Our social:

domingo, 13 de agosto de 2017

Cineclube Sala Escura exibe filme-marco do Nuevo Cine Argentino

filme tem exibição gratuita na cinemateca do MAM-RJ


O Cineclube Sala Escura - Sessão Latina Cinemateca exibe em película o filme "Pizza, Cerveja e Cigarro" (Pizza, birra, faso), de Israel Adrián Caetano e Bruno Stagnaro,  considerado o marco inicial do Nuevo Cine Argentino, vinte anos após a sua realização.  A exibição acontece na próxima quinta-feira (17), às 18h30, na Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, localizado no Aterro do Flamengo. A entrada é gratuita.

O longa ganhou vários prêmios, entre eles, os de Melhor Filme da FIPRESCI no Festival de Mar del Plata, os Condores de Prata de Melhor Filme, Melhor Primeira Obra, Melhor Roteiro Original e Melhor Revelação Masculina da Associação de Críticos da Argentina, o Grande Prêmio do Júri em Toulouse e os Kikitos de Ouro de Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Roteiro em Gramado. O filme é considerado o marco inicial do Nuevo Cine Argentino, que irrompe na virada dos anos 1990 para o novo século, revelando assim, além de Caetano e Stagnaro, os cineastas Pablo Trapero, Lisandro Alonso, Lucrecia Martel, Daniel Burman, entre outros.

Cineclube Sala Escura é uma atividade de extensão da Plataforma de Reflexão sobre o Audiovisual Latino-Americano (PRALA), vinculada ao Laboratório de Investigação Audiovisual (LIA) da Universidade Federal Fluminense (UFF).


SERVIÇO:
Dia 17 de Agosto de 2017
 Quinta-feira, às 18h30min

Cinemateca do MAM
Av. Infante Dom Henrique, 85
Aterro do Flamengo – Rio de Janeiro

EXIBIÇÃO EM PELÍCULA
ENTRADA GRATUITA


PIZZA, CERVEJA, CIGARRO
(Pizza, birra, faso)
Argentina, 1997
80min, Cor, legendas em Português
Direção e Roteiro: Israel Adrián Caetano e Bruno Stagnaro
Produção Executiva: Bruno Stagnaro
Fotografia: Marcelo Lavitman
Som: Martín Grignaschi
Direção de Arte: Sebastián Roses
Montagem: Andrés Tambornino
Música: Leo Sujatovich
Elenco: Héctor Anglada, Jorge Sesán, Pamela Jordán, Alejandro Pous, Walter Díaz, Adrían Yospe

SINOPSE: Cordobês vive com seus três amigos e sua mulher grávida, Sandra, na mesma casa. Esse bando de jovens marginais perambula pelas ruas de Buenos Aires, vivendo de furtos. Eles sempre dependem de alguém que os contrate, mas que tira a maior parte de seus lucros. A filosofia de Cordobês e de seus amigos é de que, enquanto não faltem pizza, cerveja e cigarro, tudo é suportável.

SOBRE OS REALIZADORES:

Israel Adrián Caetano nasce em Montevidéu, em 1969, mas se fixa na Argentina ainda jovem e estuda cinema na França. Codirige e escreve a quatro mãos com Stagnaro, o seu primeiro longa, Pizza, cerveja, cigarro, que consome dois anos de trabalho e tem grande repercussão internacional. Em seguida, dirige o independente Bolívia (2000), o policial Un oso rojo (2002) e Crônica de uma fuga (2006), filme cuja trama ocorre durante a última ditadura argentina. Na televisão, inicia a sua atuação ao escrever e dirigir o telefilme La cautiva (2001), seguido de Después del mar (2003) e Mujeres elefante (2007). Dirige um dos episódios do longa 18-J (2004), filme em memória aos dez anos do atentado à organização israelita AMIA e assina o média documental Sangre roja, 100 años de gloria (2005), por ocasião do centenário do time de futebol Atlético Independiente de Avellaneda. Retorna à ficção com os longas Francia (2007) e Mala (2013), mas antes dirige NK: el documental (2011), sobre o ex-presidente Néstor Kirchner. Em março de 2017, estreia seu último filme, o policial El otro hermano.

Bruno Stagnaro nasce em Buenos Aires em 1973, filho do cineasta Juan Bautista Stagnaro. Dirige o curta Guarisove, los olvidados, que forma parte do longa de episódios Historias breves I (1995), filme que reúne obras de egressos de importantes escolas de cinema da Argentina, cujos nomes serão consagrados em seguida ao despontar o Nuevo Cine Argentino. O longa deflagrador do “movimento” é Pizza, cerveja, cigarro, codirigido e corroteirizado por Stagnaro, ao lado de Caetano. Em 2000, Stagnaro se celebra ao dirigir a série televisiva Okupas, que ganha três Prêmios Martín Fierro (Melhor Série, Melhor Diretor e Melhor Revelação). Em 2006, é um dos fundadores da produtora Boga Bogagna, pela qual atua como diretor, roteirista e produtor executivo, sobretudo, em obras para televisão e publicidade.



Texto: Fabián Núñez

 APOIO:

   

Popular Posts

Google+ Followers