segunda-feira, 14 de fevereiro de 2022

15 ª edição do Festival Visões Periféricas começa dia 15 de fevereiro

 


Festival Visões Periféricas

Festival audiovisual chega à sua 15ª edição com formato presencial e on-line e gratuito para todo o Brasil

 

 

Festival Visões Periféricas é uma plataforma de difusão de filmes de curta, média e longa-metragem e desenvolvimento de projetos audiovisuais produzidos nas múltiplas periferias brasileiras. A 15ª edição do festival acontece entre os dias 15 e 21 de fevereiro de 2022 com formato presencial / on-line e gratuito para todo o Brasil. O festival esse ano exibirá, ao todo, 48 filmes de longas-metragens, médias e de curtas-metragens exibidos em 4 Mostras CompetitivasFronteiras Imaginárias: filmes de até 30 minutos produzidos por realizadores independentes de todo o Brasil; Cinema da Gema: filmes de até 30 minutos produzidos no Estado do Rio de Janeiro; Panorâmica: filmes com duração de pelo menos 40 minutos (média e longa metragens) e Visorama: filmes de até 15 minutos produzidos em projetos de formação audiovisual no Ensino Básico, Ensino Médio e/ou projetos do terceiro setor, além dos longas de abertura e de encerramento do festival.

 

A idealização do festival é de Marcio Blanco e a curadoria é de Kamilla Medeiros, Rosa Miranda, Lukas Nascimento e Marco Antônio. A iniciativa tem patrocínio da Prefeitura Municipal de Niterói e a Secretaria Municipal das Culturas (SMC) e com o apoio da Prefeitura do Rio, por meio da RioFilme, órgão que integra a Secretaria Municipal de Governo e Integridade Pública (SEGOVI).

 

República do Mangue
Além das Mostras, o festival realiza o Visões Lab, que consiste num laboratório de desenvolvimento de projetos de longas de ficção que irão receber uma mentoria nas áreas de roteiro, direção e produção executiva. Os projetos dos participantes, selecionados em 2021 passarão por uma rodada de pitching com players do mercado ao final do projeto. Os projetos vencedores receberão prêmios em dinheiro e prestação de serviço.

 

 

A edição de 2022 será realizada de forma híbrida, exibindo o festival presencialmente no Museu de Arte Moderna (MAM), Cine Teatro Eduardo Coutinho (Biblioteca Parque Manguinhos) e CineCarioca Nova Brasília. Além da exibição presencial, todas as sessões da mostra competitiva serão exibidas no site do festival: www.visoesperifericas.org.br de forma simultânea e ficarão disponíveis on-line por 24 horas.

 

O sonho do inútil

Considerado vanguardista por ter sido o primeiro festival no Brasil a oferecer ao público a sua exibição em formato híbrido (presencial e online) em 2014, o festival é pioneiro, também, em trazer como temática a periferia do Brasil e seus atores sociais.
 Ao longo das edições, o Festival exibiu cerca de 1200 filmes, entre curtas, médias e longas. Ao longo das edições nomes consagrados do audiovisual, como Aly Muritiba, André Novaes, Vincent Carelli, Chico Diaz, Regina Casé, passaram pelo Visões, além de ter homenageado os diretores Silvio Tendler, Adelia Sampaio (primeira diretora negra a dirigir um longa no Brasil) e Eduardo Coutinho.

 

“Em 15 anos de realização, o Festival Visões Periféricas se consolidou como projeto único e inovador de difusão audiovisual no país, formação de rede e inserção do jovem realizador de periferia no circuito nacional de festivais no mercado audiovisual. O Visões tem o mérito de ter sido o primeiro festival no Brasil a assumir a missão de revelar uma geração de jovens realizadores com origem nas periferias brasileiras. O conceito de periferia no festival é abrangente, incluindo filmes de realizadores de comunidades quilombolas, aldeias indígenas, favelas, negros e mulheres. Além disso, estamos sempre discutindo a periferia a partir dos filmes, selecionando aqueles que trazem um olhar inovador e esteticamente potente”, afirma o idealizador do festival e um dos curadores, Marcio Blanco.

 

 

 

Sessão de abertura:

 


Na sessão de abertura do festival, no dia 15, às 19h, será exibida a estreia do longa-metragem Direito de Sonhar (RJ, 75 min, 2022), de Theresa Jessouron.  O documentário mostra os desafios que moradores da periferia enfrentam diante da violência cotidiana da polícia e do tráfico de drogas. Tomando o Complexo do Alemão como universo, o documentário tem início com as manifestações contra o assassinato de Ágatha Félix, de 8 anos, em 2019 e o depoimento de sua mãe. A partir daí o documentário mostra como a ausência do Estado, o racismo e a discriminação social afetam vidas, sonhos, o acesso à educação e à cultura das crianças. Depoimentos fortes de crianças, jovens e adultos revelam a consciência dos entrevistados da necessidade de resistência e luta por seus direitos, como cidadãos, a uma vida melhor.

 

A exibição do longa acontecerá, também, como pré-estreia, no dia 14 de fevereiro, segunda-feira, às 18h, no Cine Carioca Nova Brasília, em sessão fechada apenas aos moradores locais e convidados.

 

Além das mostras, o festival este ano apresenta 6 debates com os realizadores das Mostras Competitivas Fronteiras Imaginárias e Cinema da Gema. Os debates  acontecem nos dias 17 de fevereiro, às 17h; 18 de fevereiro, às 15h; 19 de fevereiro, às 17h e às 19h e dia 21, às 15h e às 17h  e  serão exibidos no Canal do Youtube e na Página do Facebook do festival. 

 

 

Sessão de Encerramento:

 


No encerramento do festival, no dia 21 de fevereiro, às 19h, será exibido o longa-metragem Terras que libertam - História dos Cupertinos, de Diosmar Marcelino de Santana Filho. O filme apresenta a trajetória da população negra quilombola na Chapada Diamantina (Bahia-Brasil). Um movimento de liberdade com a liderança dos irmãos Júlio Cupertino e Jaime Cupertino, insurgentes em consciência negra no sentido de nascer e viver nas terras ancestrais quilombolas da Caatinga. O documentário revela a contemporaneidade da luta quilombola pelos direitos territoriais e sociais, a defesa do Território Quilombola de Vazante contra Barragem Baraúnas e a liberdade do guerreiro Julio Cupertino - ancestral no Território de Baixão Velho.

 

 

Os filmes das Mostras competitivas serão avaliados por um júri técnico e serão premiados com troféu, prestação de serviços na área de produção e pós-produção e bolsas de estudos em cursos de audiovisual. O filme com mais votação on-line por parte do público em cada mostra competitiva vai receber um troféu do Festival.

 

 

 

 

Visões Periféricas 2022

 

MOSTRAS COMPETITIVAS 

 

Mostra Panorâmica - 5 filmes

(filmes com duração de pelo menos 40 minutos - média e longa metragens)

 

*Sementes da Retomada

Doc, 52’, 2021, RS, Livre, De Marcelo Curia

 

*Jambalaia

Doc, 70’, 2021, RJ, Livre, De Breno Moreira

 

*No rastro das cargueiras

Doc, 70’, 2020, DF, 10 Anos, De Carol Matias

 

*O Sonho do Inútil

Doc, 72’, 2021, RJ, Livre, De José Marques de Carvalho Jr.

 

*Revelação do Peixe

Doc, 52’, 2021, RJ, Livre, De Gabriel Figueira e Niedya Lobato

 

 

Mostra Fronteiras Imaginárias - 20 filmes

(filmes de até 30 minutos produzidos por realizadores independentes de todo o Brasil)

 

 

*Via Láctea

Fic, 27’, 2021, BA, 14 anos, De Thiago Almasy

 

*Heroica Dreams

Exp, 7’, 2021, BA, Livre, De Marvin Pereira

 

*Cidade Sempre Nova

Exp, 24’, 2021, RN, 16 anos, De Jefferson Cabral

 

*Ímã de Geladeira

Fic, 19’, 2021, SE, Livre, De Carolen Meneses e Sidjonathas Araújo

 

*Interiores

Fic, 22’, 2021, RJ, 12 anos, De Matheus Bizarrias 

 

O Vendedor de Frutas

Fic, 9’, 2021, BA, 12 anos, De Ricardo Sena

 

*Mestres do Beiju

Doc, 16’, 2021, PA, Livre, De Luis Saraiva

 

*Sem Registro

Doc, 10’, 2021, AL, Livre, De Vivian Oliveira

 

*Trabalho é Campo de Guerra

Exp, 15’, 2021, MG, 10 anos, De Pedro Carcereri

 

*Centelha

Doc, 26’, 2021, AC, 12 anos, De Renato Vallone

 

*O Elemento Tinta

Doc, 9’, 2021, RJ, Livre, De Luiz Maudonnet e Iuri Salles

 

*Eu temo que não amanheça

Doc, 11’, 2021, MS, Livre, De Cainã Siqueira

 

*Liberdade

Doc, 17’, 2021, MT, Livre, De João Manteufel 

 

*Airão Velho, sayonara

Exp, 25’, 2020, AM, 12 anos, De Sandro Vilanova

 

*Te encontro em sonho

Exp, 3’, 2021, AP, Livre, De Beatriz Belo

 

*Quintal Verde

Doc, 9’, 2021, PE, Livre, De Felipe dos Santos

 

*Aluá

Doc, 15’, 2021, CE, Livre, De Felipe Camilo


*Ausência

Anim, 2’, 2020, SC, 12 anos, De Alexia Araujo

 

*Eu Te Amo é no Sol

Fic, 19’, 2021, MG, 12 anos, De Yasmin Guimarães

 

*A Última Valsa

Fic, 22’, 2021, GO, Livre, De André Srur

 

Mostra Cinema da Gema - 8 filmes

(filmes de até 30 minutos produzidos no Estado do Rio de Janeiro)

 

 

*A santa do peixe - lenda e artesanato

Doc, 28’, 2021, RJ, Livre, De Izabelle Brum

 

*Cafundó dos Aconchegos

Anim, 7’, 2021, RJ, Livre, De Rachel Aranha, Thomas Gamboa e João Niella

 

*Umbanda - alma antiga do novo mundo

Doc, 19’, 2021, RJ, Livre, De André Sampaio e Renata Than

 

*República do Mangue

Doc, 8’, 2021, RJ, 10 anos, De Julia Chacur, Mateus Sanches Duarte e Priscila Serejo

 

*Lina

Fic, 28’, 2021, RJ, 10 anos, De Melise Fremiot

 

*Cineminha no Beco

Doc, 15’, 2021, RJ, Livre, De Renato Oliveira

 

 

*Corpo que fala

Doc, 10’, 2021, RJ, Livre, De Samuel Fortunato e Bruno Rubim

 

*Ladeira não é rampa

Doc, 15’, 2021, RJ, Livre, De Antônio Ribeiro e Sandro Garcia

 

Mostra Visorama - 13 filmes

(filmes de até 15 minutos produzidos em projetos de formação audiovisual no ensino básico, médio e/ou projetos do terceiro setor)

 

*Era uma vez em Icapuí

Anim, 10’, 2021, CE, 10 anos, Dos Alunos do Projeto Animação Ambiental

 

*Da linha pra cá

Doc, 14’, 2020, SP, Livre, De Slim 2N

 

*Vento Viajante

Anim, 6’, 2020, CE, Livre, Dos Alunos da rede pública municipal

 

*Mind the Gap

Fic, 9’, 2020, BA, Livre, De Andrei Cruz, Beatriz Oliveira, Caio Rabello, Joanderson Souza, Richard Nathan Salinas, Vivian da Cruz e Wesley Borges

 

*Açaí: do pé ao prato

Doc, 9’, 2021, PA, Livre, De Ana Silva

 

*Porta dos Sonhos

Exp, 1’, 2021, MG, Livre, De Ana Clara Agostinho, Davi Assunção, Geovana Cristina, Isabela Ferreira e Sofia Luiz

 

*Diversidade

Exp, 2’, 2021, MG, Livre, De Amanda Caroline, Bianca Kamyle, Danielle Evangelista, Letícia Schmidt, Ludmila Alves e Sofia Medeiros

 

*Mitomania

Fic, 10’, 2021, SP, 10 anos, De Coletivo Ovo Frito no Asfalto

 

*Ano 2020

Doc, 15’, 2021, MG, Livre, De Coletivo Olhares (Im)Possíveis

 

 

*Preconceito no Futebol

Fic, 5’, 2020, PE, Livre, De Daniele Farias, Rhayanne Ketyne, Manoel Ramos e Matheus Souza

 

*Do outro lado do Rio

Doc, 4’, 2021, MG, Livre, De Keila Moraes Rodrigues

 

*A Anarquia dos Touros

Exp, 3’, 2021, MG, Livre, De David Olinda, Arthur Bernardo, Tulio Deládio e Felipe Lovisi

 

*A Costura como Ato de Resistência e Existência

Doc, 2’, 2021, SP, Livre, De Luciane Maria Ferreira do Nascimento

 

 

PROJETOS VISÕES LAB 

(Longas de ficção)

 

*Mamãe

Produtora Filmes de Mentira, SP 

 

*Obra aberta

Produtora Mosaico Filmes, SP

 

*Lúcia, você está no céu

Produtora ESTÚDIOS EO, CE

 

*Bento

Produtora Abaute Produções e Gata Preta Produções, SP

 

*Babando o Ovo

Produtora Usina da Imaginação e Flor do Vento, SC

 

*Julia

Produtora Goiabeira Filmes e Produções Ltda-ME, RJ

 

 Informações completas das Mostras, debates e Visões Lab encontram-se no site do festival: www.visoesperifericas.org.br

 

 

Sobre o Festival:

 

Festival Visões Periféricas é um projeto singular que amplia, por meio da exibição de filmes e laboratório de desenvolvimento de projetos, o espectro de visões sobre espaços periféricos brasileiros a partir do olhar de quem vive o seu cotidiano. Anualmente, o Festival assume a missão de: exibir um painel de filmes representativos das múltiplas periferias brasileiras; revelar uma geração de jovens realizadores que representem essa diversidade; desenvolver projetos de audiovisual orientados ao mercado; promover debates que estimulem uma reflexão a respeito da relação entre audiovisual, educação mercado e diversidade. O conceito de periferia no festival é abrangente e inclui desde filmes de realizadores de comunidades quilombolas, aldeias indígenas, favelas, negros e mulheres.


O objetivo geral do festival é exibir um painel diversificado de expressões culturais brasileiras através da produção audiovisual. A curadoria privilegia filmes que expressem esteticamente uma visão crítica e inovadora sobre as periferias. São filmes que trazem uma relação íntima entre temas, personagens e vivência dos realizadores nos territórios onde os filmes são produzidos.

 

 

Serviço: 15º Festival Visões Periféricas

De 15 a 21 de fevereiro de 2022

Sessões presenciais:

 

*Museu de Arte Moderna (MAM): Av. Infante Dom Henrique, 85. Aterro do Flamengo. Capacidade: 90 lugares.

 

*CineCarioca Nova Brasília: Pça Nossa Senhora de Fátima, R. Nova Brasília, S/N – Bonsucesso. Capacidade: 91 lugares.


*Cine Teatro Eduardo Coutinho (Biblioteca Parque Manguinhos): Av. Dom Helder Câmara, 1184. Bonsucesso. Capacidade: 250 lugares.

Exibição online dos filmes no site: www.visoesperifericas.org.br

Debates no Canal do Youtube e na Página do Facebook:

Youtube: https://www.youtube.com/user/vperifericas

Facebook: https://www.facebook.com/visoesperifericas

Evento gratuito.

Classificação: livre

Instagram: https://www.instagram.com/festivalvisoesperifericas/?hl=pt-br

Twitter: https://twitter.com/vperifericas

 

Fonte:   RoMa in Press - Roberta Mattoso Comunicação & Imprensa

SHARE THIS

0 comentários:

AGENDA (Festivais, mostras, concursos)

EVENTOS (Teatro, música, audiovisual)

ARTES E ARTISTAS (EVENTOS, LANÇAMENTOS, CURSOS)

LITERATURA (Eventos, Lançamentos, Dicas de leitura)

CINECLUBES (PROGRAMAÇÃO, EVENTOS)

Arquivo do blog

Cloud Labels

especiais (101)