Our social:

sábado, 9 de abril de 2016

"Nome próprio" de Murilo Salles é um dos destaques da programação da TV BRASIL de 9 a 17 de Abril


Neste sábado (9), às 15h, a TV Brasil estreia o documentário nacional "Rainha Hortência & Magic Paula" sobre a genial dupla do basquete feminino brasileiro na década de 1990. À noite, às 22h, a emissora exibe o drama "Paula, a história de uma subversiva", dirigido por Francisco Ramalho Jr. Mais tarde, à 0h15, vai ao ar o filme paraguaio "Fora de campo". Em seguida, à 1h15, o destaque é o premiado drama brasileiro "Em teu nome", de Paulo Nascimento.

Neste domingo (10), à 1h30 da madrugada, será exibido o documentário "Kátia".

Nesta segunda (11), a TV Brasil inicia o Ciclo de Cinema Iraniano com uma seleção de cinco clássicos de diretores consagrados do país asiático do Oriente Médio. As produções iranianas vão ao ar à 1h da madrugada.

A sessão começa de segunda (11) para terça (12), à 1h, com o longa "Gosto de Cereja", considerado a obra prima da filmografia do diretor Abbas Kiarostami. O filme conquistou a Palma de Ouro no Festival da Cannes e vai ao ar às 23h.

De terça (12) para quarta (13), à 1h, a atração da faixa é o lírico filme "Gabbeh", do premiado cineasta Mohsen Makhmalbaf.

Já de quarta (13) para quinta (14), à 1h, o destaque é o drama "Tempo de Cavalos Bêbados", do cineasta Bahman Ghobadi. O diretor conquistou a Câmera de Ouro no Festival de Cannes.

Nesta quinta (14), às 19h, o documentário nacional "As Lutas de Adriana" retrata a história de Adriana dos Santos Araújo, a primeira atleta brasileira a ganhar uma medalha olímpica no boxe nos Jogos de Londres em 2012. Mais tarde, na madrugada para sexta (15), à 1h, vai ao ar o longa "A Maçã" dirigido pela cineasta Samira Makhmalbaf, filha do diretor Mohsen Makhmalbaf

De sexta (15) para sábado (16), para encerrar o Ciclo de Cinema Iraniano, a TV Brasil apresenta o sensível e poético drama "O Silêncio", dirigido pelo iraniano Mohsen Makhmalbaf, reconhecido com a Medalha de Ouro do Senado Italiano no Festival de Veneza.

No próximo sábado (16), às 15h, a emissora exibe o documentário nacional "Szabo, em busca do gol" sobre o maior jogador de polo aquático do país. À noite, às 23h, estreia o premiado drama "Nome Próprio", dirigido por Murilo Salles e estrelado por Leandra Leal. Mais tarde, à 1h15, vai ao ar o filme peruano "Caminho à Baixada". Em seguida, às 2h15, entra em cartaz o documentário "O Resfolego do Rei", sobre Luiz Gonzaga, o Rei do Baião.

Por fim, no domingo (17), à 1h30 para segunda (18), está programado  o drama "Embargo". O filme é inspirado na obra homônima do escritor português José Saramago

__________________________________________________________________
Sábado, 9 de abril

Rainha Hortência & Magic Paula
15h00, na TV Brasil

Ano: 2014. Gênero: documentário. Direção: Rubens Rewald.

Hortência e Paula, duas das maiores jogadoras de basquete de todos os tem­pos no mundo, fizeram parte da mais vitoriosa geração do basquetebol femi­nino do Brasil na década de 1990

Conhecida como a "Rainha" das quadras, Hortência foi dona da camisa 4 da seleção por quase 20 anos e formou ao lado de "Magic" Paula uma dupla genial, que foi capaz de lotar ginásios em todo o país.

As duas integraram o time feminino de basquete que conquistou a medalha de prata nas olimpíadas de Atlanta, nos Estados Unidos, em 1996. Com uma ótima campanha e uma equipe focada, as brasileiras caíram diante da seleção americana, mas mesmo assim foi um grande vitória, sendo essa a primeira medalha olímpica conquistada pelas meninas do basquete feminino brasileiro.

Dirigido por Rubens Rewald, o documentário “Rainha Hortência & Magic Paula” conta a história das duas atletas, recorda e rivalidade e a incrível geração que jogou com as craques e fez história pela seleção brasileira feminina de basquete nos anos 1990.

Inédito. 26 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 15h00




Sábado, 9 de abril

Paula, a história de uma subversiva
22h00, na TV Brasil

Ano: 1979. Gênero: drama. Direção: Francisco Ramalho Jr., com Walter Marins, Armando Bógus, Marlene França, Regina Braga, Carina Cooper, Helber Rangel, Ilana Scherl, Hugo Della Santa.

O arquiteto Marco Antônio (Walter Martins) enfrenta problemas no trabalho e está vivendo um momento de crise amorosa com a fotógrafa Bia (Regina Braga), uma jovem de temperamento instável. Ele é informado por sua ex-mulher Marta (Marlene França) que a filha do casal, uma menina de quinze anos, desapareceu após ter ido a uma festa.

Com isso, contrata os serviços do policial Oliveira (Armango Bogus) que reconhece Marco Antônio, pois o policial o perseguiu quando o arquiteto era um estudante engajado. Ao se encontrar com o policial, Marco Antonio se lembra de quando o conhecera, há dez anos. Naquela época, Oliveira (Armando Bógus) era um violento agente do DOPS que perseguia e torturava militantes dos movimentos estudantis contrários ao regime de governo da época.

Oliveira fora o principal algoz de Paula (Carina Cooper), ex-aluna e amante de Marco Antonio. A procura pela filha, traz lembranças do passado de Marco: sua militância e seu grande amor.

Dirigido por Francisco Ramalho Jr., o drama “Paula, a história de uma subversiva” é estrelado por Walter Marins, Armando Bógus, Marlene França, Regina Braga, Carina Cooper.

Inédito. 93 min.
Classificação Indicativa: 16 anos
Horário: 22h00



Sábado, 9 de abril (madrugada de sábado para domingo)

Fora de campo
00h15, na TV Brasil

Título original: Fuera de campo. País de origem: Paraguai. Ano de estreia: 2014. Gênero: documentário. Direção: Hugo Giménez.

O documentário volta a cidade de Curuguaty, palco de um massacre entre camponeses e forças do estado paraguaio em 2012. A ideia da produção é trazer as pessoas de volta para o campo e dar voz às vítimas silenciadas pelo ataque.

Dirigido por Hugo Giménez, o filme faz uma viagem entre as imagens na tentativa de completá-las onde a dor e a ausência ainda pesam. Uma imagem nunca é portadora da totalidade de seu significado.

Inédito. 52 min.
Classificação Indicativa: 14 anos
Horário: 00h15


Sábado, 9 de abril (madrugada de sábado para domingo)

Em teu nome
01h15, na TV Brasil

Ano: 2009. Gênero: drama. Direção: Paulo Nascimento, com Leonardo Machado, Fernanda Moro, César Troncoso, Nelson Diniz, Silvia Buarque, Marcos Paulo, Julia Feldens, Sirmar Antunes, Marcos Verza, Gilberto Perin, Jeffersonn Silveira.

Nos anos 1970, a América Latina vivia um período de ditaduras militares. Alguns tentavam resistir. Entre eles, Boni, um estudante de engenharia que entra na luta armada contra o governo, mas carrega dúvidas sobre se esta é a melhor forma de agir.

Cecília, sua namorada, quer viver a vida "como todos os outros" estão vivendo na época. Boni é preso, torturado e expulso do país. Cecília vai atrás dele e passam a viver tempos de fuga, mas também de amor no Chile, Argélia e, finalmente, Paris, onde Boni se torna o presidente do Comitê pela Anistia, onde começam a preparar a volta para casa.

Dirigido por Paulo Nascimento, o drama “Em teu nome” ganhou vários prêmios no Festival de Gramado. O longa foi reconhecido nas categorias Melhor Música, Melhor Ator (Leonardo Machado) e Melhor Diretor (Paulo Nascimento). O filme ainda conquistou o Prêmio Especial do Júri.

Reprise. 102 min.
Classificação Indicativa: 14 anos
Horário: 01h15


Domingo, 10 de abril (madrugada de domingo para segunda-feira)

Kátia
01h30, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: documentário. Direção: Karla Holanda.

Kátia Tapety é o personagem central deste filme. Nascida José, em Colônia do Piauí, município nordestino que tem 8 mil habitantes, Kátia tornou-se a primeira travesti a ser eleita a um cargo político no Brasil, exercendo mandatos como vereadora e vice-prefeita

O filme dirigido por Karla Holanda é resultado de 20 dias de convívio com ela no sertão pianuiense. A produção recebeu o prêmio de melhor longa na 8ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos da América do Sul.

Inédito. 74 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 01h30


Segunda-feira, 11 de abril (madrugada de segunda para terça-feira)

Gosto de Cereja
01h00, na TV Brasil

Título original: Ta'm e guilass. País de origem: Irã. Ano: 1997. Gênero: drama. Direção: Abbas Kiarostami, com Homayoun Ershadi, Abdolrahman Bagheri, Afshin Khorshid Bakhtiari.

Sr. Badii é um homem de meia idade amargurado que deseja morrer, mas vive em uma sociedade onde o suicídio é considerado uma abominação. Ele busca conhecer alguém que possa enterrá-lo em buraco e confirmar se ele está mesmo morto.

Dirigindo pelas colinas acima de Teerã, ele conhece diversos personagens: afegãos, curdos, turcos, prisioneiros do deserto, um soldado, um estudante seminarista e o empregado de um museu.

Essas pessoas também vivem mais ou menos à margem da sociedade e recebem a proposta de Badii com reações variadas. Cada um apresenta suas razões para rejeitar a proposta de ajudá-lo nessa atitude: medo, escrúpulos religiosos e repulsa humanista por uma vida deliberadamente desperdiçada.

Vencedor da Palma de Ouro no Festival da Cannes, o drama “Gosto de Cereja” é considerado a obra prima do cineasta iraniano Abbas Kiarostami e um dos filmes mais importantes da década de 1990. A narrativa do road movie estimula a reflexão enquanto o protagonista circula pelas paisagens áridas de Teerã.

Reprise. 98 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 01h00


Terça-feira12 de abril (madrugada de terça para quarta-feira)

Gabbeh
01h00, na TV Brasil

Título original: Gabbeh. País de origem: Irã. Ano: 1996. Gênero: drama. Direção: Mohsen Makhmalbaf, com Hossein Moharami, Shaghayegh Djodat, Abbas Sayahi.

Nas margens de um rio, uma casal de idosos lava um Gabbeh (tapete persa) que parece conversar com eles. Os desenhos deste tapete contam a história de amor de uma jovem cujos pais se recusam a deixá-la se casar com o homem que ama. O rapaz segue a tribo nômade da moça em sua jornada pelos campos, na garupa de um cavalo. No decorrer da trama, as duas narrativas se entrelaçam: a história do casal de idosos e o romance impossível da jovem que deseja viver um amor desmedido.

Repleto de lirismo, o drama “Gabbeh” foi reconhecido no Festival da Catalunha com o prêmio de Melhor Diretor para o renomado cineasta iraniano Mohsen Makhmalbaf. O diretor ainda recebeu o Prêmio da Associação Catalã de Críticos e Roteiristas de Cinema. O filme “Gabbeh” também conquistou o Prêmio Tela de Prata no Festival de Cingapura. Já no Festival de Tóquio, o longa ganhou o Prêmio de Melhor Contribuição Artística.

Reprise. 75 min.
Classificação Indicativa: Livre.
Horário: 01h00


Quarta-feira, 13 de abril (madrugada de quarta para quinta-feira)

Tempo de Cavalos Bêbados
01h00, na TV Brasil

Título original: Zamani barayé masti asbha. País de origem: Irã. Ano: 2000. Gênero: drama. Direção: Bahman Ghobadi, com Amaneh Ekhtiar-Dini, Ayoub Ahmadi, Jouvin Younessi, Madi Ekhtiar-Dini, Nezhad Ekhtiar-Dini.

Em uma vila do Curdistão iraniano, perto da fronteira com o Iraque, cinco irmãos órfãos de mãe vivem na pobreza. As crianças são responsabilizadas pela perda da mula de um contrabandista.

Ayoub (Ayoub Ahmadi) e sua jovem irmã Ameneh (Amaneh Ekhtiar-dini) trabalham em um bazar, a fim de juntarem dinheiro para pagar a mula perdida, ao mesmo tempo que precisam cuidar de Madi (Madi Ekhtiar-Dini), o irmão caçula, que sofre uma grave doença. O remédio que ele toma é caro e o médico diz que o menino precisa ser operado em breve para ter chances de sobreviver.

Quando o pai deles morre, Ayoub precisa cuidar da família, apesar de sua pouca idade. Ele acaba se unindo aos contrabandistas para conseguir um trabalho. O jovem tem que carregar cargas pesadas no lombo do cavalo pelas montanhas até o Iraque e enfrentar a constante ameaça das minas e emboscadas.

Apesar dos esforços de Ayoub, que tem várias ocupações, a família não consegue pagar pela operação de Madi. Assim, a irmã mais velha Rojin (Rojin Younessi) decide se casar com um iraquiano que se comprometeria pagar a cirurgia do garoto no Iraque.

Entretanto, a família do futuro marido se recusa a deixar o menino doente atravessar a fronteira com eles. Em vez disso, eles lhe dão um cavalo. Ayoub volta para o Irã com ele, mas o tempo para a operação está ficando curto.

Primeiro filme do cineasta Bahman Ghobadi, o drama “Tempo de Cavalos Bêbados”, também conhecido no Brasil como “Tempo de Embebedar Cavalos”, rendeu a Ghobadi a Câmera de Ouro no Festival de Cannes de 2000. O reconhecimento premia o melhor filme de um diretor estreante no evento. A produção conquistou ainda o FIPRESCI em Cannes. Ex-assistente de direção de Abbas Kiarostami, o cineasta Bahman Ghobadi foi um dos atores principais do filme “O Quadro-Negro”, de Samira Makhmalbaf.

O longa “Tempo de Cavalos Bêbados” denuncia as duras condições de vida na região da fronteira do Irã com o Iraque. O título do filme se refere à necessidade de dar álcool aos cavalos para que sobrevivam ao frio das montanhas por onde Ayoub tem que caminhar durante seu trabalho.

O drama ganhou o Prêmio Especial do Júri no Festival de Chicago. Também recebeu o Prêmio de Melhor Filme nos Festivais de Edimburgo (Escócia) e Santa Fé (Estados Unidos. Já no Festival de São Paulo, a produção conquistou o Grande Prêmio do Júri. No Festival de Gijón (Espanha), o longa foi reconhecido com o Prêmio Especial do Júri.

Reprise. 80 min.
Classificação Indicativa: 16 anos
Horário: 01h00


Quinta-feira14 de abril

As Lutas de Adriana
19h00, na TV Brasil

Ano de estreia: 2013. Gênero: documentário. Direção: Alberto Iannuzzi.

As Lutas de Adriana” conta a história de uma guer­reira: Adriana dos Santos Araújo, primeira mulher brasileira a ganhar uma medalha olímpica no boxe nos Jogos de Londres em 2012. Derrotada pela russa Sofya Ochigava na semifinal da categoria até 60kg, ela ficou com o bronze. Nascida em uma comunidade carente de Salvador em 1981, a atleta encarou diferentes lutas nos ringues e fora deles até se tornar um exemplo para as novas gerações.

Adriana superou diversos obstáculos não só em sua carreira, mas também em sua vida. O primeiro desafio: sair de um bairro pobre e entrar no universo do boxe. O segundo: praticar e se fir­mar em um esporte predominantemente masculi­no. O terceiro: ter que viver e treinar na solidão de uma metrópole estranha ao seu espaço afetivo.

A narrativa mergulha de forma intimista nos dramas e alegrias da boxeadora, utilizando uma linguagem de Cinéma Vérité. De forma espontânea, o documentá­rio dirigido por Alberto Iannuzzi vai delineando a essência de uma mulher que, além do histórico bronze nas Olimpíadas de Londres em 2012, dos 10 Campeonatos Brasileiros e dos 7 Pan-americanos, também venceu na vida.

Reprise. 26 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 19h00




Quinta-feira, 1de abril (madrugada de quinta para sexta-feira)

A Maça
01h00, na TV Brasil

Título original: Sib. País de origem: Irã. Ano: 1998. Gênero: drama. Direção: Samira Makhmalbaf, com Massoumeh Naderi, Zahra Naderi, Ghorban Ali Naderi.

Angela (Maribel Verdu) viaja com seu filho Guille (Victor Valdivia) para Madrid onde seu pai Léo foi internado em um hospital devido a uma doença súbita. Lá, eles descobrem que o homem morreu sem remédio.

Mãe e filho conhecem Charo (Blanca Portillo), amante do falecido, que avisa sobre o negócio de Leo que não é nada rentável. Ele tinha um salão de jogos com 7 mesas de bilhar francês. Charo está convencida de que a única maneira de pagar as dívidas é vender o lugar.

Ao retornar para sua cidade, Angela descobre que seu marido desapareceu em circunstâncias misteriosas. Um amigo, colega de trabalho do seu marido (Jose Luis Garcia Perez), conta ele levava uma vida dupla. Para manter sua segunda família, o marido de Angela se dedicava à corrupção dentro da delegacia onde trabalhava.

Perante esta realidade dolorosa, Angela resolve reconstruir sua vida. Ele decide, reunir suas economias, voltar para a cidade grande e reabrir o negócio de seu pai.

Dirigido por Gracia Querejeta, o drama espanhol “Siete mesas de Billar Frances” ganhou dois Goya nas categorias Melhor Atriz (Maribel Verdú) e Melhor Atriz (Amparo Baró). Já no Festival de San Sebastian, o longa foi premiado nas categorias Melhor Roteiro e Melhor Atriz.

O Círculo de Críticos de Filmes da Espanha reconheceu o drama nos quesitos Melhor Filme e Melhor Atriz. A União dos Atores da Espanha premiou o longa na categoria Melhor Ator (Raúl Arévalo). No Festival de Toulouse (França), o filme ganhou o prêmio de Melhor Atriz (Blanca Portillo).

Reprise. 85 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 01h00




Sexta-feira, 1de abril (madrugada de sexta-feira para sábado)

O Silêncio
01h00, na TV Brasil

Título original: Sokout. País de origem: Irã. Ano: 1998. Gênero: drama. Direção: Mohsen Makhmalbaf, com Golbibi Ziadolahyeva, Nadereh Abdelahyeva, Tahmineh Normatova.

Khorshild, um garoto cego de 10 anos, mora sozinho com a mãe em uma pequena aldeia na fronteira entre o Irã e o Tajiquistão. Graças a sua aguçada audição, ele trabalha como afinador de tradicionais instrumentos de música.

O pai do menino foi para Rússia e sua mãe vive da pesca. Khorshild pega o ônibus todos os dias para ir para o trabalho, mas algumas vezes, no caminho, conversas e melodias chamam sua atenção e ele se perde procurando pelos sons. Enquanto isso, seu chefe e seu jovem colega de trabalho ficam impacientes. Apesar das advertências, Khorshild continua ouvindo os sons da cidade.

Dirigido pelo aclamado cineasta iraniano Mohsen Makhmalbaf, o sensível e poético drama “O Silêncio” foi reconhecido com a Medalha de Ouro do Senado Italiano no Festival de Veneza.

Reprise. 77 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 01h00



Sábado, 16 de abril

Szabo, Em busca do Gol
15h00, na TV Brasil

Ano: 2014. Gênero: documentário. Direção: Marcos Ribeiro.

Quem foi Szabo? Por que ele foi o maior jogador de polo aquático do Brasil? Por que era admirado e lotava as piscinas? Por que alguns não gostavam dele? Como foi sua participação na maior façanha do polo aquático nacional, a conquista do título PanAmericano de 1963, em São Paulo? E como foi sua participação nos Jogos Olímpicos de 1964. E a família? O que eles dizem do Pai, do homem, do jogador?

Dirigido por Marcos Ribeiro, o documentário “Szabo, em busca do gol” apresenta um retrato humano do maior jogador de polo aquatico do país.

Inédito. 26 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 15h00




Sábado, 16 de abril

Nome Próprio
23h00, na TV Brasil

Ano: 2007. Gênero: drama. Direção: Murilo Salles, com Leandra Leal, Juliano Cazarré, Munir Kanaan, Reginaldo Faidi, Alex Didier, Martha Nowill, Frank Borges, Fabio Frood, Milhem Cortaz, David Katz, Norival Rizzo, Rosanne Mulholland, Ricardo Garcia, Paulo Vasconcelos, Alan Medina, Gustavo Machado, Luciana Brites, Ricardo Galli.

Nome Próprio” conta a história de uma jovem mulher que dedica a vida à sua paixão: escrever. Camila é intensa, complexa e corajosa. Para ela, o que interessa é construir uma trajetória como ato de afirmação. Sua vida é sua narrativa. A jovem busca construir uma existência complexa o suficiente para se escrever sobre ela. Para Camila, a vida floresce das cicatrizes de seu processo de entrega absoluta e vertiginosa.

A moça escreve compulsivamente em um blog, só que isto faz com que também fique isolada e que só consiga ver duas opções na vida: se matar ou encontrar o grande amor - o que vier primeiro.

Dirigido por Murilo Salles e estrelado por Leandra Leal com grande elenco, o drama “Nome Próprio” conquistou dois prêmios no Festival de Gramado: Melhor Longa-Metragem e Melhor Atriz (Leandra Leal).

Inédito. 120 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 23h00



Sábado, 16 de abril (madrugada de sábado para domingo)

Caminho à Baixada
01h15, na TV Brasil

Título original: Rumo a La Hoyada. País de origem: Peru. Ano de estreia: 2014. Gênero: documentário. Direção: Andrés Cotler.

Trinta anos depois do início da guerra civil no Peru e dez anos após a entrega do Informe da Comissão da Verdade, o documentário "Caminho à Baixada" questiona o destino dos 16.000 desaparecidos pela ação do Estado peruano e pelo Sendero Luminoso nos Andes peruanos.

Dirigido por Andrés Cotler, o documentário narra a história de três personagens que viajam de diversos vilarejos à cidade de Huamanga, em Ayacucho, onde esperam receber os restos mortais de seus familiares e dar-lhes um enterro digno.

No trajeto, eles falam sobre a violência e a dor que tiveram que enfrentar, contam histórias de suas vidas e destacam a luta incessante para sobreviver a essa época. No caminho encontramo outros personagens com quem reconstroem a memória de seu tempo.

Inédito. 52 min.
Classificação Indicativa: 14 anos
Horário: 01h15


Sábado, 16 de abril (madrugada de sábado para domingo)

O Resfolego do Rei
02h15, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: documentário. Direção: Mario Rezende.

O “Resfolego do Rei” é a sequência do documentário “As Sanfonas do Lua”, lançado em 2002 para celebrar os 90 anos de nascimento do Gonzagão. O novo projeto dirigido pelo jornalista Mario Rezende foi contemplado pela Funarte em 2012 no Prêmio Centenário de Luiz Gonzaga.

Lançado no ano do centenário de Gonzagão, o documentário traça um panorama sobre a vida e a obra do Rei do Baião ao entrevistar pessoas que conviveram com o artista. Amigos, músicos e fãs contam histórias dos bastidores das apresentações de Luiz Gonzaga nos quatro cantos do país.

Reprise. 50 min.
Classificação indicativa: Livre
Horário: 02h15


Domingo, 17 de abril (madrugada de domingo para segunda-feira)

Embargo
01h30, na TV Brasil

País de origem: Brasil, Portugal e Espanha. Ano: 2010. Gênero: drama. Direção: Antônio Ferreira, com Filipe Costa, Cláudia Carvalho, Pedro Diogo, Fernando Taborda, José Raposo, Miguel Lança, Eloy Monteiro.

Nuno é um homem que trabalha numa roulotte de bifanas, mas que inventou uma máquina que promete revolucionar a indústria do calçado - um digitalizador de pés.

No meio de um embargo petrolífero e deparando-se com uma estranha dificuldade, Nuno tenta obstinadamente vender a máquina, obcecado por um sucesso que o fará descurar algumas das coisas essenciais da sua vida.

Quando Nuno fica estranhamente enclausurado no seu próprio carro e perde uma oportunidade única de finalmente produzir o seu invento, vê subitamente a sua vida embargada...

Dirigido por Antônio Ferreira, o filme é inspirado na obra homônima do escritor português José Saramago. O longa recebeu Menção Honrosa do Jurí Internacional no Fantasporto (Portugal).

Reprise. 80 min.
Classificação Indicativa: 10 anos
Horário: 01h30

_______________________________________________________________

Fonte: Fernando Chaves
Coordenador de Comunicação
Gerência de Comunicação
Empresa Brasil de Comunicação|TV Brasil

Imprensa (2)Trailer/Divulgação

Imprensa (3) Teaser Trailer

Popular Posts

Google+ Followers