Our social:

sábado, 7 de abril de 2018

Documentários e ficção na programação da semana da TV BRASIL - 7 a 15 de Abril


Entre os destaques, o documentário português "Esta é a nossa rua" sobre a diversidade étnica, religiosa e social em Lisboa.  
PROGRAMAÇÃO - 07 A 15 DE ABRIL DE 2018


Meu Japão Brasileiro”
Sábado, 7 de abril, às 16h
Em uma comunidade rural nipo-brasileira, o agricultor Fofuca (Mazzaropi) enfrenta a exploração descarada do Sr. Leão, um atravessador que faz o intermédio entre os produtores e o comércio na cidade. Após muito penar nas mãos de Leão, Fofuca forma com os camponeses uma cooperativa agrícola. Mas Leão e seus filhos não veem com bons olhos essa iniciativa e vão fazer de tudo para impedir que Fofuca e seus amigos tenham êxito nesse “Japão brasileiro.”
102 min. Classificação Indicativa: Livre. Ano: 1965. Gênero: comédia. Direção: Glauko Mirko Laurelli, com Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Célia Watanabe, Zilda Cardoso, Carlos Garcia, Reynaldo Martini, Adriano Stuart Elk Alves, Francisco Gomes, Judith Barbosa, Bob Junior, Ivone Hirata, Luiz Tokio, Luzia Yoshigumi.


_____
Casinha Pequenina”
Quarta-feira, 4 de abril, às 23h45
Considerado a obra-prima de Mazzaropi, o longa-metragem “Casinha Pequenina” traz um elenco de estrelas e marca a estreia de Tarcísio Meira no cinema. O filme tem o fim da escravidão como pano de fundo e mostra a luta dos abolicionistas contra os interesses dos senhores de engenho.
Ícone da sétima arte no país, Mazzaropi usou a figura do “Jeca” como personagem central em dezenas de produções nacionais.
95 min. Gênero: Comédia. Ano: 1963. Classificação: livre.


_____
Tratoristas”
Sábado, 7 de abril, às 3h
Klim Iarko, piloto de tanque que estivera servindo no Extremo Oriente, volta da guerra para retomar suas funções como mecânico de tratores. Mecânico experiente, Klim se desdobra para dar mais eficiência ao trabalho dos tratoristas e conquistar o coração de Mariana, líder de uma famosa equipe feminina de tratoristas, por quem sempre fora apaixonado.
A canção-tema que acompanha os créditos desta comédia musical se tornou um sucesso popular.
84 min. Ano: 1939. País: União Soviética. Direção: Ivan Pyrev. Roteiro: Evgeniy Pomeshchikov. Elenco: Marina Ladynina, Nikolay Kryuchkov, Boris Andreyev, Stepan Kayukov, Pyotr Aleynikov, Vladimir Kolchin, Olga Borovikova.


-----
Ixcanul”
Domingo, 8 de abril, à 1h
María é uma jovem maya da tribo Kaqchikel que vive com os pais em uma plantação de café na encosta de um vulcão ativo da Guatemala. Um casamento arranjado com Ignacio a espera, mas ela quer partir para os Estados Unidos com Pepe.
O vulcão Ixcanul testemunha a tentativa de Mary de mudar seu destino. Mas sua condição de mulher indígena será um enorme obstáculo.
Entre os prêmios conquistados por “Ixcanul” estão os do Festival Internacional de Cinema de Guadalajara, México: Melhor Diretor, Melhor Atriz (María Mercedes Croy); Platinum Ibero-American Film Awards: Melhor estreia; Festival de Cinema de Lima, Peru: Melhor Atriz; Festival Internacional de Cinema de Cartagena de Indias, Colômbia: Melhor filme; Prêmio de filmes ibero-americanos Phoenix, melhores trajes; Festival Internacional de Cinema de Berlim, Alemanha: Prêmio Alfred Bauer; Cinélatino, Rencontres de Toulouse, França: Prêmio do Público; Festival de Biarritz, cinémas et cultures d'amerique latine, França: Melhor longa-metragem; FEST Festival Internacional de Cinema: Melhor estreia; Festival de Cinema de Arte, Eslováquia: Melhor filme, Melhor atriz.
93 min. País: Guatemala. Gênero: Drama. Direção e roteiro: Jayro Bustamante. Elenco: María Mercedes Croy, María Telón, Manuel Antún, Justo Lorenzo, Marvin Coroy.


______
"Circus"
Segunda-feira, 9 de abril, às 23h45
Depois de dar à luz um bebê de pele negra, uma artista de circo americana se torna vítima de racismo e é obrigada a viver dentro dos limites do circo. Porém, encontra refúgio, amor e felicidade na União Soviética. Seu bebê é prontamente acolhido pelo povo soviético.
O ponto alto do filme é a canção de ninar, interpretada por representantes das várias etnias que compunham o país.
Inédito. 94 min. Ano: 1936. País: União Soviética. Idioma: russo. Direção: Grigori Aleksandrov e Isidor Simkov. Roteiro: Grigori Aleksandrov. Elenco: Lyubov Orlova, Vladimir Volodin, Sergei Stolyarov, Pavel Massalsky, James Patterson.


____
Meu Mundo em Perigo”
Terça-feira, 10 de abril, às 23h45
A trama acompanha a história de três personagens: Elias (Eucir de Souza), um fotógrafo desempregado que perde a guarda do filho e mergulha em um inferno interior do qual não consegue fugir; Isis (Rosanne Mulholland), uma mulher enigmática que busca escapar do passado; e Fito (Milhem Cortaz), um homem que entra em desespero após perder o pai em um acidente de trânsito provocado pelo fotógrafo.
Em uma estrutura narrativa peculiar, o roteiro entrelaça o destino dos três personagens cujas vidas se colidem em um desfecho trágico.
Terceiro longa do diretor José Eduardo Belmonte, o drama “Meu mundo em perigo” recebeu premiações em três categorias no Festival de Brasília: Melhor Ator (Eucir de Souza), Melhor Ator Coadjuvante (Milhem Cortaz), Prêmio da Crítica de Melhor Filme.
92 min. Ano: 2007. Gênero: drama. Direção: José Eduardo Belmonte, com Eucir de Souza, Milhem Cortaz, Rosane Mulholland, Justíne Otondo, Wolney de Assís, Zíza Brísola. Classificação Indicativa: 12 anos.


____
Zé do Periquito”
Quarta-feira, 11 de abril, às 23h45
Em “Zé do Periquito”, Mazzaropi interpreta Genó, um tímido e pobre jardineiro que se encanta por uma das alunas do colégio onde trabalha. A jovem Carmem é filha de um empresário bem-sucedido, mas que passa por dificuldades financeiras.
Para conquistar a moça, Genó deixa o emprego de jardineiro e vai para outra cidade, onde trabalha com seu realejo. O realejo fica famoso e Genó consegue uma pequena fortuna em pouco tempo.
As filmagens foram realizadas nos Estúdios da Vera Cruz, com locações em Santos. O longa conta com números musicais de Mazzaropi, Agnaldo Rayol, Hebe Camargo, Cely Campello, Tony Campello, George Freedman, Paulo Molin e Carlão.
100 min. Classificação indicativa: Livre.


____
Bom dia, em que posso ser útil?”
Quinta-feira, 12 de abril, às 23h45
O documentário “Bom dia, em que posso ser útil?” retrata o mundo dos call centers portugueses, onde trabalham cerca de 50 mil pessoas, mas que é quase desconhecido por quem está do outro lado da linha.
Um atendente de “call center” pode passar oito horas por dia em um cubículo, em frente ao computador, sem qualquer contato com o mundo exterior. Seu trabalho é dar informações, orientações, atender chamados, vender produtos ou serviços, para pessoas educadas, malcriadas, implicantes, irritadas ou impacientes.
Quem são esses que estão diariamente no outro lado da linha? É isto que o documentário revela por meio de Ana, Maria do Carmo, Jaime e João.
51min. País: Portugal. Ano: 2011. Direção: Margarida Metello. Produção: Ana Lucas – RTP.


____
Esta é a Nossa Rua”
Quinta-feira, 12 de abril, à 1h
O documentário português “Esta é a Nossa Rua” faz uma viagem pelos mundos que se cruzam nos 2,5 quilômetros da Avenida Almirante Reis, em Lisboa. A rua é um retrato da diversidade étnica, religiosa e social portuguesa.
Na zona tradicionalmente mais popular, a avenida é pobre e degradada, habitada sobretudo por idosos e imigrantes e ensombrada por estigmas. À medida que se sobe em direção ao Areeiro, a avenida vai ficando cada vez mais branca, larga e farta para acabar em um bairro típico da alta burguesia lisboeta.
As pessoas que vivem e trabalham na avenida guiam a câmera do filme para mostrar o que os prende ali, seus sonhos e desilusões, e o que pensam de quem mora na região.
A Avenida Almirante Reis é, seguramente, a artéria mais multicultural de Portugal. A qualquer hora do dia ou da noite, é possível encontrar chineses, africanos, indianos, paquistaneses, bangladeshianos, brasileiros, europeus do leste e até portugueses.
Dirigido pela jornalista Margarida Metello, o documentário conquistou o Grande Prêmio da Lusofonia “Manoel de Oliveira” no Festival Internacional de Cinema e Vídeo de Famalicão. Também foi vencedor da terceira edição do Prêmio de Jornalismo, Direitos Humanos e Integração promovido pelo Gabinete para os Meios de Comunicação Social (GMCS) e pela Comissão Nacional da UNESCO (CNU) de Portugal.
52 min. País: Portugal. Ano: 2009. Gênero: documentário. Direção: Margarida Metello. Produção: Ana Lucas – RTP. Classificação Indicativa: 18 anos.


____
O Jeca e a Freira”
Sábado, 14 de abril, às 16h
Neste longa dirigido e protagonizado pelo humorista Mazzaropi, um senhor de terras responsabiliza-se pela educação da filha de um de seus colonos, em uma fazenda no Brasil do séc. XIX. Ele se afeiçoa à menina como se fosse sua própria filha.
Anos mais tarde, quando a jovem regressa do colégio em companhia de uma freira, o fazendeiro faz de tudo para que ela não reconheça seus verdadeiros pais.
102 min. Ano de estreia: 1968. Gênero: comédia. Direção: Amácio Mazzaropi, com Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Mauricio do Valle, Elizabeth Hartman, Carlos Garcia, Ewerton de Castro. Classificação indicativa: livre.

Fonte: Ricardo Ribeiro / TV BRASIL