Our social:

sábado, 26 de novembro de 2016

Filmes nacionais, de Moçambique, Portugal, Porto Rico, República Dominicana e Irã na programação da TV BRASIL (26 novembro a 04 de dezembro)


Neste sábado (26), às 12h30, o documentário nacional "Aída dos Santos, uma mulher de garra" recorda a vitoriosa carreira da atleta. Às 23h30, o canal apresenta o filme "Ferro em Brasa" de Moçambique. Já às 4h, vai ao ar o longa "A mulher maravilhosa sobre rodas", de Porto Rico.

Neste domingo (27), às 19h30, o destaque é a animação "Garoto Cósmico", filme dirigido por Alê Abreu. À meia-noite, a atração é o documentário panamenho "A felicidade do som" que faz um mapa sonoro imaginário de três personagens.

Nesta segunda (28), às 23h, o documentário português "Além de nós: Mudança na Paisagem" traz um olhar sobre as transformações ocorridas na ocupação do território do país nos últimos 50 anos.

Já na terça (29), às 22h, a emissora traz o longa brasileiro "Hércules 56".

Nesta quarta (30), às 22h, a TV Brasil apresenta o longa iraniano "Gosto de Cereja", considerado a obra prima da filmografia do diretor Abbas Kiarostami

Nesta quinta (1), às 22h, vai ao ar o filme "Marcelo Yuka no Caminho das Setas", cinebiografia do músico e ativista.

Na sexta (2), às 22h, o destaque é o longa indiano "A Esposa Solitária", drama dirigido pelo célebre cineasta Satyajit Ray.

No próximo sábado (3), às 12h30, entra na grade o documentário "Brilho imenso, a história Cláudio Kano". Mais tarde, às 16h30 está programado o longa nacional "Astro - uma fábula urbana em um Rio de Janeiro mágico", com Cláudio Cavalcanti, Regina Duarte e Odilon Wagner. Às 23h30, vai ao ar o filme português "Além de nós: Mudança na Paisagem" enquanto às 4h, o longa "A felicidade do som", do Panamá.

Por fim, no domingo (4), às 19h30, está em cartaz o documentário "Soldado de Deus", com narração de Nelson Xavier. À meia-noite, o documentário da República Dominicana "O lugar dos lugares" acompanha alguns personagens durante a construção de praias artificiais em alguma região do Caribe.
Filmes da TV Brasil 26 de novembro a 4 de dezembro de 2016

Sábado, 26 de novembro

Aída dos Santos, uma mulher de garra
12h30, na TV Brasil

Ficha técnica
Ano: 2012. Gênero: documentário. Direção: André Pupo e Ricardo Quintella. Duração: 26 min. Classificação Indicativa: Livre

Há 50 anos, Aída dos Santos marcou história no atletismo nacional. Única mulher da delegação brasileira nas Olimpíadas de Tóquio, em 1964, sem nenhum apoio, treinador, tênis e até uniforme próprio, a carioca que está com 79 anos de idade entrou para a história conquistando o quarto lugar no salto em altura naquela edição dos Jogos.

Mesmo sem nenhuma estrutura, Aída teve o melhor desempenho de uma brasileira na história das Olimpíadas até os Jogos de Atlanta, em 1996, quando as atletas Jacqueline e Sandra conquistaram a medalha de ouro no vôlei de praia.

Primeira atleta do Brasil a disputar uma final olímpica, Aída dos Santos se contundiu nas eliminatórias da prova do salto em altura. Ela torceu o pé em uma das tentativas de se classificar para finais. Nos saltos decisivos, a competidora conseguiu alcançar a marca de 1,74m que lhe garantiu o quarto lugar.

Pelos seus feitos, Aída dos Santos obteve reconhecimentos no país e no exterior. Em 2006, a ex-atleta foi agraciada com o Troféu Adhemar Ferreira da Silva no Prêmio Brasil Olímpico. Já em 2009, Aída recebeu o Diploma Mundial Mulher e Esporte, uma premiação especial do Comitê Olímpico Internacional.

Dirigido por André Pupo e Ricardo Quintella, o documentário “Aída dos Santos, uma mulher de garra” resgata a memória dessa saltadora e sua epopeia olímpica.

Reprise. 26 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 12h30



Sábado, 26 de novembro

Ferro em Brasa
23h30, na TV Brasil

País de origem: Moçambique. Ano: 2006. Gênero: documentário. Direção: Licínio de Azevedo.

O documentário Ferro em Brasa é um passeio audiovisual conduzido pelo protagonista, o fotojornalista moçambicano Ricardo Rangel.

Símbolo de uma geração que no fim dos anos 1940, em Moçambique, iniciou as primeiras denúncias contra a situação de exploração colonial. Enquanto fotografava a cidade dos colonos, Ricardo revelava a desumanidade e a crueldade do colonialismo.

O documentário mostra, para além do homem, as circunstâncias de Moçambique da época pré-independência, que após tantos anos, ainda hoje, muitos se recusam a admitir, preferindo recordar a qualidade de vida da pequena parte da população que representavam.

A fotografia e a memória registrada em imagens em Moçambique tem em Ricardo Rangel um dos seus mais importantes pilares. Desde o período colonial até ao fim da guerra civil pós-independência, nos anos 1990, Ricardo Rangel fotografou 60 anos da história de seu país.

Nascido em Maputo em 1924, ele foi o primeiro jornalista não branco a entrar para uma equipe de um informativo em Moçambique (1952) no período colonial como repórter fotográfico do jornal Notícias da Tarde.

Ao completar 81 anos e inaugurar uma exposição com algumas de suas imagens no lançamento de seu livro de fotografias, ele narra episódios de sua vida, e histórias de algumas de suas fotos no filme de Licínio de Azevedo lançado em 2006.

A trajetória de Ricardo Rangel não só serviu de exemplo e modelo para duas gerações de fotógrafos que se seguiram, como também, no Centro de Formação Fotográfica, ele continuou a preparar profissionais para a prática da fotografia e do fotojornalismo.

O trabalho do profissional permitiu uma produção de imagens de valor inestimável que se tornaram um acervo fundamental dos últimos 60 anos da história de Moçambique. Ricardo Rangel faleceu em 2009.

Reprise. 49 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 23h30


Sábado, 26 de novembro (madrugada de sábado para domingo)

A mulher maravilhosa sobre rodas
04h00, na TV Brasil

Título original: La Mujer Maravilla sobre Ruedas. País de origem: Porto Rico. Ano: 2016. Gênero: documentário. Direção: Omar Camilo Ramos.

Uma escritora decide convocar 12 mil pessoas para realizar o maior abraço do mundo a fim de quebrar um recorde. O prêmio a ajudará a obter uma cadeira de rodas que precisa para alcançar sua independência e livrar-se de uma dor física causada por sua condição de paralisia cerebral.

No caminho, ela buscará se conectar emocionalmente com a maior quantidade de pessoas para que, por meio do seu depoimento, se motivem a se livrar de suas barreiras mentais.

Reprise. 54 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 04h00


Domingo, 27 de novembro

Garoto Cósmico
19h30, na TV Brasil

Ano: 2007. Gênero: animação infantil. Direção: Alê Abreu. Roteiro: Alê Abreu, Sabina Anzuategui, Daniel Chaia e Gustavo Kurlat. Elenco: Aleph Naldi (Cósmico); Bianca Rayen (Luna); Mateus Duarte (Maninho); Raul Cortez (Giramundos).

O filme de animação Garoto Cósmico, dirigido por Alê Abreu, é uma colorida aventura musical em que crianças do futuro descobrem os segredos de um circo perdido no espaço. É o último filme com a participação do ator Raul Cortez, que faleceu em julho de 2006.

Cósmico, Luna e Maninho são crianças de um mundo futurista, em que as vidas são totalmente programadas. Certa noite, buscando mais pontos para obterem um bônus na escola, os três perdem-se no espaço e descobrem um universo infinito, esquecido num pequeno circo. Depois de muita brincadeira e de tantas novas experiências, o mundo da programação envia um representante especial para resgatá-los. É hora de escolherem seus próprios caminhos.

Garoto Cósmico é a estreia do diretor Alê Abreu em longa-metragem. Antes, ele dirigiu os curtas Sírius e Espantalho (melhor filme no Anima Mundi de 1998). Fã de filmes de ficção científica, Alê criou um universo com diversas referências, entre elas Metrópolis, de Fritz Lang, aliados ao visual clean de THX 1138, de George Lucas, que trata de um tema semelhante, que é a busca da liberdade em meio ao mundo condicionado.

Diferente das animações comerciais, o longa é uma aventura movimentada e divertida, com pitadas musicais e um tempero pedagógico. Para tanto, foram chamados roteiristas experientes, como Sabina Anzuategui (Desmundo) e Daniel Chaia (Bens Confiscados), além do músico e educador Gustavo Kurlat, que desenvolve um trabalho que mistura arte e educação. Kurlat responde também pela trilha sonora. Apesar de algumas referências adultas, o filme é voltado para o público infantil.

Reprise. 75 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 19h30



Domingo, 27 de novembro (madrugada de domingo para segunda-feira)

A felicidade do som
00h00, na TV Brasil

Título original: La felicidad del sonido. País de origem: Panamá. Ano: 2016. Gênero: documentário. Direção: Ana Endara Mislov.

O documentário panamenho “A felicidade do som” traça um mapa sonoro imaginário de três personagens: Eduardo Irving, um bombeiro que nunca teve que apagar um incêndio; Mir Rodriguez, operador de rádio numa embarcação de Greenpeace; e Carmen Magdalena, cega de nascimento.

Dirigido por Ana Endara Mislov, o longa panamenho acompanha essa rota estabelecida pelos sons na vida dos personagens em seus caminhos de esperanças, solidão e silêncios.

Inédito. 54 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 00h00


Segunda-feira, 28 de novembro

Além de nós: mudança na paisagem
23h00, na TV Brasil

País de origem: Portugal. Ano: 2011. Gênero: documentário. Direção: Anabela Saint-MauriceProdução: Ana Lucas – RTP.

O documentário “Além de nós: Mudança na Paisagem” traz um olhar sobre as transformações ocorridas na ocupação do território de Portugal nos últimos 50 anos.

O filme aborda as questões relacionadas ao tema da paisagem em sentido amplo percorrendo país de norte a sul, do planalto de Castro Laboreiro ao Algarve, passando pelo Douro e pela renovação do Alentejo por via do Alqueva.

Entre “centros históricos” e “aldeias típicas”, os portugueses buscam na paisagem um lugar para passar férias, mas a verdade é que a ocupação do território mudou de forma irreversível nas últimas cinco décadas através da emigração, do despovoamento e da fuga para os grandes centros urbanos do litoral.

Além de Nós: Mudança na Paisagem” é um documentário sobre a identidade do campo português. A produção resgata a paisagem vivida na infância de várias gerações que formam as raízes do povo marcada pela natureza, pelos homens e pelo progresso.

Inédito. 53 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 23h00


Terça-feira, 29 de novembro

Hércules 56
22h00, na TV Brasil

Ano: 2006. Gênero: documentário. Direção: Silvio Da-Rin, com Agonalto Pacheco, Flávio Tavares, José Dirceu, José Ibrahin, Maria Augusta Carneiro Ribeiro, Mario Zanconato, Ricardo Vilas, Ricardo Zarattini, Vladimir Palmeira, Luís Travassos, Onofre Pinto, Rolando Frati, João Leonardo Rocha, Ivens Marchetti, Gregório Bezerra, Cláudio Torres, Daniel Aarão Reis, Franklin Martins, Manoel Cyrillo, Paulo de Tarso Venceslau.

Em setembro de 1969, quando o Brasil era governado por uma Junta Militar, duas organizações revolucionárias aliaram-se para raptar o embaixador dos EUA, Charles Burke Elbrick, e exigiram a libertação de quinze presos políticos, que foram levados ao México pelo avião Hércules 56 da FAB.

Para rememorar o episódio e discutir as causas e consequências da luta armada naquela época, o filme traz à cena os nove remanescentes do grupo de presos e promove o reencontro de cinco membros das organizações responsáveis pelo sequestro.

Reprise. 94 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 22h00


Quarta-feira, 30 de novembro

Gosto de Cereja
22h00, na TV Brasil

Título original: Ta'm e guilass. País de origem: Irã. Ano: 1997. Gênero: drama. Direção: Abbas Kiarostami, com Homayoun Ershadi, Abdolrahman Bagheri, Afshin Khorshid Bakhtiari.

Sr. Badii é um homem de meia idade amargurado que deseja morrer, mas vive em uma sociedade onde o suicídio é considerado uma abominação. Ele busca conhecer alguém que possa enterrá-lo em buraco e confirmar se ele está mesmo morto.

Dirigindo pelas colinas acima de Teerã, ele conhece diversos personagens: afegãos, curdos, turcos, prisioneiros do deserto, um soldado, um estudante seminarista e o empregado de um museu.

Essas pessoas também vivem mais ou menos à margem da sociedade e recebem a proposta de Badii com reações variadas. Cada um apresenta suas razões para rejeitar a proposta de ajudá-lo nessa atitude: medo, escrúpulos religiosos e repulsa humanista por uma vida deliberadamente desperdiçada.

Vencedor da Palma de Ouro no Festival da Cannes, o drama “Gosto de Cereja” é considerado a obra prima do cineasta iraniano Abbas Kiarostami e um dos filmes mais importantes da década de 1990. A narrativa do road movie estimula a reflexão enquanto o protagonista circula pelas paisagens áridas de Teerã.

Reprise. 98 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 22h00


Quinta-feira, 1 de dezembro

Marcelo Yuka no Caminho das Setas
22h00, na TV Brasil

Ano: 2011. Gênero: documentário. Direção: Daniela Broitman, com Marcelo Yuka, O Rappa (Falcão, Xandão, Marcelo Lobato e Lauro Farias), Manu Chao, BNegão, Apollo 9, Cibelle, Pedro Bernardes, Aleh Ferreira, Amora Pêra.

Com letras repletas de críticas sociais, Marcelo Yuka estava no auge do sucesso como compositor, baterista e líder da banda O Rappa – uma das principais na cena pop rock dos anos 1990. Aos 34 anos, 9 tiros num assalto no Rio de Janeiro o colocaram numa cadeira de rodas.

O documentário é um mergulho na transformação de Yuka desde o incidente, em 2000, que revela sua irreverência e complexidade como homem, artista e ativista. Enquanto luta por sua saúde física e espiritual, ele se arrisca em novas sonoridades e segue as setas numa incessante busca por justiça social e paz.

Dirigido por Daniela Broitman, o documentário “Marcelo Yuka no Caminho das Setas” conquistou o Prêmio de Melhor Montagem no Festival do Rio. Também foi reconhecido com a Menção Honrosa do Júri no Brazilian Film & TV Festival de Toronto. O filme ainda foi o vencedor do voto do público para Mostra Mobz no 4º In-Edit Brasil.

Reprise. 95 min.
Classificação indicativa: 12 anos
Horário: 22h00


Sexta-feira, 2 de dezembro

A Esposa Solitária
01h00, na TV Brasil

Título original: Charulata. País de origem: Índia. Ano: 1964. Gênero: drama/romance. Direção: Satyajit Ray, com Madhabi Mukherjee, Soumitra Chatterjee, Shailen Mukherjee, Shyamal Ghosal.

Em 1870, na Índia sob domínio inglês, Charulata (Madhabi Mukherjee) é casada com o abastado indiano Bhupati (Sailen Mukherjee). Apesar de se considerar uma mulher privilegiada, a bela e inteligente jovem perambula pela casa, sentindo-se profundamente só. Proprietário de um jornal, Bhupati ama a esposa, porém passa mais tempo no escritório e fazendo carreira política no movimento de libertação do que em casa.

Ao perceber a solidão da mulher, o rapaz pede que seu primo Amal (Soumitra Chatterjee) faça companhia à sua esposa, estimule o talento artístico dela e ensine a Charulata tudo que sabe sobre literatura. O aspirante a escritor vai viver com eles para tentar encontrar um rumo para a sua vida.

Após alguns meses, os sentimentos entre Charula e Amal começam a ultrapassar a simples amizade. A partir daí, Bhupati passa a se preocupar com a intensidade da relação entre o primo e sua mulher.

Gravado em 1964 pelo célebre diretor indiano Satyajit Ray (1921-1992), o poético filme “A Esposa Solitária” resgata uma história que se passa em Calcutá no final do século XIX. Com sutileza e elegância, a trama do longa foi adaptada do romance “Nastanirh” (The Broken Nest), escrito por Rabindranath Tagore.

Indicado ao Urso de Ouro, o experiente e aclamado cineasta Satyajit Ray recebeu o Urso de Prata de melhor diretor no Festival de Berlim de 1965 por seu trabalho à frente do drama “A Esposa Solitária”, clássico do cinema indiano.

Versátil, Satyajit Ray dirigiu 37 filmes e, em 1992, conquistou o Oscar Honorário concedido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, em reconhecimento a sua produção.

Reprise. 117 min.
Classificação Indicativa: 16 anos
Horário: 22h00


Sábado, 3 de dezembro

Brilho imenso, a história de Cláudio Kano
12h30, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: documentário. Direção: Denis Kamioka.

Humilde e carismático, o mesa-tenista Claudio Kano participou de duois Jogos Olímpicos (Seul em 1988 e Barcelona em 1992). O atleta teve sua carreira interrompida em um trágico acidente um dia antes de embarcar para o Canadá, onde faria sua última etapa de preparação para os Jogos de Atlanta em 1996.

Estudioso e detalhista, Kano começou a praticar o tênis de mesa com apenas 9 anos de idade. Dono de um estilo único de jogo, Claudio conquistou 12 medalhas em Pan-Americanos, sendo sete de ouro. Ele não chegou a ser um medalhista olímpico, mas sua carreira reúne elementos muito especiais, que revelam o perfil não só de um grande atleta, mas de um verdadeiro ídolo.

Dirigido por Denis Kamioka, o documentário "Brilho Imenso, a História de Claudio Kano" apresenta animações estilo mangá japonês. Para contar a história do saudoso mesa-tenista, o filme ainda conta com depoimentos emocionantes de personalidades como o ex-judoca Aurélio Miguel e o jogador de basquete Oscar Schmidt, amigo de Kano.

Reprise. 26 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 12h30



Sábado, 3 de dezembro

Astro - uma fábula urbana em um Rio de Janeiro mágico
16h30, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: drama. Direção: Paula Trabulsi, com Alexandra Dahlstrom, Veronica Debom, Cláudio Cavalcanti, Regina Duarte, Odilon Wagner, Fiorella Mattheis, Leopoldo Pacheco, Sérgio Marone.

Filha de mãe brasileira e pai sueco, Astro (Alexandra Dahlström) deixa sua vida na Suécia para visitar o Rio de Janeiro. Ela vem receber um casarão de herança, mas acaba ficando fica mais tempo do que esperava. A trama revela o processo de adaptação da jovem na Cidade Maravilhosa.

Com o tempo, acaba conhecendo Alice (Veronica Debom) e seu grupo de amigos, passando a interagir ainda mais com a cidade. Tanto a beleza ao seu redor quanto o afeto que recebe atuam como mola propulsora no desenrolar de sua transformação.

O Rio de Janeiro e as artes são elementos essenciais que interagem o tempo todo com os personagens e a narrativa. O longa apresenta o trabalho de artistas de várias partes do mundo que, em paralelo à trama, promovem intervenções, video-arte, músicas e outras performances.

Primeiro longa da diretora Paula Trabulsi, após realizar 11 curtas-metragens e mais de dois mil filmes publicitários, o drama “Astro – uma fábula urbana em um Rio de Janeiro mágico” foi uma das últimas produções de Cláudio Cavalcanti que faleceu em 2013. No papel do advogado Ismael Salgado, ele ganhou o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. O elenco do longa ainda conta com Regina Duarte e Odilon Wagner.

Reprise. 85 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 16h30


Sábado, 3 de dezembro

Além de nós: mudança na paisagem
23h30, na TV Brasil

País de origem: Portugal. Ano: 2011. Gênero: documentário. Direção: Anabela Saint-MauriceProdução: Ana Lucas – RTP.

O documentário “Além de nós: Mudança na Paisagem” traz um olhar sobre as transformações ocorridas na ocupação do território de Portugal nos últimos 50 anos.

O filme aborda as questões relacionadas ao tema da paisagem em sentido amplo percorrendo país de norte a sul, do planalto de Castro Laboreiro ao Algarve, passando pelo Douro e pela renovação do Alentejo por via do Alqueva.

Entre “centros históricos” e “aldeias típicas”, os portugueses buscam na paisagem um lugar para passar férias, mas a verdade é que a ocupação do território mudou de forma irreversível nas últimas cinco décadas através da emigração, do despovoamento e da fuga para os grandes centros urbanos do litoral.

Além de Nós: Mudança na Paisagem” é um documentário sobre a identidade do campo português. A produção resgata a paisagem vivida na infância de várias gerações que formam as raízes do povo marcada pela natureza, pelos homens e pelo progresso.

Reprise53 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 23h30


Sábado, 3 de dezembro (madrugada de sábado para domingo)

A felicidade do som
04h00, na TV Brasil

Título original: La felicidad del sonido. País de origem: Panamá. Ano: 2016. Gênero: documentário. Direção: Ana Endara Mislov.

O documentário panamenho “A felicidade do som” traça um mapa sonoro imaginário de três personagens: Eduardo Irving, um bombeiro que nunca teve que apagar um incêndio; Mir Rodriguez, operador de rádio numa embarcação de Greenpeace; e Carmen Magdalena, cega de nascimento.

Dirigido por Ana Endara Mislov, o longa panamenho acompanha essa rota estabelecida pelos sons na vida dos personagens em seus caminhos de esperanças, solidão e silêncios.

Reprise. 54 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 04h00


Domingo, de dezembro

Soldado de Deus
19h30, na TV Brasil

Ano: 2004. Gênero: documentário. Direção: Sérgio Sanz. Narração: Nelson Xavier.

Um documentário que faz um retrato do que foi o integralismo e sua importância na vida política brasileira. O filme de Sergio Sanz traz importantes depoimentos de pessoas como a historiadora Anita Prestes, filha do líder comunista; o poeta Gerardo Melo Mourão, o escritor Antonio Carlos Vilaça, o filósofo Leandro Konder e o professor Muniz Sodré, entre outros grandes pensadores e pesquisadores.

O filme apresenta um olhar sobre a história. Um encontro com o Integralismo através do testemunho - palavras e gestos - de quem estabeleceu, viveu, ama, amou e deixou de amar seus princípios e práticas. A produção dá voz também a quem sempre o condenou, julgou, criticou. Além disso, entrevista quem estuda os tempos em que o nacionalismo de direita mobilizou em torno de um milhão e filiou 500 mil pessoas em um país de cerca de 40 milhões e construiu o primeiro partido de massas do Brasil.

Dirigido por Sérgio Sanz e com narração de Nelson Xavier, o documentário “Soldado de Deus” traz memórias emocionais e racionais que possibilitam a reflexão sobre a influência e a presença do Integralismo na história recente e no presente dos brasileiros.

Reprise. 80 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 19h30



Domingo, 4 de dezembro (madrugada de domingo para segunda-feira)

O lugar dos lugares
00h00, na TV Brasil

Título original: El sitio de los sitios. País de origem: República Dominicana. Ano: 2016. Gênero: documentário. Direção: Oriol Estrada e Natalia CabralProdução: Faula Films.

Em algum lugar do Caribe que estão sendo construídas praias artificiais. Uma paisagem virgem de montanhas e litoral rochoso rapidamente se transforma em um conjunto de casas com campos de golfe, piscinas e praias artificiais. Os pescadores se tornam os operários que ergueram, justo ao lado de sua comunidade, a busca pela felicidade de seus futuros vizinhos.

O documentário acompanha alguns personagens que vivem seus sonhos durante essa mudança. Uma jovem modelo espera por seus amigos ao lado da piscina, um jardineiro e uma empregada fantasiam comprar móveis de luxo, um grupo de garis filosofar sobre o amor e golfistas amadores tentam acertar a bola no buraco, enquanto os turistas, entre máquinas e barulhos, partem para uma caminhada.

A produção da República Dominicana é dirigida por Oriol Estrada e Natalia Cabral.

Inédito. 54 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 00h00


Fonte:Fernando Chaves
Coordenador de Comunicação
Gerência de Comunicação
Empresa Brasil de Comunicação | TV Brasil | Rádios Nacional e MEC

Popular Posts

Google+ Followers