o Festival de Película de Damasco (Síria), o Festival de Cinema de Valência (Espanha), entre outros”.
 
Sobre Mohamed Khan
 
Khan morreu em julho de 2016, no Cairo, onde nasceu. Era filho de pai paquistanês e mãe ítalo-egípcia. Ele deixou uma série de filmes estrelados pelos mais importantes atores e atrizes do país. Com a sua produção, denunciou a opressão sofrida pelas mulheres egípcias e o desejo de combater os males sociais.
 
Cena de "Antes do verão"
Ele foi considerado pela crítica um dos fundadores do cinema Neorrealista egípcio, que ajudou a construir ao longo de sua carreira, iniciada nos anos 1980, junto de nomes como Atef El-Tayeb, Bashir al-Dik, Khairy Beshara, Daoud Abd El-Sayed, Ali Badrakhan e Raafat El-Mihi.
 
Fazendo uso frequente do close up, uma marca de sua cinematografia, Mohamed Khan levou para as telas o dia-a-dia, as experiências, as conquistas, o sofrimento, o amor e a fúria da sociedade egípcia. Ele foi arrojado e enfrentou, ao longo de sua carreira, muita resistência por abordar questões delicadas na cultura árabe, em especial na egípcia.
 
Mohamen Khan estudou cinema na The London International Film School, no início dos anos 1960. Foi diretor assistente no Líbano, entre 1962 e 63. Em 1969 publicou, em Londres, o livro “Introduction to the Egyptian Cinema”. A maior parte de sua produção foi realizada no Cairo para onde mudou-se em 1977. Ele realizou 11 curtas e 24 longas-metragens em quase 50 anos de carreira. Em 2014, quando recebeu a cidadania egípcia, seu penúltimo filme, A menina da Fábrica, foi o indicado para concorrer ao Oscar de melhor filme estrangeiro.
 

Programação
Quarta, 14/06
18h – Debate com a roteirista Wessam Soliman, viúva de Mohamed Khan, a Profª Drª Beatriz Bissio, jornalista e correspondente internacional, e o produtor Amro Saad. Com tradução simultânea de libras.
 
19h45 – “A menina da fábrica”. “Factory Girl”. De Mohamed Khan (Egito, 2013). Com Yasmin Raeis, Hani Adel, Salwa Khattab. 85 min. 12 anos.
Hayam é uma operária que vive em uma área de classe média-baixa, juntamente com outras meninas da fábrica. Interessada pelo novo supervisor da fábrica, apesar das diferenças de classe entre eles, percebeu que seus sentimentos estavam sendo retribuídos. Mas a cruel realidade vem à tona quando um teste de gravidez é encontrado na fábrica. Todo mundo a acusou de ser uma pecadora, até mesmo seus amigos e familiares.
 
Quinta, 15/06
17h – “Meninas do centro”. “Downtown Girls”. De Mohamed Khan (Egito, 2005). Com Khaled Abol Naga, Hend Sabry, Menna Shalabi. 85 min. 12 anos.
O filme gira em torno da história de duas meninas que vivem no centro do país. Uma delas trabalha como estilista e a outra como vendedora em uma loja de roupas.
 
19h – “No apartamento de Heliópolis”. “In the Heliopolis Flat”. De Mohamed Khan (Egito, 2007). Com Ghada Adel, Khaled Abol Naga, Ahmed Rateb, Ayda Reyad, Youssef Dawood, Marwa Hussein e Salah Ayman. 118 min. 12 anos. Sessão gratuita apresentada pela roteirista Wessam Soliman.
Yehia procura mais independência, deixa a casa de seus pais e aluga um apartamento no subúrbio de Heliópolis, no Cairo, afastado de seus pais e perto do seu trabalho. Nagwa é uma professora de música na cidade de Minya. Ela viaja ao Cairo para uma atividade escolar e durante sua curta estada decide visitar a sua velha professora "Tahany". Quando Nagwa chega ao apartamento de Heliópolis ela descobre que sua amada professora Tahany não está lá, e que o novo residente do apartamento é Yehia.
 
Sexta, 16/06
15h – “Klifety”. “Klephty”. De Mohamed Khan (Egito, 2004). Com Bassem Samra, Khairy Beshara, Rolla Mahmoud, Ahmed Rashwan. 100 min. 12 anos.  Sessão inclusiva com audiodescrição.
Um dos primeiros filmes feitos com câmera digital no cinema de língua árabe. O cotidiano de um homem que se vira na vida difícil com malandragem. Ele se relaciona com uma adolescente, mas não a relação não dá certo.
 
17h – “Cavaleiro da cidade”. “Fares al-madina”. De Mohamed Khan (Egito, 1992). Com Mahmoud Hemida. 112 min. 12 anos.
Um homem de negócios tenta conseguir, em somente cinco dias, 5 milhões para pagar um grande criminoso.
 
19h30 – “Um dia muito quente”. “Youm har giddan”. De Mohamed Khan (Egito, 1994). Com Sherihan, Mohammad Fouad, Mahmoud Hemida. 91 min. 12 anos. Sessão inclusiva com closed caption.
A descoberta de uma insuspeita traição em um casamento egípcio. Gharib, depois de ficar fora por oito anos, retornou ao Egito para passar férias. Naquele dia muito quente, enquanto estava conversando com um amigo em um telefone público, viu uma menina bonita ter sua bolsa roubada. Gharib perseguiu o ladrão e pegou a bolsa, mas não conseguiu encontrar a garota. Após encontrar seu nome e número dentro da bolsa ligou para o número e um homem respondeu à chamada.
 
Sábado, 17/06
16h – “Dias de Sadat”. “Ayyam El-Sadat”. De Mohamed Khan (Egito, 2001). Com Ahmed Zaki, Mervat Amin, Mona Zaki, Ahmed El Sakka. 168 min. 12 anos.
Um filme biográfico do presidente egípcio Anwar Al Sadat conquistou uma das maiores bilheterias do Egito. Atuando no papel de Sadat, o ator Ahmad Zaki foi consagrado e reconhecido pela crítica em uma de suas maiores performances. Foram capturados detalhes íntimos e com grande precisão do presidente egípcio, assassinato em 1981. Uma característica notável de Sadat era o seu padrão de fala, desempenhada com grande estilo nessa atuação.
 
19h – “Encontro para jantar”. “An Appointment for Dinner”. De Mohamed Khan (Egito, 1981). Com Souad Hosny, Ahmed Zaki, Hussein Fahmy, Zouzou Mady, Khairy Beshara. 82 min. 12 anos.
Nawal é uma dona de casa desesperada e negligenciada que pede o divórcio e, ao mesmo tempo, se apaixona pelo estilista Shokri. Quando seu marido descobre, ele procura a vingança matando seu amante, mas ela não vai deixar barato.
 
Domingo, 18/06
15h – “Sonhos de Hind e Camilia”. “Dreams of Hind and Camilia”. De Mohamed Khan (Egito, 1989). Com Ahmed Zaki, Naglaa Fathi e Aida Reyad. 109 min. 12 anos.
Duas mulheres de classe média baixa tentam sobreviver com seus sonhos no Egito dos anos 1980. A bela viúva Hind e a divorciada e independente Camilia enfrentam muitas dificuldades juntas e lutam contra as terríveis circunstâncias da vida.
 
17h - “Antes do Verãon”. “Before the Summer Crowds”. De Mohamed Khan (Egito, 2015). Com Maged El Kedwany, Hana Shiha, Ahmed Dawood, Lana Mushtaq e Hany El Metennawy. 89 min. 12 anos.
Na costa egípcia, o envolvimento entre o médico Yehia e sua esposa Magda, um casal separado, Hala, tradutora professional recentemente divorciada, e Gomaa, o jardineiro. Nesse manifesto satírico, Mohamed Khan oferece um filme que poderia acontecer em qualquer lugar do mundo e que é, ao mesmo tempo, muito egípcio.
 
Segunda, 19/06
17h – “Saiu e não voltou”. “Gone and Never Came Back”. De Mohamed Khan (Egito, 1984). Com Yehya Al-Fakharani, Laila Alwi, Farid Shawqi. 94 min. 12 anos.
Empregado no departamento de arquivo ministerial, um jovem que mora num subúrbio pobre do Cairo está à procura de uma nova vida. Por motivos pessoais, ele decide voltar para o campo para vender uma terra que possui e lá a sua vida começa a mudar.
 
19h – “A esposa de um homem importante”. “The Wife of an Important Man”. De Mohamed Khan (Egito, 1987). Com Ahmad Zaki, Mervat Amin, Abdel Halim Hafez, Hassan Hosny, Zizi Mustafa, Nahed Samir. 109 min. 12 anos.  Prêmio de Prata no Festival de Cinema de Damasco em 1987. Exibido nos festivais de cinema de Moscou, Montreal, Valência, Tetouan, Digne, Istambul, entre outros.
Mona, casada com o oficial de polícia Hisham, pensa ter encontrado o amor verdadeiro. Após alguns anos de casada, descobre que seu marido é uma pessoa totalmente diferente daquela que ela amava.
 
Quarta, 21/06
17h – “A volta do cidadão”. “Return of a Citizen”. De Mohamed Khan (Egito, 1986). Com Mervet Amin, Yehia Al- Fakharany, Ahmed Abdel Aziz, Magda Zaki, Sherif Mounir, Ibrahim Yousry. 100 min. 12 anos.
Depois de trabalhar por muitos anos em Doha e fazer fortuna, Shaker retorna para sua família no Egito e encontra seus irmãos e irmãs em crise.
 
19h – “Antes do Verão”. “Before the Summer Crowds”. De Mohamed Khan (Egito, 2015). Com Maged El Kedwany, Hana Shiha, Ahmed Dawood, Lana Mushtaq e Hany El Metennawy. 89 min. 12 anos.
 
Quinta, 22/06
17h - “Meninas do centro”. “Downtown Girls”. De Mohamed Khan (Egito, 2005). Com Khaled Abol Naga, Hend Sabry, Menna Shalabi. 85 min. 12 anos.
 
19h - “Klephty”. De Mohamed Khan (Egito, 2004). Com Bassem Samra, Khairy Beshara, Rolla Mahmoud, Ahmed Rashwan. 100 min. 12 anos.
 
Sexta, 23/06
17h - “Um dia muito quente”. “Youm har giddan”. De Mohamed Khan (Egito, 1994). Com Sherihan, Mohammad Fouad, Mahmoud Hemida. 91 min. 12 anos.
 
19h - “Cavaleiro da cidade”. “Fares al-madina”. De Mohamed Khan (Egito, 1992). Com Mahmoud Hemida. 112 min. 12 anos.
 
Sábado, 24/06
15h - “Encontro para jantar”. “An Appointment for Dinner”. De Mohamed Khan (Egito, 1981). Com Souad Hosny, Ahmed Zaki, Hussein Fahmy, Zouzou Mady, Khairy Beshara. 82 min. 12 anos.
 
17h – “Menina da fábrica”. “Factory Girl”. De Mohamed Khan (Egito, 2013). Com Yasmin Raeis, Hani Adel, Salwa Khattab. 85 min. 12 anos.
 
19h – “Saiu e não voltou”. “Gone and Never Came Back”. De Mohamed Khan (Egito, 1984). Com Yehya Al-Fakharani, Laila Alwi, Farid Shawqi. 94 min. 12 anos.
 
Domingo, 25/06
15h - “Sonhos de Hind e Camilia”. “Dreams of Hind and Camilia”. De Mohamed Khan (Egito, 1989). Com Ahmed Zaki, Naglaa Fathi e Aida Reyad. 109 min. 12 anos.
 
17h - “Dias de Sadat”. “Ayyam El-Sadat”. De Mohamed Khan (Egito, 2001). Com Ahmed Zaki, Mervat Amin, Mona Zaki, Ahmed El Sakka. 168 min. 12 anos.
 
Segunda, 26/06
17h - A esposa de um homem importante”. “The Wife of an Important Man”. De Mohamed Khan (Egito, 1987). Com Ahmad Zaki, Mervat Amin, Abdel Halim Hafez, Hassan Hosny, Zizi Mustafa, Nahed Samir. 109 min. 12 anos.  Prêmio de Prata no Festival de Cinema de Damasco em 1987. Exibido nos festivais de cinema de Moscou, Montreal, Valência, Tetouan, Digne, Istambul, entre outros.
 
19h - A volta do cidadão”. “Return of a Citizen”. De Mohamed Khan (Egito, 1986). Com Mervet Amin, Yehia Al- Fakharany, Ahmed Abdel Aziz, Magda Zaki, Sherif Mounir, Ibrahim Yousry. 100 min. 12 anos.
 
SERVIÇO:
 
1ª Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo - Especial Mohamed Khan Patrocínio: Banco do Brasil
Produção: Oriente-se Produções
Realização: Centro Cultural Banco do Brasil
 
Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro
14 a 26 de junho de 2017
Rua Primeiro de Março 66, Centro, tel (21) 3808-2020
Sala de Cinema 1 (98 lugares) – Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia)
 
Fonte: Claudia Oliveira. /  
Assessoria de Imprensa CCBB Rio de Janeiro: Bianca Mello
 

Popular Posts

Google+ Followers