terça-feira, 12 de janeiro de 2021

Filmes da TV Brasil - 13 a 17 de janeiro de 2021





 Quarta (13) – 22h30 / 02h30 – Festival de Cinema"Histórias que só existem quando lembradas" (2011) –drama

- Quarta (13) – 04h00 – Sessão Retrô"No Paraíso das Solteironas" (1969) – comédia

- Quinta (14) – 22h30 / 02h30 – Cine Retrô"Na Corda Bamba" (1957) – comédia musical

- Sexta (15) – 22h30 / 02h30 – Cine Nacional"Sobre Rodas" (2017) – drama

- Sexta (15) – 04h00 – Sessão Retrô"Chofer de Praça" (1958) – comédia

- Sábado (16) – 18h00 – Cine Retrô"O Grande Xerife" (1972) – comédia

- Sábado (16) – 22h00 – DOC Especial"Alma Sonora" (2017) – documentário

- Domingo (17) – 14h00 – Sessão Família"Michel Strogoff" (2004) – animação

- Domingo (17) – 04h00 – Sessão Retrô"Jeca e seu Filho Preto" (1978) – comédia

 


Filmes da TV Brasil - 13 a 17 de janeiro de 2021

 

___

 

Quarta-feira, 13 de janeiro

 

Festival de Cinema – Histórias que só existem quando lembradas

22h30, na TV Brasil

02h30, na TV Brasil (madrugada de quarta, dia 13/1, para quinta-feira, dia 14/1)

 

País: Brasil, Argentina e França. Ano: 2011. Gênero: drama. Direção: Julia Murat. Elenco: Sonia Guedes, Lisa Fávero, Luiz Serra, Ricardo Merkin, Antônio dos Santos, Nelson Justiniano, Maria Aparecida Campos, Manoelina dos Santos, Evanilde Souza, Julião Rosa, Elias dos Santos, Pedro Igreja.

 


Como todos os dias, Madalena (Sonia Guedes) faz pão para o armazém do Antônio (Luiz Serra). Depois, ela segue sua rotina: atravessa o trilho onde o trem já não passa há anos, limpa o portão do cemitério trancado, ouve o sermão do padre Josias (Ricardo Merkin) e almoça junto com os outros velhos habitantes da cidade.

 

Vivendo da memória do marido morto, Madalena é acordada por Rita (Lisa Fávero), uma jovem fotógrafa que chega na cidade fantasma de Jotuomba, onde o tempo parece ter parado. A região fica no Vale do Paraíba, no estado do Rio de Janeiro onde, nos anos 1930, as até então ricas fazendas de café foram à falência, derrubando a economia local.

 

Primeira trama de ficção dirigida pela cineasta Julia Murat, filha da renomada diretora Lucia Murat, o drama "Histórias que só existem quando lembradas" participou de mais de 80 eventos no circuito internacional da sétima arte.

 

A produção conquistou aproximadamente 30 prêmios em sua trajetória em festivais no exterior. Com roteiro de Julia Murat, Maria Clara Escobar e Felipe Sholl, a coprodução de Brasil, Argentina e França foi inspirada no realismo fantástico latino-americano, em especial na obra de autores como Gabriel García Márquez e Juan Rulfo.

 

Reprise. 97 min.

Classificação Indicativa: 10 anos

Horário: 22h30

Horário: 02h30 (madrugada de quarta, dia 13/1, para quinta-feira, dia 14/1)

 

---

 

Quarta-feira, 13 de janeiro

 

Sessão Retrô – No Paraíso das Solteironas

04h00, na TV Brasil (madrugada de quarta, dia 13/1, para quinta-feira, dia 14/1)

 

País: Brasil. Ano de estreia: 1969. Gênero: comédia. Direção: Pio Zamuner. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Átila Iório, Carlos Garcia, Elizabeth Hartman.

 


Amácio Mazzaropi interpreta o matuto Joaquim Kabrito, caboclo acostumado com a vida do interior. O protagonista não poderia imaginar que ao tentar a sorte na cidade grande seria alvo dos olhares de desejo de uma turma de solteironas loucas por um "tipão" assim como ele.

 

Na bagunça, Joaquim Kabrito ainda tem tempo para se envolver em confusões com a dona do hotel e é colocado às voltas com uma quadrilha e um grupo de ciganos.

 

Reprise. 95 min.

Classificação Indicativa: 12 anos

Horário: 04h00 (madrugada de quarta, dia 13/1, para quinta-feira, dia 14/1)

 

---

 

Quinta-feira, 14 de janeiro

 

Cine Retrô – Na Corda Bamba

22h30, na TV Brasil

02h30, na TV Brasil (madrugada de quinta, dia 14/1, para sexta-feira, dia 15/1)

 

País: Brasil. Ano de estreia: 1957. Gênero: comédia musical. Direção: Eurides Ramos. Elenco: Arrelia, Zé Trindade, Ema D'Avila, Teresinha Amayo, Roberto Duval, Solange França, Moacyr Deriquém, Wilson Grey, Marilene Silva, Íris Delmar.

 


Um afinador de pianos e seu folgado sobrinho de criação tentam devolver o colar de uma baronesa cigana, mas são ameaçados por um príncipe e sua irmã que ambicionam, com a posse do objeto, conquistar o trono do seu país de origem.

 

A baronesa Zaíra (Ema D'Avila) chama o afinador de pianos Arrelia (o próprio) para consertar o instrumento que tem em casa. Enquanto trabalha, ele encontra um valioso colar dentro do piano e distraidamente o coloca no pescoço durante o serviço.

 

A situação se complica quando a empregada doméstica Sofia (Marilene Silva) descobre o destino da joia. Ela trabalha para uma dupla de nobres ladrões estrangeiros do mesmo país da baronesa. A moça conta para os comparsas que querem roubar o colar. Eles começam a perseguir e assustar Arrelia para conseguirem pegar o objeto.

 

O colar acaba sendo achado por Zé Trindade (o próprio), sobrinho de criação que mora com Arrelia. Sem saber, ele dá o colar de presente para uma sambista. A valiosa peça de adorno vai passando de mão em mão para desespero de Arrelia.

 

O afinador de pianos e seu sobrinho buscam encontrar o colar de todas as formas. Numa trama com muita confusão, eles querem recuperar o objeto para devolvê-lo à baronesa e se livrar dos ladrões que estão em perseguição para obter a preciosa joia.

 

Dirigida por Eurides Ramos, a comédia foi produzida por Oswaldo Massaini e Alípio Ramos. O filme tem roteiro de Victor Lima e música de Radamés Gnattali. Os números musicais com direção de Hélio Barroso foram executados por Elizete Cardoso, Monsueto Menezes, Walter d'Ávila e as Melindrosas e Arrelia. O fundo musical e a orquestração são de Radamés Gnatalli.

 

Inédito. 84 min.

Classificação Indicativa: 12 anos

Horário: 22h30

Horário: 02h30 (madrugada de quinta, dia 14/1, para sexta-feira, dia 15/1)

 

---

 

Sexta-feira, 15 de janeiro

                 

Cine Nacional – Sobre Rodas

22h30, na TV Brasil

02h30, na TV Brasil (madrugada de sexta-feira, dia 15/1, para sábado, dia 16/1)

 

País: Brasil. Ano: 2017. Gênero: drama, aventura, infantil. Direção e roteiro: Mauro D’Addio. Elenco: Cauã Martins, Georgina Castro, Lara Boldorini.

 


A trama acompanha a história de Lucas (Cauã Martins), um menino de 13 anos que perde os movimentos das pernas após um acidente. Ele passa a depender de uma cadeira de rodas e assim que se recupera volta aos estudos. O rapaz chega a uma nova escola e faz amizade com Laís (Lara Boldorini).

 

A garota de 13 anos ajuda sua mãe na barraca de café da manhã numa parada de caminhões na pequena cidade em que vivem. A jovem sonha em conhecer o pai, um caminhoneiro que a abandonou ainda na infância.

 

Quando Lara descobre o possível paradeiro do pai, os dois amigos do colégio iniciam uma jornada inesperada e partem em uma viagem pelas estradas do interior do país. Durante a aventura, eles acabam conhecendo melhor um ao outro.

 


Primeiro longa do diretor e roteirista Mauro D’Addio, "Sobre Rodas" foi reconhecido como o Melhor Filme pelo público no TIFF Kids (Canadá). A produção nacional ainda foi agraciada no Chicago International Children’s Film Festival (EUA) e na Mostra Geração, no Festival do Rio, como Melhor Filme.

 

Reprise. 82 min.

Classificação Indicativa: Livre.

Horário: 22h30

Horário: 02h30 (madrugada de sexta-feira, dia 15/1, para sábado, dia 16/1)

 

---

 

Sexta-feira, 15 de janeiro

 

Sessão Retrô – Chofer de Praça

04h00, na TV Brasil (madrugada de sexta-feira, dia 15/1, para sábado, dia 16/1)

 

País: Brasil. Ano de estreia: 1958. Gênero: comédia. Direção: Milton Amaral. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Celso Faria, Ana Maria Nabuco, Carmen Morales, Maria Helena Dias, Roberto Duval, Elk Alves, Benedito Liendo. Participação especial: Lana Bittencourt e Agnaldo Rayol.

 


No filme "Chofer de Praça" (1958), o saudoso ator e cineasta Amácio Mazzaropi é o protagonista da trama e também acumula as funções de produtor e roteirista. A partir dessa obra, o humorista passa a colaborar frequentemente com os diretores.

 

A comédia "Chofer de Praça" foi o primeiro trabalho de Mazzaropi com a atriz Geny Prado. A artista foi seu par constante ao longo da carreira. Os números musicais do longa são apresentados por artistas como Lana Bittencourt e Agnaldo Rayol que fazem participação especial na produção.

 

Na trama dirigida por Milton Amaral, Amácio Mazzaropi interpreta o humilde Zacarias, que se muda com a mulher Augusta para uma vila em São Paulo com o objetivo de arrumar um emprego e ajudar o filho Raul a pagar a faculdade de Medicina. O sonho do sujeito é ver o rapaz formado.

 

Disposto a fazer o possível e o impossível para ajudar a família, o protagonista consegue um trabalho como chofer de praça. Zacarias começa a dirigir um modelo de carro antigo, muito barulhento e fumacento, que rapidamente vira motivo de muitas piadas e de viagens repletas de trapalhadas.

 

Reprise. 97 min.

Classificação Indicativa: 10 anos

Horário: 04h00 (madrugada de sexta-feira, dia 15/1, para sábado, dia 16/1)

 

---

 

Sábado, 16 de janeiro

                 

Cine Retrô – O Grande Xerife

18h00, na TV Brasil

 

País: Brasil. Ano de estreia: 1972. Gênero: comédia. Direção: Pio Zamuner. Elenco: Amácio Mazzaropi, Patricia Mayo, Paulo Bonelli, Tony Cardi, Augusto César Ribeiro.

 


O humorista Amácio Mazzaropi interpreta o chefe dos correios, Inácio Poróroca, um viúvo que é pai de Mariazinha. Ele é o morador mais antigo de Vila do Céu onde vive cuidando da vida dos outros.

 

Um dia, chega na cidade, disfarçado de padre, o bandidão João Bigode. Em uma arruaça no bar da cidade, o maldoso mata o xerife e põe Poróroca em seu lugar. A confusão está armada e só o Grande Xerife pode proteger o povoado.

 

Reprise. 95 min.

Classificação Indicativa: 12 anos.

Horário: 18h00

 

---

 

Sábado, 16 de janeiro

                 

DOC Especial – Alma Sonora

22h00, na TV Brasil

 

País: Brasil. Ano: 2017. Gênero: documentário. Direção, Fotografia e Edição: Daniel Choma. Direção de Pesquisa e Produção: Tati Costa e Sara Melo. Direção de Pesquisa e Trilha Musical Original: Domingos de Salvi.

 


O documentário registra personagens e bastidores da escola de Lutheria de Atibaia. O conteúdo audiovisual revela as minúcias na construção de violas, da escolha da madeira aos detalhes de acabamento.

 

Com 23 minutos, o curta é fruto dos processos gerados nas oficinas de documentário, viola e canção realizadas pelo projeto intergerações viola paulista em São Paulo. O filme tem direção, fotografia e edição de Daniel Choma. A obra nacional foi produzida pelo Instituto Câmara Clara.

 

Reprise. 23 min.

Classificação Indicativa: Livre.

Horário: 22h00

 

---

 

Domingo, 17 de janeiro

 

Sessão Família – Michel Strogoff

14h00, na TV Brasil

 

Título original: Les Aventures Extraordinaires de Michel Strogoff. País: França. Ano: 2004. Gênero: animação. Direção: Hubert Chonzu e Alexandre Huchez. Produtores: Dargaud Marina e Rouge Citron. História original: Júlio Verne.

 


Inspirada no romance homônimo do escritor Júlio Verne, a animação francesa "Michel Strogoff" (2004) revela a épica odisseia do capitão Michel Strogoff em uma missão secreta pelo interior da Rússia.

 

Ameaçada por uma invasão tártara no século XIX, a Rússia continental é separada de seu território no extremo oriente. Isolado e cercado na Sibéria, o irmão do Czar lidera a última resistência com suas tropas.

 

O Czar confia ao capitão Michel Strogoff a missão de entregar uma mensagem vital a seu irmão, na Sibéria. Com valentia, ele deve cruzar todo o império para levar essa carta enquanto é perseguido por um traidor cooptado pelos tártaros.

 

Disfarçado de comerciante, o corajoso oficial faz uma longa e perigosa jornada por todo o país ao percorrer os confins da Rússia. As façanhas do homem encarregado de salvar a nação tem um dos ápices no encontro do mensageiro com a jovem Nádia, uma mulher obstinada que pode mudar suas prioridades.

 

A animação francesa retrata os bailes imperiais com valsas de Strauss, as melodias populares cantadas pelos barqueiros do rio Volga, as canções melancólicas dos cocheiros que cruzavam as áridas estepes da Ásia Central, as danças folclóricas e as composições românticas da Balalaika.

 

Escrita em 1876, a obra original de Júlio Verne tem uma narrativa inquietante fiel a eventos históricos. Com milhares de edições e reconhecimentos, o clássico "Michel Strogoff" redigido pelo autor francês traz grandes aventuras que foram adaptadas dezenas de vezes para produções do cinema e da televisão.

 

Reprise. 87 min.

Classificação Indicativa: Livre

Horário: 14h00

 

---

 

Domingo, 17 de janeiro

 

Sessão Retrô – Jeca e seu Filho Preto

04h00, na TV Brasil (madrugada de domingo, dia 17/1, para segunda-feira, dia 18/1)

 

País: Brasil. Ano de estreia: 1978. Gênero: comédia. Direção: Pio Zamuner. Codireção: Berilo Faccio. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Yara Lins, Elizabeth Hartman, Denise Assunção.

 


Em "Jeca e seu filho preto", o saudoso humorista Amácio Mazzaropi interpreta Zé, o pai de um rapaz (misteriosamente) negro. O fato nunca pareceu o atormentar, mas os vizinhos se incomodam quando o rapaz se enamora de uma moça branca, filha de um rico fazendeiro.

 

Em plenos anos 1970, Amácio Mazzaropi, com seu jeito simples, abordou no cinema a questão do preconceito racial.

 

Reprise. 104 min.

Classificação Indicativa: 12 anos

Horário: 04h00 (madrugada de domingo, dia 17/1, para segunda-feira, dia 18/1)



FONTE:

Fernando Lima Barros Chaves/

/ TV BRASIL

SHARE THIS

0 comentários:

Latest Posts

Cloud Labels

especiais (94)