Our social:

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Disney divulga conteúdo sobre universo da trilogia de M. Night Shyamalan


De autoria do jornalista Alexandre Matias, o conteúdo divulgado pela Disney explica a conexão de VIDRO, novo longa de M. Night Shyamalan, com os anteriores Corpo Fechado (2000) e Fragmentado (2016). O filme fecha a trilogia envolvendo personagens que vivem a ilusão de serem super heróis ou vilões, como no universo dos quadrinhos. O lançamento de VIDRO está previsto para 17 de janeiro de 2019. Abaixo, o texto na íntegra:

Cena de "O Sexto Sentido" (1999)
"Plot Twist" é um termo usado para designar uma mudança repentina e inesperada no roteiro de um filme, que transforma completamente o ponto de vista acompanhado até aquele momento. É literalmente uma reviravolta no enredo, que mexe com toda a história a ponto de transformar protagonistas em coadjuvantes, histórias menores na narrativa principal, detalhes em pontos cruciais da trama. Um dos principais defensores desta técnica literária no cinema é o cineasta norte-americano (de origem indiana) M. Night Shyamalan, que transformou este recurso em sua assinatura desde seu primeiro filme, o já clássico O Sexto Sentido. 

Cena de "Fragmentado" (2016)
E a reviravolta que ele está dando em sua carreira com seus filmes mais recentes parece ter saído do roteiro de uma de suas produções. Ao final de Fragmentado, sua obra de 2016 estrelada por um surpreendente James McAvoy, ele desvendou  um segredo que ninguém jamais imaginava que pudesse acontecer ( e pare de ler por aqui se ainda não tiver o visto, pois lá vem spoiler): que o filme era uma continuação de seu segundo filme, Corpo Fechado, lançado no ano 2000. Sim, os personagens dos dois filmes habitavam o mesmo universo - e, mais do que isso, Shyamalan havia construído um universo compartilhado, que tem um novo capítulo com Vidro em janeiro de 2019, de super heróis debaixo do nariz de todos nós. Afinal, a grande reviravolta de Corpo Fechado  (e lá vem mais spoiler, caso você não tenha visto esse filme) era a revelação de que tudo que acontecia com o personagem David Dunn (vivido por Bruce Willis) tinha uma origem fantástica: ele era um super-herói! Mas não um super-herói já conhecido de outras histórias em quadrinhos, que veste uniforme e tem superpoderes bem definidos.  Dunn era um herói sem retoques, cru e vivendo o dilema de ter habilidades sobrenaturais que poderiam ajudar pessoas indefesas numa sociedade que não vê isso com bons olhos. 

Cena de "Corpo Fechado" (2000)
Corpo Fechado foi lançado no mesmo ano que X-Men, o marco zero da atual era de ouro dos super-heróis, que permitiu que a Marvel pudesse alcançar o velho sonho de Stan-Lee - fazer filmes tão divertidos e rentáveis quanto as histórias em quadrinhos da editora que imortalizou ( e com os mesmos personagens!) . Shyamalan talvez nem tenha percebido o quão visionário foi em lançar um filme de super-heróis completamente avesso ao que se espera de um filme do tipo - por todo o percurso de seu segundo filme, o diretor não dava a mínima pista de que aquele filme pudesse ir para esse cenário improvável para o grande cinema, naquela época. 

E quando  menos esperava - mais uma vez -, Shyamalan descortinou Fragmentado,  que aparentemente parecia ser uma história sobre uma pessoa com múltiplas personalidades que, ao final, revelava-se uma espécie de continuação do filme do ano 2000, criando um arco de personagens que se encaixam na típica formação dos super-heróis em quadrinhos: um herói (Dunn), um vilão (Kevin Wendell Crumb, o personagem de mcAvoy), e um mentor.

Este último é o protagonista do próximo filme do diretor, que escreveu e dirigiu todos os filmes (outro feito único no mundo dos super-heróis no cinema). Vidro conta a história do personagem Elijah Price, vivido por Samuel L. Jackson em Corpo Fechado,  que amarra o universo de personagens em uma trilogia de filmes de super-heróis autoral e que, ao contrário da imensa maioria das produções atuais, não é uma adaptação dos quadrinhos, apesar de reverenciar a estética deste formato, quase como um agradecimento do diretor. 


*Alexandre Matias é jornalista e cobre cultura há mais de 20 anos a partir de seu site www.trabalhosujo.com.br

FONTE: cid:image008.jpg@01CF423F.7018CC80
cid:B9E848B4-EC7B-41BD-B394-F7BCC5A77EE1Bianca Araújo Santos 
The Walt Disney Company (Brasil)