Our social:

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Sully - o herói do Rio Hudson (crítica)


“Sully – o herói do Rio Hudson” apresenta a surpreendente história real do vôo 1549, da US Airways, que realizou um pouso forçado no rio Hudson, em janeiro de 2009, e de seu piloto, o capitão Chesley “Sully” Sullenberger, interpretado por Tom Hanks. Na ocasião, apesar do alto risco do procedimento, todos os tripulantes e passageiros saíram com vida.

Além de narrar os eventos daquele episódio, o filme mostra os rumos da investigação do acidente e as audiências junto ao Conselho Nacional de Segurança nos Transportes (NTSB), que tentou incriminar Sully (Tom Hanks) e seu copiloto Jeff Skiles (Aaron Eckhart) por imperícia.

Com direção e produção executiva de Clint Eastwood, o longa tem roteiro de Todd Komarnicki, baseado no livro Highest Duty, de Sullenberger e Jeffrey Zaslow. Eastwood optou por realizar umanarrativa centrada na figura de “Sully” (Tom Hanks) mostrando o drama de um homem assombrado por pesadelos, durante as audiências do Conselho Nacional de Segurança, enquanto era ovacionado pela população e pela mídia, com flashbacks do que realmente aconteceu no vôo 1549.

O verdadeiro "Sully"ao lado de Clint Eastwood e Tom Hanks
Clint Eastwood e sua equipe de produção tentou dar ao filme um tom quase documental, apresentando imagens reais do episódio, filmando nos arredores do incidente e em Nova Yorque, além de recrutar socorristas aéreos e marítimos e vários funcionários da Cruz Vermelha e voluntários que participaram do resgate.

Além de Tom Hanks (“Ponte dos Espiões”, “Forrest Gump – o contador de histórias”) e Aaron Eckart (“Invasão à Casa Branca”, “Batman – o cavaleiro das trevas”), o filme ainda conta com a presença de Laura Linney (“A Família Savage”, “Kinsey – Vamos Falar de Sexo”, da série de TV “The Big C”) no papel da esposa de Sully, Lorrie Sullenberger.

Em 15 de janeiro de 2009, o Airbus A320, partiu do aeroporto de LaGuardia, em Nova Yorque, com destino a Carolina do Norte,  com 155 pessoas a bordo, entre passageiros e tripulantes.  Logo após a decolagem, a 853 metros de altitude, os motores da aeronave foram danificados por uma revoada de pássaros. Percebendo que não conseguiria voltar com segurança para o aeroporto de  LaGuardia ou ir para o aeroporto de Teterboro, em Nova Jersey, Sully decidiu pousar nas águas do Rio Hudson. A perícia técnica do capitão Sully e seu copiloto, aliado a agilidade da equipe de resgate, acionada próximo ao local, fez com que todos saíssem do acidente com vida.

Avaliação do filme: Muito Bom

Elisabete Estumano Freire


Popular Posts

Google+ Followers