Our social:

domingo, 12 de novembro de 2017

TV BRASIL- programação de filmes -13 a 19 de novembro

Destaque para o documentário “Meu corpo é político” que aborda o cotidiano de quatro militantes LGBT que vivem na periferia de São Paulo.
  • 13/11 (Segunda) – 23h – “Venecia” – Drama.
  • 13/11 (Segunda) – 0h30 – “O Universo de Karin Lambrecht” – Documentário.
  • 15/11 (Quarta) – 23h – “Militares da Democracia” – Documentário.
  • 16/11 (Quinta) – 23h30 – “Meu Corpo é Político” – Documentário.
  • 17/11 (Sexta) – 0h30 – “El Velador” – Documentário.
  • 17/11 (Sexta) – 2h – “Meu Corpo é Político” (reprise) – Documentário.
  • 18/11 (Sábado) – 16h – “Betão Ronca Ferro” – Comédia.
  • 18/11 (Sábado) – 23h – “No Paraíso das Solteironas” – Comédia.
  • 18/11 (Sábado) – 1h – “Boris Godunov” – Drama.
  • 19/11 (Domingo) – 0h30 – “Orfeu” – Drama.

______________________________________________

Segunda-feira, 13 de novembro, às 23h.
Venecia”


Violeta, Mónica e Mayelín trabalham em um salão de beleza. No dia em que recebem o pagamento, decidem sair e comprar vestidos, sem imaginar que estão começando uma viagem inesperada até as profundezas da noite de Havana, Cuba.
Ao amanhecer, elas estão exaustas e sem dinheiro. Mas a noitada das amigas foi o sonho que queriam ver materializado.
Entre os prêmios de “Venecia” estão os do Festival Internacional do Novo Cinema Latino Americano de Havana, Cuba: Prêmio de Pós-produção; Festival Internacional de Cinema de Guadalajara, México: Melhor Atriz (Claudia Muñiz); Festival de Gramado, Brasil: Melhor Diretor, Melhor Cinematografia, Melhor Atriz (Claudia Muñiz, Marianela Pupo, Maribel García).
Inédito. Duração: 74 min. País: Cuba. Idioma original: espanhol. Gênero: drama. Ano: 2014. Classificação: 16 anos. Direção: Enrique Álvarez. Roteiro: Claudia Muñiz, Marianela Pupo, Maribel García, Nicolás Ordóñez e Kiki Álvarez.


----------------------------------
Segunda-feira, 13 de novembro, à 0h30.
O Universo de Karin Lambrecht”

“O Universo de Karin Lambrecht” revê o processo criativo e a obra da pintora, desenhista, gravadora e escultora brasileira. No filme, as páginas que vão sendo escritas e a montagem de um trabalho em processo conduzem o espectador pelos temas, reflexões e poética da produção artística de Karin Lambrecht.
Vencedor do Prêmio Funarte 2014 e dirigido por Hopi Chapman, o documentário reúne depoimentos da artista, de amigos, críticos, colecionadores e curadores.
Reprise. 27 min. Ano: 2015. Gênero: Documentário: Direção: Hopi Chapman e Karine Emerich.


----------------------------------
Quarta-feira, 15 de novembro, às 23h.
Militares da Democracia”

Eles lutaram pela Constituição, pela democracia e contra o golpe de 1964, mas a sociedade brasileira pouco ou nada sabe a respeito dos oficiais que, até hoje, ainda buscam justiça e reconhecimento na história do país.
O documentário “Militares da Democracia” resgata, através de depoimentos e registros de arquivos, as memórias repudiadas, sufocadas e despercebidas dos militares perseguidos, cassados, torturados e mortos, por defenderem a ordem constitucional e uma sociedade livre e democrática.
O cineasta Silvio Tendler mescla fatos documentais e ficcionais sobre o período da ditadura militar no país. A narrativa destaca a participação dos militares que lutaram pela democracia, mas que ainda não são conhecidos pelas novas gerações.
Com produção de Ana Rosa Tendler e locução de Eduardo Tornaghi, o filme retoma o percurso de vários grupos de militares que, muito antes do golpe de 1964, já vinham se organizando por novos direitos, melhores condições de trabalho e na defesa de uma sociedade melhor.
Reprise. 88 min. Ano: 2014. Gênero: documentário. Direção: Silvio Tendler. Produção: Ana Rosa Tendler. Locução: Eduardo Tornaghi. Classificação Indicativa: 12 anos.


---------------------------------------
Quinta-feira, 16 de novembro, às 23h30.
Meu Corpo é Político”

O documentário “Meu corpo é político” aborda o cotidiano de quatro militantes LGBT que vivem na periferia de São Paulo. A partir da intimidade e do contexto social dos personagens, o documentário levanta questões contemporâneas sobre a população trans e suas disputas políticas.
​Com Fernando Ribeiro, Giu Nonato, Linn da Quebrada e Paula Beatriz.
Inédito. Ano: 2017. Gênero: Documentário. País: Brasil. Direção: Alice Riff. Montagem: Yuri Amaral. Produção: Studio Riff e Paideia Filmes.


----------------------------------
Sexta-feira, 17 de novembro, à 0h30.
El Velador”

Martín é o zelador do cemitério “Jardins de Humaya”, em Culiacán, Sinaloa, um dos estados com maior narcoviolência no México. Dia e noite, Martín viaja pela área, observando os mausoléus extravagantes dos narcotraficantes e centenas de jazigos comuns que não param de se encher.
A saturação midiática com histórias e imagens terríveis tornou difícil para o espectador entender a realidade do tráfico de drogas, agora banalizado. Ao evitar essas imagens, o documentário nos convida a observar e questionar a maneira pela qual percebemos a violência.
“El velador” foi premiado no Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata, Argentina: Prêmio SICA; no Festival Internacional de Cinema de Bratislava, Eslováquia: Melhor Documentário; no RIDM—Rencontres Internacionais do Documentário—em Montreal, Canadá: Melhor fotografia.
Inédito. 72 min. País: México. Idioma original: espanhol. Gênero: documentário. Ano: 2011. Direção e roteiro: Natalia Almada. Classificação: livre.


---------------------------------------
Sexta-feira, 17 de novembro, às 2h
Meu Corpo é Político”

O documentário “Meu corpo é político” aborda o cotidiano de quatro militantes LGBT que vivem na periferia de São Paulo. A partir da intimidade e do contexto social dos personagens, o documentário levanta questões contemporâneas sobre a população trans e suas disputas políticas.
​Com Fernando Ribeiro, Giu Nonato, Linn da Quebrada e Paula Beatriz.
Inédito. Ano: 2017. Gênero: Documentário. País: Brasil. Direção: Alice Riff. Montagem: Yuri Amaral. Produção: Studio Riff e Paideia Filmes.


----------------------------------
Sábado, 18 de novembro, às 16h.
Betão Ronca Ferro”

Em Betão Ronca Ferro, o comediante Amácio Mazzaropi presta uma justa homenagem aos artistas mambembes e à sua própria sua origem circense. Mesmo depois da fama, Mazzaropi nunca deixou de frequentar os picadeiros Brasil afora. Um dos pontos altos do filme é retratar Mazzaropi fazendo seu show no circo, acompanhado de um sanfoneiro, como sempre.
No filme, a filha de um empregado de circo (Dilma Lóes) casa-se com um jovem muito rico (Roberto Pirillo), contra a vontade da família dele. O pai dela (Mazzaropi) acaba pegando dinheiro emprestado com a família do genro (Araken Saldanha) e compra o circo onde trabalhava, passando a perambular de cidade em cidade.
“Betão Ronca Ferro” – o título faz alusão à telenovela “Beto Rockfeller”, um fenômeno de então – retrata a dura realidade dos artistas de circo, principalmente na concorrência entre um circo grande e um circo pequeno. Na época, os circos ainda podiam ter animais como atrações. O comediante também aborda a moda da época, como a minissaia e a calça pantalona.
Reprise. Ano: 1971. 100 min. Gênero: comédia. Direção: Geraldo Afonso Miranda. Classificação indicativa: Livre.


----------------------------------
Sábado, 18 de novembro, às 23h.
No Paraíso das Solteironas”

Aquele caboclo acostumado à vida do interior não poderia imaginar que, ao tentar a sorte na cidade grande, seria alvo dos olhares de desejo de uma turma de solteironas.
No filme, o personagem de Mazzaropi ainda se envolve em confusões com a dona do hotel e é colocado às voltas com uma quadrilha e um grupo de ciganos.
Reprise. 95 min. Ano: 1969. Gênero: comédia. Direção: Pio Zamuner, com Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Átila Iório, Carlos Garcia, Elizabeth Hartman. Classificação Indicativa: livre


----------------------------------
Sábado, 18 de novembro, à 1h.
Boris Godunov”

Adaptação da peça de teatro homônima, de Alexander Pushkin, “Boris Godunov” se passa na Rússia e na Polônia no começo do séc. XVII. O épico é inspirado na história do Czar Boris Godunov, que reinou a Rússia entre 1598 e 1605.
Após a morte do Czar Fedor Ivanovich – filho de Ivan, o Terrível – Boris Godunov toma o trono, graças a intrigas palacianas, alianças e ao casamento arranjado entre sua irmã, Irina, com Tsarevich Feodor. Godunov ganha imenso poder e influência na corte. Mas, súbito, há um novo aspirante ao trono: um homem que alega ser Dmitri, o filho mais novo de Ivan, o Terrível. Os autos oficiais davam conta que Dmitri havia morrido em Uglich, em 1591.
Esse suposto Dmitri aparece na Polônia e, com o apoio do Príncipe Vishnevetzky, Sandomierz Mniszech e sua filha, a bela Marina, retorna à Rússia.
Embora a Igreja e Vasily Shuiski – que haviam investigado as circunstâncias da morte de Dmitri – neguem a autenticidade desse príncipe, ele cresce em popularidade e começa a se tornar uma ameaça real ao Czar Boris. Quem é ele, realmente? Um aventureiro ousado? Um príncipe? Ou um fantasma que apareceu para vingar um crime há muito esquecido?
Inédito. 141 min. País: União Soviética Idioma: Russo/francês. Ano: 1986. Gênero: Drama. Direção: Sergei Bondarchuk. Roteiro: Alexander Pushkin (peça original), Sergei Bondarchuk, com Sergei Bondarchuk, Alyona Bondarchuk, Gennadi Mitrofanov e grande elenco. Classificação: 18 anos.


----------------------------------
Domingo, 19 de novembro, às 0h30
Orfeu”

Dirigido por Cacá Diegues, o filme “Orfeu” é uma adaptação da peça teatral do poeta Vinícius de Moraes, que se inspirou no mito grego de Orfeu e Eurídice. A história, ambientada em uma favela do Rio de Janeiro na época do Carnaval, narra o amor impossível de Orfeu, um compositor de escola de samba, e a jovem e bela Eurídice.
Na recontagem do mito grego de Orfeu e Eurídice, Orfeu é um músico popular de uma escola de samba. Na favela onde mora, apaixona-se por Eurídice, e seus destinos e vidas se entrelaçam no Carnaval.
Ano: 1999. Direção: Cacá Diegues. Música composta por: Caetano Veloso. Roteiro: Cacá Diegues, Paulo Lins, João Emanuel Carneiro, Hermano Vianna, Hamilton Vaz Pereira.

Fonte: Ricardo Ribeiro/ TV BRASIL 

Popular Posts

Google+ Followers