terça-feira, 13 de abril de 2021

Alzheimer e a fragilidade das relações na terceira idade em "Meu Pai", indicado ao Oscar 2021

              


Filme em cartaz nas plataformas digitais e 
estreia no Belas Artes à La Carte em 15 de abril

Indicado ao Oscar em seis categorias, "Meu Pai", dirigido pelo dramaturgo Florian Zeller, e estrelado por Anthony Hopkins e Olivia Colman, é um dos filmes mais elogiados da temporada de premiações. O longa, baseado na peça teatral homônima de Zeller, mostra a delicada relação entre Anthony, o pai, acometido de Alzheimer, e sua filha Anne, que pretende viver um relacionamento amoroso em outro país. 

A narrativa, totalmente entrecortada, retrata a confusão mental de Anthony, um homem rígido e cheio de manias, devido ao avanço da doença. As lembranças do passado, a negação da verdade, a insegurança e o medo do futuro permeiam a conflituosa relação entre Anthony e Anne. A subjetividade é construída a partir dos momentos de lucidez e de criação mental do pai e dos pensamentos da filha,  como num quebra-cabeças, em que a ficção da ficção e da realidade se entrecruzam. A disposição da montagem, com a constante troca de atores e personagens, em diferentes cenários e/ou repetidas situações, cria essa sensação de instabilidade e de degeneração provocada pelo Alzheimer. Nada parece ser o que realmente é, provocando o efeito de algo enigmático, fazendo com que o espectador nunca saiba ao certo se grande parte dos eventos dentro da diegese da obra são oriundos da imaginação de Anthony, dos desejos secretos de Anne ou se realmente aconteceram. 

Para o diretor Florian Zeller, Hopkins sempre foi a primeira opção para a interpretação do personagem no cinema. " Eu tinha a profunda certeza de que Hopkins seria poderoso e devastador no papel". O ator também se mostrou lisonjeado pelo convite:"Foi maravihoso saber que escreveram o roteiro me imaginando como o personagem. Nesse caso, foi uma honra. E trabalhar nesse filme, me fez pensar em minha própria mortalidade. Foi muito divertido, no set, memorizando as conversas e diálogos. De certa forma, quando as câmeras estavam rodando, nem precisava atuar".

O filme é construído com muita sensibilidade e a interpretação de Hopkins, com momentos de extrema rigidez, doçura e fragilidade, emocionam. Há também situações de pausas dramáticas de rara poesia. O desenvolvimento da percepção do personagem, que oscila entre momentos de desconfiança e  ameaça, do sentimento de desamparo diante da vida, e dos desafios da doença, é realmente perturbador.

o longa "Meu Pai" concorre ao Oscar 2021 nas categorias: Melhor Filme, Melhor Ator para Anthony Hopkins, Melhor Atriz Coadjuvante para Olivia Colman, Melhor Roteiro Adaptado para Christopher Hampton, Melhor Edição e Melhor Design de Produção. 


Elisabete Estumano Freire


** Trechos de entrevistas com o ator Anthony Hopkins e o cineasta e dramaturgo Florian Zeller, extraídos de release fornecido por Paula C. Ferraz








SERVIÇO:


MEU PAI estará disponível para aluguel na plataforma do Belas Artes Grupo, o BELAS ARTES À LA CARTE, a partir dessa quinta-feira, dia 15 de abril, a R$ 24,90. 


MEU PAI

(The Father) 

EUA, 2020, Drama, 97 min, 12 anos

Direção: Florian Zeller

Elenco: Anthony Hopkins, Olivia Colman, Mark Gatiss, Imogen Poots, Rufus SewellOlivia Williams


SHARE THIS

0 comentários:

Latest Posts

Cloud Labels

especiais (95)