Our social:

sábado, 12 de março de 2016

"Esse amor que nos consome" é o destaque da semana na TV Brasil (17 a 20 de Março)

Filme de Allan Ribeiro mistura linguagem de ficção e documentário.

Nesta semana, a TV Brasil exibe filmes e documentários nacionais, premiados em Festivais no Brasil e no exterior, além de produções do México.  A história de brasileiros que conquistaram medalhas em jogos olímpicos estão entre os temas abordados.

Na quinta (17), às 19h, o documentário "5 x Yane" conta a história da pernambucana Yane Marques que conquistou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, no pentatlo moderno.

No sábado (19), às 15h, vai ao ar a produção nacional "O nadador: a história de Tetsuo Okamoto", documentário sobre o atleta conquistou a primeira medalha olímpica para a natação brasileira nos Jogos de Helsinque, em 1952. Às 22h, o destaque é "Esse amor que nos consome", filme premiado no Festival de Brasília. À meia-noite, é a vez do longa mexicano "A Nação Interior". Em seguida, à 1h da manhã a emissora exibe o documentário "Uma Longa Viagem", de Lúcia Murat, com Caio Blat.


Por fim, no domingo (20), às 16h30, a comédia nacional "Uma Pistola para Djeca" traz o saudoso humorista Amácio Mazzaropi. Na madrugada de domingo para segunda-feira, à 1h30, vai ao ar o documentário brasileiro "As Asas Invisíveis do Padre Renzo".


_____________________________________________________________________________________________

Saiba mais sobre a programação de filmes da TV Brasil (17 a 20 de março de 2016)

Quinta-feira, 17 de março
5 x Yane
19h00, na TV Brasil
Ano de estreia: 2013. Gênero: documentário. Direção: Renata Almeida Magalhães e Flora Diegues.

Esgrima, natação, hipismo, tiro e corrida são as cinco provas que compõe o pentatlo moderno, modalidade na qual a pernambucana Yane Marques conquistou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, no ano de 2012.


O filme “5 x Yane” narra a trajetória da pentatleta Yane Marques da infância pobre, em Afogados da Ingazeira (PE), até a medalha de bronze nas Olimpíadas de Londres. Em paralelo, a produção faz uma volta ao tempo para revelar a origem do pentatlo e seus motivos heroicos.



O documentário recorda grande atletas e o pensamento de intelectuais como Aristóteles a quem é atribuída a frase: "o pentatleta é o mais perfeito esportista, pois seu corpo possui força e velocidade, combinadas em harmonia".



A soma das duas narrativas – competitiva e histórica – ajuda a construir o mito Yane Marques no documentário realizado pelas diretoras Renata Almeida Magalhães e Flora Diegues.



Reprise. 26 min.

Classificação Indicativa: Livre
Horário: 19h00


Sábado, 19 de março


O nadador: a história de Tetsuo Okamoto

15h00, na TV Brasil
Ano de estreia: 2013. Gênero: documentário. Direção: Rodrigo Grota.

O documentário apresenta a trajetória do nadador Tetsuo Okamoto (1932-2007). O atleta conquistou a primeira medalha olímpica para a natação brasileira, o bronze na prova dos 1.500 metros Nado Livre nos Jogos Olímpicos de Helsinque, em 1952.


Com entrevis­tas, imagens de arquivo e reconstituição de momentos importantes na vida de Tetsuo, o documentário descreve a infância em Marília, as primeiras vitó­rias, o Pan-Americano de 1951 e a sua participação em Helsinque. Herói da natação brasileira, Tetsuo é considerado um exemplo de dedicação e persistência para o esporte nacional.



Inédito. 26 min.

Classificação Indicativa: Livre
Horário: 15h00



Sábado, 19 de março



Esse amor que nos consome

22h00, na TV Brasil
Ano: 2012. Gênero: ficção/documentário. Direção: Allan Ribeiro, com Gatto Larsen, Rubens Barbot.

Gatto Larsen e Rubens Barbot são companheiros de vida há mais de 40 anos e acabam de se instalar em um casarão abandonado no Centro do Rio de Janeiro. Ali, eles passam a viver e ensaiar com sua companhia de dança. A luta do dia a dia se mistura à criação artística e à crença em seus orixás. Através da dança eles se espalham pela cidade, marcando seus territórios.


A produção “Esse amor que nos consome” é um filme híbrido, que mistura as linguagens de ficção e documentário. O elenco é formado por integrantes da Companhia Rubens Barbot, o mais antigo grupo afro-brasileiro de dança contemporânea. Os protagonistas do longa são o diretor argentino Gatto Larsen e o coreógrafo brasileiro Rubens Barbot que interpretam os papéis de suas próprias vidas, atuando em suas locações reais.



O filme se inicia a partir do momento crucial em que eles se mudam para um casarão abandonado na Praça da Cruz Vermelha. Lá, eles ensaiam e acreditam que com a fé nos seus Orixás para continuar no espaço que está à venda. Graças à persistência criativa, que dribla a constante falta de recursos, eles conseguem levar adiante a sua arte. A luta do dia a dia, a dança, a religiosidade, o companheirismo, as questões raciais e urbanas são temas abordados na produção.



Dirigido por Allan Ribeiro, o longa “Esse amor que nos consome” conquistou os prêmios de Melhor Montagem e Melhor Direção de Arte no Festival de Brasília, Melhor Filme (júri jovem) no Panorama Internacional Coisa de Cinema de Salvador e Melhor Longa Metragem no Festival Vitória Cine Vídeo.



Inédito80 min.

Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 22h00




Sábado, 19 de Março (madrugada de sábado para domingo)



A Nação Interior

00h00, na TV Brasil
Título original: A Nação Interior. País de origem: México. Ano de estreia: 2014. Gênero: documentário. Direção: Bulmaro Osornio Morales.

O documentário explora uma nação em constante interrogação sobre sua identidade. A produção e a sensibilidade do pintor mexicano Daniel Lezama são o eixo de um relato de supervivência e reconciliação.


A produção é um ensaio confessional que transita para a região interior em que a história social, a nação mexicana, o território existencial e a esfera do corpo constituem a olhada e o pulso de um dos artistas mais importantes da cena plástica do país.



O filme realiza o seguimento de três personagens cujo espectro vital é o eco do imaginário de Lezama: Rebeca, empregada de uma pensão-prostíbulo; Fausto, velho derrotado e solitário; e Sofía, adolescente cantora de transporte público, símbolo daquela que dá consolo.



Dirigido por Bulmaro Osornio Morales, o longa “A Nação Interior” é a aproximação a um criador que escolheu um sistema artístico cuja relevância é encontrar uma promessa em que se supõe que já não existe.



Inédito. 52 min.

Classificação Indicativa: 14 anos
Horário: 00h00



Sábado, 19 de Março (madrugada de sábado para domingo)



Uma longa viagem

01h00, na TV Brasil
Ano: 2011. Gênero: documentário. Direção: Lucia Murat, com Caio Blat.

O documentário “Uma Longa Viagem” conta a história de três irmãos durante a ditadura no Brasil. Em 1969, a família envia o caçula para fora do Brasil a fim de evitar seu engajamento na luta armada, como fez a irmã, Lucia. Heitor viaja pelo mundo ao longo de nove anos e, durante esse tempo, envia cartas à família.


Lucia, presa política que virou cineasta, também viaja pelo mundo, mas de modo diferente do irmão, que passou por uma série de dificuldades ao longo dos anos..



Miguel, o terceiro irmão, morreu, e a única coisa que eles conseguem fazer diante da perda é resgatar a memória da época em que os três viveram juntos.



Usando-se de entrevistas, cartas e comentários da irmã (em off), o documentário trata de memória. Não só pela forma como é feita a investigação, mas pelas razões que motivaram Heitor a dar as entrevistas e Lucia a reunir as cartas que a mãe tinha juntado durante a vida.



O filme levou o prêmio de Melhor Documentário (Prêmio do Público) no Festival de Málaga; Prêmio da Crítica de Melhor Documentário, no Festival de Paulinia; além de ser eleito como melhor filme e ganhar como melhor direção de arte, melhor ator e levar o Prêmio do Juri Popular, no Festival de Gramado.



Reprise. 95 min.

Classificação Indicativa: 14 anos
Horário: 01h00


Domingo, 20 de março

Uma Pistola para Djeca
16h30, na TV Brasil
Ano de estreia: 1969. Gênero: comédia. Direção: Ary Fernandes, com Amácio Mazzaropi, Nello Pinheiro, Elizabeth Hartman, Patricia Mayo, Rogério Camara.

Mazzaropi interpreta Gumercindo, um homem pobre e honesto que tem sua filha seduzida pelo filho do fazendeiro. A garota fica grávida, mas a criança é motivo de chacotas por não ter pai.


O patrão acaba expulsando o trabalhador de suas terras e Gumercindo se une à fazendeiros vizinhos para o ajuste de contas. Agora a justiça deverá ser feita, só será preciso que algum louco dê “Um Pistola para Djeca”.



Reprise. 90 min.

Classificação Indicativa: Livre.
Horário: 16h30



Domingo20 de março (madrugada de domingo para segunda-feira)


As asas invisíveis do Padre Renzo
01h30, na TV Brasil
Ano: 2013. Gênero: documentário. Direção: Jorge Alexandre Felipe Neto.

O documentário retrata a conturbada vida de um missionário italiano, o Padre Renzo Rossi, incansável defensor da liberdade e dos direitos humanos. Ele protagonizou um importante papel social ao abraçar a árdua e obstinada tarefa de ajudar presos políticos durante a ditadura militar.


Homem dedicado a amparar os encarcerados e seus familiares, Padre Renzo teve a nobre missão de mitigar um pouco da dor e do sofrimento daqueles que experimentaram o drama da tortura e, mais ainda, da separação daqueles a quem amavam.



A solidariedade do missionário italiano foi muito além. Padre Renzo internacionalizou a luta pela anistia, procurou por exilados políticos e dirigentes de partidos; movimentou a opinião pública da Europa e percorreu 22 cidades do velho continente, incentivando o fim da ditadura no Brasil, em favor de uma anistia ampla, geral e irrestrita.



Dirigido Jorge Filipe, o documentário “As asas invisíveis do Padre Renzo” é inspirado no livro homônimo de Emiliano José.



Reprise. 78 min.

Classificação Indicativa: Livre.
Horário: 01h30
Fonte: Fernando Chaves /Coordenador de Comunicação

Gerência de Comunicação
Empresa Brasil de Comunicação|TV Brasil

Imprensa (2)Trailer/Divulgação

Imprensa (3) Teaser Trailer

Popular Posts

Google+ Followers