Our social:

domingo, 25 de dezembro de 2016

Na semana de Ano Novo tem estreias na programação da TV Brasil


Na segunda (26), às 23h, estreia o documentário "Tchiloli – Identidade de um Povo" de São Tomé e Príncipe.

Já na terça (27), às 22h, o filme nacional "Dalua Downhill" estreia na TV Brasil. O documentário apresenta a jornada de Douglas Rodrigues da Silva, o Dalua, em busca da conquista do mundial de “Skate Downhill”, um dos esportes mais radicais do mundo em que os skatistas descem ladeiras em velocidades superiores a 110 quilômetros por hora.

Na quarta (28), às 22h, entra em cartaz a trama japonesa "Um Paraíso Havaiano", baseada em uma história real.

Na quinta (29), às 22h, está programado  o drama "Embargo". A produção é inspirada na obra homônima do escritor português José Saramago.

Na sexta (30), às 22h, a emissora homenageia a diva caribenha "Calypso Rose" que dá título ao documentário. Para realizar a obra, a cineasta franco-camaronesa Pascale Óbolo acompanhou a cantora em uma jornada de quatro anos que percorreu Paris, Nova Iorque, Trinidad, Tobago e África.


Por fim, no sábado (31), às 12h30, o documentário "Ouro, prata, bronze e... Chumbo!" resgata a história das primeira medalhas do Brasil nos Jogos Olímpicos na Antuérpia (Bélgica), em 1920. Às 16h30, o longa brasileiro "Doméstica" registra a realidade das empregadas domésticas no país. Ainda no sábado, às 2h da manhã para domingo, vai ao ar o documentário "Tchiloli – Identidade de um Povo" de São Tomé e Príncipe e, às 4h, o filme equatoriano "Sete muros".

-----------------------------------------------------------------------------------------

Filmes da TV Brasil 25 a 31 de dezembro de 2016

Domingo, 25 de dezembro (madrugada de domingo para segunda-feira)

Sete muros
00h00, na TV Brasil

Título original: 7 muros. País de origem: Equador. Ano: 2016. Gênero: documentário. Direção: Daniel Yépez Brito.

Dirigido por Daniel Yépez Brito, o documentário equatoriano “Sete muros” explora o significado dos muros: os da vizinhança, os da casa, os da própria mente.

Após 20 anos morando na mesma casa na cidade de Quito, o realizador decide se mudar, mas percebe que nunca conheceu nenhum de seus vizinhos. Portanto, antes de ir embora, resolve investigar a vida de cada um deles e, assim, descobre a importância de romper seu próprio muro para poder entrar na vida do “outro”.

Inédito. 54 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 00h00


Segunda-feira, 26 de dezembro

Tchiloli – Identidade de um Povo
23h00, na TV Brasil

País de origem: São Tomé e Príncipe. Ano: 2009. Gênero: documentário. Direção: Felisberto Branco.

O documentário “Tchiloli – Identidade de um Povo” regista uma encenação teatral e musical do século XVI, escrita por Baltasar Dias e levada da Ilha da Madeira para São Tomé e Príncipe na época do início das plantações de cana-de-açúcar.

Ao longo dos anos e aos olhos dos seus habitantes, a peça se transformou na representação da própria história do país. Numa alternância entre danças e discursos, animada por uma orquestra tradicional, o documentário regista este espetáculo fazendo analogias com as realidades culturais das ilhas de São Tomé e Príncipe.

O país, que já foi colônia portuguesa, é constituído por um mosaico de culturas, resultante da miscigenação entre europeus, asiáticos e africanos. A peça “Tchiloli” é o expoente máximo desta miscigenação, exibido geralmente ao ar livre em que o ritmo compassado e cadenciado de danças dos figurantes deixa transparecer o modo de vida do povo.

Trata-se de um longo espetáculo de mais de quatro horas, baseado num crime cometido pelo Príncipe herdeiro da coroa do Imperador francês Carlos Magno. O enredo desenvolve-se em torno de um dilema em que o criminoso nega o crime, enquanto o Rei é forçado a decretar pena de morte contra o próprio filho.

Inédito. 52 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 23h00


Terça-feira, 27 de dezembro

Dalua Downhill
22h00, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: documentário. Direção: Rodrigo Pesavento, Fernanda Krumel e Tiago de Castro, com Douglas Rodrigues da Silva, Kevin Reimer, Mischo Erban, Danky Dean, Patrick Switzer.

O documentário apresenta a jornada de Douglas Rodrigues da Silva, o Dalua, em busca da conquista do mundial de “Skate Downhill”, um dos esportes mais radicais do mundo em que os skatistas descem ladeiras em velocidades superiores a 110 quilômetros por hora.

Durante dois anos, a equipe de produção do filme acompanhou o atleta brasileiro em suas viagens ao redor do mundo, revelando que, para além das competições, existe uma história de garra, paixão, pressão e dor. A produção também mostra que amizade e rivalidade despertam sentimentos conflituosos entre os atletas. Afinal, o que os une, também os separa.

Modalidade do skate que mais cresce no mundo, o downhill é uma aposta de pessoas que arriscam suas vidas em um dos esportes mais radicais do mundo movidas por adrenalina, inspiração e desafios constantes.

Douglas Dalua é um desses heróis que paga o preço por viver o seu sonho. O documentário ultrapassa o retrato do universo do skate e suas incríveis aventuras: prefere o lado mais humano de quem se vira em manobras dentro e fora das pistas.

Dirigido por Rodrigo Pesavento, Fernanda Krumel e Tiago de Castro, o documentário conta com a participação de Douglas Rodrigues da Silva, Kevin Reimer, Mischo Erban, Danky Dean e Patrick Switzer. O longa conquistou os prêmios de Melhor Filme Documentário no I Festival Internacional de Filmes de Esporte (FIFE), Melhor Filme no BR Skate Film Festival e Melhor Filme no Festival de Filmes de Surf e Skate, todos em 2012

Inédito. 88 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 22h00




Quarta-feira, 28 de dezembro

Um Paraíso Havaiano
22h00, na TV Brasil

Título original: Hura Garu. País de origem: Japão. Ano: 2006. Gênero: comédia/drama. Direção: Sang il-Lee com Yasuko Matsuyuki, Etsushi Toyokawa, Yu Aoi, Shizuyo Yamazaki, Ittoku Kishibe, Sumiko Fuji.

Baseado em uma história real, o filme “Um Paraíso Havaiano” se passa em 1965, em uma cidade pequena no norte do Japão na época em que o país começava a substituir o carvão pelo petróleo.

A trama mostra como uma comunidade tradicional, com a derrocada de sua economia baseada na mineração de carvão, se aventura na construção de um centro de entretenimento havaiano.

Apesar da ideia de desenvolver o primeiro vilarejo havaiano do Japão, ninguém na cidade sabe dançar, muito menos o hula... O ceticismo e o conservadorismo dos moradores locais são vencidos gradualmente assim que suas filhas se encantam por uma talentosa e determinada instrutora de dança vinda de Tóquio.

Dirigido por Sang il-Lee, o drama ganhou o prêmio de melhor filme pela Academia de Cinema Japonesa em 2006 e foi o longa indicado para concorrer ao Oscar pelo Japão em 2007.

Reprise. 121 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 22h00



Quinta-feira, 29 de dezembro

Embargo
22h00, na TV Brasil

País de origem: Brasil, Portugal e Espanha. Ano: 2010. Gênero: drama. Direção: Antônio Ferreira, com Filipe Costa, Cláudia Carvalho, Pedro Diogo, Fernando Taborda, José Raposo, Miguel Lança, Eloy Monteiro.

Nuno é um homem que trabalha numa roulotte de bifanas, mas que inventou uma máquina que promete revolucionar a indústria do calçado - um digitalizador de pés.

No meio de um embargo petrolífero e deparando-se com uma estranha dificuldade, Nuno tenta obstinadamente vender a máquina, obcecado por um sucesso que o fará descurar algumas das coisas essenciais da sua vida.

Quando Nuno fica estranhamente enclausurado no seu próprio carro e perde uma oportunidade única de finalmente produzir o seu invento, vê subitamente a sua vida embargada...

Dirigido por Antônio Ferreira, o filme é inspirado na obra homônima do escritor português José Saramago. O longa recebeu Menção Honrosa do Jurí Internacional no Fantasporto (Portugal).

Reprise. 80 min.
Classificação Indicativa: 10 anos
Horário: 22h00


Sexta-feira, 30 de dezembro

Calypso Rose
22h00, na TV Brasil

Título original: Calypso Rose. País de origem: Trinidad e Tobago, França e EUA. Ano: 2011. Gênero: documentário. Direção: Pascale Óbolo.

Embaixatriz da música caribenha, a carismática Calypso Rose é uma lenda viva. Para homenageá-la, a cineasta franco-camaronesa Pascale Óbolo passa quatro anos com a diva da Calypso Music em uma trajetória muito especial. A turnê percorre Paris, Nova Iorque, Trinidad, Tobago e volta para a África constituindo uma viagem que apresenta as diversas perspetivas da arte afro-caribenha.

O documentário aborda não só a memória, o intercâmbio e a descoberta de diversas culturas do mundo, mas é também a jornada de uma mulher militante e autêntica. Pascale Óbolo desvenda as muitas faces da protagonista: cantora e compositora radiante, feminista, espiritualista, celebridade e mulher consciente de sua origem escrava.

Com uma refinada edição, o filme traça o perfil da artista trinitária ao costurar cenas nos Estados Unidos, na França em terras africanas e em seu país de origem. O documentário recebeu Menção Honrosa no Festival de Ourdah e foi reconhecido em outros festivais de cinema ao redor do mundo.

Reprise. 85 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 22h00


Sábado, 31 de dezembro

Ouro, prata, bronze e... Chumbo!
12h30, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: documentário. Direção: José Roberto Torero.

As três primeiras medalhas do Brasil vieram exatamente na primeira participação do país nos Jogos Olímpicos. A equipe de tiro foi a responsável pela façanha na competição de 1920, na Antuérpia (Bélgica).

Em 2 de agosto de 1920, o país conquistou duas medalhas: uma de prata, na prova de pistola livre 50 metros com o atirador Afrânio Costa, e uma de bronze, na pistola livre por equipe com Afrânio da Costa, Dario Barbosa, Fernando Soledade, Guilherme Paranaense e Sebastião Wolf. A sonhada medalha de ouro viria no dia seguinte, com o atirador Guilherme Paranaense, no tiro rápido de 25 metros.

Dirigido por José Roberto Torero, o documentário “Ouro, prata, bronze e... Chumbo!” resgata a trajetória desses heróis e conta as aventuras que eles percorreram para representar as cores do Brasil nos primeiros Jogos de sua história.

Reprise. 26 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 12h30


Sábado, 31 de dezembro

Doméstica
16h30, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: documentário. Direção: Gabriel Mascaro, com Dilma dos Santos Souza, Flávia Santos Silva, Helena Araújo, Lucimar Roza, Maria das Graças Almeida, Sérgio de Jesus, Vanuza de Oliveira.

Sete adolescentes assumem a missão de registrar por uma semana a sua empregada doméstica e entregar o material bruto para o diretor realizar um filme com essas imagens.

Entre o choque da intimidade, as relações de poder e a performance do cotidiano, o filme lança um olhar contemporâneo sobre o trabalho doméstico no ambiente familiar e se transforma num potente ensaio sobre afeto e trabalho.

Com direção de Gabriel Mascaro, o documentário “Doméstica” foi reconhecido em diversos festivais de cinema.

O longa conquistou o Prêmio Saruê no Festival de Brasília e Menção Honrosa na Semana dos Realizadores do Rio de Janeiro.

Já no Festival de Filmes Brasileiros de Hollywood e no Festival de San Juan (Argentina), o filme foi lembrado com a Menção Especial do Júri.

Reprise. 76 min.
Classificação Indicativa: 10 anos.
Horário: 16h30



Sábado, 31 de dezembro (madrugada de sábado para domingo)

Tchiloli – Identidade de um Povo
02h00, na TV Brasil

País de origem: São Tomé e Príncipe. Ano: 2009. Gênero: documentário. Direção: Felisberto Branco.

O documentário “Tchiloli – Identidade de um Povo” regista uma encenação teatral e musical do século XVI, escrita por Baltasar Dias e levada da Ilha da Madeira para São Tomé e Príncipe na época do início das plantações de cana-de-açúcar.

Ao longo dos anos e aos olhos dos seus habitantes, a peça se transformou na representação da própria história do país. Numa alternância entre danças e discursos, animada por uma orquestra tradicional, o documentário regista este espetáculo fazendo analogias com as realidades culturais das ilhas de São Tomé e Príncipe.

O país, que já foi colônia portuguesa, é constituído por um mosaico de culturas, resultante da miscigenação entre europeus, asiáticos e africanos. A peça “Tchiloli” é o expoente máximo desta miscigenação, exibido geralmente ao ar livre em que o ritmo compassado e cadenciado de danças dos figurantes deixa transparecer o modo de vida do povo.

Trata-se de um longo espetáculo de mais de quatro horas, baseado num crime cometido pelo Príncipe herdeiro da coroa do Imperador francês Carlos Magno. O enredo desenvolve-se em torno de um dilema em que o criminoso nega o crime, enquanto o Rei é forçado a decretar pena de morte contra o próprio filho.

Reprise. 52 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 02h00



Sábado, 31 de dezembro (madrugada de sábado para domingo)

Sete muros
04h00, na TV Brasil

Título original: 7 muros. País de origem: Equador. Ano: 2016. Gênero: documentário. Direção: Daniel Yépez Brito.

Dirigido por Daniel Yépez Brito, o documentário equatoriano “Sete muros” explora o significado dos muros: os da vizinhança, os da casa, os da própria mente.

Após 20 anos morando na mesma casa na cidade de Quito, o realizador decide se mudar, mas percebe que nunca conheceu nenhum de seus vizinhos. Portanto, antes de ir embora, resolve investigar a vida de cada um deles e, assim, descobre a importância de romper seu próprio muro para poder entrar na vida do “outro”.

Reprise. 54 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 04h00


Fonte:Fernando Chaves
Coordenador de Comunicação
Gerência de Comunicação
Empresa Brasil de Comunicação | TV Brasil | Rádios Nacional e MEC

Imprensa (2)Trailer/Divulgação

Imprensa (3) Teaser Trailer

Popular Posts

Google+ Followers