terça-feira, 10 de janeiro de 2023

TvZero divulga trailer de 'Andança - Os Encontros e as Memórias de Beth Carvalho'

 



TvZero acaba de divulgar o trailer inédito de “Andança – Os Encontros e as Memórias de Beth Carvalho”, dirigido por Pedro Bronz, que também assina o roteiro, ao lado de Leonardo Bruno. Após a participação no Festival do Rio e na Mostra de São Paulo, além da conquista do prêmio de Melhor Filme pelo júri popular no 17º Festival Aruanda do Audiovisual Brasileiro (João PessoaPB)o documentário sobre a cantora que ajudou a tirar do anonimato muitos dos maiores sambistas da história foi selecionado para o Festival de Tiradentes, fechando o ciclo de festivais antes da estreia, dia 2 de fevereiro.  

 

Ainda esse mês, “Andança – Os Encontros e as Memórias de Beth Carvalho” será um dos destaques na programação de aniversário do Cacique de Ramos, considerado o grande berço do samba na zona norte do Rio. No dia 18, a quadra receberá uma sessão especial do documentário, seguida de uma roda de samba, com a presença de personalidades importantes para a história do Cacique. O longa é uma produção TvZero em coprodução com a Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil. 

 

Criada na zona sul do Rio de Janeiro em uma família de classe média, Elizabeth Santos Leal de Carvalho iniciou sua trajetória musical na Bossa Nova. Com o tempoBeth percebeu que aquela bolha elitista não condizia mais com suas ideias e interesses. Assim, tomando como suas principais referências Clementina de Jesus e Elizeth Cardoso – cantoras para quem dedicou seu primeiro álbum de samba ("Canto Por um Novo Dia") – Beth se entregou aos ritmos da periferia, mudando curso de sua carreira e, mais do que isso, do futuro de todo um gênero musical.  

 

Até seus últimos momentos, Beth se dedicou a fazer registros audiovisuais de todos os grandes sambistas que passaram por seu caminho. Nelson Cavaquinho, Cartola, Almir Guineto, Jorge Aragão, Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Luiz Carlos da Vila, entre outros tantos nomes de diferentes gerações, tiveram suas composições registradas, estudadas e gravadas na voz da cantora. Foi assim que a intérprete usou seus privilégios para tirar do anonimato diversos gigantes da música brasileira e, assim, levou o samba do morro aos estúdios de gravação. Entre seus muitos sucessos, estão: "Folhas Secas" (composição de Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito), "Vou Festejar"(Jorge Aragão, Dida e Neoci) e "Coisinha do Pai" (Almir Guineto, Jorge Aragão e Luiz Carlos da Vila). 

 

Pouco antes da morte da cantoracineasta Pedro Bronz propôs à Beth que seu valioso acervo fosse transformado em documentário. Com o aval imediato da madrinha do samba, a equipe começou um trabalho minucioso de restauração do material. No total, 800 fitas VHS foram abertas, limpas e redigitalizadas. Cerca de 2 mil horas de memórias em formato de vídeo passaram por uma difícil curadoria até caberem em um longa-metragem de duas horas"Andança - Os Encontros e as Memórias de Beth Carvalho", com o roteiro de Leonardo Bruno e Pedro Bronz, que também dirigiu o filme. Sem contar, é claro, com a grande idealizadora do projeto, Beth Carvalho. 

 

"Quem escreveu esse filme foi a própria Beth Carvalho". 

Leonardo Bruno, roteirista 

 

 

Sinopse   

Beth Carvalho, a “Madrinha do Samba”, foi uma das maiores sambistas do Brasil, ajudou a revelar grandes nomes e a revitalizar o gênero musical. Seus outros talentos e sua sensível capacidade de percepção da realidade que a cercava fez com que ela própria documentasse os ilustres encontros ao longo dos 53 anos de palcos e pagode. As imagens do documentário são parte desse vasto acervo nas mais diferentes mídias: super-8, vh-s, mini-dv, k7 e fotos.  O filme se debruça sobre esse material de Beth Carvalho para traçar um recorte único, íntimo da carreira e da vida dessa singular figura da cultura nacional.  

    

Ficha técnica   

Direção e Montagem: Pedro Bronz   

Produção: Roberto Berliner e Leo Ribeiro   

Produção Executiva: Leo Ribeiro, Sabrina Garcia e Anna Julia Werneck  

Roteiro: Pedro Bronz e Leonardo Bruno   

Coordenação Executiva: Fernanda Calábria  

Coordenação de Pós-produção: Nat Mizher e Cel Mattos 

Mixagem: Denilson Campos  

Coloristas: Hebert Marmo e Anuar Marmo  

Assistente de Edição: Mel Cunha  

Produção: TvZero    

Coprodução: Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil 

Distribuição: TvZero 

Produtora associada: Cineclube Pela Madrugada e Luana Carvalho  

Patrocínio: Antarctica  

Incentivo: Governo do Estado do Rio de Janeiro/ Secretaria de Cultura e Economia Criativa  

Classificação: Livre  

   

Pedro Bronz – Direção e Roteiro   

Diretor e montador de cinema e TV, trabalha com audiovisual desde 1993 passando por todas as fases de realização de um filme: montador, produtor, fotógrafo, roteirista e diretor. Começou sua carreira como assistente de edição de importantes montadores e fez parte da primeira geração de operadores de AVID em 1995. Posteriormente, começou a editar e dirigir, buscando sempre trabalhar com diferentes linguagens e em diversas produtoras de vídeo e emissoras de TV. Tem experiência com filmes de ficção, documentários, programas de tv, videoclipes, comerciais e institucionais.  

  

Leonardo Bruno – Roteiro    

Leonardo Bruno é jornalista, escritor e roteirista. É autor de seis livros, entre eles “Canto de rainhas”, “Zeca Pagodinho – Deixa o samba me levar” e “Três poetas do samba-enredo”. Na TV, assinou direção e roteiro da série documental “O samba me criou”. É jurado do prêmio Estandarte de Ouro e comentarista de carnaval da TV Globo.  

    

TvZERO – Produção    

TvZERO foi fundada em 1991 com objetivo de contar histórias de relevância artística, social e cultural, através de projetos audiovisuais, apostando na renovação da linguagem audiovisual, na qualidade técnica e no sucesso comercial. Tudo isso num ambiente de trabalho solidário, inspirador e comprometido com o bem-estar de seus colaboradores.   

  

Ao longo dos seus 30 anos de atividade, produziu 30 longas-metragens, dos quais se destacam “Benzinho” (2018), com première em Sundance e grande vencedor no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro; “Gabriel e a Montanha” (2017), vencedor de dois prêmios na Semana da Crítica no Festival de Cannes; "Nise - O Coração da Loucura" (2015), vencedor do prêmio de Melhor Filme e Melhor Atriz no Festival Internacional de Cinema de Tóquio; “Bruna Surfistinha” (2012); os documentários “Meu Nome é Daniel” (2019), com première no IDFA; “Os Quatro Paralamas” (2020); “A Farra do Circo” (2014), “Simonal – Ninguém Sabe o Duro que Dei” (2008) e “A Pessoa é para o que nasce” (2005). Juntos, levaram mais de 2,7 milhões de espectadores aos cinemas só no Brasil, tendo sido comercializados para vários países e com exibições em mais de 200 festivais, onde acumulam vários prêmios.   

  

Na TV, a produtora também se destaca com as quatro temporadas de “#MeChamaDeBruna”, coproduzida pela Fox Premium e vendida para 13 países; as séries documentais “Eu Sou Assim”, indicada ao Emmy Internacional em 2018 e “Histórias de Adoção”, exibidas no GNT; além de diversos programas e filmes para canais como Canal Curta! Canal Brasil, Multishow, SBT, History Channel, A&E Entertainment, TV Cultura, dentre outros.   

  

Em 2021, lançou o documentário “Boa Noite”, de Clarice Saliby, a coprodução do longa documental "Dois Tempos", de Pablo Francischelli e o longa de ficção "Um Casal Inseparável" de Sergio Goldenberg que estreou no Canal Telecine. Em 2022, exibiu “Andança – Os Encontros e as Memórias de Beth Carvalho” no Festival do Rio, Mostra de São Paulo e Festival Aruanda, onde ganhou o prêmio de melhor filme pelo júri popular e “Fausto Fawcett na Cabeça”, que ganhou os prêmios de Melhor longa, melhor ator/personagem e Troféu Abracine. Também possui uma carteira ampla e heterogênea de projetos em desenvolvimento e em produção. 

  

Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil – Coprodutoras     

A Globo Filmes, a GloboNews e o Canal Brasil assinam, juntos, a coprodução de diversos documentários, que transitam pelos mais diversos assuntos relacionados à cultura brasileira e que apresentam olhares únicos sobre personagens, épocas e fatos da nossa história. A parceria pretende fomentar a produção, a exibição e a divulgação de filmes do gênero, que ainda tem pouca visibilidade no mercado brasileiro, mas representa muito mais do que uma fonte de entretenimento: é essencial para a preservação da memória de uma nação.    

  

Juntos, Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil já investiram em mais de 40 documentários, entre eles “Libelu – Abaixo a Ditadura”, de Diógenes Muniz (vencedor do É Tudo Verdade de 2020); “Babenco - Alguém tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou”, de Bárbara Paz (premiado como melhor documentário sobre cinema da Venice Classics, mostra paralela do 76º Festival de Veneza em 2019); “Cine Marrocos”, de Ricardo Calil (vencedor do É Tudo Verdade 2019); "Barretão", de Marcelo Santiago; “Henfil”, de Ângela Zoé (vencedor do Cine PE de 2018); “Menino 23”, de Belisário Franca (melhor doc do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2017); “Tá Rindo de Quê”, de Claudio Manoel, Álvaro Campos e Alê Braga; “Fevereiros”, de  Marcio Debellian; “Mussum - Um Filme do Cacildis”, de Susanna Lira; “Setenta”, de Emília Silveira (melhor doc da Mostra São Paulo de 2014).  

  

  

Assessoria de imprensa:    

  

Anna Luiza Muller      


SHARE THIS

0 comentários:

AGENDA (Festivais, mostras, concursos)

EVENTOS (Teatro, música, audiovisual)

ARTES E ARTISTAS (EVENTOS, LANÇAMENTOS, CURSOS)

LITERATURA (Eventos, Lançamentos, Dicas de leitura)

CINECLUBES (PROGRAMAÇÃO, EVENTOS)

Arquivo do blog

Cloud Labels

especiais (107)