Our social:

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

‘Como Nossos Pais’, de Laís Bodanzky, é selecionado para o Festival de Berlim


PRODUZIDO PELA GULLANE E BURITI FILMES, LONGA-METRAGEM COM MARIA RIBEIRO, PAULO VILHENA E CLARICE ABUJAMRA INTEGRA PROGRAMAÇÃO DA
MOSTRA PANORAMA ESPECIAL

O longa-metragem “Como Nossos Pais”, de Laís Bodanzky, terá sua estreia mundial na edição deste ano do Festival de Berlim, que acontece entre 9 e 19 de fevereiro. Estrelado por Maria Ribeiro, Paulo Vilhena, Sophia Valverde, Annalara Prates, Clarisse Abujamra e Jorge Mautner, o filme integra a programação da mostra Panorama Especial. O anuncio do festival feito hoje, dia 25 de fevereiro, destaca a  atuação dos personagens com suas “paixões individuais e delírios existenciais encenados com uma naturalidade sublime”. “Como Nossos Pais” é uma produção da Gullane e da Buriti Filmes, em coprodução com a Globo Filmes e distribuição da Imovision.

- A estreia mundial é sempre muito importante para um filme, porque define o rumo que ele pode tomar. Ter a oportunidade de exibir “Como Nossos Pais” em um festival da linha A como o de Berlim é realmente uma grande conquista – afirma Laís. Esse é o quarto longa-metragem da diretora, que festeja também o momento vivido pelo cinema brasileiro no festival alemão. – ‘Como Nossos Pais’ mais um filme nacional a ser anunciado por Berlim, um recorde num evento desse porte. Fico muito feliz de fazer parte desse momento.

- Ter o filme da Laís na seleção oficial do Festival de Berlim nos traz duas grandes alegrias. A primeira é perceber o quanto o cinema dela está em sintonia com os temas e as discussões que serão abordados neste ano na Berlinale e a segunda é a possibilidade de construir uma linda carreira para o “Como Nossos Pais” no mercado internacional – comenta o produtor Fabiano Gullane. – Realizar a estreia mundial em Berlim e ainda contar com a Wild Bunch como nossa representante internacional de vendas nos coloca numa excelente posição para o ano de 2017 - complementa.

O longa conta a história de Rosa (Maria Ribeiro), uma mulher dividida entre o cuidado com as filhas, os afazeres domésticos, a convivência com o marido e a relação conflituosa com a mãe. Em meio a tantos afazeres, ela começa a questionar a sua rotina. – É uma mulher que busca uma nova maneira de se relacionar com a sociedade -, explica Laís, também autora do roteiro ao lado de Luiz Bolognesi.

Sinopse
Rosa é uma mulher que quer ser perfeita em todas suas obrigações: como profissional, mãe, filha, esposa e amante. Quanto mais tenta acertar, mais tem a sensação de estar errando. Filha de intelectuais dos anos 70 e mãe de duas meninas pré-adolescentes, ela se vê pressionada pelas duas gerações que exigem que ela seja engajada, moderna e onipresente, uma supermulher sem falhas nem vontades próprias. Até que em um almoço de domingo, recebe uma notícia bombástica de sua mãe. A partir desse episódio, Rosa inicia uma redescoberta de si mesma.Ficha Técnica
Elenco: Maria Ribeiro, Clarisse Abujamra, Paulo Vilhena, Felipe Rocha, Jorge Mautner, Herson Capri, Sophia Valverde, Annalara PratesParticipação Especial: Herson Capri
Direção: Laís Bodanzky
Roteiro: Laís Bodanzky e Luiz BolognesiDireção de Fotografia: Pedro MárquezDireção de Arte: Rita FaustiniProdutores: Caio Gullane, Fabiano Gullane, Laís Bodanzky, Luiz Bolognesi, Debora IvanovCoordenação Executiva: Sonia HamburgerCoordenação Financeira: Andréa MarcondesProdução Executiva: Caio Gullane e Rodrigo CastellarProdução: Gullane e Buriti FilmesCoprodução: Globo FilmesDistribuição no Brasil: ImovisionVendas internacionais: Wild BunchA diretora

LAÍS BODANZKY dirigiu seu primeiro filme de longa-metragem em 2000: o aclamado Bicho de Sete Cabeças, que participou da Seleção Oficial de Toronto e vencedor de Melhor Filme em Biarritz, entre outros 46 prêmios nacionais e internacionais. Seu segundo longa, Chega de Saudade (coprodução com o Canal ARTE da França) venceu Melhor Filme em Tous Écrans Genève e outros 20 prêmios no Brasil e no exterior. A abertura de seu terceiro filme, As Melhores Coisas do Mundo aconteceu no Festival de Cinema de Roma. O filme ainda venceu como Melhor Filme no FICI Madrid e 19 prêmios em outros festivais. Foi lançado na Itália em 2011. Laís dirigiu um dos episódios do filme Invisible World para a Mostra Internacional de São Paulo, projeto que contou com nomes como Wim Wenders, Manoel de Oliveira, Atom Egoyan, entre outros. Como documentarista, dirigiu Mulheres Olímpicas a pedido da ESPN em 2013 e A Guerra dos Paulistas em 2002 para a TV Cultura. Seu primeiro trabalho documental foi realizado em 1999, Cine Mambembe, O Cinema Descobre o Brasil vencedor do prêmio TV Cultura no Festival É Tudo Verdade. Em 2014, codirigiu a série Educação.doc  exibida pela Globo News e pelo Fantástico. Em 2015, dirige dois episódios da segunda temporada de PSI para a HBO.

Seus próximos projetos cinematográficos são os longas Como Nossos Pais – com previsão de lançamento para 2017 e o longa Pedro – em fase de desenvolvimento, previsto para lançamento também em 2017.

Na área musical, já realizou dois videoclipes do cantor e compositor Arnaldo Antunes. Produziu Fora de Si (2001) e dirigiu Essa Mulher (2002) - vencedor de melhor clipe do prêmio Multishow.

No teatro dirigiu a peça Essa Nossa Juventude em 2005, que foi indicada ao 18º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo nas categorias Melhor Ator para Gustavo Machado e Melhor Cenografia para Cássio Amarante. E em 2011, dirigiu a peça Menecma de Bráulio Mantovani que foi indicada ao 24º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo, na categoria Melhor Ator para Roney Facchini.

Sobre a Gullane
Fundada em 1996, a Gullane é uma produtora de conteúdo para cinema e televisão que mantém participação ativa no crescimento do audiovisual brasileiro. Sua missão é produzir temas cada vez mais relevantes para o mercado audiovisual, tendo o cinema como ferramenta de transformação social e cidadania. São mais de 40 filmes produzidos, sempre com o compromisso de unir o prestígio ao sucesso comercial. “O ano em que meus pais saíram de férias” de Cao Hamburger; “Chega de Saudade” de Laís Bodanzky; a animação “Uma história de amor e fúria” de Luiz Bolognesi; a franquia “Até que a sorte nos separe” de Roberto Santucci e os recentes “O lobo atrás da porta” de Fernando Coimbra, “Que horas ela volta?” de Anna Muylaert e “Tudo que aprendemos Juntos” de Sérgio Machado são alguns dos filmes realizados pela Gullane nos últimos anos. A qualidade técnica e artística identificada em cada produção tornou-se referência, garantindo à Gullane um espaço conceituado no mercado cinematográfico. Sua dedicação na produção é igualmente aplicada nas etapas de lançamento em festivais e no circuito comercial. Esse empenho permitiu à Gullane acumular mais de 200 prêmios em sua carreira, além de ter seus filmes nas seleções oficiais dos mais importantes festivais de cinema do mundo, como os de Cannes, Veneza e Berlim. Além das produções próprias, a Gullane amplia a carteira de projetos com parcerias importantes no Brasil e no exterior, com busca de financiamento e venda de filmes brasileiros junto ao mercado estrangeiro e com a realização de coproduções internacionais. Essas ações se refletem na ampla divulgação das obras e em uma rede formada por talentos de diversas partes do mundo. Por seu perfil empresarial, seu histórico criativo e seu expressivo volume de realizações audiovisuais, a Gullane está posicionada hoje entre as principais produtoras de conteúdo do Brasil.

Buriti Filmes
Fundada no ano de 1997 em São Paulo - Brasil, a BURITI FILMES é uma produtora de conteúdo para cinema e televisão, liderada pelos cineastas Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi.

Realizou os filmes Uma História de Amor e FúriaAs Melhores Coisas do Mundo, Chega de Saudade, Bicho de Sete Cabeças, Cine Mambembe, A Guerra dos Paulistas, Lutas.doc, Mulheres Olímpicas, Pare Olhe Escute e Educação.doc.

Atualmente desenvolve o projeto de documentário Pajé , o longa-metragem de animação Viajantes do Bosque Encantando e o longa-metragem Pedro. E também produz a série de documentários Juventude Conectada de cinco episódios com estreia no dia 18/07 no canal Futura e o longa-metragem Como Nossos Pais - com previsão de lançamento para 2017.

Possui mais de 120 prêmios nacionais e internacionais. Seus filmes foram exibidos nos cinemas de 6 continentes e vendidos para televisões em mais de 30 países, incluindo Canal Plus na Espanha e França, TV Arté na França e Alemanha, RAI na Itália, HBO na América Latina e TV Globo, ESPN, Globo News, Netflix e TVs Brasil, Arte 1, Canal Futura e Curta! no Brasil.

Imovision
Distribuidora presente no Brasil há 25 anos, a Imovision vem se consolidando como uma das maiores incentivadoras do melhor cinema, tendo lançado mais de 300 filmes no Brasil.
A distribuidora tem em seu catálogo realizações de consagrados diretores internacionais e nacionais, e filmes premiados nos mais prestigiados festivais de cinema do mundo, como Cannes, Veneza, Toronto e Berlim. Mantendo seu foco em títulos de qualidade, a Imovision foi a responsável por introduzir no Brasil cinematografias raras e movimentos internacionais expressivos, como o Movimento Dogma 95 e o cinema iraniano.

Fonte: Kátia Carneiro/ Agência Febre.

Imprensa (2)Trailer/Divulgação

Imprensa (3) Teaser Trailer

Popular Posts

Google+ Followers