Our social:

domingo, 18 de setembro de 2016

Documentários nacionais e internacionais são destaque na TV BRASIL (19 a 25 de Setembro)



Nesta segunda (19), às 23h10, o canal estreia o documentário lusófono "Batuque - Alma do Povo" sobre a história de Cabo Verde.

Já na terça (20), às 22h10, o drama nacional "Eles Voltam" acompanha a menina Cris em sua jornada de retorno ao lar.

Na quarta (21), às 22h10, entra no ar o documentário "Militares da Democracia", dirigido pelo cineasta Silvio Tendler

Na quinta (22), às 22h10, a emissora apresenta o filme "Meu mundo em perigo", longa que conquistou prêmio em três categorias do Festival de Brasília.

Na sexta (23), às 22h10, o drama nacional "Nove crônicas para um coração aos berros" é a produção que vai ao ar.

No próximo sábado (24), às 12h30, o documentário "Bete do Peso" conta a trajetória da primeira levantadora de peso a defender o Brasil em uma edição dos Jogos Olímpicos. Mais tarde, às 18h45, o longa "Mulheres Olímpicas", filme de Laís Bodanzky, traça um paralelo sobre a participação feminina na sociedade e no esporte. A produção recorda atletas do Brasil que fizeram história nos Jogos. Ainda no sábado, vão ao ar "Batuque - Alma do Povo", às 23h30, e "A sombra do Naranjo", às 4h.

Por fim, no próximo domingo (25), as sessões de filmes começam às 14h, com a comédia nacional "O Grande Xerife", protagonizada pelo humorista Amácio Mazzaropi. Às 19h, está programado  o drama "Embargo". A produção é inspirada na obra homônima do escritor português José Saramago

Também no domingo, à meia-noite, estreia o longa venezuelano "Semeadores da Água". Em seguida, à 1h, o drama chinês "Flores do Amanhã" debate os conflitos entre a antiga e a nova China.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Segunda-feira19 de setembro

Batuque – Alma de um povo
23h10, na TV Brasil

País de origem: Cabo Verde. Ano: 2013. Gênero: documentário. Direção: Felix Andrade.

O documentário Rua Banana, Cidade Velha foi produzido em 2007, exatamente quando a Cidade Velha, antiga Ribeira Grande, fundada em 1462, primeira capital de Cabo Verde e a primeira cidade portuguesa fora da Europa, terminava as obras de restauração dos monumentos e das casas da principal rua da cidade, a Rua Banana.

O documentário “Batuque – Alma de um povo” apresenta uma perspectiva sobre a própria história de Cabo Verde, desde a época da escravatura até o tempo presente da globalização.

O filme mostra o batuque sempre foi uma fonte de preservação da identidade do povo de Cabo Verde que desde os antepassados transmitia para as outras gerações essa tradição. Hoje, com a emigração, os ritmos do batuque voltam a viajar e a evoluir, influenciando a música que se faz em outras regiões do mundo.

Em 1462, chegaram à Ilha de Santiago os primeiros escravos, trazidos da Costa Ocidental de África. Com eles vieram os ritmos e as sementes do que veio a se tornar o batuque, uma dança ritual com movimentos ritmados por cantadeiras e batucadeiras dispostas em círculo, que sincronizam e orientam o movimento da dançadeira no centro do terreiro.

O batuque foi reprimido e proibido, considerado como manifestação vulgar de negros e analfabetos, com conotação provocante e sensual. Após a independência de Cabo Verde, o batuque foi recuperado e adotado como símbolo de identidade cultural.

Inédito. 52 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 23h10


Terça-feira20 de setembro

Eles Voltam
22h10, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: drama. Direção: Marcelo Lordello, com Maria Luiza Tavares, Georgio Kokkosi, Elayne de Moura, Mauricéia Conceição, Jéssica Silva, Irma Brown, Clara Oliveira, Germano Haiut, Teresa Costa Rêgo.

Cris (Maria Luíza Tavares) e Peu (Georgio Kokkosi), seu irmão mais velho, são deixados na beira de uma estrada pelos próprios pais. A menina de 12 anos e o garoto foram castigados por brigar constantemente durante uma viagem à praia. Em pouco tempo, os irmãos percebem que o castigo vem a se tornar um desafio ainda maior.

Após algumas horas, ao notar que os pais não retornaram, Peu parte em busca de um posto de gasolina. Cris permanece no local por um dia inteiro e, sem notícias dos pais ou do irmão, decide percorrer ela mesma o caminho de volta para casa.

Primeiro longa de ficção do diretor Marcelo Lordello, o drama nacional “Eles Voltam” acompanha Cris em sua jornada de retorno ao lar. A trama apresenta uma história feita de encontros, em que realidades distintas serão os guias dos personagens no percurso. O filme é uma fábula de tons realistas sobre as vivências que farão Cris se revisitar.

A produção recebeu muitos prêmios na estreia no Festival de Brasília. “Eles Voltam” conquistou os Candangos de Melhor Atriz (Maria Luiza Tavares), Melhor Atriz Coadjuvante (Elayne Moura) e Melhor Filme - dividido com “Era uma vez eu, Verônica”, de Marcelo Gomes.

Reprise. 105 min.
Classificação indicativa: 14 anos
Horário: 22h10


Quarta-feira21 de setembro

Militares da Democracia
22h10, na TV Brasil

Ano: 2014. Gênero: documentário. Direção: Silvio Tendler. Produção: Ana Rosa Tendler. Locução: Eduardo Tornaghi.

Eles lutaram pela Constituição, pela legalidade e contra o golpe de 1964, mas a sociedade brasileira pouco ou nada sabe a respeito dos oficiais que, até hoje, ainda buscam justiça e reconhecimento na história do país.

O documentário “Militares da Democracia” resgata, através de depoimentos e registros de arquivos, as memórias repudiadas, sufocadas e despercebidas dos militares perseguidos, cassados, torturados e mortos, por defenderem a ordem constitucional e uma sociedade livre e democrática.

O cineasta Silvio Tendler mescla fatos documentais e ficcionais sobre o período da ditadura militar no país. A narrativa destaca a participação dos militares que lutaram pela democracia, mas que ainda não são conhecidos pelas novas gerações.

Com produção de Ana Rosa Tendler e locução de Eduardo Tornaghi, o filme retoma o percurso de vários grupos de militares que muito antes do golpe de 1964 já vinham se organizando por novos direitos, melhores condições de trabalho, e na defesa de uma sociedade melhor. E como, a partir de 1964, esses distintos grupos passaram a ser tratados, sofrendo represálias, como a perda do direito de usar a farda, de seus direitos trabalhistas, assim como foram impedidos de exercer suas atividades profissionais.

Reprise. 88 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 22h10


Quinta-feira22 de setembro

Meu Mundo em Perigo
22h10, na TV Brasil

Ano: 2007. Gênero: drama. Direção: José Eduardo Belmonte, com Eucir de Souza, Milhem Cortaz, Rosane Mulholland, Justíne Otondo, Wolney de Assís, Zíza Brísola.

A trama acompanha a história de três personagens: Elias (Eucir de Souza), um fotógrafo desempregado que perde a guarda do filho e mergulha em um inferno interior do qual não consegue fugir; Isis (Rosanne Mulholland), uma mulher enigmática que busca espacar do passado e do presente com quem Elias passa a se relacionar; e Fito (Milhem Cortaz), um homem que entra em desespero após perder o pai em um acidente de trânsito provocado pelo fotógrafo.

Em uma estrutura narrativa peculiar, o roteiro entrelaça o destino dos três personagens cujas vidas se colidem em um desfecho trágico.

Terceiro longa do diretor José Eduardo Belmonte, o drama “Meu mundo em perigo” recebeu premiações em três categorias no Festival de Brasília: Melhor Ator (Eucir de Souza), Melhor Ator Coadjuvante (Milhem Cortaz), Prêmio da Crítica de Melhor Filme.

Reprise. 92 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 22h10



Sexta-feira23 de setembro

Nove crônicas para um coração aos berros
22h10, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: drama. Direção: Gustavo Galvão, com Simone Spoladore, Júlio Andrade, Denise Weinberg, Leonardo Medeiros, Marat Descartes, Larissa Salgado, Mário Bortolotto, André Frateschi, Vinícius Ferreira, Vanise Carneiro, Rita Batata, Carolina Sudati, Paula Cohen, Felipe Kannenberg, Rejane Zilles, Cacá Amaral.

Em um surpreendente mosaico de relações e situações cotidianas, homens e mulheres de diferentes idades sentem uma intensa necessidade de se reinventar. Todos vivem o momento da guinada, cada um a seu modo.

Larissa não gosta mais de Mário; Leopoldo não sabe se vai ou se fica; Júlio mora com a mãe; Simone cansou de ser prostituta; Vanise descobriu o que significa ser mulher; Philipp não quer voltar para casa; Carol carrega um cemitério de lembranças; André quer fazer um som diferente; Denise decide viver novas experiências enquanto há tempo.

Longa de estreia do diretor Gustava Galvão, o drama “Nove Crônicas para um Coração aos Berros” tem no elenco Simone Spoladore, Júlio Andrade e Leonardo Medeiros. Com uma câmera inquieta, o filme ganhou prêmio de Melhor Direção no Festival de Cinema de Maringá.

Reprise. 84 min.
Classificação Indicativa: 14 anos
Horário: 22h10


Sábado24 de setembro

Bete do Peso
12h30, na TV Brasil

Ano de estreia: 2013. Gênero: documentário. Direção: Kiko Mollica.

Maria Elisabete Jorge, conhecida como "Bete do Peso", foi a primeira levantadora de peso a defender o Brasil em uma edição das Olimpíadas. Esse esporte, presente nos Jogos Olímpicos desde o início das competições na Era Moderna, só incluiu a participação feminina em 2000.

O documentário dirigido por Kiko Mollica busca divulgar essa modalidade pouco reconhecida no país e resgatar a história dessa brasileira de origem humilde. A atleta chegou a Sydney aos 43 anos de idade e utilizou o esporte para ultrapassar fronteiras sociais.

Reprise. 26 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 12h30


Sábado24 de setembro

Mulheres Olímpicas
18h45, na TV Brasil

Ano: 2013. Gênero: documentário. Direção: Laís Bodanzky.

O documentário “Mulheres Olímpicas” tem a intenção de traçar um paralelo sobre a participação feminina na sociedade e no esporte olímpico. A produção dirigida por Laís Bodanzky destaca que a história das esportistas brasileiras nas Olimpíadas é relativamente recente.

A primeira mulher brasileira participou de uma Olimpíada em 1932, nos Jogos de Los Angeles, mas a primeira medalha brasileira só chegou em 1996 em Atlanta, 64 anos depois. Naquela oportunidade, há exatos 20 anos, o Brasil fez a final feminina na primeira edição dos Jogos em que o vôlei de praia aparecia no programa olímpico. A dupla Sandra Pires e Jacqueline Silva levou a medalha de ouro ao vencer Adriana Samuel e Mônica Rodrigues na decisão pelo placar de 2 a 0, com parciais de 21/11 e 21/12. A modalidade garantiu as primeiras medalhas de mulheres brasileiras nos Jogos Olímpicos.

Apenas em 2012, em Londres, todos os países participantes tiveram representantes mulheres e pela primeira vez foi incluído o boxe feminino, fazendo com que pela primeira vez na história as mulheres participem de todos os esportes olímpicos.

Mulheres Olímpicas” resgata o legado de conquistas e façanhas que várias atletas brasileiras deixaram em sua trajetória esportiva nos Jogos Olímpicos como Maurren Maggi no atletismo, Ketleyn Quadros e Sarah Menezes no judô, Adriana Araujo no boxe, Yane Marques no pentatlo moderno, Daiane dos Santos na ginástica, as jogadoras de basquete da geração de Paula e Hortência além das craques do vôlei de praia e as meninas da quadra que fizeram história representando o país.

Reprise. 52 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 18h45


Sábado24 de setembro

Batuque – Alma de um povo
23h30, na TV Brasil

País de origem: Cabo Verde. Ano: 2013. Gênero: documentário. Direção: Felix Andrade.

O documentário Rua Banana, Cidade Velha foi produzido em 2007, exatamente quando a Cidade Velha, antiga Ribeira Grande, fundada em 1462, primeira capital de Cabo Verde e a primeira cidade portuguesa fora da Europa, terminava as obras de restauração dos monumentos e das casas da principal rua da cidade, a Rua Banana.

O documentário “Batuque – Alma de um povo” apresenta uma perspectiva sobre a própria história de Cabo Verde, desde a época da escravatura até o tempo presente da globalização.

O filme mostra o batuque sempre foi uma fonte de preservação da identidade do povo de Cabo Verde que desde os antepassados transmitia para as outras gerações essa tradição. Hoje, com a emigração, os ritmos do batuque voltam a viajar e a evoluir, influenciando a música que se faz em outras regiões do mundo.

Em 1462, chegaram à Ilha de Santiago os primeiros escravos, trazidos da Costa Ocidental de África. Com eles vieram os ritmos e as sementes do que veio a se tornar o batuque, uma dança ritual com movimentos ritmados por cantadeiras e batucadeiras dispostas em círculo, que sincronizam e orientam o movimento da dançadeira no centro do terreiro.

O batuque foi reprimido e proibido, considerado como manifestação vulgar de negros e analfabetos, com conotação provocante e sensual. Após a independência de Cabo Verde, o batuque foi recuperado e adotado como símbolo de identidade cultural.

Reprise. 52 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 23h30



Sábado, 24 de setembro (madrugada de sábado para domingo)

A sombra do Naranjo
04h00, na TV Brasil

Título original: La sombra del Naranjo. País de origem: Costa Rica. Ano: 2016. Gênero: documentário. Direção: Patricia Velásques Guzmán.

Seu Oscar Naranjo sempre foi a fortaleza de sua família: ele era uma árvore que acolhia a todos com sua sombra. Depois de um derrame cerebral, a sua vida e a de sua família mudaram radicalmente. O homem passa a ser totalmente dependente dos seus entes queridos.

A nova situação cria tensão na família. O filme mergulha em uma trama em que os familiares terão que enfrentar desafios difíceis para permanecer unidos. Por meio da história dos Naranjo, o documentário dirigido por Patricia Velásques Guzmán faz uma reflexão sobre a velhice, a doença e as relações familiares.

Reprise. 54 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 04h00


Domingo, 25 de setembro

O Grande Xerife
14h00, na TV Brasil

Ano de estreia: 1972. Gênero: comédia. Direção: Pio Zamuner, com Amácio Mazzaropi, Patricia Mayo, Paulo Bonelli, Tony Cardi, Augusto César Ribeiro.

Mazzaropi interpreta um viúvo pai de Mariazinha. Ele é o morador mais antigo de Vila do Céu onde vive cuidando da vida dos outros. Um dia, chega na cidade, disfarçado de padre, o bandidão João Bigode.

O maldoso mata o xerife e põe Poróroca em seu lugar. A confusão está armada e só o nosso Grande Xerife pode proteger a cidade.

Reprise95 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 14h00





Domingo25 de setembro

Embargo
19h00, na TV Brasil

País de origem: Brasil, Portugal e Espanha. Ano: 2010. Gênero: drama. Direção: Antônio Ferreira, com Filipe Costa, Cláudia Carvalho, Pedro Diogo, Fernando Taborda, José Raposo, Miguel Lança, Eloy Monteiro.

Nuno é um homem que trabalha numa roulotte de bifanas, mas que inventou uma máquina que promete revolucionar a indústria do calçado - um digitalizador de pés.

No meio de um embargo petrolífero e deparando-se com uma estranha dificuldade, Nuno tenta obstinadamente vender a máquina, obcecado por um sucesso que o fará descurar algumas das coisas essenciais da sua vida.

Quando Nuno fica estranhamente enclausurado no seu próprio carro e perde uma oportunidade única de finalmente produzir o seu invento, vê subitamente a sua vida embargada...

Dirigido por Antônio Ferreira, o filme é inspirado na obra homônima do escritor português José Saramago. O longa recebeu Menção Honrosa do Jurí Internacional no Fantasporto (Portugal).

Reprise80 min.
Classificação Indicativa: 10 anos
Horário: 19h00



Domingo, 25 de setembro (madrugada de domingo para segunda-feira)

Semeadores da Água
00h00, na TV Brasil

Título original: Sembradores de Agua. País de origem: Venezuela. Ano: 2016. Gênero: documentário. Direção: Mohamed Hussain.

Por meio de rituais ancestrais carregados de magia, o documentário “Semeadores da Água” mostra a luta de Ligia Parra para preservar a reserva das nascentes de água nos Andes venezuelanos. Ela é a metáfora de como a força da união comunal e da fé conseguem dar vida ao líquido vital.

Inédito. 54 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 00h00



Domingo, 25 de setembro (madrugada de domingo para segunda-feira)

Flores do Amanhã
01h00, na TV Brasil

Título original: Xiang ri Kui. País de origem: China. Ano: 2005. Gênero: drama. Direção: Yang Zhang, com Haiying Sun, Zhang Fan, Ge Gao, Wang Haidi.

A morte de Mao Tsé-Tung põe fim à tirania na China fazendo com que o pintor Gengnian (Haiying Sun) seja libertado de um campo de trabalho em 1976, ano do término da Revolução Cultural no país.

Sob tortura, Gengnian teve suas mãos deformadas e, após ser solto, retorna para sua família: a esposa Xiuqing (Joan Chen) e o filho de 9 anos, Xiangyang (Zhang Fan). O garoto, no entanto, não aceita a presença do pai e se recusa a reconhecê-lo.

Ao notar o desenvolvimento de seu talento para a pintura, herança de seu pai, Xiangyang permite que um explosivo destrua sua mão, na intenção de imitar o defeito de Gengnian e também acabar com o sonho dele de ver o filho seguindo sua carreira.

Ao discutir a difícil relação entre pai e filho, com várias passagens de tempo no decorrer da trama, o longa revela os conflitos entre a antiga e a nova China. A questão política, apesar disso, é apenas o pano de fundo para a história que se passa enquanto a sociedade chinesa passa por grandes transformações de valores.

O drama “Flores do Amanhã”, dirigido pelo cineasta chinês Yang Zhang, foi considerado o Melhor Filme no Festival de San Sebastian em 2005.

Reprise. 129 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 01h00




Fonte: Fernando Chaves
Coordenador de Comunicação
Gerência de Comunicação
Empresa Brasil de Comunicação | TV Brasil | Rádios Nacional e MEC

Imprensa (2)Trailer/Divulgação

Imprensa (3) Teaser Trailer

Popular Posts

Google+ Followers