Our social:

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

"MUTUM" DE SANDRA KOGUT E "OS DIAS COM ELE" DE MARIA CLARA ESCOBAR SÃO OS DESTAQUES DA SEMANA NA TV BRASIL (27 Fev a 6 Março)


O documentário "Os dias com ele", de Maria Clara Escobar, é uma cinebiografia do filósofo, dramaturgo e professor Carlos Henrique Escobar, que foi preso e torturado durante a ditadura. 

A TV Brasil exibe filmes e documentários nacionais, premiados em Festivais no Brasil e no exterior, além de produções internacionais de Cuba e do Equador. Política, música e esportes estão entre os temas abordados.

Neste sábado (27), às 15h, o documentário "As Lutas de Adriana" apresenta a história de Adriana dos Santos Araújo, a primeira atleta brasileira a ganhar uma medalha olímpica no boxe nos Jogos de Londres em 2012. Ainda no sábado (27), às 22h,  o drama nacional "Eles Voltam" acompanha a menina Cris em sua jornada de retorno ao lar. À 0h15, o documentário cubano "A Ilha e os Signos" traça um panorama sobre a vida e obra do cartógrafo Samuel Feijóo. Em seguida, à 1h15, o filme equatoriano "Con mi corazón en Yambo" resgata o brutal caso de dois irmãos desaparecidos.

Neste domingo (28), à meia-noite, a emissora exibe o drama "Mutum", dirigido por Sandra Kogut, reconhecido em vários festivais de cinema. Logo depois, à 1h30, vai ao ar o documentário chileno "Calle Santa Fé".

Na segunda (29), à 0h30, o canal apresenta o longa nacional "Favela on Blast", sobre o funk carioca.

Já na terça (1), à 0h30, está em cartaz o documentário "Soldado de Deus", com narração de Nelson Xavier.

Na quarta (2), às 22h, a TV Brasil exibe o filme "Marcelo Yuka no Caminho das Setas", cinebiografia do músico e ativista. Mais tarde, à 0h30, entra em cena o documentário "Paulo Moura: Alma Brasileira", película que traça um perfil do compositor e instrumentista.

Na próxima quinta (3), a emissora apresenta o infantil "No Meio da Rua", com Flávia Alessandra, Tarcísio Filho, Leandro Hassum, no Cine Nacional.

Na próxima sexta (4), o drama "Augustas", produção nacional de Francisco César Filho, discorre sobre um jornalista que se envolve com a noite paulista.

No próximo sábado (5), às 15h, o documentário "Bete do Peso" conta a trajetória da primeira levantadora de peso a defender o Brasil em uma edição dos Jogos Olímpicos. Às 22h, vai ao ar "Os dias com ele", cinebiografia do filósofo, dramaturgo e professor Carlos Henrique Escobar. Mais tarde, à 0h15, o canal exibe o documentário "Entre a Luz e a Sombra".

Já no domingo (6), às 16h30, a comédia nacional "Meu Japão Brasileiro" traz o hilário artista Amácio Mazzaropi.

_________________________________________________________________________________

Saiba mais sobre a programação de filmes da TV BRASIL de 27 de fevereiro a 6 de março 

Sábado, 27 de fevereiro
As Lutas de Adriana
15h00, na TV Brasil
Ano de estreia: 2013. Gênero: documentário. Direção: Alberto Iannuzzi.

As Lutas de Adriana” conta a história de uma guer­reira: Adriana dos Santos Araújo, primeira mulher brasileira a ganhar uma medalha olímpica no boxe nos Jogos de Londres em 2012. Derrotada pela russa Sofya Ochigava na semifinal da categoria até 60kg, ela ficou com o bronze. Nascida em uma comunidade carente de Salvador em 1981, a atleta encarou diferentes lutas nos ringues e fora deles até se tornar um exemplo para as novas gerações.

Adriana superou diversos obstáculos não só em sua carreira, mas também em sua vida. O primeiro desafio: sair de um bairro pobre e entrar no universo do boxe. O segundo: praticar e se fir­mar em um esporte predominantemente masculi­no. O terceiro: ter que viver e treinar na solidão de uma metrópole estranha ao seu espaço afetivo.

A narrativa mergulha de forma intimista nos dramas e alegrias da boxeadora, utilizando uma linguagem de Cinéma Vérité. De forma espontânea, o documentá­rio dirigido por Alberto Iannuzzi vai delineando a essência de uma mulher que, além do histórico bronze nas Olimpíadas de Londres em 2012, dos 10 Campeonatos Brasileiros e dos 7 Pan-americanos, também venceu na vida.

Inédito. 26 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 15h00


Sábado, 27 de fevereiro
Eles voltam
22h00, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: drama. Direção: Marcelo Lordello, com Maria Luiza Tavares, Georgio Kokkosi, Elayne de Moura, Mauricéia Conceição, Jéssica Silva, Irma Brown, Clara Oliveira, Germano Haiut, Teresa Costa Rêgo.

Cris (Maria Luíza Tavares) e Peu (Georgio Kokkosi), seu irmão mais velho, são deixados na beira de uma estrada pelos próprios pais. A menina de 12 anos e o garoto foram castigados por brigar constantemente durante uma viagem à praia. Em pouco tempo, os irmãos percebem que o castigo vem a se tornar um desafio ainda maior.
Após algumas horas, ao notar que os pais não retornaram, Peu parte em busca de um posto de gasolina. Cris permanece no local por um dia inteiro e, sem notícias dos pais ou do irmão, decide percorrer ela mesma o caminho de volta para casa.


Primeiro longa de ficção do diretor Marcelo Lordello, o drama nacional “Eles Voltam” acompanha Cris em sua jornada de retorno ao lar. A trama apresenta uma história feita de encontros, em que realidades distintas serão os guias dos personagens no percurso. O flime é uma fábula de tons realistas sobre as vivências que farão Cris se revisitar.

A produção recebeu muitos prêmios na estreia no Festival de Brasília. “Eles Voltam” conquistou os Candangos de Melhor Atriz (Maria Luiza Tavares), Melhor Atriz Coadjuvante (Elayne Moura) e Melhor Filme - dividido com “Era uma vez eu, Verônica”, de Marcelo Gomes.

Inédito. 105 min.
Classificação Indicativa: 14 anos
Horário: 22h00


Sábado, 27 de fevereiro

A Ilha e os Signos
00h15, na TV Brasil

Título original: La Isla y los signos. País de origem: Cuba. Ano de estreia: 2014. Gênero: documentário. Direção: Raydel Araoz.

O documentário traça um panorama sobre a vida e obra do cartógrafo Samuel Feijóo retratadas através de sua revista “Signos” e da cultura popular da região central de Cuba. A produção apresenta as festas e as pinturas para refletir sobre a vida do camponês. Nesse contexto, o ilme busca o Samuel mítico que ainda sobrevive na região.

O período de 1969 a 1985 marcou o início de uma nova cartografia de Cuba. Samuel Feijóo decidiu encontrar a Ilha mítica e, para isso, instalou-se no centro do país e publicou de maneira regular um livro de viagens, com aparência de revista, registando sua própria travessia pelo universo mitológico da cultura popular.

Vinte e quatro anos depois, um jovem deseja esboçar esse trajeto, seguindo a rota deixada por Feijóo em “Signos”. A ideia é que a jornada projete na tela o mapa do mundo mítico de Feijóo, sua vida, e sua entrada no imaginário popular.

Inédito. 52 min.
Classificação Indicativa: 14 anos
Horário: 00h15


Sábado, 27 de fevereiro (madrugada de sábado para domingo)
Con mi corazón en Yambo
01h15, na TV Brasil

Título original: Con mi corazón en Yambo. País de origem: Equador. Ano de estreia: 2011. Gênero: documentário. Direção: María Fernanda Restrepo, com Pedro Restrepo, María Fernanda Restrepo, Doris Morán.

O documentário é uma crônica de um dos crimes mais controversos da história do Equador: o desaparecimento dos irmãos Restrepo. Os rapazes de 14 e 17 anos sumiram em Quito, capital equatoriana, em 1988.

Até hoje, o caso não foi elucidado. Os corpos dos meninos foram jogados no lago Yambo, mas sua localização ainda é incerta. O filme narra o episódio polêmico, brutal e, infelizmente, esquecido. A obra atravessa as estruturas políticas e policiais de um passado recente e obscuro do Equador.

Dirigido pela irmã dos garotos, María Fernanda Restrepo, o documentário capta o poder da memória para manter os parentes vivos. O longa “Con mi corazón en Yambo” foi premiado em muitos festivais de cinema no continente americano e na Europa.

Reprise. 137 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 01h15


Domingo, 28 de fevereiro (madrugada de domingo para segunda-feira)
Mutum
00h00, na TV Brasil

Ano de estreia: 2007. Gênero: drama. Direção: Sandra Kogut, com Thiago da Silva Mariz, Wallison Felipe Leal Barroso, João Miguel, Izadora Fernandes, Rômulo Braga, Paula Regina Sampaio da Silva, Maria das Graças Leal de Macedo, Eduardo da Luz Moreira.

"Mutum" significa mudo. É o nome de um pássaro preto que canta apenas durante a noite. E é também o nome de um local isolado no território árido de Minas Gerais, onde Thiago e sua família vivem.

Thiago tem dez anos e é uma criança diferente das outras. Através de seus olhos, o espectador pode entrar no mundo adulto, cheio de neblina, traição, violência e silêncio. Na companhia de Felipe, seu irmão e único amigo, Thiago encontrar uma maneira de salvar a si mesmo a partir de seu entorno.

Dirigido por Sandra Kogut, o drama “Mutum” foi reconhecido em vários eventos da sétima arte. O longa conquistou o prêmio de Melhor Filme no Festival do Rio, no Festival de Bogotá, no Festival de Havana e no Festival do Cinema Brasileiro de Paris.
Já no Festival de Rotterdam, a película venceu na categoria Melhor Diretora (Sandra Kogut). No Festival do Cinema Brasileiro de Paris, o filme ganhou os prêmios do Juri, Melhor Diretora (Sandra Kogut), e Melhor Ator (Thiago da Silva Mariz).

Reprise. 85 min.
Classificação Indicativa: 18 anos
Horário: 00h00


Domingo, 28 de fevereiro (madrugada de domingo para segunda-feira)

Calle Santa Fé
01h30, na TV Brasil

Título original: Calle Santa Fé. País de origem: Chile. Ano de estreia: 2007. Gênero: documentário. Direção: Carmen Castillo.

Em 05 de outubro de 1974, em Calle Santa Fe, um subúrbio de Santiago, capital do Chile, Carmen Castillo é ferido e seu sócio e chefe do MIR, Miguel Henriquez, morre em combate.

O documentário é uma viagem no tempo que a diretora realiza por sua própria história, pela do país e do MIR. A produção consiste em uma busca dolorosa, mas restauradora que atravessa a obsessão de saber se mereciam pena os atos de resistência de seus companheiros do MIR e se fez sentido a morte de Miguel.

Calle Santa Fé” conquistou o reconhecimento como Melhor Direção Documental no Prêmio Altazor das Artes Nacionais do Chile. Também foi premiado como Melhor Documentário Latinoamericano no Festival de Cinema Contemporâneo da Cidade do México. O longa ainda recebeu o Prêmio do Público no Festival de Cinema Documental do Equador.


Reprise. 167 min.
Classificação Indicativa: 18 anos.
Horário: 01h30


Segunda-feira, 29 de fevereiro (madrugada de segunda para terça-feira)

Favela on Blast
0h30, na TV Brasil

Ano: 2008. Gênero: documentário. Direção: Leandro HBL e Wesley Pentz (DJ Diplo), com Mr Catra, Deise Tigrona, Mc Leleco, Mc Duda, Dj Sany Pitbull, Dj Jorginho, Mc Ju. Mc Colibri, Biruleibe, Mc Pé de Pano, Mcs Júnior e Leonardo, Mcs Gorila e Preto, Gaiola das Popozudas, Mc Frank, Dj Cabide, Dj Wally, Dj Grandmaster Rafael, Dj Carlos Machado, Dj Sandrinho, Mc Pana, Mc Serginho, Dj Marlboro e Mc Galo.

O documentário mostra a cultura em torno do funk carioca, ritmo musical que mescla o funk eletrônico americano da década de 1980 com as diversas influências da música brasileira. O baile funk é provavelmente um dos movimentos musicais mais interessantes no mundo. No Rio de Janeiro, é frequente nas favelas da Cidade Maravilhosa.

O funk carioca personaliza o cru, bombásticos ritmos do Miami bass americano, loops e samples de batidas de sambas unidos a poderosos vocais de rap no linguajar brasileiro. É música desenhada para ser tocada e ouvida o mais alto possível, com o baixo rasgando a brisa das noites tropicais cariocas.

Favela on Blast” busca apresentar a diversidade em torno de uma cultura musical que é única em seus contrastes e misturas. O filme pretende avançar no perfil dos personagens que compõem a cultura funk e ser mais do que uma produção meramente observacional.

Dirigido por Leandro HBL e Wesley Pentz (DJ Diplo), o documentário pesquisa o universo particular do funk carioca, um mundo composto por artistas de marcante talento e notórias inadequações.

A produção entrevista e acompanha o trabalho de nomes como Mr Catra, Deise Tigrona, Biruleibe, Mc Pé de Pano, Mcs Gorila e Preto, Gaiola das Popozudas, Mc Frank, Dj Grandmaster Rafael, Mc Serginho e Dj Marlboro, entre tantos outros. Essa variedade possibilita conhecer o universo particular de cada um deles na medida que os eventos são revelados na tela.

Reprise. 84 min.
Classificação Indicativa: 16 anos
Horário: 0h30


Terça-feira, 1 de março (madrugada de terça para quarta-feira)

Soldado de Deus
00h30, na TV Brasil

Ano: 2004. Gênero: documentário. Direção: Sérgio Sanz. Narração: Nelson Xavier.

Um documentário que faz um retrato do que foi o integralismo e sua importância na vida política brasileira. O filme de Sergio Sanz traz importantes depoimentos de pessoas como a historiadora Anita Prestes, filha do líder comunista; o poeta Gerardo Melo Mourão, o escritor Antonio Carlos Vilaça, o filósofo Leandro Konder e o professor Muniz Sodré, entre outros grandes pensadores e pesquisadores.

O filme apresenta um olhar sobre a história. Um encontro com o Integralismo através do testemunho - palavras e gestos - de quem estabeleceu, viveu, ama, amou e deixou de amar seus princípios e práticas. A produção dá voz também a quem sempre o condenou, julgou, criticou. Além disso, entrevista quem estuda os tempos em que o nacionalismo de direita mobilizou em torno de um milhão e filiou 500 mil pessoas em um país de cerca de 40 milhões e construiu o primeiro partido de massas do Brasil.

Dirigido por Sérgio Sanz e com narração de Nelson Xavier, o documentário “Soldado de Deus” traz memórias emocionais e racionais que possibilitam a reflexão sobre a influência e a presença do Integralismo na história recente e no presente dos brasileiros.

Reprise. 80 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 00h30


Quarta-feira, 2 de março

Marcelo Yuka no Caminho das Setas
22h00, na TV Brasil

Ano: 2011. Gênero: documentário. Direção: Daniela Broitman, com Marcelo Yuka, O Rappa (Falcão, Xandão, Marcelo Lobato e Lauro Farias), Manu Chao, BNegão, Apollo 9, Cibelle, Pedro Bernardes, Aleh Ferreira, Amora Pêra.


Com letras repletas de críticas sociais, Marcelo Yuka estava no auge do sucesso como compositor, baterista e líder da banda O Rappa – uma das principais na cena pop rock dos anos 1990. Aos 34 anos, 9 tiros num assalto no Rio de Janeiro o colocaram numa cadeira de rodas.

O documentário é um mergulho na transformação de Yuka desde o incidente, em 2000, que revela sua irreverência e complexidade como homem, artista e ativista. Enquanto luta por sua saúde física e espiritual, ele se arrisca em novas sonoridades e segue as setas numa incessante busca por justiça social e paz.

Dirigido por Daniela Broitman, o documentário “Marcelo Yuka no Caminho das Setas” conquistou o Prêmio de Melhor Montagem no Festival do Rio. Também foi reconhecido com a Menção Honrosa do Júri no Brazilian Film & TV Festival de Toronto. O filme ainda foi o vencedor do voto do público para Mostra Mobz no 4º In-Edit Brasil.

Reprise. 95 min.
Classificação indicativa: 12 anos
Horário: 22h00


Quarta-feira, 2 de março (madrugada de quarta para quinta-feira)

Paulo Moura: Alma Brasileira
00h30, na TV Brasil

Ano: 2013. Gênero: documentário. Direção: Eduardo Escorel.

O documentário apresenta uma trajetória musical e biográfica do músico Paulo Moura. O compositor e instrumentista está associado à história do choro brasileiro. Para captar a essência da sua obra, o diretor Eduardo Escorel economiza nos depoimentos e lança mão da música e do sentimento - presente, especialmente, na voz da viúva Halina Grynberg.

Trechos “rejeitados” de entrevistas e momentos silenciosos gravados em turnês internacionais ajudam a trazer à tona o lado menos conhecido do artista e formar um retrato mais completo do artista. A produção reúne mais de 40 anos de registros filmados e escritos. O longa apresenta 25 canções do repertório do músico, enquanto o próprio Paulo Moura dá mais detalhes sobre sua história pessoal e no cenário musical brasileiro.

Reprise. 86 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 00h30


Quinta-feira, 3 de março

A Volta ao Mundo de Anésio Argenton
19h00, na TV Brasil

Ano de estreia: 2013. Gênero: documentário. Direção: Fernando Acquarone e Marcelo Paiva.

Originário de um período em que o ciclismo não era considerado um esporte profissional, Anésio Argenton representa toda uma geração de atletas que surpreendeu seu país ao superar a pobreza para atingir o sonho olímpico.

Apesar das inúmeras dificuldades, Argenton participou dos Jogos Olímpicos de Melbourne, em 1956, onde obteve o melhor resultado do Brasil na história das Olimpíadas em provas de pista, recorde que permanece inalcançado; e de Roma, em 1960. Além disso, Argenton é o único brasileiro medalhista de ouro em Jogos Pan-Americanos na modalidade (Chicago,1959).

Reprise. 26 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 19h00



Quinta-feira, 3 de março (madrugada de quinta para sexta-feira)

No Meio da Rua
00h30, na TV Brasil

Ano: 2005. Gênero: infantil. Direção: Antonio Carlos da Fontoura, com Flávia Alessandra, Tarcísio Filho, Leandro Hassum, Guilherme Vieira, Clesay Delfino, Maria Mariana Monnerati.

Leonardo é um garoto de 11 anos de família de classe média alta, que tem vários tipos de aula e carro com motorista. A caminho da escola, enquanto seu carro aguarda em um sinal de trânsito, ele conhece Kiko, um garoto de sua idade que faz malabarismos na rua para ganhar alguns trocados.

Logo os dois se tornam amigos, o que faz com que Leonardo empreste seu Game Boy para Kiko. Este ato faz com que Leonardo receba uma bronca de sua mãe, Márcia, que não vê com bons olhos esta amizade. Decidido a recuperar o videogame, Leonardo falta uma aula para encontrar Kiko.

Porém Kiko lhe diz que não está mais com o jogo, que foi pego por dois olheiros que trabalham para o traficante Baratão. É quando os dois amigos decidem subir o morro para recuperar o Game Boy a todo custo.

Dirigido por Antonio Carlos da Fontoura, o infantil “No Meio da Rua” tem no elenco Flávia Alessandra, Tarcísio Filho e Leandro Hassum.

O filme conquistou o Prêmio Especial do Júri Gilberto Freyre no Cine PE Festival do Audiovisual do Recife. O longa também foi considerado o Melhor Filme pelo Júri Infantil no Festival Internacional para a Infância e Juventude de Madri e o Melhor filme para a Juventude pelo Juri adolescente no Festival Internacional Schlingel de Chemnitz (Alemanha). A produção ainda foi reconhecida como o Melhor Filme infantil no Festival Internacional Cineport da Lingua Portuguesa de João Pessoa.

Reprise. 81 min.
Classificação Indicativa: 10 anos
Horário: 00h30


Sexta-feira, 4 de março (madrugada de sexta-feira para sábado)

Augustas
00h30, na TV Brasil

Ano: 2012. Gênero: drama. Direção: Francisco César Filho, com Mário Bortolotto, Caroline Abras, Georgina Castro, Guta Ruiz, Maíra Chasseraux, Selma Egrei, Henrique Schafer, Juliano Cazarré, Milhem Cortaz, Fernando Bezerra, Paula Pretta, Dionísio Neto, Ziza Brisola, Gustavo Brandão, Fioravante Almeida e Phedra de Córdoba

Na mítica Rua Augusta em São Paulo, o jornalista Alex (Mário Bortolotto) busca respostas para suas angústias. O protagonista mergulha no universo da prostituição e em rituais neoxamânicos. É nesse contexto que se desenrola a trama do filme “Augustas”. No elenco, a história traz nomes como Juliano Cazarré e Milhem Cortaz, sob a direção do cineasta Francisco César Filho.

O longa é baseado no livro “A Estratégia de Lilith”, de Alex Antunes & Sish. A película brasileira tem como principais referências as produções do Cinema Marginal, lançadas entre o final da década de 1960 e o início dos anos 1970. As filmagens foram realizadas em um período de quatro semanas, utilizando a própria rua Augusta como locação, em cenas diurnas e noturnas.

Morador da rua Augusta, o jornalista paulistano surta quando é demitido do emprego. Além do trabalho, Alex perde também seu relacionamento com a ex-chefe e procura reconforto no universo noturno e urbano de São Paulo. Entre prostitutas e rituais xamânicos, ele começa a ser guiado por uma voz masculina, que apresenta uma visão espiritual do mundo.

O drama é dirigido por Francisco César Filho, mais conhecido como diretor e curador de diversas mostras e festivais, como o Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, a Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul e a Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental.

Augustas” marca a estreia no longa-metragem do cineasta e diretor de televisão Francisco César Filho. Ele é o responsável por diversos documentários premiados no Brasil e no exterior. Em 2012, Francisco lançou seus dois primeiros filmes: “Augustas” e o documentário “Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now!”, em parceria com Ninho Moraes.

Reprise. 79 min.
Classificação Indicativa: 16 anos
Horário: 00h30


Sábado, 5 de março

Bete do Peso
15h00, na TV Brasil

Ano de estreia: 2013. Gênero: documentário. Direção: Kiko Mollica.

Maria Elisabete Jorge, conhecida como “Bete do Peso”, foi a primeira levantadora de peso a defender o Brasil em uma edição das Olimpíadas. Esse esporte, presente nos Jogos Olímpicos desde o início das competições na Era Moderna, só incluiu a participação feminina em 2000.

O documentário dirigido por Kiko Mollica busca divulgar essa modalidade pouco reconhecida no país e resgatar a história dessa brasileira de origem humilde. A atleta chegou a Sydney aos 43 anos de idade e utilizou o esporte para ultrapassar fronteiras sociais.

Inédito. 26 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 15h00



Sábado, 5 de março

Os dias com ele
22h00, na TV Brasil

Ano: 2013. Gênero: documentário. Direção: Maria Clara Escobar.


O documentário apresenta a trajetória de uma jovem cineasta que mergulha no passado quase desconhecido de seu pai, o filósofo, dramaturgo e professor Carlos Henrique Escobar. A produção apresenta as descobertas e as frustrações ao acessar a memória de um homem e de uma parte da história – a ditadura militar – que são raramente expostos.

Intelectual brasileiro, preso e torturado durante a ditadura, Carlos Henrique Escobar não aborda esses temas desde aquele tempo. A filha, Maria Clara Escobar, parte em busca de sua identidade.

A cinebiografia “Os dias com ele” conquistou o prêmio de Melhor Filme no Festival de Cinema de Tiradentes. A produção ainda recebeu Menção Honrosa no Festival de Cinema de Havana e naQuinta Semana dos Realizadores. O longa também teve Menção Especial no Festival de Cinema de Murcia (Espanha).

Inédito. 107 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 22h00


Sábado, 5 de março

O Segredo da Luz
00h15, na TV Brasil

Título original: El secreto de la luz. País de origem: Equador. Ano de estreia: 2014. Gênero: documentário. Direção: Rafael Barriga.

O documentário revela a história de vida do explorador sueco Rolf Blomberg recorda sua produção: seus livros, filmes, fotografias e ilustrações. Blomberg explorou o Equador como poucos e criou essa obra vasta e emocionante.

Em 1934, ele se debruçou sobre o estudo das Ilhas Galápagos. O explorador regressou muitas vezes ao local para filmar, escrever e fotografar os indígenas, os pescadores, as cidades e a selva. Blomberg chegou aonde muito poucos chegaram.

Este "vagamundo profissional", como dizia a si mesmo, viajou também por muitos outros lugares do mundo, porém o Equador foi o seu centro de operações, seu lar. No país da América Latina ele formou sua família e, apesar de tantos livros e tantos filmes, permaneceu como um desconhecido.

Dirigido por Rafael Barriga, o documentário “O Segredo da Luz” investiga a trajetória do explorador através de sua obra. Montado exclusivamente a partir do enorme legado visual de Blomberg, o longa alcança outros tempos e indaga um olhar que, apesar do passar desses tempos, permanece intacto. A produção revela como a representação de identidade de todo um país pode ser diferente.

Inédito. 52 min.
Classificação Indicativa: 14 anos
Horário: 00h15


Sábado5 de março (madrugada de sábado para domingo)

Entre a Luz e a Sombra
01h15, na TV Brasil

Ano: 2009. Gênero: documentário. Direção: Luciana Burlamaqui.


O documentário Entre a Luz e a Sombra investiga a violência e a natureza humana a partir da história de personagens que tiveram seus destinos cruzados no complexo Carandiru, em São Paulo, considerado o maior presídio da América Latina.

Ao longo de sete anos, a partir de 2000, o documentário acompanha os passos da dupla de rappers 509-E, formada por Dexter e Afro-X dentro do presídio; da atriz Sophie Bisilliat, que dedica sua vida para humanizar o sistema carcerário; e de um juiz que acredita em um meio de ressocialização mais digno para os prisioneiros.

Sophia é uma atriz de classe média alta que abandonou uma promissora carreira para lutar pelo sonho de humanizar o sistema carcerário. Aos 18 anos começou a ensinar teatro a presos do Carandiru e permaneceu como voluntária por mais de 20 anos no sistema carcerário.

O projeto que começou como Teatro nos Presídios cresceu e transformou-se em Talentos Aprisionados, voltado para a descoberta de novos talentos no presídio em diferentes atividades artísticas como: literatura, artes plásticas, música etc.

Marcos e Christian cresceram no mesmo bairro da periferia pobre de São Bernardo do Campo, na grande São Paulo. Entraram na vida do crime, passaram por diferentes prisões e foram se reencontrar no Carandiru. Marcos, 27 anos, condenado a 17 anos de prisão por um homicídio e sete assaltos a mão armada. Christian, 27 anos, condenado a 14 anos de prisão por dois assaltos à mão armada e um estelionato.

Dividindo a mesma cela, os dois formaram o grupo de rap 509-E, número da cela deles. Marcos transformou-se em Dexter e Christian em Afro-X. Suas músicas falam sobre o mundo do crime, o desejo de abandoná-lo, a busca pela paz e pela valorização do jovem negro e pobre brasileiro.

Entre a Luz e a Sombra recebeu o prêmio do público de Melhor Documentário e Menção Especial do Juri do 17º Festival de Cinemas e Culturas da América Latina de Biarritz, e prêmio do público na categoria Melhor Longa-Metragem na 4ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos da América do Sul.

Reprise. 150 min.
Classificação Indicativa: 12 anos

Horário: 01h15




Domingo, 6 de março - Meu Japão Brasileiro

16h30, na TV Brasil 
Comédia nacional com Amácio Mazzaropi.

 



Fonte: Gerência de Comunicação
Empresa Brasil de Comunicação|TV Brasil 

Popular Posts

Google+ Followers