Our social:

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Ivone kane, coprodução Brasil/Portugal com Irene Ravache estreia dia 30 de novembro


Yvone Kane, coprodução Brasil/Portugal, com a atriz Irene Ravache, e direção da portuguesa Margarida Cardoso, estreia em circuito nacional dia 30 de novembro (nova data de lançamento), com distribuição da Bretz Filmes. As produtoras Filmes do Tejo II de Portugal e MPC Filmes são responsáveis pela produção que teve o apoio financeiro do ICA - Instituto do Cinema e Audiovisual (Portugal), da Ancine (Brasil), da RTP Rádio e Televisão de Portugal e da Fundação Gulbenkian Calouste | Programa Next Future.

O filme participou do Festival do Rio em 2014, além dos festivais internacionais Festival de Cinema Luso-Brasileiro de Santa Maria da Fé; Festival de Cinema das Noites Negras; do 39º Festival Guarnicê de Cinema em 2016 e do 17º Festival du Cinema Bresilien de Paris, em 2016, onde Beatriz Batarda ganhou o prêmio de melhor atriz (2014).

O longa-metragem YVONE KANE foi filmado em locações em Moçambique. Este roteiro de ficção, da diretora e roteirista Margarida Cardoso, persegue seu interesse pela temática colonial e pós-colonial, numa perspectiva muito singular, explorando a memória, as perdas, a culpa e a inevitável inscrição da História nas vidas de seus personagens.

Depois da morte da sua filha, Rita (Beatriz Batarda) volta ao país africano onde viveu a sua infância para investigar um mistério do passado:  a verdade sobre morte de Yvone Kane (Mina Andala), uma ex-guerrilheira e ativista política. Neste país, onde o progresso se constrói sobre as ruínas de um passado violento, Rita reencontra a sua mãe, Sara (Irene Ravache), um mulher dura e solitária que vive ali há muitos anos. E enquanto Sara vive os últimos dias da sua vida procurando um sentido para os seus atos passados, Rita embrenha-se num território marcado pelas cicatrizes da História, assombrado por fantasmas da guerra e do mal, procurando o segredo de Yvone.  Mas todos os caminham parecem leva-la à revelação da impossibilidade de redenção e ao esquecimento.

Margarida Cardoso foi premiada com o “Léopards de Demain” no 52º Festival de Locarno e a sua primeira longa metragem “A Costa dos Murmúrios”  estreou no Festival de Veneza – Venice Days, 2004.   Nos últimos anos afirmou-se como um dos nomes mais consistentes do cinema português. Entre seus filmes:"Natal 71", "Kuxa Kanema - O Nascimento do Cinema",  “A Costa dos Murmúrios”.

Fonte: Sandra Villela/ Primeiro Plano Assessoria de Imprensa.


Popular Posts

Google+ Followers