Our social:

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Rei Arthur – A lenda da Espada estreia hoje nos cinemas

O filme dirigido por Guy Ritchie traz de volta a lendária história de Arthur, o rei de Camelot, e o mito da espada Excalibur.
C
om Charles Hunnan (série da fox “Sons of Anarchy”) no papel de Arthur, o longa tem início com a guerra do rei Uther (Eric Bana/ “Star Trek”) contra os bruxos e a traição de seu irmão Vortigen (Jude Law/ “Cold Mountain”/”O talentoso Ripley”) para usurpar o poder. Salvo por seu pai, que morre em luta, o pequeno Arthur é criado por uma prostituta e vive como indigente nas ruas de Camelot, aprendendo a sobreviver aplicando pequenos golpes e fazendo alguns serviços. Sagaz, ele cresce fazendo aliados e se tornando próspero, mas vive atormentado por imagens de seu passado, que ele não consegue entender. Por outro lado, o então rei Vortigen, que deseja a todo custo o poder da espada sagrada não descansará até encontrar e destruir o legítimo herdeiro do trono de Camelot.
O príncipe Arthur de Charles Hunnan é quase uma espécie de Han Solo, de Guerra nas Estrelas, sempre com um certo sarcasmo, humor e inteligência estratégica. Rodeado por seus amigos, que o ajudam a enfrentar Vortigen (Jude Law), ele terá a ajuda da magia na figura de Mage (Astrid Bergès Frisbey) para fazer com que ele aceite sua missão junto à espada Excalibur em reestabelecer a ordem em Camelot. Jude Law convence ao interpretar o ambicioso Vortigen, tio de Arthur, encarnando a dualidade de um homem que, pela sede de poder, pode destruir aqueles a quem mais ama.
A versão cinematográfica de Guy Ritchie possui uma narrativa acelerada, principalmente nos flashbacks e flashforwards, abusando do recurso da edição videoclipada, nos lembrando visualmente do estilo de intervenção do diretor. A câmera rápida de Ritchie dá um ritmo pop ao filme, embalado por uma trilha sonora frenética. Além das visíveis referências aos filmes de artes marciais, com seus movimentos de luta sincronizados, os efeitos visuais nos lembram a trilogia MATRIX (1999-2003). O diretor também aproveita a trama épica para fazer uma homenagem aos velhos filmes de faroeste.
O filme de Ritchie apresenta a jornada do herói Arthur, com belas imagens, retratando uma idade média lendária, em que a força de seus personagens está não somente na espada, mas em nobres valores, como a amizade, fidelidade e senso de justiça.
Elisabete Estumano Freire.

Popular Posts

Google+ Followers