Our social:

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

"O FILHO ETERNO" EM CARTAZ EM TODO O BRASIL



O FILHO ETERNO, de Paulo Machline, baseado no premiado livro homônimo de Cristóvão Tezza e produzido por Rodrigo Teixeira, o filme chega aos cinemas em 1º de dezembro e traz Marcos Veras, Débora Falabella e Pedro Vinicius como protagonistas dessa história. O longa é uma coprodução com a Globo Filmes e conta com distribuição da Sony Pictures. O filme está em cartaz desde o dia 1 de dezembro em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Goiânia, Salvador, Fortaleza, Jaboatão dos Guararapes, Recife, Teresina, Manaus, Belo Horizonte, Niterói, Campinas, Guarulhos, Santos, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis e São José.

Com traços autobiográficos, O FILHO ETERNO conta a história de Roberto (Marcos Veras), um escritor ainda não publicado e seguro de que o nascimento do primeiro filho é o pontapé para uma nova vida. Mas, ainda no hospital, ele descobre que terá que se acostumar com a ideia de ser pai de Fabrício (Pedro Vinicius), uma criança com síndrome de Down.  A notícia provoca uma série de emoções e conflitos que afetam a relação de Roberto com o trabalho e o seu casamento com Cláudia (Débora Falabella). Ao longo de 12 anos, o verdadeiro significado de paternidade é revelado, em meio a obstáculos, conquistas e descobertas.

Em sua estreia como protagonista num papel dramático, Marcos Veras ressalta o desafio de fazer um personagem tão complexo. “É muito bacana para o artista poder trabalhar em projetos e gêneros diferentes. Gosto de boas histórias e de personagens que me desafiam. Posso falar que fazer comédia é uma das coisas mais difíceis que existe. Mas esse talvez seja até agora o maior desafio da minha carreira”, afirma o ator.  Para Débora Falabella, a verdade e a profundidade da história a deixaram comovida. “Sinto uma alegria enorme por ter feito parte desse filme sensível e tocante. Todos nós fizemos com muito amor”, elogia.

O livro de Tezza recebeu os prêmios APCA, Jabuti, Portugal Telecom e São Paulo de Literatura, entre outros, além de ter sido traduzido para mais de dez idiomas, tornando-se um dos livros mais premiados da literatura brasileira nos últimos anos.

Sinopse:

Roberto, escritor ainda não publicado, está seguro de que o nascimento do filho é o marco para uma nova vida. No entanto, ainda no hospital, ele descobre que terá de se acostumar com uma nova ideia - ser pai de Fabrício, uma criança com síndrome de Down. A notícia provoca em Roberto uma enxurrada de emoções contraditórias e conflitos que acabam afetando sua relação com o trabalho e seu casamento com Cláudia. Numa jornada de 12 anos, entre obstáculos, conquistas e descobertas, se revela o significado da paternidade. Baseado na obra de Cristovão Tezza.


Ficha Técnica:

O FILHO ETERNO
Diretor: Paulo Machline
Produtor: Rodrigo Teixeira - RT Features / Camisa Treze

Co-produção: Globo Filmes
Produtor Executivo: Raphael Mesquita, Ana Kormanski, Daniel Pech, Marisa Merlo
Produtor Associado: Fernando Mereilles e George Moura
Roteiro: Leonardo Levis
Colaboração de roteiro: Murilo Hauser
Baseado no livro de: Cristovão Tezza
Diretor de Fotografia: Carlos Firmino
Diretora de Arte: Isabelle Bittencourt
Figurino: Maria Barbalho
Montagem: Olivia Brenga
Música: Guilherme Garbato e Gustavo Garbato
Desenho de som e Mixagem: Daniel Turini e Fernando Henna


Elenco: 
Marcos Veras (Roberto)
Débora Falabella (Cláudia)
Pedro Vinícius (Fabrício)
Uyara Torrente (Marina)
Zeca Cenovicz (Francisco)
Participação Especial Augusto Madeira (Dr. Lachmann)


Biografia Diretor - Paulo Machline

Paulo Machline nasceu em 1967 em São Paulo. Em 1999, escreveu, dirigiu e produziu seu primeiro curta-metragem, Uma História de Futebol, pelo qual recebeu mais de 20 prêmios nacionais e internacionais com destaque para uma indicação ao Oscar 2001 na categoria de Melhor Curta-Metragem. Em 2003, dirigiu a série Petit Myths Urbains para a TV francesa com produção da Gaumont e Universal. Em 2009, dirigiu Natimorto, seu primeiro longa-metragem, adaptado do livro homônimo de Lourenço Mutarelli. Em 2014 dirigiu o longa-metragem Trinta e alguns episódios série de TV da HBO PSI. Atualmente prepara-se para dirigir alguns episódios da sérieO Hipnotizador.x’


Sobre a RT Features

Rodrigo Teixeira fundou a RT Features no ano 2000, uma produtora que trabalha exclusivamente com cinema e televisão, tanto no Brasil como no exterior. Produziu, entre outros, os longas-metragens Tim Maia, Alemão, O Abismo Prateado, Heleno e O Cheiro do Ralo, e as séries de TV O Hipnotizador (para a HBO Latin America) e Amor em Quatro Atos (para a Rede Globo). Atua também no mercado internacional, tendo produzido os longas Frances Ha, Movimentos Noturnos, O Amor é Estranho, Love, Mistress America e A Bruxa. Suas produções estiveram presentes em diversos festivais internacionais como Veneza, Cannes, Berlim, Toronto e Sundance. Em 2016, apresentou nos festivais de Sundance e Berlim os longas Indignação e Little Men. Três filmes seus estão em fase de finalização e com previsão de estreia para 2016: o primeiro longa de Gabriela Amaral Almeida, e os novos longas-metragens dos diretores Paulo Machline e José Eduardo Belmonte.


Sobre a Globo Filmes

Desde 1998, a Globo Filmes já participou de mais de 195 filmes, levando ao público o que há de melhor no cinema brasileiro. Com a missão de contribuir para o fortalecimento da indústria audiovisual nacional, a filmografia contempla vários gêneros, como comédias, infantis, romances, dramas e aventuras, apostando na diversidade e em obras que valorizam a cultura brasileira. A Globo Filmes participou de alguns dos maiores sucessos de público e de crítica como 'Que Horas Ela Volta?', 'Tropa de Elite 2', 'Se Eu Fosse Você 2', '2 Filhos de Francisco', ‘O Palhaço’, ‘Getúlio’, 'Carandiru' e 'Cidade de Deus' – com quatro indicações ao Oscar. Suas atividades se baseiam em uma associação de excelência com produtores independentes e distribuidores nacionais e internacionais.


Sobre a Sony Pictures

Com presença marcante no mercado nacional,  a Sony Pictures distribuiu  e/ou co-produziu no Brasil, 22 dos 25 longas nacionais lançados na década de 90, momento da retomada. Em 2016, através do investimento em inúmeras produções, apostando em novos talentos e diferentes gêneros ao longo dos últimos anos, a Sony Pictures chega à marca de mais de 60 filmes nacionais distribuídos e/ou co-produzidos, entre eles: Deus é Brasileiro, Carandiru, Cazuza, 2 Filhos de Francisco, Meu Nome Não é Johnny e As Vidas de Chico Xavier.

Fonte: Sinny Assessoria e Comunicação/Paula C. Ferraz

Popular Posts

Google+ Followers