quarta-feira, 30 de março de 2022

ETV Doc sobre embaixador que tentou impedir guerra divulga trailer

 

Sinfonia de um homem comum”, documentário de José Joffily sobre José Maurício Bustani, divulga trailer oficial e datas de exibição no 

É Tudo Verdade

História de diplomata que tentou impedir invasão ao Iraque 

volta à tona 19 anos depois



Sinfonia de um Homem Comum”, documentário de José Joffily (“Soldado Estrangeiro”), acaba de divulgar trailer oficial. O longa estreia no 27º É Tudo Verdade - Festival Internacional de Documentários no sábado, dia 2 de abril, às 20h, com sessões simultâneas no Espaço Itaú Augusta, em São Paulo, e Espaço Itaú Botafogo, no Rio de Janeiro. Haverá sessões online no É Tudo Verdade Play às 21h, no sábado (02/04), com limite de 1.800 visionamentos, e às 13h, no domingo (03/04), com limite de 200 visionamentos. No domingo, às 15h, a equipe do filme participa de debate no canal do É Tudo Verdade no Youtube. 


O filme, que também foi selecionado para o Festival HotDocs, no Canadá, acompanha a história do diplomata brasileiro José Maurício Bustani, que foi diretor da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), e tentou impedir a invasão do Iraque pelos Estados Unidos. A produção é da Coevos Filmes, em coprodução com a Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil. A Bretz Filmes assina a distribuição.

 

“Hoje, uma antiga questão se impõe com nova denominação. As diferentes versões dos fatos se transformaram em uma “guerra de narrativas”. Para além do embate entre o brasileiro Bustani e o diplomata americano que forçou a sua demissão da direção geral da OPAQ, Sinfonia de Um Homem Comum tem esse eixo central: qual é a verdade e a quem ela pertence? As versões dos fatos serviram para justificar guerras e invasões que somente o tempo poderá revelar. Em pleno 2022, 19 anos depois da invasão do Iraque, estamos atônitos com a quantidade de notícias que chegam até nós sobre uma nova guerra. Voltamos a lidar com a guerra de narrativas, com a diferença da existência das redes sociais. Hoje, para o bem ou para o mal, milhares ou milhões de pessoas podem se manifestar e tomar partido. Sejam “versões dos fatos”, sejam “guerras de narrativas”, a disputa pela verdade talvez seja mais relevante que a própria realidade. Ganha o lado que domina a narrativa. Será sempre assim?”, indaga o diretor José Joffily.

 

Sinfonia de um Homem Comum” destaca a atuação de Bustani como primeiro diretor geral da OPAQ, entre 1997 e 2002. A organização internacional independente, afiliada à ONU e sediada na Holanda, tinha como objetivo implementar a Convenção sobre a Proibição do Desenvolvimento, Armazenagem, Produção e Uso de Armas Químicas e sua Destruição. O diplomata defendia a adesão do Iraque à OPAQ a fim de possibilitar as inspeções de armas no país. Já o então presidente George W. Bush afirmava que o país possuía armas de destruição em massa. 

 

Após o 11 de setembro, Bustani já estava em seu segundo mandato e começa a sofrer pressões do governo americano pela renúncia. Ele não deixa o cargo. Em 2002, os Estados Unidos lideraram uma assembleia para sua destituição. O Iraque foi invadido em 2003, as armas químicas nunca foram encontradas. No primeiro governo de Luiz Inácio Lula da Silva, Bustani é nomeado embaixador do Brasil na Inglaterra e, posteriormente, na França. Durante as filmagens de "Sinfonia de um Homem Comum", o diplomata foi convidado a dar um depoimento sobre denúncias de inspetores da OPAQ, mas foi barrado pelos representantes de Washington, Londres, Paris e Berlim. Hoje, aposentado no Rio de Janeiro, longe do front, Bustani aprecia sua primeira paixão: a música.


SESSÕES É TUDO VERDADE:

Brasil, 82', 2022

02/04 – 20h: Espaço Itaú de Cinema Augusta (SP)

02/04 – 20h: Espaço Itaú de Cinema Botafogo (RJ)

02/04 – 21h: Sessão online - É Tudo Verdade Play - Limite de 1800 Visionamentos

03/04 – 13h: Sessão online - É Tudo Verdade Play - Limite de 200 Visionamentos

03/04 – 15h: Debate online com equipe do filme no canal do É Tudo Verdade no Youtube




Sinopse

O diplomata José Maurício Bustani, primeiro diretor geral da OPAQ (Organização para a Proibição de Armas Químicas) tentou impedir a destruição do Iraque e, por pressão dos americanos, foi demitido. Hoje, decorridos 19 anos, situações semelhantes se repetem nos bastidores das organizações multilaterais.

 

Ficha Técnica

Direção: José Joffily

Produção: Isabel Joffily

Roteiro: David Meyer, Pedro Rossi, Jordana Berg e José Joffily

Direção de fotografia: Pedro Rossi

Montagem: Jordana Berg

Desenho de som: Felippe Mussel

Mixagem: Bernardo Adeodato

Trilha: Pedro Leal

Produção: Coevos Filmes

Coprodução: Globo Filmes, GloboNews, Canal Brasil

Distribuição: Bretz Filmes


Sobre o diretor José Joffily

José Joffily dirigiu filmes de ficção e não ficção ao longo de sua carreira. Seus filmes já estiveram em festivais como IDFA, É Tudo Verdade, Havana, Berlin, Rotterdam, Guadalajara, entre outros. No Brasil, teve filmes premiados nos mais importantes festivais do país, como Brasília e Gramado. Seus últimos dois projetos são os documentários Caminho de Volta (2015) e Soldado Estrangeiro (2020), codirigidos com Pedro Rossi. O primeiro conta a história de dois brasileiros que emigraram para o exterior e desejam voltar para a sua terra natal depois de anos no exílio. O segundo faz o caminho inverso, se aproximando de brasileiros que desejam sair do país para lutar em exércitos estrangeiros.

 

Sobre a produtora -  Coevos Filmes

A Coevos Filmes foi fundada em 1981. Nos seus 40 anos de estrada, a empresa produziu obras para cinema e televisão. Seus filmes estiveram presentes e foram premiados em festivais nacionais e internacionais, como Brasília, Berlin, Havana, Rotterdam, Festival Internacional de Documentários de Amsterdã (IDFA), Visions du Réel, Guadalajara, Biarritz, entre outros. Seus últimos projetos de documentário são: Depois da Primavera, longa-metragem que estreou internacionalmente na competição oficial do Festival de Toulouse em março de 2021 e está programado para a Première Brasil do Festival do Rio, em agosto próximo; Soldado Estrangeiro, que estreou em 2019 no Festival É Tudo Verdade! e foi um dos poucos filmes nacionais distribuídos comercialmente nos cinemas em 2020, com destaque na crítica especializada. 

 

Sobre as coprodutoras - Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil

A Globo Filmes, a GloboNews e o Canal Brasil assinam, juntos, a coprodução de diversos documentários, que transitam pelos mais diversos assuntos relacionados à cultura brasileira e que apresentam olhares únicos sobre personagens, épocas e fatos da nossa história. A parceria pretende fomentar a produção, a exibição e a divulgação de filmes do gênero, que ainda tem pouca visibilidade no mercado brasileiro, mas representa muito mais do que uma fonte de entretenimento: é essencial para a preservação da memória de uma nação. Juntos, Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil já investiram em mais de 40 documentários, entre eles “Libelu – Abaixo a Ditadura”, de Diógenes Muniz (vencedor do É Tudo Verdade de 2020); “Babenco - Alguém tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou”, de Bárbara Paz (premiado como melhor documentário sobre cinema da Venice Classics, mostra paralela do 76º Festival de Veneza em 2019); “Cine Marrocos”, de Ricardo Calil (vencedor do É Tudo Verdade 2019 e ainda inédito em circuito); "Barretão", de Marcelo Santiago; “Henfil”, de Ângela Zoé (vencedor do Cine PE de 2018); “Menino 23”, de Belisário Franca (melhor doc do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2017); “Tá Rindo de Quê”, de Claudio Manoel, Álvaro Campos e Alê Braga; “Fevereiros”, de Marcio Debellian; “Mussum - Um Filme do Cacildis”, de Susanna Lira; “Setenta”, de Emília Silveira (melhor doc da Mostra São Paulo de 2014). Atualmente, mais de 15 documentários estão em produção, em diferentes regiões do país.

 

Sobre a distribuidora - Bretz Filmes

A Bretz Filmes iniciou as atividades em 1990, atuando no mercado de vídeo como distribuidora e representante das principais empresas. Paralelamente, entre os anos de 2003 e 2011, Luiz Ernesto Mendes Bretz, seu fundador, atuou como diretor de distribuição na Videofilmes. Em 2011, a empresa iniciou sua atuação no mercado nacional e internacional, passando a adquirir títulos brasileiros e estrangeiros para distribuição própria em cinema, vídeo, televisão e VOD, especializando-se em documentários e filmes de autor e cinema independente, nacional e internacional, lançando títulos como: "Woody Allen", "O Cavalo de Turim", "Nostalgia da Luz" e "Another Year". Mais recentemente, foram lançados os filmes "For Sama", “Honeyland", "Cézanne e eu", "Gabriel e a montanha", dentre outros.


Assessoria de imprensa: 

    

Anna Luiza Muller    

Julia Moura 


SHARE THIS

0 comentários:

AGENDA (Festivais, mostras, concursos)

EVENTOS (Teatro, música, audiovisual)

ARTES E ARTISTAS (EVENTOS, LANÇAMENTOS, CURSOS)

LITERATURA (Eventos, Lançamentos, Dicas de leitura)

CINECLUBES (PROGRAMAÇÃO, EVENTOS)

Arquivo do blog

Cloud Labels

especiais (105)