Our social:

terça-feira, 28 de junho de 2016

CINECLUBE SALA ESCURA EXIBE O FILME "LA TETA ASSUSTADA" DE CLAUDIA LLOSA


A sessão acontece na próxima quinta, 30 de junho, às 18h00, no Cine Arte UFF. A entrada é gratuita. 

O Cineclube Sala Escura – Sessão Latina UFF, em parceria com a Filmoteca Española e o Instituto Cervantes, exibe o premiado filme da cineasta peruana Claudia Llosa.

Fausta é uma linda jovem que sofre de uma rara enfermidade, conhecida como a “teta assustada”, transmitida pelo sofrimento e pelo medo da mãe para o filho através do leite materno. A mãe de Fausta foi estuprada, assim como centenas de mulheres no Peru, durante a guerra interna ocorrida no país, nos anos 1980. De modo aparentemente estranho, surge uma batata no interior da vagina de Fausta, que cada vez mais vive alheia ao mundo ao seu redor e precisa lidar com a doença e a morte de sua mãe. Vencedor de mais de dez prêmios, entre eles, o Urso de Ouro e o Prêmio Fipresci do Festival de Berlim, o Grande Coral e o Prêmio de Melhor Direção do Festival de Havana e os Kikitos de Ouro de Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Atriz do Festival de Gramado.


Claudia Llosa é diretora e roteirista peruana, sobrinha do escritor Mario Vargas Llosa e do cineasta Luis Llosa. Nasceu em Lima, em 1976, onde se forma em cinema na Universidade de Lima. Prossegue seus estudos na Universidade de Nova York e em Sundance. O roteiro de seu primeiro longa-metragem, Madeinusa, é premiado no Festival de Havana, concedendo-lhe uma bolsa da Fundação Carolina e da Casa das Américas para o Curso de Desenvolvimento de Projetos Ibero-Americanos. Após concluir um mestrado em Madri, dirige Madeinusa, que é lançado em 2006, com o qual recebe onze prêmios, incluindo nos festivais de Roterdã, Havana, Mar del Plata e Lima. Seu segundo longa, A teta assustada, lhe garante a consagração internacional ao ser premiado em Berlim, entre vários certames, além de ser nomeado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Em 2010, participa da exposição (D)efecto Barroco, políticas de la imágen hispana, promovida pelo Centro de Cultura Contemporânea de Barcelona (CCCB), com o curta El niño pepita. No ano seguinte, participa do projeto Fronteras, uma série de curtas latino-americanos produzidos pelo canal de televisão TNT, com o curta Loxoro, que aborda a fronteira entre o masculino e o feminino na comunidade gay e transexual no Peru. Recentemente, lançou o seu terceiro longa, Marcas do passado (2014), uma coprodução hispano-franco-canadense, lançado internacionalmente pela Sony Pictures.

A TETA ASSUSTADA
(La teta asustada)
Peru/Espanha 2009
94min, Cor
Direção e Roteiro: Claudia Llosa
Produção: Claudia Llosa, Antonio Chavarrías
Direção de Fotografia: Natasha Braier
Direção de Arte: Patricia Bueno, Susana Torres
Design de Som: Fabiola Ordoyo
Música: Selma Mutal
Montagem: Frank Gutiérrez
Elenco: Magaly Solier, Susi Sánchez, Efraín Solis, Bárbara Lazón, Marino Ballón

SERVIÇO: 

EXIBIÇÃO: 30 JUNHO DE 2016 (QUINTA-FEIRA) ÀS 18H.
LOCAL: CINE ARTE UFF. RUA MIGUEL DE FRIAS, 9 , ICARAÍ - NITERÓI.
ENTRADA FRANCA.




Cineclube Sala Escura é uma atividade de extensão da Plataforma de Reflexão sobre o Audiovisual Latino-Americano (PRALA), vinculada ao Laboratório de Investigação Audiovisual (LIA) da Universidade Federal Fluminense (UFF).


Fonte: Fabián Núñez
Professor Adjunto
Universidade Federal Fluminense
Departamento de Cinema e Vídeo
Plataforma de Reflexão sobre o Audiovisual Latino-Americano
Laboratório Universitário de Preservação Audiovisual

Popular Posts

Google+ Followers